Teste de Rorschach: o que é, como funciona, como se aplica?

Posted on Posted in Formação em Psicanálise, Psicanálise

Muitas pessoas esquecem que as nossas percepções livres são frutos do maquinário inconsciente da mente humana. Por essa razão, não enxergam impedimentos para fazer interpretações pessoais com aquilo que encontram, compreendendo cada evento da vida à sua própria maneira. Entenda melhor o que é Teste de Rorschach, como funciona e a que se aplica.

O que é Teste de Rorschach?

O Teste de Rorschach se trata de um estudo psicológico para avaliar as condições mentais dos pacientes. Desenvolvido por Hermann Rorschach, o estudo proporciona um vislumbre interpretativo do paciente em questão. Dessa forma, ele pode ser avaliado de um modo nada invasivo e até divertido, a depender da percepção.

O teste consiste na amostra de manchas em placas aos pacientes para que possam olhar aos seus movimentos internos. Cabe ressaltar que as manchas em si pouco importam para a terapia. O verdadeiro motor se encontra na interpretação pessoal do paciente ao encontrá-las. Ele dirá o que quer dizer, mas sem saber que está fazendo isso.

As manchas escuras podem ser utilizadas sem qualquer interferência negativa na vida do paciente. Com isso, se mostram como excelente adição para avaliar a condição psíquica deste. Sem contar que ainda pode ser um exercício prazeroso se o paciente permitir. Ele aprenderá a canalizar tudo o que sua mente tem tentado dizer de forma criativa.

Como funciona?

O Teste de Rorschach é bastante simples se olharmos a sua natureza por completo. Um conjunto de placas recebe padrões de manchas diferentes, sendo estas coloridas ou não. A princípio, a dinâmica do trabalho parecerá um tanto quanto sem propósito. Contudo, as respostas dadas pelos pacientes é que movimentarão o trabalho do terapeuta.

O terapeuta mostrará cada placa ao analisado uma seguida da outra. Em seguida, o paciente deverá lhe contar tudo o que aquela imagem parece aos olhos dele, montando uma representação pessoal. Nisso, o tempo de cada amostra dependerá unicamente dele. Ele pode fazer apenas uma ou várias reflexões do que as manchas lhe parecem.

O terapeuta fará observações a respeito da perspectiva e do que o paciente encontrou ao se deparar com as manchas. Tudo vai depender da forma como ele interpreta o que vê ali, relevando o que não diz diretamente. Em alguns casos, isso serve de apoio para investigar o surgimento e desenvolvimento de patologias psíquicas.

Como é aplicar o Teste de Rorschach?

Inicialmente, Hermann pretendia utilizar de 16 placas para que fizesse o seu trabalho. Contudo, o processo de criação custava caro. Relutante, o mesmo concordou em reduzir para 10 o número de placas utilizadas durante a sessão de reconhecimento. Ainda assim, a tática surtiu um excelente efeito, sendo consagrada na terapia atual.

Quem faz o teste apresenta quadros com manchas coloridas ou pretas para que determinada pessoa olhe. Cada placa nova sendo exibida é seguida da pergunta “O que pode representar isso?”. A partir daí, o paciente toma a frente e tenta decifrar a imagem abstrata. Seu inconsciente serve de base para que alimente o seu processo de análise.

O melhor é que a terapia é flexível, de modo que não exista um padrão claro. Já que temos diversas percepções a respeito de um único objeto, podemos dar várias respostas, se achar necessário. A entrega de respostas diversas enriquece a terapia. Graças a isso, cada paciente pode explorar o próprios sentimentos em favor de uma análise bem construída e eficaz.

Leia Também:  Resiliência em 7 passos: atitudes da pessoa resiliente

Avaliação interpretativa

Assim que obtém as respostas do paciente, o terapeuta fará um decodificação do que foi revelado. O Teste de Rorschach usa de códigos complexos para posicionar cada resposta adequadamente. Isoladamente, cada fala do paciente é avaliada pela:

Percepção

A percepção do paciente em relação ao borrão é estudada. O principal foco aqui é se o mesmo viu a imagem integrada ou apenas como partes. Dessa forma, observarmos o quão complexa é a captação do indivíduo em relação ao procedimento submetido.

A determinante

Durante o teste é preciso verificar o que mais chamou a atenção do analisado em relação ao que viu. Por isso que se avalia o aspecto importante no borrão para ele. Isso pode vir através da forma, a impressão de movimento, a cor ou outras características como o tamanho.

Conteúdo

Nessa terceira parte é necessário interpretar a imagem que o paciente alcançou em sua mente. Nisso se verifica se é uma pessoa, partes dela, um animal, vegetais ou objetos. A disposição da mente dele se encarregará dessa parte e a fará clara.

Resposta original ou vulgar

Por fim, a estrutura da resposta dada pelo estudado em relação à terapia. É preciso descobrir se a fala se trata de algo corriqueiro ou comum no ambiente onde ele está inserido. Às vezes, longe do seu campo social habitual, uma pessoa pode esclarecer questões que são pouco trabalhadas em outros locais.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


O que o Teste de Rorschach pode alcançar?

O Teste de Rorschach não deve ser visto como um diagnóstico sólido se usado sozinho. Trata-se de uma abordagem contemplativa para levantar mais dados úteis a qualquer estudo social. Justamente por isso que podemos olhar para algumas questões pertinentes ao estado mental de alguém, como por exemplo:

Traços de personalidade doentia

A neurose dá sinais, ainda que confusos, de sua estadia na mente de alguém. Cabe ressaltar que não existe um padrão claro para ela, mas é possível avaliá-la. O teste consegue fazer um mapeamento de sintomas que revelam o decaimento da mente humana, ajudando em um diagnóstico psiquiátrico.

Avaliação intelectual

A qualidade e a quantidade de inteligência também podem ser medidas durante a avaliação. Parte disso se dá pela criatividade do analisado em dar respostas elaboradas e bem estruturadas. Uma mente mais rica consegue facilmente fazer associações com mais liberdade e sem bloqueios, sejam ele quais forem.

Afetividade

As palavras durante o Teste de Rorschach também mostram o quanto alguém é receptivo ao afeto. Isso se dá através das percepções intimistas que alguém pode alcançar. Por exemplo, o encontro de uma mãe com o filho, pessoas rindo ou animai interagindo. Para criar esse tipo de imagem, uma estrutura interna afetiva é importante.

Considerações sobre Teste de Rorschach

Dada à forma como funciona, o Teste de Rorschach vem sendo aplicado distante do consultório do terapeuta também. Pesquisas na área jurídica, Neuropsicologia e até entrevistas de emprego se beneficiam desse tipo de contato. É uma forma sadia de se determinar alguns traços relevantes nos indivíduos estudados para entender sua personalidade.

O teste funciona graças à sua interatividade e funcionalidade aplicadas de modo diferente com o objetivo de analisar a construção psíquica de alguém. Contudo, o que o movimenta a análise não são as manchas apresentadas nas placas, já que são apenas um instrumento. É a percepção do paciente em relação ao seu desenvolvimento interno que conta para o crescimento do trabalho.

Leia Também:  Síndrome de Heller: Saiba tudo sobre esta Condição

Por fim, vale ressaltar percepção desse trabalho ficará mais completa quando você adquirir uma formação mais aprofundada em um bom curso online de Psicanálise. Além do teste de Rorschach, você poderá abrir seus olhos para entender o comportamento humano por completo. Isso inclui a alimentação de um autoconhecimento progressivo, transformando o seu caminho aos poucos, mas também pode servir como profissão complementar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + treze =