sintomas da brontofobia

Brontofobia: fobia ou medo de trovão

Posted on Posted in Fobias

Todos nós provavelmente já nos assustamos com um trovão, sobretudo pelo receio de uma tempestade que está por vir. Então, nosso instinto imediato é abrigar-se para se proteger. Mas quando este medo é intenso e ilógico, podemos estar diante da brontofobia.

Brontofobia é um transtorno que, em geral, desenvolve-se na infância e, caso não tratado corretamente, pode se tornar uma patologia e perdurar durante a vida adulta. Assim, sofrerá de uma categoria de fobia que desencadeia diversos transtornos psicológicos.

Embora chuvas e tempestades sejam fenômenos naturais, e até mesmo essenciais para a vida, quem sofre de brontofobia possui um medo involuntário e desproporcional de trovões.

Em resultado, desencadeia distúrbios que precisam de tratamento. Entenda tudo sobre esta doença neste artigo!

Qual significado da brontofobia e a origem do nome medo de trovões?

Diversos são os nomes que as pessoas relacionam ao medo de trovões. Embora com suas especificadas, tratam de fobias relacionados a acontecimentos da natureza.

Quais sejam:

  • brontofobia;
  • astrofobia;
  • ceraunofobia; e
  • tonitrofobia.

No entanto, ao que tange a brontofobia, a pessoa encara, originalmente, trovões e tempestades de maneira negativa.

Através de pensamentos primitivos de que podem estar sendo, de algum modo, punidos pela natureza, agindo até mesmo como se fosse um ato demoníaco.

O que é brontofobia?

Em síntese, a brontofobia é o transtorno de ansiedade referente ao medo excessivo e incontrolável de trovões. Diante deste medo de tempestades, com raios e trovões, a pessoa se descontrola emocionalmente de forma desmedida, com reações totalmente diversas do comum.

Desse modo, quem está com esta doença tem uma fobia de ser atingido por um trovão, sentindo um pavor extremo a qualquer barulho ou sinal de uma tempestade.

Se você sente este medo intenso quando ouve um trovão, possivelmente está sofrendo de uma fobia, que pode suscitar em transtornos de ansiedade.

Quais são os sintomas da brontofobia?

Comumente, pessoas adoram tomar chuvas, e outras até se arriscam em meio a tempestade para estudar cientificamente os fenômenos da natureza.

Porém, quando estes acontecimentos naturais causam pavor desproporcional na pessoa, estamos diante de uma doença psicológica.

Neste sentido, são sintomas e atitudes característicos de quem sofre de brontofobia:

  • fuga de locais com sinais de possível tempestade;
  • obsessão por previsão do tempo;
  • medo paralisando se há qualquer chance, ainda que mínima, de chuvas;
  • tremores;
  • suores;
  • falta de ar;
  • transtorno de ansiedade;
  • elevação da frequência cardíaca;
  • náuseas e vômitos;
  • pensamento de morte;
  • perda da consciência.

Em resultado desse transtorno psicológico, a pessoa tem sua vida social diretamente afetada. Pois, não consegue cumprir com seus compromissos cotidianos, devido ao medo paralisante a quaisquer sinais que trovões estão por vir. Como, por exemplo, não consegue trabalhar.

Quais são as causas do medo de trovão?

Sobretudo, esta fobia desenvolve-se, na maioria das vezes, durante a infância. Porém, ao longo dos anos, a maturidade traz o real entendimento que se refere a acontecimentos normais da natureza. Assim, a fobia gradualmente vai desaparecendo.

QUERO INFORMAÇÕES PARA ME INSCREVER NA FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    No entanto, esse medo pode acompanhar a pessoa até a vida adulta, transformando-se, então, em uma fobia.

    Ou seja, torna-se um transtorno psicológico que deve ser tratado com profissionais especializados na mente humana.

    Por outro lado, a brontofobia pode ter sido desencadeada por eventos traumáticos.

    Como, por exemplo, inundações, perdendo sua casa ou, até mesmo, que resultado a morte de entes queridos.

    Consequências da Fobia de trovão

    Em resultado desse transtorno psicológico, a pessoa tem sua vida social diretamente afetada, devido ao medo inconsciente que lhe impede de agir, a qualquer sinal de trovoadas.

    Dessa maneira, quem sofre de fobia de trovão não consegue cumprir com seus compromissos cotidianos, devido ao medo paralisante a quaisquer sinais que trovões estão por vir. Como, por exemplo, não ir trabalhar.

    Neste sentido, podemos imaginar se a pessoa more em uma localidade onde tempestades e trovões são comuns e parte da rotina dos seus habitantes. Assim, quem sofre de brontofobia terá uma vida de restrições, vivendo em constante isolamento.

    Qual tratamento da brontofobia?

    Se você está sofrendo com a brontofobia ou convive com alguém com sintomas, saiba que, principalmente na vida adulta, deve procurar tratamento com profissionais especializados na mente, tanto sobre seu aspecto psicológico quanto psiquiátrico.

    Sobretudo, o profissional especializado na psique humana, com técnicas específicas, conseguirá as causas para se chegar ao tratamento correto. Assim, o psicanalista entenderá o funcionamento da mente, principalmente da mente inconsciente.

    Ou seja, saberá sobre fatores e comportamentos determinantes para a atual fobia de trovão. Buscando, inclusive, experiências da infância, através do inconsciente. Então, descobrirá assertivamente a causa, conseguirá modificar os comportamentos então desajustados.

    Contudo, vê-se que o medo de trovão, constante, irrazoável e ilógico, é uma fobia grave, que causa diversos transtornos psicológicos. Neste sentido, deve ser devidamente tratado, por medicamentos e tratamentos psicológicos.

    Da maneira, em sendo diagnosticada como uma fobia, logo deverá ser classificada com problemas mentais. Como, por exemplo, transtorno de ansiedade, pânico, estresse e obsessivo-compulsivo.

    Peça também ajuda dos familiares e amigos

    Além disso, peça ajuda para alguém de sua confiança e elabore um plano para que não se desespere quando a tempestade estiver por vir. Atitudes como:

    • não ficar olhando a previsão do tempo;
    • quando sentir medo, conversar com alguém para se distrair,
    • diminua os itens de segurança excessivos;
    • repita uma frase aleatória para se acalmar, algo que lhe transmita paz e o deixe feliz. Como, por exemplo: “Brinco com meu filho no parque!”; “Estou passeando com meu cachorro”.

    Você está passando por isso? Que tal compartilhar sua experiência conosco? Deixe seu comentário abaixo, e se restou alguma dúvida, não deixe de perguntar, teremos satisfação de esclarecer todos os pontos sobre a brontofobia.

    Gostou do conteúdo e quer saber mais sobre o estudo da mente inconsciente? Conheça nosso Curso de Formação em Psicanálise 100% EAD. Terá um estudo profundo da psique humana, que, dentre os benefícios, aprimorará seu auto conhecimento. Pois, proporcionará visões sobre si mesmo que seria praticamente impossível obter sozinho.

    Além disso, melhorará seu relacionamento interpessoal, tendo em vista que conseguirá um melhor relacionamento com os membros da família e do trabalho. O curso lhe ajudará a entender pensamentos, sentimentos, emoções, dores, desejos e motivações de outras pessoas!

    14 thoughts on “Brontofobia: fobia ou medo de trovão

    1. Me chamo anne passo por esse problema morro de medo de trovão e toda vez passo mal preciso de ajuda

      1. Estou sofrendo tanto com isso. Queria muito voltar ao normal.

    2. Olá, gente. Meu nome é Agatha e eu tenho 16 anos. Neste exato momento em que eu faço esse comentário, está tendo uma tempestade aq onde eu moro. E desde criança eu vivo esse medo excessivo de relâmpagos e trovões, e isso é algo que só me prejudica e nunca acaba ou diminui.
      Eu vivo ouvindo os meus pais falarem para mim que isso é frescura; que eu preciso “amadurecer”; que eu já sou bem grandinha para isso, mas eu nunca consgui abandonar este medo que me traz tantas sensações ruins (tremores, suor, batimentos cardíacos acelerados, ansiedade, movimentos involuntários…). Até que eu decidi pesquisar sobre isso pois eu já não aguentava mais, e, depois de muita pesquisa e leitura, eu voltei ao passado e consegui lembrar de frases que o meu pai me falava sobre esses fenômenos naturais quando eu tinha apenas uns 5 ou 6 anos de idade. Depois de tantas teorias sobre o real motivo desse meu medo (eu cheguei até a duvidar que eu tinha uma vida passada onde eu acabei morrendo por causa de un raio kkk), eu lembrei de pequenas frases ditas de maneira bem seria vindas do meu pai: “Filha, sempre que acontece um trovão é porque Deus está furioso com a terra”, “O trovão é Deus brigando com o povo”, “Nossa, que trovão forte, quase partiu a terra ao meio”. Bem, pode parecer bobo mas para mim foi como achar o mapa do tesouro. Pois realmente fez sentido essas frases serem a origem do meu medo excessivo, porque eu fui criada em uma religião que tem Deus como o deus do amor e da justiça e eu ouvia frases na igreja do tipo “você tem que ter temor a Deus…” e acredito que tudo isso influenciou na formação(se é qe pode chamar assim) dessa fobia.
      A tempestade passou e agora só está chuviscando’ e eu n estou mais com medo kkkkk pois não há mais os clarões que me cegam e os barulhos que me tiram a audição kkkk. Enfim, depois de todo esse discurso, eu quero lhes falar para invetigar o passado e tentar lembrar de qualquer frase ou episódio relacionado a estes fenômenos. Não lhes desejo nada além do melhor. Um abraço.

    3. Olá sou Fátima de João Pessoa PB, sempre tive medo de trovão desde criança, porém de uns tempos para cá esse medo piorou muitooo, quase uma neurose. Vendo alguns comentários aqui me identifiquei com a maioria, exatamente nesse momento está havendo pequenas tempestades de verão aqui com alguns trovões e fico muito apavorada, por isso que vim pesquisar sobre o assunto tentando achar uma explicação e que bom que achei porque me sinto anormal por sentir esse medo excessivo, eu sempre amei o barulho de chuva porém tenho pavor do barulho do trovão, eu tenho um protetor auricular só pra o momento de chuva por medo do trovão, “por sinal estou usando ele agora mesmo”. Resumindo é algo muito ruim que me faz muito mal, fico paralisada ao pequeno sinal de tempestades, me incomoda muito principalmente por não ter a compreensão das pessoas ao meu redor, que critica, riem, irônizam enfim é muito desagradável, é algo que eu não pedi e não queria sentir.

    4. Meu nome é Vanessa. Descobri meu medo de trovão aos 14 anos, durante uma chuva no interior que eu morava. Ao ouvir o som só senti desespero e necessidade de me proteger. Minha mãe quando viu ficou sem acreditar, pois achava que isso não aconteceria (enquanto estava grávida de mim, o apartamento dela ficava ao lado de um terreno, era um dia de chuvas e trovões e ela subiu na cadeira pra cobrir a janela com uma toalha para “tapar” a claridade dos raios. Nesse momento caiu um raio nesse terreno, basicamente na frente da janela dela. O som foi tão alto e forte que tremeu o apt, ela se assustou de forma gigante e quase caiu da cadeira), de passar para o bebê durante a gravidez um medo ou pavor que a mãe sentiu. Hj tenho 32 anos e esse pavor só piora. Eu travo com as mãos tapando meus ouvidos com uma força que não percebo na hora, começo a me tremer e a chorar de forma compulsiva. Eu gosto da chuva, do tempo chuvoso, mas sempre me questiono se virá trovões.

    5. Célia Maria Trindade Araújo Ferreira disse:

      Eu tenho muito medo de trovão e relâmpagos. Vejo todos os dias como vai está o tempo. Se irá ocorrer trovoadas. É um dia que eu não saio de casa. E tbm. Necessito de alguém para está perto de mim. Já tive muitos momentos desespero tanto no trabalho como em casa. Entro em Pânico. Me sinto angustiada começo a chorar e gritar só de houvir trovões e relâmpagos. Tenho hoje 54 anos e desde a minha adolescência que sofro com esse problema. Já tive momentos andando na rua e do nada começou os trovões e me abriguei perto de uma pessoa que estava passando por mim. E pedir a ela não sai de perto de mim porfavor. Me ajuda e comecei a chorar de tanto desespero

    6. IVANE DE JESUS DA SILVA CORDEIRO disse:

      Estou passando por isso depois de adulta, choro e sensação de medo, incontrolável, não lembro de nada na infância que justifique o problema

    7. DORINEI SOARES DA CUNHA disse:

      Meu nome e Dorinei sou de Manaus Amazonas,tenho muito medo de trovão,raios e relâmpagos,passei por algumas situações envolvendo tempestades,então eu não durmo,se vejo na previsão que vai chover,não consigo ficar no quarto ,tenho que vê ,fico olhando, sou viciada na previsão do tempo,fico muito nervosa,minhas mais ficam suadas,minha barriga parece que tem mil borboletas,, e muito difícil por que as pessoas não entendem, Sofro bastante com isso!

    8. MARCIA VIEIRA RODRIGUES DA SILVA disse:

      Tenho muito medo, chega a ser pavor. Fico desesperada ao ver o tempo se fechando para chuva. fico olhando desesperadamente a previsão do tempo. Tenho muito medo de ficar sozinha quando chove. Me identifiquei demais c as pessoas que escreveram. Preciso de ajuda.

    9. Meu filho de 7 anos está passando por essa situação,na verdade já têm alguns anos. Não sei mais o que fazer para tentar ajudar. É simplesmente desesperador não poder fazer nada. Me sinto impotente.

      1. lainna barreto disse:

        Alice, não se sinta dessa forma. O medo de trovão do seu filho não é culpa sua! Eu aconselho leva-lo a algum profissional. Sou uma pessoa que sofro com esse medo excessivo e adoraria que meus pais me levassem até algum profissional, mas eles só falam que isso é besteira. Então, leva seu filho a algum psicólogo enquanto ele ainda é criança, para este medo não o afetar na fase adulta. Abraços!

    10. Aline Mendes disse:

      Meu nome é Aline, desde pequena sempre tive medo de tempestades por causa do barulho enorme que os trovões fazem. Recentemente esse medo se intensificou depois que minha mãe sofreu um acidente em casa, moro com minha mãe e meu irmão do meio, na noite do acidente tava tendo uma tempestade sinistra onde eu moro, a gente tava se preparando pra dormir e começou a chover muito e com muitas trovoadas, enquanto minha mãe tava deitada caiu um raio perto de casa e ela levantou no susto por causa do barulho, nisso que ela levantou resolveu ir ao banheiro, por causa do medo do barulho ela levantou rápido, escorregou e tentou se apoiar no chão com o braço direito, ela caiu e quebrou o braço e eu fiquei desesperada, levantei chamei meu irmão, liguei pro meu tio que mora perto daqui de casa e ele levou a gente no hospital e minha mãe ficou internada. Resumindo, por causa do acidente da minha mãe, meu medo piorou. Daqui a pouco vai começar uma tempestade aqui onde eu moro e não sei o que fazer. Minha mãe tá bem melhor graças a Deus, mas teve que fazer cirurgia. Vou tentar buscar ajuda psicólogica porque não aguento mais, sempre que o tempo fecha eu entro em alerta total, não tenho nem coragem pra sair de casa

    11. Meu Deus, como é bom saber que não sou única, saber q tem pessoas como eu. Tenho verdadeiro pavor de trovões e não gosto da chuva, pois sei q com ela vem os raios e os trovões. Eu fico apavorada e o q eu tiver na mão eu solto, coloco as mãos nos ouvidos e grito de tanto pavor, chego a ter dor de cabeça e taquicardia e na maioria das vezes eu choro. Com certeza as pessoas acham q é frescura e principalmente porque eu tenho 50 anos, mas não consigo controlar. Qdo chega o período de chuva já fico imaginando o sofrimento é horrível!!

    12. Daniel Silva disse:

      quando era menor, com 13 anos, teve um dia que um furacão estava passando por uma cidade próxima, e tinha perigo dele vir para cá. quando vi isso já fiquei desesperado, e quando fui ver ele já tinha chegado só que bem mais fraco do que na outra cidade (Estrela). só que do mesmo jeito, os ventos eram muito fortes e derrubaram até a calha do telhado da minha casa, que caiu no telhado da vizinha. quando eu vi isso fiquei sem acreditar e minha mãe foi chamar alguém para arrumar a calha. já eu, fui correndo para dentro de casa morrendo de medo dos ventos, entrei no meu quarto e fui tentar dormir pra quando acordar, os ventos já terem passado. eu não conseguia dormir desesperado com o barulho dos ventos fortes derrubando as coisas. foi terrível mas consegui dormir. quando acordei os ventos já tinham passado e o céu se abriu, mas ainda estava assustado e foi dai que percebi que fiquei traumatizado. fiquei por muito tempo viciado na previsão do tempo. o meu problema não era nem a chuva, e sim os trovões. agora com 20 anos estou bem melhor, mas, ainda tenho sim um pouco de medo. minha recomendação para passar esse medo de vocês é: quando estiver tendo chuvas com trovões ai na sua cidade, tente ficar relaxado e não se desesperar, na maioria dos casos, nem a chuva e nem o trovão representam perigo. quando isso acontecer, fique em lugares que tenha pessoas, especialmente parentes. fique conversando com pessoas ao seu redor para se distrair e esquecer da tempestade. se imagine ne um lugar seguro, confortante e relaxante e sempre respirando fundo, você vai se sentir muito melhor. espero que tenha ajudado!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *