antroposofia

Antroposófico: o que é, como pensa, o que estuda

Posted on Posted in Psicanálise e Cultura

O pensamento antroposófico é reconhecido como uma filosofia que alia a fé à ciência. Nesse sentido, ele está relacionado tanto ao homem quanto ao universo.

Além disso, a filosofia e o conceito antroposófico foram criados no início do século XX, por Rudolf Steiner, na Áustria, um grande estudioso.

Qual é o significado de antroposófico?

Esse conceito, vindo do grego, significa “conhecimento do ser humano”. Ele vem do anthropós, que é homem, e sophia, que é sabedoria. Em suma, se refere a um conhecimento adquirido a partir de um método científico, ou seja, não é uma religião.

Portanto, a Antroposofia pode ser aplicada em todas as áreas da vida humana, cobrindo também a natureza, o universo e a fé. Desse modo, ela abrange as áreas da vida por completo, trazendo uma conexão entre todas elas, ainda que não se pareçam semelhantes umas às outras.

Por ser uma filosofia de vida, o pensamento antroposófico está inserido em diversas áreas do ser humano, sendo algumas delas:

  • artes;
  • espiritualidade;
  • educação;
  • universo.

Antroposofia estuda o quê?

A Antroposofia estuda a relação espiritual do homem com os cosmos do universo. Desse modo, os antroposóficos entendem haver uma inter-relação entre essas áreas para atingir os níveis: físico, espiritual, vital e psíquico do ser humano.

Logo, uma pessoa antroposófica acredita que todos esses níveis, mesmo sendo distantes entre si, podem atuar em conjunto ao bem da vida humana.

Dessa forma, essa ciência tem uma inclinação não só aos meios da natureza (vivos e materiais). Ou seja, é interessada por todos os aspectos que não podem ser dimensionados pela matéria, como os elementos do Universo, por exemplo.

Nesse sentido, a Antroposofia é bastante interessada pela espiritualidade do universo, com o sentido de associá-la à vida humana, tornando-a mais digna, justa e honrada. 

A Antroposofia de Rudolf Steiner

O austríaco antroposófico Rudolf Steiner, foi, além de filósofo, também educador e escritor, sendo um grande estudioso de vários pensadores. Steiner acreditava ser preciso enxergar o homem em todas as suas faces, para além do material, visando alcançar o bem-estar. 

Apesar disso, mesmo acreditando que a Antroposofia é também um conhecimento que alia a fé e a ciência em conjunto, ela não é uma religião. Ou seja, é apenas uma cosmovisão, também espiritual, mas com enfoque científico; por isso, se aplica em tantas áreas diferentes. 

O que o pensamento antroposófico originou?

A partir do seu pensar, o austríaco desenvolveu a Pedagogia Waldorf, que posteriormente originou aquilo que conhecemos como a Escola Waldorf. São cerca de mais de mil escolas que abordam a pedagogia de Rudolf Steiner, ao redor do mundo todo. Ainda mais, no Brasil, encontramos cinquenta dessas mil espalhadas por todo o território, em várias regiões, estados e cidades.

Do mesmo modo, o pensamento de Steiner ultrapassou décadas, países e continentes, ainda que muitos não conheçam. Porém, pouco se fala nas redes sociais e em discussões sobre o tema. Em contrapartida, esse método de conhecimento ainda é muito estudado na filosofia, até hoje.

Quando a Antroposofia chegou ao Brasil?

No Brasil, a filosofia criada por Steiner, a Antroposofia, chegou por meio dos imigrantes europeus um tempo depois de sua criação. Principalmente nas cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS), alcançando, depois disso, outros estados. 

Entretanto, foi na capital paulista que o pensamento antroposófico foi se consolidando e se desenvolvendo. Nesse ínterim, a Antroposofia se orientou, também, a diversas atividades profissionais dos seres que adotaram seu conhecimento. 

O que é a Pedagodia Waldorf, originada do pensamento antroposófico?

Antes de entrar nas características e diferenciações das Escolas Waldorf, veja um panorama histórico da pedagogia fundada por Steiner. 

Seguindo a cronologia dos passos do austríaco antroposófico, em 1919, o próprio pensador propôs uma nova teoria aos campos educacionais. Ou seja, trouxe a proposta de um novo pensar na maneira de educar as crianças. 

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Para isso, é preciso pontuar que a Pedagogia Waldorf nasceu na Alemanha, em um momento de fragilidade após a Primeira Guerra Mundial. Tendo isso em mente, já pode-se pensar que esse período foi bastante decisivo para Rudolf Steiner pensar sobre a pedagogia

    A Pedagogia Waldorf tem como algumas das características: 

    • interesse pelas diversas áreas do desenvolvimento do aluno;
    • observação do desenvolvimento da criança baseado na afetividade;
    • olhar atento às diferenças individuais de cada estudante;
    • ênfase no desenvolvimento de suas capacidades e de seus potenciais. 

    Dessa forma, Rudolf Steiner se inspirou em muitos dos ideais da Revolução Francesa: a igualdade, a fraternidade e a liberdade, aplicando-nas na criação dessa pedagogia. 

    A intenção do filósofo era propor uma revolução na forma educativa, modificando a maneira com que as crianças estudam, tornando-a mais acolhedora. Para tanto, priorizou as mudanças que eram necessárias, sobretudo aos alemães, que estavam enfrentando um período muito doloroso após a guerra. 

    Quais são as diferenças entre as Escolas Waldorf das demais?

    No ensino tradicional, os interesses, as capacitações e os potenciais individuais do aluno não são considerados em seu processo de formação educacional. O trabalho pedagógico não considera a presença da afetividade, do desenvolvimento artístico e das necessidades do aluno em sua atuação. 

    Dessa forma, nas escolas tradicionais, raramente há uma preocupação com os impactos da relação aluno e professor no desenvolvimento da criança. Por isso, há várias diferenciações entre ambas as escolas, uma vez que a Waldorf prioriza essas circunstâncias, dentre outras, como a autonomia do aluno. 

    Nas Escolas Waldorf, a  Antroposofia se torna muito presente, principalmente pelo fato de seu funcionamento, e do trabalho dos professores priorizar as individualidades dos alunos. Isso ocorre pelo fato de todo esse processo levar em conta as necessidades e humanizar, ainda mais, a formação das crianças. 

    Como são os ambientes das Escolas Waldorf?

    Os ambientes se projetam de maneira acolhedora, com atividades lúdicas e artísticas, a fim de desenvolver ainda mais as capacidades de seus alunos. 

    Nesse sentido, a motivação aos alunos é importante, já que essas Escolas acreditam que a aprendizagem deve partir do interesse dos alunos. A partir dessa ideia, o ambiente tem forma agradável e confortável, para que os estudantes se sintam dispostos. 

    Há a disponibilização de muitas oficinas, laboratórios, diversos lugares além da própria sala de aula, para que os ambientes sejam diversificados, sem cair na rotina.

    Importante pensar: É preciso atenção para não confundir Antroposofia com Antropologia! Ambas não são a mesma coisa, ou seja, são estudos diferentes. A primeira é um método de pesquisa em diversas áreas, já a segunda é uma ciência se dedica ao estudo dos seres humanos. 

    Livros sobre antroposofia

    Então, se você gostou do assunto e quer se aprofundar, seguem sugestões de sobre o pensamento antroposófico

    • A Filosofia da Liberdade. Fundamentos Para Uma Filosofia Moderna, de Rudolf Steiner;
    • A Prática Pedagógica, de Rudolf Steiner;
    • Noções Básicas De Antroposofia, de Rudolf Lanz.

    Por fim, se você chegou ao final deste artigo, curta e compartilhe em suas redes sociais. Assim, continuaremos sempre a produzir conteúdos novos e de qualidade para você.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.