almas afins

Almas afins: a psicanálise das almas gêmeas

Posted on Posted in Psicanálise, Teoria Psicanalítica

Há pessoas que parecem encaixar tão bem com a gente que passamos a acreditar naquilo que costumam chamar de almas afins ou almas gêmeas. Esse é um conceito que parece estar muito mais associado ao âmbito religioso do que o psicanalítico, não é? Contudo, alertamos que é possível analisar essa nossa impressão de que existem almas gêmeas a partir da Psicanálise. Se você quer descobrir como, basta ler este artigo até o final!

O que as pessoas entendem ser as almas afins?

O conceito de almas gêmeas já ficou tão popularizado entre os casais e famílias que corre o risco de cair no descrédito. No entanto, a ideia por trás dele é muito pura e dá força a muitas pessoas no que diz respeito a problemas que aconteceram no passado. Explicamos melhor: basicamente, para crer em almas gêmeas, é necessário acreditar também em algo chamado de reencarnação.

Para começarmos a falar desse assunto, antes introduziremos a ideia ao relembrar você de uma novela muito famosa por explorar o tema. Você por acaso se lembra do par romântico entre Eduardo Moscovis e Priscila Fantin? Na novela Alma Gêmea (2006), um casal separado pela morte de um dos cônjuges se reencontra após 20 anos.

A popularização do conceito de almas gêmeas na televisão

Nessa conjuntura da televisão, Rafael (Eduardo Moscovis) e Luna (Liliana Castro) se apaixonam perdidamente e se casam. Os dois têm um filho, mas o amor do casal é interrompido pela morte de Luna, que leva um tiro em uma tentativa de um assalto.

Contudo, no exato momento em que Luna falece, nasce em uma aldeia Serena. Esta, por sua vez, é filha de uma índia com um garimpeiro. Durante sua vida, ela acabará encontrando Rafael e os dois se apaixonam. A ideia aqui é que Serena é a reencarnação de Luna. Uma vez que a esposa falecida seria a alma gêmea de Rafael, é natural que Serena seja atraída a ele. Obviamente, o sentimento em algum momento deve ser recíproco.

Com a novela, fica um pouco mais simples de entender o que significam as almas afins. Trata-se realmente de identificar que você tem com alguém uma relação tão profunda que parece não se limitar a esse plano existencial. É como se vocês se conhecessem de muito antes.

A alma gêmea de Fábio Júnior

Assim, fica até mais fácil entender o que Fábio Júnior canta na música que ficou famosa por expressar essa ideia. Trata-se de uma conexão tão forte que leva você a defini-la como:

  • as metades da laranja,
  • Dois amantes,
  • dois irmãos,
  • duas forças que se atraem,
  • sonho lindo de viver.

O conceito de almas afins para diferentes religiões

Uma vez que a reencarnação é uma premissa para o conceito de almas afins, muito provavelmente você deve estar pensando que o conceito vale a pena apenas no espiritismo. No entanto, não só os espíritas acreditam em reencarnação. Assim, a crença em almas gêmeas é muito distinta quando a analisamos de diferentes perspectivas religiosas.

Cabala

A Cabala é uma filosofia que tem origem no judaísmo. Dessa perspectiva, a vida após a morte existe. Assim, quando uma pessoa morre, sua a alma volta para a Terra quantas vezes forem necessárias. Isso é importante para completar o tikkun (ou carma) e faz parte da nossa evolução.

Ademais, segundo o Zohar, que é o principal livro da Cabala, antes de descer para este mundo, a alma tem dois aspectos complementares. Um é masculino e o outro é feminino. Assim, é como se antes de nascermos, dois fossem um e, no casamento, por exemplo, essas pessoas voltassem a esse estado inicial novamente.

Leia Também:  10 ótimos filmes sobre autismo

Quando uma alma reencarna, o aspecto masculino vem no corpo de um homem e o feminino no de uma mulher. Uma vez que essas duas partes complementares chegam na Terra, terão sempre a sensação de que falta a outra metade. Quando o encontro de almas ocorre, a sensação de plenitude é muito grande.

Espiritismo

No espiritismo, a ideia de almas afins é bastante diferente daquilo que encontramos na Cabala. Para os espíritas, uma alma não se divide em dois quando vêm para a terra. Uma pessoa é capaz de estar inteiramente completa e plena, despertando assim o amor dentro de si, sem viver à procura de outro alguém.

Contudo, o espiritismo aceita a ideia de espíritos afins. Ou seja, uma forte ligação energética entre dois espíritos, mas não entre uma alma repartida. É o que a novela Alma Gêmea tentou representar. O espírito de Rafael, ligado inicialmente ao espírito de Luna, ligou-se ao espírito de Serena.

Nesse contexto, essas pessoas que se ligam com essa força têm oportunidade de se ajudarem. Dessa forma, conseguem fazer de suas encarnações aprendizados mais fáceis.

Budismo

Em alguns textos que fundamentam a filosofia budista, também é possível encontrar referências a algo parecido com o que conhecemos por almas gêmeas. No entanto, seria uma aproximação do que vimos para a Cabala com um pouco do que se propõe no espiritismo. Para o budismo, duas almas seriam geradas juntas e, quando estão no mundo, procuram se encontrar.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Há opções bem diversas para escolher. No final deste artigo, não deixe de comentar qual delas parece fazer mais sentido para você! Se nenhuma faz, também nos conte o porquê.

A conexão entre pessoas (ou almas afins) para a Psicanálise

Por fim, precisamos explicar como a Psicologia e a Psicanálise entendem as almas afins. Uma vez que estamos falando de áreas da ciência, fica muito mais difícil aceitar um conceito que parece ser muito mais religioso do que racional. Assim, já era de se imaginar que, na verdade, essas áreas dão uma explicação para esse nosso sentimento de ter encontrado um pedaço perdido da nossa existência.

Para psicólogos e psicanalistas, como apontamos mais acima, não existe alma gêmea. Claro, dado que trabalhamos com diversas teorias da personalidade e os arquétipos de Jung, concordamos que pessoas com traços semelhantes existem em todo lugar. Contudo, não há motivos racionais e empíricos que levem um psicanalista a afirmar que existem almas idênticas, gêmeas ou afins.

Nesse contexto, o que é possível supor é que uma pessoa à procura de uma alma gêmea está procurando a si mesma. Isso ocorre porque esse indivíduo crê que estar ao lado de um semelhante anula qualquer possibilidade do conflito. No entanto, essa busca na verdade se revela extremamente problemática. Precisamos da diferença das outras pessoas para nos definirmos. Somos quem somos porque não somos o outro. Sem diferença não há identidade.

Acreditar em almas gêmeas é certo ou errado?

Tendo em vista tudo o que foi discutido mais acima, é controversa a escolha de crer em almas gêmeas ou não. Se você pratica alguma das religiões ou filosofias a que fizemos referência, crer faz parte de quem você é. No entanto, enquanto psicanalistas, não podemos afirmar que a sua crença se baseie em quaisquer fundamentos da Psicanálise. Caso a sua busca pelo idêntico traga problemas e transtornos, é importante rever aquilo em que você acredita.

Leia Também:  Autoestima baixa: causas, sintomas e dicas

Considerações finais sobre as almas afins

No texto de hoje, você aprendeu o que é o conceito de almas afins. Você viu que filosofias e religiões distintas consideram a existência desse tipo de conexão, mas de maneiras igualmente diferentes. Além disso, descobriu que a Psicanálise não oferece suporte teórico para a existência da alma gêmea. A fim de aprender mais sobre a teoria psicanalítica, matricule-se em nosso curso de Psicanálise Clínica totalmente EAD!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 2 =