Decodificar: conceito e 4 dicas para fazer

Posted on Posted in Formação em Psicanálise, Psicanálise

Se você chegou até aqui, deve que já se deparou com o termo decodificar e quer saber mais sobre ele. Você pode ter visto esse termo em vários contextos diferentes. Por exemplo, você pode ter ouvido sobre decodificação no nível tecnológico. Ou você pode ter ouvido a palavra em um filme, lido em uma rede social… Mas o que decodificar realmente é?

Neste post, queremos conversar com você para te ajudar nisso. Por isso, falaremos sobre a definição de decodificar. Além disso, discutiremos como a decodificação pode ser usada. Por fim, daremos dicas para entender as mensagens do nosso corpo e, também contaremos para você o que é um decodificador.

Definição

Para iniciar essa conversa achamos importante falar sobre o significado de decodificar. Aqui, falaremos sobre a definição da palavra e também sobre o conceito que o termo assume de modo geral:

Segundo o dicionário

Se procurarmos no dicionário a palavra decodificar, veremos que ela tem função de verbo transitivo direto. Além disso, a origem da palavra é: De + codificar, sendo que “codificar” vem do francês codification.

Dentre as definições que o dicionário nos apresenta podemos ler:

  • escrever algo numa linguagem clara;
  • transferir uma mensagem para um código compreensível;
  • decifrar algo;
  • interpretar o sentido de uma palavra ou frase expressa numa linguagem feita por códigos;
  • para a informática, decodificar é a conversão de dados para o formato original, ou seja, descodificar.

Conceito

Se pensarmos no conceito que decodificar é, veremos que ele é a transcrição, interpretação ou tradução de um código. Como vimos antes, também pode ser chamado de criptografia.

É um dado ou conjunto de dados em um formato desconhecido que através da decodificação para a ter um formato conhecido, ou legível.

A decodificação pode ser utilizada para decifrar mensagens sigilosas. Pode ser utilizada também para lidar mais facilmente com determinados meios de comunicação. Além disso, pode também ser um termo usado dentro da alfabetização.

Ou seja, o conceito de decodificar é conseguir ler algo que está aparentemente ilegível.

O que é um decodificador

No processo de decodificação pode ser usado uma ferramenta especifica para isso. Essa ferramenta é decodificador.

Um decodificador é um circuito combinacional que tem o papel contrário do codificador. Nesse caso, ele deve converter um código binário de entrada de N bits de entrada em M linha de saída. E cada linha de saída será ativada por uma única combinação das possíveis de entrada.

Em eletrônica digital, um decodificador pode ter a forma de um circuito lógico de múltiplas entradas e múltiplas saídas. Essas convertem as entradas codificadas em saídas decodificadas, onde os códigos de entrada e saída são diferentes.

No ambiente escolar

Trazendo o termo decodificar para o contexto escolar, podemos ver que a alfabetização é uma decodificação. Afinal de contas, ninguém nasce lendo.

Por isso, as letras são códigos muito estranhos e sem sentido para as crianças. E não só para elas, pois algumas pessoas nunca tiveram a oportunidade de aprender a ler e escrever. Por isso, as palavras para eles são só risquinhos que não dizem nada.

Leia Também:  A Galinha dos Ovos de Ouro: significado da fábula

Pensando nisso, é interessante pensar como o processo de decodificar tem sido feito na escola. Falando nisso, precisamos entender que o ambiente escolar é mais que um ensinar a ler e a escrever.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    As crianças estão aprendendo a codificar e decodificar o mundo que as rodeia. Isso inclui o letramento, mas não só. Hoje tem grande preocupação em preparar o aluno para ser cidadão. E por isso, é disso que queremos falar aqui.

    Paulo Freire

    Para Paulo Freire, a codificação e a decodificação de situações-limite é um recurso pedagógico que possibilita a problematização da relação cultura e educação. Essa problematização é vista como aprendizagem.

    Com isso se pode oferecer processos para o desenvolvimento de uma cultura crítica. Tudo isso tendo em vista que a sociedade globalizada tem sido um sistema cultural acrítico, isto é, que não critica.

    Assim sendo, essa formação resulta em cidadãos pessoais, e a escola, que é reflexo da sociedade, convive diariamente com esses conflitos. Isso porque a escola não é um ambiente independente e imune a interferências.

    Além disso, há a interferência de família, comunidade, gestão, governo, e de investidores também. Por isso, a escola precisa saber lidar com isso e preparar seu aluno para lidar com isso.

    Com experiências e estímulos que podem ser controversos, a criança precisa decodificar o mundo. A escola precisa ajudar o aluno a fazer esse processo.

    Saiba mais…

    Ademais, é preciso que a escola aprenda a entender o mundo que está em volta. Afinal, nem sempre as mensagens exteriores chegam claras. A escola, como ambiente social, precisa aprender a lidar com isso. Por exemplo, casos em que a criança não verbaliza, mas que apresenta comportamentos anormais. Além disso, esse pode ser um sinal de que algo não vai bem.

    Ou seja, considerando que a criança ainda não sabe entender algumas coisas, ela também não sabe passar mensagens claras ainda. Por isso o processo de decodificação na escola é tão importante.

    Como decodificar os sinais do nosso corpo

    No contexto fisiológico, ou seja, do nosso corpo, podemos também ter acesso a mensagem não muito claras. Muitas dores podem estar relacionadas com aspectos emocionais. É preciso tentar entender essas dores. Por isso, vamos listar aqui 5 dores que podem ser mensagens do seu corpo:

    • musculares: é a dificuldades de mudança;
    • na região lombar: é a crise econômica ou necessidade de apoio.
    • de garganta: é a dificuldades de se perdoar;
    • de estômago: é a dificuldade de aceitar algo;
    • e por último, nos ombros e costas: é a sobrecarga emocional;

    No processo de comunicação

    Para finalizar falaremos sobre a decodificação na comunicação humana. Dentro a comunicação humana há elementos como a linguagem verbal e não verbal. Por isso, vamos comentar como a dificuldade de decodificação pode se dar nesses dois níveis:

    Na linguagem verbal:

    As dificuldades ocorrem quando as palavras têm variação de sentidos. Isso ocorre, pois significado das palavras não está nelas mesmas, mas nas pessoas. Como assim? O repertório de cada pessoa tem permite entender as palavras. Mas nem sempre conseguiram entender da mesma forma.

    Na linguagem não-verbal:

    As pessoas não se comunicam apenas por palavras, a comunicação entre pessoas se vale de muito mais que isso. Os movimentos faciais, corporais, os gestos, os olhares, e a entoação são muito importantes. Esses são elementos não verbais da comunicação. E a dificuldade desse nível se dá porque nem sempre os significados desses “gestos” são compartilhados por todos.

    Leia Também:  Psicanálise para pais: Instruindo-os na criação dos filhos

    Afinal, gestos e comportamentos assumem significados diferentes dependendo da cultura e da época.

    Para alguns psicólogos os sinais não-verbais têm as funções específicas. Eles regulariam e encadeariam interações sociais e expressariam emoções e atitudes interpessoais. Vamos listar algumas interpretações aqui para te ajudar a decodificar alguns comportamentos:

    • Movimento dos olhos: Desviar os olhos é a submissão ou desinteresse. Já o olhar fixo demonstra interesse. Porém, em outro momento, o olhar fixo ser uma ameaça, ou uma provocação.
    • Movimentos da cabeça: É a aceitação de uma mensagem que lhe está sendo transmitida. Ou a sinalização para dizer que entendeu o que está sendo enviado.
    • Comportamentos não-verbais da voz: a entoação é importante quando você deseja decodificar uma mensagem. Uma voz calma muita das vezes mostra mensagens mais claras do que uma voz agitada. Além disso, uma voz agitada, falas rápidas indica nervosismo e desconforto.

    No campo sentimental e comportamental

    Como vimos até aqui, é preciso ir além do óbvio para conseguir decodificar algo. Da mesma forma, precisamos entender  os nossos sentimentos e comportamentos. A Psicanálise mostra que muitos de nossos comportamentos são resultados de traumas do no nosso inconsciente.

    Sabe quando a gente não entende porque faz certas coisas? Ou não entendemos porque nos submetemos a determinadas situações? Talvez isso só seja um reflexo de experiências que você viveu e nem se lembra conscientemente.

    Pensando nisso, trouxemos 4 dicas para te ajudar a decodificar seus sentimentos e comportamentos:

    1. Procure um psicanalista: Profissionais da área tem como te ajudar a ver as memórias mais profundas. Eles te ajudaram a expressar como tudo interfere na sua vida;
    2. Desabafe com as pessoas que você confia: Desabafar ajuda a entender o que está ocorrendo com a gente. Busque pessoas que você confia e não te julgaram;
    3. Busque o se conhecer: É com autoconhecimento que você poderá reconhecer padrões comportamentais. Esses padrões podem ser sinais que você está deixando passar, mas que precisam ser entendidas;
    4. Por fim, faça registros escritos: Registre comportamentos e processos. Com isso você poderá ter uma visão mais detalhada do que ocorre e também uma forma de acesso rápido disso.

    Conclusão

    Esperamos que esse post tenha te ajudado a entender um pouco mais sobre o que é decodificar. Além disso, esperamos que ele te ajude a entender melhor as mensagens que chegam até você. Se você tem interesse de saber mais sobre o tema, o nosso curso de Psicanálise Clínica online pode te ajudar. Confira!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *