como entender o inconsciente

Como entender o Inconsciente?

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

A teoria do Inconsciente que Sigmund Freud formulou representou um marco na historia da Psicanalise, veja a seguir como entender o inconsciente.

Como entender o inconsciente

Se trata de um mundo estranho, gerado por fantasias, lapsos e impulsos não controláveis. Freud foi o primeiro a falar sobre traumas, conflitos mentais e as lembranças escondidas no nosso mais profundo ser. “ Os poetas e filósofos descobriram o inconsciente antes de mim, o que eu descobri foi o método cientifico que nos permite estudar o inconsciente” ( Sigmund Freud). Freud então compreende a estrutura da psique as divide em três “lugares” e desenvolve a chamada Teoria Topográfica, como forma de organizar e estruturar o aparelho psíquico, assim sendo : Inconsciente, Pré-consciente e Consciente.

Assim como um Iceberg, o que está a mostra é somente uma pequena parte (consciente), logo nas profundezas estaria o inconsciente, onde são abrigados nossos desejos primórdios, o Pré-consciente estaria no meio termo, tendo que lidar com as funções do meio social consciente e respondendo aos desejos reprimidos do inconsciente. Logo após Freud cria o modelo estrutural dividindo em três instâncias: ID, EGO e SUPEREGO.

Em 1990 Freud então publica “ A interpretação dos Sonhos” caracterizando o sonho como via regia, como estrada real que nos conduz ao inconsciente sendo um exemplo de regressão a categoria mais primitiva do sonhador, uma forma de representar suas pulsões, os sonhos seriam a diferenciação entre o saudável e o patológico, sendo assim produto da mente inconsciente. Eles contem conteúdos reprimidos, como pensamentos e desejos que se encontram imersos no inconsciente.

Como entender o inconsciente para Freud

Freud fez sua própria auto analise a partir de seus sonhos e através da livre associação em seu consultório podendo decifrar através da fala os desejos inconscientes do paciente como também os problemas a serem resolvidos e neuroses. No inconsciente encontram-se também as pulsões, que são duas forças complementares, pulsão de vida e pulsão de morte.

Na pulsão de vida estaria a vontade e animo pra viver assim como a criação, trata-se de ser constantemente positivo de modo a preservar um ser vivo. Já a pulsão de morte consciente em destruição, caminho inverso ao crescimento, ela encontra-se nas fases de baixa energia, nas formas de sofrer, como a depressão, tristeza, ou ausência de alguém, como também nos suicídios.

As pulsões são situadas na fronteira entre o mental e o somático, como um representante psíquico dos estímulos que se originam no corpo, dentro do organismo e alcançando a mente. Para Freud o inconsciente é interno e externo. Interno porque se espalha pela nossa consciência e externo porque afeta nosso comportamento, e também ele não apresenta uma lógica racional para o funcionamento deste existem apenas: Afirmações, ambivalência( representação de amor e ódio ao mesmo tempo) e atemporalidade.

Como entender o inconsciente e o ID

O ID é totalmente guiado pelo princípio do prazer, sendo assim a força propulsora, ele busca a satisfação imediata dos impulsos humanos, tendo como único objetivo satisfazer os impulsos primitivos, como fome, raiva ou o desejo sexual. Já o Ego seria regido pelo princípio da realidade, satisfazendo o máximo possível dos desejos do Id mas de forma adequada a sociedade, esse princípio se desenvolve a partir do amadurecimento de nossa personalidade perante a vida social.

O estudo do inconsciente é até hoje uma das mais intrigantes e interessantes maneiras de acessar e entender melhor como funcionamos, por meio de atos falhos que revelam o que está submerso nas profundezas da psique, por meio da fala , sentimentos, sofrimentos, esquecimentos, faz surgir as questões a serem tratadas, pois por traz do ato falho sempre existe algo reprimido, exemplo quando alguém fala de uma pessoa e cita o nome errado, ou quando vai fazer algo e acaba fazendo outra coisa, inconscientemente o desejo se manifesta através do ato, que muitas vezes passa despercebido.

Leia Também:  Aparelho Psíquico e Inconsciente em Freud

Na repetição das experiências também o inconsciente se manifesta seria o que chamamos de “tropeçar várias vezes na mesma pedra” Nosso inconsciente sempre está se manifestando de forma sutil, faz as pessoas pensarem que alguns atos feitos é pelo fato de que são desastradas, desatentas, ou que é apenas bobagem, mas tudo já foi armazenado no inconsciente e virá a se manifestar de várias maneiras na vida cotidiana, Freud acreditava que as pessoas poderiam ser curadas tornando consciente seus pensamentos e motivações inconscientes, sendo assim o objetivo da Psicanalise seria liberar emoções e experiências reprimidas , ter uma experiência catártica de cura, para que assim a pessoa possa ser ajudada nas mais determinadas questões.

Considerações finais

Trazer assuntos do inconsciente para o consciente é fundamental para organizar e entender a própria vida. “Não somos apenas o que pensamos ser, somos mais: somos também o que lembramos, e o que esquecemos, somos as palavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos que cedemos.” (Sigmund Freud)

O presente artigo foi escrito por Sheila Ghiasson( [email protected]). Possui 30 anos, reside fora do Brasil e se formou pelo IBPC recentemente , segue com análises pessoais e pesquisas, se aliando cada vez mais nesta caminhada linda que é a Psicanálise. Seguirá como colunista mensal no blog da Psicanalise Clínica, com textos autorais e também tem um blog pessoal onde escreve e conta um pouco da sua trajetória e visão de mundo : lifebysheila.com Espera que seus textos possam dar uma pausa de reflexão, ao menos um pouquinho, em meios à nossos dias tão corridos.

2 thoughts on “Como entender o Inconsciente?

  1. Excelente explanação. Eu copiei e coloquei no meu IG e dei créditos créditos você. Muito lúcido seu texto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *