xenofobia

O que é xenofobia? Significado e exemplos

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise e Cultura

Lidar com o diferente quando ele surge na forma de uma pessoa de fora pode ser um exercício difícil para muitas pessoas. Nesses casos, as culturas são tão fechadas que acabam não permitindo a aproximação com estilos de vida diferentes. Entenda o que é xenofobia e alguns exemplos do cotidiano.

O que é xenofobia?

O significado de xenofobia fala do medo que algumas pessoas possuem do que é diferente ou estrangeiro. Ou seja, é uma aversão preconceituosa contra pessoas que não fazem parte da mesma cultura que você. Em geral, isso é direcionado para quem vem de outro país ou possui características distintas da sua.

Essa repulsa e o ódio surgem de embates históricos, culturais, econômicos e até religiosos. Basicamente, provém do desconhecimento e ignorância ao reforçar estereótipos preconceituosos sobre grupos específicos. Sem contar que existe também uma certa influência do etnocentrismo nisso tudo, validando a ideia de que uma cultura é melhor ou superior que as outras.

Dessa forma, a visão etnocêntrica e preconceituosa acaba alimentando a segregação, de maneira que separa os indivíduos vistos como estranhos. Em casos mais graves, além da discriminação, pode resultar em violência física como forma de afastar quem vem de fora.

A xenofobia no Brasil

É comum que os brasileiros viajem ao redor do mundo e acabem vivenciando casos de xenofobia. Todavia, isso não impede que a própria população brasileira acabe sendo preconceituosa com estrangeiros. Ademais, costumamos praticar essa violência até mesmo com brasileiros de outras regiões do Brasil.

Sendo assim, os povos que mais sofrem com a xenofobia no Brasil atualmete são:

  • Venezuelanos;
  • Bolivianos;
  • Haitianos;
  • Africanos de diversas nacionalidades.

Além disso, o brasileiro também se mostra xenófobo contra seus semelhantes de outros estados. Há regiões que recebem um grande número de pessoas de outras cidades em busca de trabalho. A regiões que mais sofrem com essa discriminação no Brasil são norte e nordeste.

A escola do medo

Muitas vezes a pessoa xenófoba acaba associando a vinda de estrangeiros com a deterioração da situação econômica e social do próprio país. Isso porque muitos reduzem a questão à ideia de que estrangeiros querem roubar empregos e outros benefícios. Deste modo, aqui se constrói a ideia que os indivíduos de fora são pessoas oportunistas e gananciosas.

Seja a passeio, negócios ou mesmo para morar definitivamente, precisamos entender e respeitar as motivações desse grupo. Assim, trabalhando a empatia, trata-se de saber se colocar no lugar delas para entender o seu choque em relação à cultura local. Acredite, se pudessem e fosse favorável ao seu desenvolvimento como cidadãos, não sairiam de seus países.

O poder da ignorância

Do mesmo modo, um dos maiores fatores para o afloramento da xenofobia é a falta de informação rapidamente disseminada. A ignorância e suposição a respeito dos estrangeiros é um dos catalisadores do preconceito que eles sofrem. Sem contar que estereótipos influenciam diretamente a visão rasa a respeito de quem chega de fora.

Os filmes e a própria internet se tornaram um canal para a disseminação de uma imagem ruim de alguns estrangeiros. Quem nunca assistiu a um filme de ação cujo estereótipo de vilão terrorista muçulmano prevalecia contra um mocinho branco? Ou mesmo viu matérias e artigos tendenciosos falando mal de imigrantes de outros países?

Leia Também:  Seja a melhor versão de si mesmo em 14 passos

Esse tipo de comportamento é ensinado e repassado de uma pessoa para outra. Sim, todos os países e culturas possuem os seus pontos de conflito que complicam a questão humanitária. Todavia, a generalização acaba por ameaçar instantaneamente a vida de pessoas que apenas desejam seguir com suas vidas da melhor maneira possível.

A ponte entre xenofobia e racismo

Muitas pessoas acabam perdendo a concepção de que a xenofobia está ligada também ao racismo. Em muitos casos a xenofobia é exacerbada pelo racismo, colocando em maior risco os indivíduos que são visualmente diferentes dos outros. Perceba que, mesmo que sutis, pessoas de determinadas regiões do mundo possuem características únicas. Por exemplo, africanos, sul-americanos ou mesmo os orientais.

A cor da pele acaba levantando suspeitas sobre a origem de alguns indivíduos, que se tornam alvo de pessoas ignorantes. Indo mais a fundo, a forma de se comunicar e se portar também denuncia a sua diferença em relação aos nativos. Portanto, nota-se que o problema é mais ramificado do que parece e encontra novas maneiras de se manifestar dependendo de cada situação.

Detrimento de culturas

Como mencionado acima, um dos pilares da xenofobia se concentra no etnocentrismo. Para muitos é verdade que uma cultura seja mais relevante que qualquer outra. Contudo, quando uma pessoa não corresponde a essa premissa, é imediatamente recebida com violência e incompreensão.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Desta forma, a proposta da diversidade no mundo moderno em que vivemos não é bem aceita por quem possui acredita nisso. Para eles, não deveria existir pluralização em qualquer aspecto ou instância. Ademais, se fosse possível, todos deveriam pensar e agir como de uma só maneira… A eles, no caso.

    O etnocentrismo acaba excluindo outros modos de ser e viver e aponta que apenas um é o padrão ideal. Assim, fica evidente que se trata de uma barreira limitante, que sufoca qualquer elemento não pertencente a ela. Para exemplificar, pense no tratamento violento dado aos negros ao longo dos séculos deflagrado pela elite branca baseado principalmente na diferença da cor da pele.

    Xenofobia e a identidade

    Muito da nossa identidade provém da nossa cultura e do nosso país. Sendo assim, muitas pessoas veem a chegada de outras pessoas como uma ameaça a essa identidade. Isso em partes explica porque elas são contrárias a esse pluralismo e acabam recorrendo a violência.

    A ideia de que estrangeiros vão corromper e deturpar a identidade nacional não é algo novo. Contudo, devido à maior circulação de indivíduos na atualidade ela está mais disseminada.

    Igualmente, o que muitos não compreendem é que nenhum país ou cultura chegou até os dias de hoje sem se misturar e se relacionar com outros povos. Mesmo assim, a percepção de ameaça à identidade individual e nacional pode ter efeitos nocivos se não for confrontada.

    Exemplos

    Para fixar melhor a materialização da xenofobia, veja alguns dos exemplos cotidianos que experimentamos:

    Brasil

    Como mencionado, possuímos ressalvas ao acesso principalmente de bolivianos, venezuelanos, haitianos e angolanos. Muitos reduzem a ideia simplista de que eles querem nossos empregos e fontes de subsistência. Os noticiários mostram com frequência a miséria cultural e social vivida por esses indivíduos como meio de incentivar essa ideia.

    EUA e Europa

    Nos Estados Unidos e em alguns lugares da Europa existe um forte preconceito com os árabes ou islâmicos. Ambos carregam o estereótipo de serem terroristas apenas por serem quem são. Fora eles, os latinos também costumam sofrer discriminação, como por exemplo os mexicanos.

    Leia Também:  Adolf Hitler na Visão de Freud

    Barreiras de inserção

    No dia a dia, pessoas de etnias diferentes sofrem com a vigilância em comércios públicos, como shoppings e lojas. Consequentemente, muitos acreditam que eles vão roubar ou causar algum problema. Ademais, é comum também a recusa de empregos a estrangeiros que são qualificados, mas que têm uma origem incômoda.

    Considerações finais sobre xenofobia

    Aprender e compreender outras culturas ajuda diretamente a trabalhar a xenofobia e os efeitos nocivos que ela possui. Assim, por meio da empatia podemos entender que se tratam de pessoas comuns e como nós possuem desejos e vontade de crescer. Dessa forma, veríamos a sua história e os desafios que enfrentam diariamente.

    Necessitamos alimentar e validar a postura de receber e entender quem vem de fora. Independente de ser brasileiros ou estrangeiros, são seres humanos, cidadãos e precisam de reconhecimento e respeito.

    Então, se você quiser aprimorar o seu conhecimento sobre a relação entre psicanálise e cultura, se inscreva em nosso curso 100% online de Psicanálise Clínica. Através dele você pode navegar em si mesmo, desenvolvendo seu autoconhecimento e progredindo existencialmente. O potencial de conhecimento poderá ajudar você (e aqueles sob sua influência) a lidar socialmente com o problema persistente que a xenofobia trouxe a todos nós.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *