Vício em açúcar

Vício em açúcar: como a psicologia explica e trata?

Posted on Posted in Comportamento, Conceitos e Significados, Psicanálise, Transtornos e Doenças

Você já se perguntou se existe mesmo o vício em açúcar? Neste artigo, responderemos a essa pergunta!

Além disso, explicaremos como a psicologia e a psicanálise explicam e tratam esse problema.

O que é o vício em açúcar?

O vício em açúcar é um transtorno alimentar que se manifesta no hábito repetitivo e degenerativo de abusar de alimentos doces, assim como um viciado abusa de substâncias químicas.  

Ele tanto é um vício que é possível defini-lo a partir de três características que definem a dependência química. São elas:

  • compulsão: o cérebro começa a pedir por mais açúcar;
  • abstinência: na ausência de doces, sintomas como irritação, falta de concentração e cansaço são comuns;
  • obsessão: os pensamentos em doces são frequentes e incontroláveis.

Se você consegue observar essas características na sua vida com relação aos doces ou qualquer tipo de abuso de substância, é importante procurar ajuda.

Açúcar é viciante mesmo?

Tendo em vista as informações acima, é sim possível afirmar que o açúcar é viciante. Contudo, precisamos esclarecer o porquê. Ou seja, precisamos indicar o porque é fácil para o nosso corpo desejar doces mais e mais.

Se você gosta de alimentos doces, sabe que, ao ingeri-los, o seu corpo recebe uma injeção de boas sensações. Bem-estar, prazer e energia são as mais comuns.

Isso acontece porque o consumo de glicose (açúcar) estimula a liberação de endorfinas, isto é, as substâncias produzidas pelo cérebro e que trazem a sensação de prazer.

Essa compensação de prazer no corpo acontece muito rapidamente. Assim sendo, as pessoas logo aprendem a usar os doces como um recurso para se sentirem bem.

Trata-se de algo que observamos em menor escala nas mulheres quando estão passando pela famosa TPM (Tensão Pré-Menstrual). É natural sentir um grande desejo por doces logo antes de menstruarem, principalmente chocolate. No entanto, esse simples desejo pode se tornar um vício gravíssimo quando perde-se o controle das próprias ações.

Ciclo vicioso

Falando mais especificamente sobre esse momento de perda de controle, quem adquire um vício em açúcar acaba vítima de um ciclo vicioso.

Não é apenas uma questão psicológica, mas física. O consumo de doces em excesso traz desequilíbrio para o sistema endócrino. Trata-se do sistema responsável por regular a secreção de hormônios, substâncias químicas que afetam o corpo e as nossas emoções.

Nesse caso, especificamente, é importante entender que quem regula a quantidade de açúcar no sangue de uma pessoa é a insulina, um hormônio produzido no pâncreas. 

Quando você consome muito açúcar, o pâncreas começa a produzir insulina em excesso e, com isso, o desejo de comer doces aumenta. Além disso, esse desejo se torna cada vez mais constante.

Como a psicologia explica o vício em açúcar?

Em linhas gerais, o vício pode surgir tanto do hábito de ingerir alimentos mais adocicados quanto de um momento traumático ou difícil de processar, como a morte de um ente querido

Nesse contexto, a pessoa sofrendo usa os doces como muleta para enfrentar seu luto ou outros momentos difíceis, como crises de ansiedade e depressão.

Além disso, vale lembrar que o vício em açúcar não tem nome específico. 

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Na verdade, para a psicologia, trata-se de um transtorno alimentar que se encaixa no termo guarda-chuva da compulsão alimentar.

    Ou seja, quem tem esse vício consome grandes quantidades de comida com frequência – nesse caso, doces. Ademais, a pessoa sente que esse comportamento alimentar não tem controle.

    Por essa razão, o viciado em açúcar tem muita dificuldade para fazer dietas, seja cortando ou apenas reduzindo o consumo de doces.

    Tratamentos para o vício em açúcar 

    O tratamento para o vício não trabalha em apenas uma frente. 

    Para explicar como ele costuma ser desenvolvido, separamos as ações necessárias nos tópicos que você lerá em seguida.

    Equipe Multifuncional

    Como você já viu, o vício em doces não afeta apenas o psicológico do viciado. O físico também sofre, sendo a obesidade e a diabetes bons exemplos de consequências nesse sentido.

    Portanto, para tratar o vício, além de um psicólogo responsável pelo tratamento das questões internas do indivíduo, o processo requer pelo menos o suporte de um nutricionista na prescrição de planos alimentares.

    Ademais, a depender dos danos ao corpo, é possível que a pessoa tentando superar o vício precise também do suporte de um endocrinologista. 

    Reeducação da ingestão de açúcar

    É evidente que o tratamento do vício em doces requer uma transformação da relação que a pessoa tem com o açúcar. Aqui o papel do nutricionista é fundamental, mas sem a ajuda do psicólogo uma mudança eficaz é difícil de conseguir.

    É preciso processar como essa relação surgiu e encontrar mecanismos que façam o processo de “desmame” dessa substância parecer e ser menos inalcançável. 

    Iniciar a prática de exercícios físicos

    Um outro ponto que faz a diferença no tratamento do vício em açúcar é a prática de exercícios físicos. 

    Aqui, o personal trainer é uma adição interessante para o processo, pois pode elaborar rotinas que substituem gradativamente os doces na liberação de endorfina.

    Explicamos melhor: após atividades físicas mais intensas, o cérebro também libera endorfina. Quanto mais agradável a atividade for para o praticante, maior é a sensação de bem-estar.

    Isso é importante na medida em que tanto comendo doces quanto praticando uma atividade física você obtém a mesma recompensa: prazer. Só há benefícios na substituição de uma compulsão por um hábito saudável.

    Como um psicanalista lidaria com um viciado em açúcar?

    Falando especificamente sobre o tratamento do vício em açúcar da perspectiva da psicanálise, parte-se do pressuposto de que a relação de dependência com o açúcar é uma compulsão ligada à formação do indivíduo

    Um acontecimento em sua vida deixa a pessoa presa à obtenção de prazer instantâneo.

    Assim sendo, para entender o que aconteceu, o psicanalista propõe um mergulho na história. É a partir das descobertas a respeito da origem da compulsão que vão surgindo as estratégias para superá-la.

    Considerações finais sobre o vício em açúcar

    Neste artigo sobre o vício em açúcar, você aprendeu o que é esse vício e entendeu que ele é tão prejudicial quanto um vício em substâncias químicas. Trata-se de um transtorno alimentar grave que requer um tratamento multidisciplinar para que o indivíduo volte a ter qualidade de vida.

    Leia Também:  Tipos de frases indiretas mais usadas pelas pessoas

    Também abordamos como a psicanálise é central para rastrear a origem do vício. Dessa forma, é possível elaborar estratégias para tratar o problema de forma eficaz.

    Em vista disso, se você quer aprender como trabalhar questões como o vício em açúcar e outras questões de ordem mental como psicanalista, temos a oportunidade perfeita para você! Em nosso curso de psicanálise clínica 100% online os transtornos e doenças fazem parte do currículo e você recebe o certificado que possibilita clinicar. Confira!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.