ansiedade

Ansiedade: viver no futuro pode arruinar seu presente

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

É normal sentir certo grau de ansiedade de vez em quando. Além de ser um sentimento propulsor que faz com que tenhamos ímpeto para realizar uma ação, a ansiedade provoca no nosso corpo uma sensação de medo e advertência a um provável (ou não) perigo ou evento.

Entendendo sobre a ansiedade

É inerente ao ser humano se sentir ansioso em determinadas situações, mas, pode virar um distúrbio quando há efeitos negativos que impactam a vida pessoal, profissional e os nossos relacionamentos. De certa forma, podemos dizer que hoje a ansiedade virou um transtorno “banal”. Digo isso pois se pesquisarmos o termo na internet ou em redes sociais, vamos encontrar diversos artigos, notícias e explicações sobre o tema nos provando que de fato, ela está sempre rondando nosso cotidiano.

Motivo de procura por terapia, assunto de memes na internet, pauta de conversa nos noticiários – “Será que sou um ansioso?” – é sempre a dúvida que fica. Com certeza essa exposição do que estamos vivendo e a relação com esse sentimento tem um motivo, afinal, os transtornos de ansiedade são mais comuns do que se imagina. Em 2020, a OMS (Organização Mundial de Saúde) apresentou um estudo em que prova que cerca de 264 milhões de pessoas sofrem de algum transtorno de ansiedade no mundo.

Para traçar uma estimativa mais próxima à nossa realidade, uma pesquisa feita pela USP – Universidade de São Paulo em 2021, em uma lista de onze países, o Brasil lidera com mais casos de ansiedade (63%) e depressão (59%), seguido, respectivamente, da Irlanda e dos Estados Unidos. Os dados assustam e nos mostram que nunca foi tão pertinente cuidar da nossa saúde mental.

Mas, o que é a ansiedade?

Um sentimento em forma de angústia, que se dá em função de acontecimentos e eventos futuros. Essa expectativa de ameaça que ainda não aconteceu (e na maioria das vezes pode nem acontecer), cria um medo desproporcional na mente da pessoa ansiosa. A luta para que os sintomas não sejam aparentes pode ser diária. É difícil explicar para uma pessoa que não tenha ansiedade o que acontece dentro da mente de quem tem: uma mistura de pensamentos que invadem a cabeça, um medo descabido e muitas vezes sem sentido. Pensamentos sobre acontecimentos do amanhã que ainda não foram concretizados.

Preocupação excessiva com responsabilidades e entregas profissionais, com a imagem pessoal, com os relacionamentos. Alguns sintomas de ansiedade são clássicos e é importante identificá-los: – fadiga, insônia, falta de ar, confusão mental, dor no peito, boca seca, tensão muscular, vômitos. Há diferentes tipos de transtornos que são relacionados à ansiedade, alguns deles são: Transtorno ou Síndrome do Pânico, Transtorno Dismórfico Corporal (TDC), Fobia social, Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG).

Um quadro de transtorno de ansiedade não tratado pode evoluir também para uma doença psicossomática, ou seja, sintomas que são sentidos no nosso corpo e, na maioria das vezes, originados de doenças emocionais. Algumas dessas doenças somáticas podem ser úlceras, gastrite e enxaqueca, por exemplo. O crescente uso e acesso facilitado à tecnologia parece que tem ajudado nesse aumento de casos.

Gatilhos

Pense no seu dia a dia. Você entra para ver um vídeo no Youtube , quando o anúncio começa a primeira coisa que procura é a opção para pular. O vídeo que você começou a assistir é muito longo, o que você faz? Vai direto para o minuto do vídeo que lhe interessa. E o que dizer sobre a possibilidade de acelerar os áudios recebidos no Whatsapp? Essa febre tem se mostrado um gatilho para quem já tem ou pode vir a ter ansiedade.

Quando aceleramos a velocidade para ouvir uma mensagem de forma mais rápida, o que faremos com esse tempo que sobra? Provavelmente vamos ouvir mais áudios, consumir mais conteúdos das mídias sociais, trabalhar mais, resolver mais problemas. A facilidade que a tecnologia está nos dando, de certa forma retira nossa autonomia, nos colocando como espectadores da nossa própria vida.

Tomamos um lugar de agente passivo, apenas recebendo informações sem conseguir digerir, filtrar, acolher ou entender o real significado do que tudo aquilo significa para nós. O excesso de tarefas diárias, responsabilidades e informações que nos é direcionado tem um impacto muito grande nas nossas emoções. É difícil sair ileso dessa tal ansiedade.

Leia Também:  O que é Psicose: origem e manifestações

Conclusão

Vivemos diariamente desejando e acreditando que estaremos isentos de sentir tais angústias, que passaremos longe da seção de medicamentos ansiolíticos ou anti-depressivos da farmácia, juramos que nunca faremos uma sessão de terapia mas, quando percebemos, já estamos imersos em um mundo cheio de sintomas e preocupações. E, para você que se identifica como uma pessoa ansiosa ou se tem dúvidas mas sente que de certa forma algumas angústias tiram seu sono e atrapalham sua vida, procure ajuda.

Há inúmeras formas possíveis de lidar com a ansiedade: terapias, meditações e técnicas de relaxamentos, medicações, prática de atividades físicas, e muitas outras. Procurar um profissional para adequar o que você sente ao diagnóstico de ansiedade e iniciar um tratamento adequado é muito importante. Afinal, nem tudo que sentimos é ansiedade.

E, se eu puder dar um conselho, lá vai: se permita viver consciente, desligar o piloto automático, assistir o vídeo do Youtube com calma. Ouvir com atenção e na velocidade normal o áudio do Whatsapp que tem 2 minutos. Afinal, em um mundo repleto de possibilidades futuras, a única certeza que nos resta é o aqui e o agora.

O presente artigo foi escrito por Maria Eugênia, ou para simplificar: Maria. Formada em publicidade e propaganda, com bagagem profissional na área de comunicação e marketing. Desde sempre interessada pelo comportamento humano, tenta diariamente se auto-entender e compreender o mundo que a cerca. Curiosa, apaixonada pela vida, pela praia, família, amigos e seus 3 gatinhos. Contato: [email protected]

2 thoughts on “Ansiedade: viver no futuro pode arruinar seu presente

  1. Olá,

    Acho que sou um pouco ansioso.
    Descobri graças ao curso de psicanálise clínica que estou fazendo.

  2. Muito bom artigo! Agora que o imediatismo está em alta,. O transtorno de ansiedade, terá um aumento absurdo,
    infelizmente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.