Don Juan DeMarco

Don Juan DeMarco (1995): resumo e análise do filme

Posted on Posted in Conceitos e Significados

Na primeira parte do trabalho, abordaremos um resumo do início do filme Don Juan DeMarco, para adentrar ao assunto a ser analisado. Na segunda parte, focaremos em descrever partes do filme e a minha análise referente aquele ponto. Na terceira parte, falaremos um pouco sobre os transtornos e a explicação pela Psicanálise. Na quarta parte faremos uma conclusão onde serão associados partes do filme aos transtornos detectados nesta minha análise.

Para atingir esses objetivos, a metodologia empregada foi de assistir algumas vezes o filme, anotar e revisar os pontos anotados. Estudei o material do curso de Psicanálise Clinica para explanar sobre os transtornos e também fiz pesquisa na internet sobre estes transtornos para enriquecer ainda mais o material.

Resumo do filme Don Juan DeMarco

O filme sobre Don Juan DeMarco (1995) conta a história de um grande psiquiatra que ás vésperas de se aposentar atende seu último paciente, um rapaz que pensa ser Don Juan de Marco. Don Juan é um jovem conquistador que tem um nível de sedução fora do comum e consegue ter as mulheres a seus pés, completamente apaixonadas por ele. Porém este jovem, ao se sentir completamente apaixonado por uma mulher que não correspondeu as suas expectativas, decide tirar a própria vida.

É neste momento que o psiquiatra Jack Mickler o convence a não se matar e diz estar interessado em ouvir a sua história. O filme de Don Juan DeMarcodecorre entre a história da vida de Don Juan e a análise pelo psiquiatra Jack Mickler, destacando a influência que este paciente em particular causou na vida pessoal do psiquiatra. Li várias análises sobre este filme e todas eram similares entre si, porém eu tive uma visão por um ponto de vista diferente de todas as análises que li e é sob este ponto de vista que vou apresentar este trabalho.

Introdução ao Filme Don Juan de Marco

Don Juan é uma lenda que teve seus primeiros registros por volta do ano 1615 na Espanha, segundo informações obtidas na Wikipédia (link nas referências bibliográficas). O filme Don Juan de Marco conta a vida de um jovem rapaz que afirma ser verdadeiramente Don Juan embora todos acreditassem que devido a algum distúrbio psicológico ele teria assumido a personalidade de uma lenda, pois no filme mostra que há um livro com o título Don Juan (Autor: Lord Byron) que teria sido lido por este rapaz.

O jovem se vestia como o personagem do livro, com roupas de um estilo antigo, utilizava uma capa e uma máscara. Embora todos os homens rissem dele pela forma como ele se vestia, as mulheres ao contrário o admirava e o olhava com muito desejo. O filme relata a história deste jovem que tem 21 anos e diz ser Don Juan de Marco, um grande conquistador que se intitula como sendo “o maior amante do mundo” e sua vida gira em torno de conquistar as mulheres.

Narrando a história de Don Juan DeMarco ele conta que é filho de Don Antonio Garibaldi de Marco, um vendedor de produtos farmacêuticos que se mudou para o México e logo em sua chegada conheceu sua mãe Donna Inês Santiago de San Martin, os dois se apaixonaram a primeira vista, se casaram três dias após terem se conhecido e ele é fruto deste amor. Seu pai Don Antonio era também um exímio dançarino, inclusive vencedor de um grande concurso na cidade onde vivia no bairro Astoria em Nova York, antes de se mudar para o México. Don Antonio foi morto por um espadachim em um combate pela honra de sua amada esposa Donna Inês, quando Don Juan tinha apenas16 anos. Apesar de sua pouca idade, Don Juan DeMarco conta que já teve mais de mil mulheres, porém ele se apaixonou por uma mulher que não lhe correspondeu às expectativas e que esta foi a única mulher que não caiu aos seus pés como as demais.

O amor que sentia por ela se tornou algo tão obsessivo que ela passou a ser a única mulher que verdadeiramente importava para ele. Completamente apaixonado e não correspondido o rapaz planeja se matar porque acredita que a sua vida perdeu todo o sentido. Após a difícil determinação, Don Juan decide fazer a sua última conquista e em seguida o jovem sobe em um local bem alto, em cima de um outdoor com a intenção de por fim a própria vida (este outdoor traz a foto de uma mulher de biquíni que usa uma máscara igual à dele). Neste momento do filme entra em cena Jack Mickler, um psiquiatra que está às vésperas de sua aposentadoria para tentar salvar Don Juan do suicídio. Assisti a este filme pela primeira em 2021, alguns meses após ter iniciado o curso de Psicanálise e tive uma percepção do filme bem diferente dos relatos que encontrei na Internet.

Don Juan DeMarco e uma análise psicanalítica

Todos os relatos de análise psicanalítica do filme sobre o Don Juan DeMarco que localizei e li relata que ele é um rapaz que assumiu uma personalidade de um conto antigo, e é no fundo somente um rapaz apaixonado que perdeu o sentido pela vida devido o amor não correspondido. Porém eu percebi vários pontos do filme que me fazem tirar uma conclusão diferente: Don Juan é um personagem do próprio psiquiatra, é uma personalidade de Jack Mickler. No decorrer dos próximos parágrafos vou relatar as cenas e na sequência a minha análise destas cenas.

Voltando a cena do outdoor, com a possibilidade do suicídio os policiais chegaram, a população se aglomerou no local, e neste momento chega o psiquiatra Jack Mickler para conversar com o rapaz e tentar convencê-lo a não pular. Assim que Jack chega, o policial pede desculpa pelo incomodo e diz que o caso é para um “Super Psiquiatra” e que já tinha tentado conversar com Don Juan, porém o rapaz disse que desejava morrer com honra através de uma luta com o melhor espadachim e pediu para o policial que mandasse o seu melhor espadachim (de preferência Don Francisco de Silva).

Jack erguido por um guindaste, ao conversar com Don Juan diz ser Don Octavio Del Flores (tio do Don Francisco de Silva), e o psiquiatra pergunta: Você é Don Juan o grande Don Juan? E porque o grande Don Juan quer tirar a própria vida?

Don Juan relata que não tem mais razão para viver, pois não tem mais motivo porque Donna Ana é tudo para ele. Minha análise: Jack está para se aposentar, e durante toda sua vida se dedicou demais a psiquiatria, deixando inclusive a vida pessoal de lado. A psiquiatria era a sua vida e ele era muito mais do que um psiquiatra, era um grande e reconhecido psiquiatra.

Ao chegar no local ele é recebido quase que com honras devido a autoridade que ele tem. Don Juan era o “Maior Conquistador do Mundo” e Jack “Um Super Psiquiatra”. Neste momento do filme eu questiono se Don Juan era realmente um rapaz tentando se suicidar por ter perdido seu grande amor ou era uma personalidade de Jack sentindo que ao se aposentar a sua vida perderia o sentido.

Ao chegar no hospital Estadual de Woodhaven no dia seguinte para trabalhar, Jack conversa sobre o caso de Don Juan com os outros médicos, relata as características do jovem, porém este jovem não tem um nome e não tem registro algum de nada (escola, pais, parentes…) toda informação que possuem é que ele diz ser Don Juan e que não encontraram antecedentes ou tentativas de suicídio anteriores, porém segundo a avaliação do ocorrido o jovem tem delírios graves e acredita ser outra pessoa.

Análise pessoal de Don Juan DeMarco

Apesar de Jack estar se aposentando e restar somente 10 dias de trabalho, ele deseja pegar este caso e disse que quer ver o garoto fora dali em 10 dias. Ele não aceita que o caso seja passado para o Bill (outro psiquiatra). Bob, o diretor do hospital diz que faz tempo que Jack não dá a mínima para o trabalho, que ele já era e que foi por isso que ele pediu para se aposentar mais cedo, para poder viajar mais com a sua esposa Merilyn Mickler.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    O diretor reforça para Jack que acabou, que chegou a hora dele ir embora… Minha análise: faltam 10 dias para Jack se aposentar, o diagnostico inicial é que o rapaz fique internado por 10 dias, e Jack confia que em 10 dias ele pode resolver o caso do rapaz. Jack, o grande psiquiatra, sente que sua vida nunca mais será a mesma, pois ele vai ter que encarar outros pontos de sua vida que deixou de lado em nome do seu trabalho. Jack vai ter que olhar para sua vida pessoal, pois sua vida profissional acabaria dali a 10 dias, e ele sente o peso da idade, e já não é mais o grande conquistador de méritos, de casos resolvidos em sua profissão.

    Na clínica Bill tenta atender Don Juan, que insiste em falar com Don Octavio (um espanhol do século XVII). Vendo que não terá como analisar o paciente, Bill passa o caso para Jack. Ao receber o caso Jack pergunta a Bill: – Bob (o diretor) está sabendo que está me passando o caso? E o que ele disse sobre dar o caso a mim? Bill responde: – Bob disse com estas palavras “Jack quebrou, o Jack que conserte”. Minha análise: “Jack quebrou, Jack que conserte”, pode ser que Jack demonstrou ter assumido uma personalidade (Don Juan) e não aceitava ser tratado por outro psiquiatra, pois ele acreditava ser “o melhor” e ele tinha que cuidar desta personalidade dele, pois só ele tinha capacidade suficiente para resolver este caso, e o faria em dez dias.

    Na cena onde a enfermeira leva Don Juan até Jack, esta insiste em ir buscá-lo depois e age de forma totalmente contraria a uma enfermeira que está cuidando de um paciente em um hospital, como se estivesse apaixonada por Don Juan.

    Conversa no consultório: Don Juan: – “Essa gente” tirou minha máscara e eu nunca tiro a minha mascara em público. – Você entende as consequências disso? (e diz que cairá em desgraça). – Como você se sentiria se o forçassem a tirar a máscara que está usando? Jack: – Bom, nossas máscaras sempre dão trabalho, não é mesmo? (e pergunta há quanto tempo ele usa a mascara). 

    Don Juan DeMarco: – Desde os 16 anos quando deixei a minha mãe Donna Inês. Jack oferece remédio a Don Juan e Don Juan diz que então os dois terão que tomar medicamento, porque o Jack também está delirando e que a fantasia é achar que é um tal de Doutor Mickler. Don Juan convence Jack a não lhe dar o remédio por estes 10 dias e diz que vai provar ser o Don Juan. Jack: -E se eu não acreditar que você é Don Juan? Don Juan: – Bom então eu tomarei os seus remédios e poderá me prender na clínica por quanto tempo quiser. Também diz que tem esses 10 dias para contar a sua história a Jack e ambos selam um acordo neste momento.

    Os medicamentos

    Minha análise: Faltam 10 dias para Jack se aposentar, a internação inicial de Don Juan é por 10 dias, este se recusa a tomar medicamentos e diz que tem estes 10 dias para contar a sua história a Jack. Verifico que Jack tem pouco tempo e se ele não tratar esta personalidade psíquica neste período, corre o risco de ficar internado no hospital onde trabalhou toda a sua vida.

    Quando ele selou este acordo, ele sentiu que conseguiu acessar esta personalidade e conversar com ela, e esta concordou em ser tratada para Jack conseguir sair dali ao se aposentar, poder viajar e curtir a vida ao lado da esposa. Se Jack tomar medicamentos ficará difícil acessar esta personalidade e conseguir tratá-la. Quando Jack se intitula ser Don Octavio vejo como um personagem apaziguador, que vem administrar o conflito entre o lado racional e o emocional de Jack, alguém com autoridade para resolver o conflito.

    Leia Também:  Pensamento Crítico: significado, exemplos e aplicações

    Após mostra uma cena do Jack em sua casa, conversando com sua esposa, e este se mostra completamente alienado (vivendo sua historia interior). Na clínica BOB insiste que “o paciente precisa de remédios” e Jack insiste em não dar remédios, pois os remédios impedirão que o mundo de Don Juan seja acessado. Minha análise: Se Don Juan é uma personalidade de Jack e se Jack tomar o remédio ele não vai conseguir tratar esta personalidade e consequentemente sair do hospital, pois o medicamento pode impedir que Don Juan seja acessado.

    Aproximadamente aos 29 minutos do filme, mostra Jack olhando as enfermeiras pela janela, como se elas estivem caminhando mexendo nos cabelos em câmera lenta e dá uma mistura de suspiro com um leve ahn… (toca a musica tema do filme ao fundo). Em seguida Dom Juan entra e analisando algumas imagens a pedido de Jack só vê significados com conotação sexual.

    Jack: – Porque não fazemos algo diferente hoje? Que tal falarmos de mim? Entra em questão o fato de estarem na realidade em um hospital psiquiátrico, e Don Juan responde que entende que é um hospital para loucos, mas como pode dizer que ele é Don Octavio? Minha análise: Jack pode está em conflito com três personalidades:

    1. Don Juan DeMarco, o galanteador;
    2. Don Octavio que está ligado a alguém que possui autoridade e veio resolver o problema com Don Juan, apaziguador entre o racional e o emocional de Jack;
    3. Ele mesmo que viveu a vida pela profissão, a psiquiatria era o respirar dele, ele tratou muita gente e ouviu muitas histórias por toda sua vida.

    Segundo Don Juan: “O galanteador vê as mulheres com olhos de admiração, somente vê as qualidades, não vê defeitos, não se deixa influenciar pela visão e sim vê as mulheres como elas sonham em ser vistas, por isso vê a beleza que habita dentro dessas mulheres e elas correspondem”. Don Juan conversando com Jack diz que vê com toda clareza do mundo que o hospital psiquiátrico é a vida, é a casa do Jack, e que Jack é tão grande amante quanto ele, apesar de ter perdido com a idade o seu encanto e o seu sotaque. Neste momento Don Juan está analisando Jack.

    Conversa interna analisada

    Minha análise: Em uma conversa interna analisando a personalidade de Don Juan DeMarco, esta personalidade passa a analisá-lo e neste ponto começa a surgir uma comparação entre os dois. Don Juan diz: “- Existem apenas quatro perguntas importantes na vida:

    1. O que é sagrado?
    2. De que é feito o espirito?
    3. Por que vale a pena viver?
    4. Por que vale a pena morrer?

    A resposta para todas é a mesma: somente amor…” (e vai em direção a porta, saindo da sala). Neste momento Jack questiona: “- Ei e a máscara?” Minha análise: Jack está questionando o sentido da vida. Quando ele pergunta: “-Ei, e a máscara?” Ele pode estar tirando a própria máscara para si mesmo, e ao mesmo tempo estar preocupado se as outras pessoas iriam perceber ele sem a sua máscara. Após esta cena, aparece Jack fazendo uma gravação da análise: “Problemas de obsessão compulsiva, com características de erotismo. Confirmar problemas de delírios, confirmar depressão com traços obsessivos de provável personalidade histérica.”

    Ao chegar em casa, Jack começa a olhar a esposa com um olhar diferente, conquistador, observando a beleza dela. Ao se deitar conversando com a esposa ele diz que pensava na adolescência, e pergunta o que houve com todo aquele fogo que existia entre eles. E Marylin, deste assunto da intimidade deduz que ele não vai se aposentar tão facilmente. Ele diz que não vai mesmo, que vai se aposentar do que? Da vida? Marylin comenta que ele está estranho ultimamente e pergunta o que está acontecendo e Jack diz que está tratando um garoto que pensa ser Don Juan, que ele usa uma fantasia, uma espada e uma máscara.

    Marylin pergunta “quem é ele de verdade” (o rapaz), e Jack diz não saber, mas que “a verdade é que Don Juan o está afetando”, e em seguida diz: “-Você está uma gata, a noite vai render”, e os dois se beijam e se amam. Nisso já entra a cena de Don Juan fazendo sexo com seu primeiro amor (Donna Julia) e já passa para a cena no consultório. Minha análise: Jack pode estar sentindo falta do lado romântico e de viver mais momentos íntimos com sua amada esposa. Esta personalidade pode estar mostrando a ele o lado da vida que ele deixou de viver, e ele está sentindo que ainda tem tempo de vivenciar seu relacionamento intimo com mais atenção, com mais dedicação, e Jack começa a correr atrás do tempo perdido, na tentativa de reconquistar a sua esposa.

    Don Juan DeMarco e suas conquistas

    De volta ao consultório, Don Juan começa a contar sobre suas conquistas, sobre o seu primeiro amor, que foi Donna Julia sua professora, uma mulher casada e o marido dela Don Afonso descobriu. Pra se vingar Don Afonso espalha que tem um caso com Donna Inês a muito tempo, e para salvar a honra da esposa o pai de Don Juan luta com Don Afonso e morre neste combate. Após ver o pai ferido Don Juan luta com o marido da amante e o mata. Após esta cena aparece Jack no consultório sozinho e pensativo, olhando fotos antigas em quadros sobre sua mesa.

    Após isso ele começa a agir como se fosse mais jovem, se exercitando e reconquistando sua esposa, sendo romântico e fazendo surpresas para ela, ao estilo Don Juan. Minha análise: É frequente ouvirmos casos de crianças que se apaixonam pela sua professora, que tiveram amor platônico. Neste momento vejo uma possibilidade de Jack ter tido alguma situação assim quando criança.

    A lembrança da inocência, do romantismo, depois da juventude ao olhar as fotos antigas trouxeram lembranças e fizeram Jack olhar para sua esposa com mais desejo. Aproximadamente aos 53 minutos do filme, Bob fala pra Jack que já está na hora de Don Juan tomar os remédios e que ele recebeu uma ligação na clínica com informações de que Don Juan viveu um tempo com a avó. Bob passa o telefone e endereço dela para Jack. Ao chegar à casa da avó do rapaz, Jack se depara com um quarto que era usado por Don Juan repleto de fotos de Donna Ana, que usava uma máscara igual a de Don Juan.

    Minha análise: Donna Ana se mostra ser uma modelo sensual de revistas, e seu nome é Chelsea Stoke, e esta modelo utiliza um personagem, pois em todas as fotos da parede está de máscara. Neste momento eu percebo que é a mesma modelo da foto do outdoor que aparece no início do filme, onde Don Juan sobe para procurar a morte. A avó de Don Juan diz que ele vive esperando uma carta de Donna Ana.

    Quando pergunta sobre o pai de Don Juan a avó diz que ele morreu de um acidente de carro há cinco anos e que nunca moraram no México. Quando pergunta sobre a mãe de Don Juan ela disse que não tem notícias dela e que nunca se deram bem. A avó chama Don Juan de Johnny, e diz que seu nome é Johnny Arnald de Marco. Quando relata sobre seu contato com o neto, ela comenta que só o viu criança quando tinha uns seis anos e não teve mais contato. E que há uns três meses atrás ele chegou na casa dela vestido de Don Juan (vestido de zorro, segundo a avó). Minha análise: Esta avó poderia ser mais uma disputa entre o lado racional e o emocional do Jack. Don Juan aos seis anos poderia ser Jack quando se apaixonou pela professora (considerando esta possibilidade) seu primeiro grande amor. Quando a avó diz: “Apareceu do nada há três meses usando uma máscara”, entendo sendo quando Jack começou a acessar a personalidade de Don Juan, sentindo a aposentadoria próxima, o peso da idade e a saudade de sua juventude.

    A entrevista de Don Juan

    Jack comenta com Don Juan sobre a visita: “- Sua avó disse que seu nome é Johnny!” E Jack diz que a moça da revista que ele diz ser Donna Ana se chama Chelsea Stoke. A cena mostra Don Juan olhando para a foto que Jack o entregou. Jack continua dizendo que uma vez teve um paciente que se apaixonou pela modelo da foto e ligou mais de 100 vezes para a revista para tentar falar com ela, até que algum momento alguém ficou com dó dele e deu o telefone dela a ele. Ele ligou e conversaram por um minuto, e ela deixou bem claro que não queria nunca mais falar com ele. E após isso o rapaz tentou se matar.

    Minha análise: No final do filme onde Don Juan é entrevistado para saber se ficaria internado ou poderia ser liberado, ele conta exatamente esta versão em sua história. Após esta cena, Don Juan DeMarco volta a contar sobre sua história e diz que após a morte do pai sua mãe decide entrar para o Convento de Santa Maria e o envia para uma viagem de navio para Cadis para que a viagem no mar o purificasse.

    Porém sua mãe não sabia que o barco pertencia a um grupo de bandidos e ao invés de ir para Cadis foi para um reino de um sultão árabe onde todos os passageiros foram vendidos como escravos. Ele foi comprado pela esposa de um sultão que o vestiu de mulher e o levou para o harém onde havia mais de 1500 mulheres. Don Juan DeMarco passou a viver como escravo sexual da sultana, ele passava o dia com a esposa do sultão e a noite com as 1500 mulheres do harém. Com o passar dos anos começou a observar que não tinha o mesmo entusiasmo e apetite sexual de antes. Porém quando o sultão se interessou pela mulher que ele aparentava ser (pois assim vivia vestido) a sultana o mandou embora para salvar a própria vida e a vida de Don Juan DeMarco, e neste momento aparecem as mulheres do harém se despedindo dele e ele partindo de barco. Na cena seguinte aparece Jack, que ao adentrar em sua casa já chega sensualizando para a esposa que diz: “Você chegou cedo”. E ele a convida para subir para o quarto.

    Na cena seguinte mostra Jack e Marilyn na cama, como se fossem adolescentes brincando de jogar pipoca pra cima e acertar na boca, aparentemente após um momento intimo muito satisfatório para ambos. Minha análise: Jack percebe que com o passar do tempo seu apetite sexual não é mais o mesmo. Ele deixou a vida pessoal e até a esposa de lado para se dedicar quase que exclusivamente a psiquiatria.

    Don Juan DeMarco seduziu 1500 mulheres, e Jack cuidou de mais de 1000 pacientes com sucesso. Neste momento eu faço esta comparação, analisando como o falar destes números elevados alimenta o ego de um e de outro com uma intensidade muito similar. Após esta cena, volta à cena no hospital, onde Jack diz que vai ter uma reunião definitiva com o paciente. O diretor cobra uma posição, pois diz que segunda feira é o último dia de trabalho do Jack e que o rapaz é um paciente suicida, por isso precisam direcionar se o garoto vai ser encaminhado a outro psiquiatra ou para outra clinica. Bob pergunta para o Bill se pode ficar com o paciente e Bill responde que se ele estiver medicado sim.

    Questionamentos de Jack

    Neste momento Jack sugere que vai dar 100 miligramas de um medicamento a ele quatro vezes ao dia. Após este momento tenso, o diretor fala que tem mais uma coisa a resolver e diz: “Que entrem!” Nesta hora as enfermeiras que estão atrás da porta entram com um bolo desejando boa viagem ao Jack. Minha análise: Jack começa a sentir que precisa tomar medicamento e decide aceitar quando se sente pressionado e percebe que o tempo está esgotando. Ele precisa resolver o caso até segunda feira. Na próxima cena aparece um relógio onde está escrito “hoje é o primeiro dia do resto da sua vida”. Alguém toca a porta e diz ser Donna Inês, a mãe de Don Juan de Marco.

    Ela disse que veio assim que Don Juan ligou para ela e explicou o que estava acontecendo. Após Jack questionar sobre os fatos que Don Juan comentou envolvendo a mãe, Donna Inês diz que não pode falar do passado devido a um juramento que fez ao entrar no convento. Quando Jack começa a falar sobre a conversa com a avó de Don Juan, Donna Inês começa a chorar. Jack se desculpa e diz que precisa saber a verdade. A resposta de Donna Inês foi: “A verdade está dentro de cada um, e eu não posso ajudá-lo a encontrá-la” (ela o chama de Don Octavio).

    Leia Também:  Expressão Corporal: como o corpo se comunica?

    Minha análise: Primeiro ponto é que a mãe de Don Juan sempre aparenta a mesma jovialidade de quando Don Juan nasceu, ela não envelhece no filme, poderia ser mais uma personagem fictícia de Jack ou o seu racional em conflito com o seu emocional. Neste momento parece que Jack está confrontando os personagens. A reposta que obteve: “A verdade está dentro de cada um” e “Eu não posso ajudá-lo a encontrá-la”, verifico que seria a compreensão que somente o próprio Jack pode descobrir o que é verdade para si.

    A cena seguinte mostra Jack olhando pela janela, vendo no jardim a Donna Inês indo embora, e do nada aparece Don Juan ao lado dele e pergunta: Ela não é exatamente como eu a descrevi, Don Octavio? E Jack responde: “É… exatamente!” Minha análise: Esta cena passa a impressão de que Jack está viajando em seus próprios pensamentos. Don Juan conta a Jack que Dona Julia se tornou freira no mesmo convento que a mãe. Segundo ele, conversou com a mãe e disse que ela pode voltar pois sentirá falta dela, que ela tem o poder de colocar ele em contato com a realidade (esta cena de Don Juan falando com a mãe não aparece no filme, aparece somente ele falando com o Jack sobre esta conversa que teve).

    Minha análise: Jack teve a resposta de Inês “A verdade está dentro de cada um, e “Eu não posso ajudá-lo a encontrá-la”. Esta fala pode sugerir o “colocar Jack em contato com a sua realidade.” E o “ela pode voltar” compreendo que ele precisa ouvir este lado mais racional dentro dele, que ele pode precisar buscar este lado novamente quando necessitar. Jack questiona Don Juan sobre ele ter tanta certeza sobre a mãe não ter tido realmente um caso com Don Afonso, pois quando o pai morreu e a mãe gritou vou perder os dois, se ela se referia ao marido e ao filho ao aos seus dois amantes. Nesse momento Don Juan se enfurece, joga um objeto na estante, se mostra revoltado com Jack, o manda calar a boca e diz: “Você acha que eu não entendo o que está se passando com você, mas eu entendo. Você precisa de mim para uma transfusão, porque seu sangue se transformou em pó e entupiu seu coração. Você precisa da realidade, precisa de um mundo onde o amor esteja em ruinas e continue a bloquear suas veias até secar toda vida dentro de você.

    A personalidade de Don Juan DeMarco

    O meu mundo perfeito não é menos real que o seu Don Octavio e é somente no meu mundo que você consegue respirar. Não é isso? Não é isso?” Jack responde: é… tem razão… meu mundo… não é perfeito. Neste momento Don Juan senta na cadeira do psiquiatra e pergunta: “O que é esta coisa que acontece com a idade? Porque todos querem perverter o amor e sugar dele toda sua glória? Como podem chamar essas sombras de amor?” Jack dá uma enroscada na garganta e responde: “Esta será nossa última sessão, vou me aposentar segunda feira.”

    Don Juan entende, concorda com a cabeça e diz: – Então vou falar de Donna Ana e você decidirá se devo sair daqui. Minha análise: O paciente toma o lugar do psiquiatra e o analisa. Entendo este momento como sendo a personalidade de Don Juan confrontando Jack, o tempo deles está acabando e precisam chegar a uma solução deste caso, pois Jack depende disso para se aposentar e ir viajar com a esposa, ou ficar internado tomando medicamentos para tratar a sua personalidade Don Juan sendo tratado por um outro psiquiatra.

    Don Juan volta na história e relata que após ter deixando o harém, no segundo dia de viagem a embarcação é atingida por um tufão, e somente ele sobreviveu após vários dias a deriva no mar acordando em uma praia na ilha de Eros. A primeira imagem que viu foi a de Donna Ana, ela tinha 17 anos e era uma mulher pura, ainda não conhecia os prazeres do corpo. Ele relata Donna Ana com tendo uma beleza que não era feita de formas e ângulos, mas que brotava de dentro dela com maestria. Fala do amor à primeira vista, do encontro de almas, e naquela ilha mostrava existir somente os dois apaixonados. Acreditavam que o amor seria eterno, e que nunca morreriam. Ela pede para ele prometer que ficariam juntos por toda vida e que viveriam sempre ali, naquela praia, e que nada nem ninguém iria separá-los. Ali esperariam durante toda a eternidade o outro retornar. E trocaram as promessas e juras de amor.

    Após este momento Donna Ana pergunta se Don Juan vai usar a máscara durante toda a vida deles juntos, e ele responde que fez um juramento, e ela pede que ele conte o que o levou a fazer tal juramento. Ao contar sobre Donna Julia, ela ficou receosa porque acreditava que ele era puro e tinha se guardado para ela, assim como ela tinha se guardado para ele. Após este primeiro momento de receio, ela diz que tudo bem, que aceita não ser a primeira se ele contar com honestidade quantas outras já existiram. Não querendo mentir, Don Juan disse que incluindo ela 1502 mulheres.

    Donna Ana se sentiu humilhada e neste momento ele tirou a máscara como um gesto de pedido de perdão e ela vestiu a máscara dele em seu rosto, simbolizando seu sentimento de humilhação e o deixou para sempre. Então as aventuras dele tiveram um fim e o sonho dele passou a ser morrer nos braços da mulher que ele ama, assim como seu pai o fez. Nesse momento Don Juan pergunta ao Jack: “Quem sou eu”? Jack pede pra ele se sentar e diz: “Você é Don Juan de Marco, o maior amante que o mundo já conheceu.” Don Juan: – E você meu amigo? Quem é você? Jack: – Quem sou eu? Eu sou Don Octavio Del Flores, casado com a formosa Donna Lucita, luz da minha vida. E você meu amigo me enxergou através de todas as minhas máscaras.

    A conquista das mulheres

    Minha análise: Don Juan perdeu o amor da vida dele por ter conquistado 1502 mulheres. Jack não soube se dedicar como gostaria a esposa, praticamente a trocou pela profissão e curou mais de 1000 pacientes. Neste momento Jack percebe o quanto precisa reconquistar sua esposa, porque ele não teria mais os pacientes, sua esposa é tudo que ele terá a partir de agora. Na próxima cena a enfermeira dá um copo de água a Jack e fala “sua água Doutor”. Jack vai para a antessala com dois copos na mão (um com medicamento e outro com água) onde fala para Don Juan: “Acredito que você seja Don Juan, mas muita gente não acredita” Don Juan diz: “Então farei o que me pede meu amigo” (toma o remédio e bebe a água). Minha análise: Quem tomou o remédio foi o próprio Jack, pois mostra logo em seguida que quem amassa os copos e joga no cesto de lixo é o Jack e não Don Juan (e na cena não mostra Don Juan entregando o copo para Jack).

    Logo em seguida Jack diz “vamos”, sai abraçado com Don Juan, o leva para o quarto e o observa dormir, tranquilo e medicado. A cena mostra que já era noite, se Jack tomou o medicamento, precisou deitar e aguardar passar o efeito colateral do sono para poder dirigir até a sua casa. Na cena seguinte Jack conversa com a esposa: Marilyn: – Você vai se aposentar na segunda feira, o que vamos fazer? Jack responde que eles irão começar a voar como as águias voam e Marilyn diz que não se enquadra nisso. Jack: – Eu preciso descobrir quem você é.” Marilyn: – Você sabe quem sou eu.” Jack fala que precisa saber das esperanças e dos sonhos que se perderam em todo este tempo em que ele só pensava nele mesmo. Ela começa a rir e quase chorar ao mesmo tempo e diz que achou que ele nunca perguntaria. Minha análise: Neste momento Jack percebeu o quando ele tinha deixado a esposa de lado e a negligenciado por tantos anos. Ele cuidou de mais de 1000 pacientes e nunca tinha perguntado para a esposa se tinha alguma esperança, algum sonho.

    Ao chegar ao hospital no seu último dia de trabalho, Jack acompanha a análise do desfecho do caso. Don Juan se senta em frente ao entrevistador, enquanto Jack aguarda sentado próximo a ele, atrás dele. Nesse momento, ele conta a história que todos diziam ser a real (e também a história que o entrevistador esperava ouvir se o rapaz realmente estivesse em poder de seu pleno controle mental).

    O rapaz disse que leu um livro e que escolheu um dia se tornar o Don Juan, então ao folhar uma revista e se apaixonar pela moça da foto ele ligou para a revista tentando falar com ela, mas não obteve nenhuma informação. Até que abordou uma mulher estagiária que ficou com pena dele e lhe passou o telefone da garota das fotos. De posse do número, ele ligou para ela e disse que tinham nascido um para o outro. Ela o chamou de tarado, disse para ele não ligar mais para ela e desligou. Com esta decepção, ele decidiu que a vida dele tinha terminado e que iria se matar, ou ao menos fazer as pessoas acreditar que ele iria se matar para atrair atenção, no fundo ele não tinha a real intenção de se matar.

    “Eu sou Don Octavio Del Flores”

    Minha análise: Se Jack levasse adiante naquele momento a sua personalidade Don Juan, ele correria o risco de ficar internado, sendo medicado e não poderia sair do hospital, viajar, reconquistar sua esposa e aproveitar a aposentadoria ao lado dela. Então o mais racional seria dizer ao entrevistador uma história que o liberasse. No meu ponto de vista, esta história ele contou em sua própria mente, ao entrevistador ele se mostrou estar bem mentalmente. O responsável que analisava Don Juan disse que o rapaz parecia normal e que não iria prendê-lo no hospital. Nisso Bob interveio dizendo que acha que ele tem comportamento suspeito, mas o entrevistador do caso se manteve tranquilo quando ao veredito.

    Jack agradece, em seguida se despede e sai do hospital com Don Juan. Minha análise: Jack foi liberado, para ir para casa e aproveitar sua aposentadoria a lado de sua esposa. A intervenção de Bob eu entendo como: Bob não acreditava na história que Jack havia contado, imaginando que ele precisava de cuidados, pois tinha receio de liberá-lo e ele tentar contra a própria vida. Na cena seguinte, a voz no filme narra como se Jack estivesse pensando: -“Eu sou Don Octavio Del Flores, o maior psiquiatra do mundo, já curei mais de 1000 pacientes, seus rostos perduram em minha memória como dias de verão, mas nenhum se compara a Don Juan de Marco.”

    Minha análise: Na cena acima, Jack abre a porta do carro e guia a entrada de Don Juan no carro em seguida coloca a mala no banco de trás ao lado de Don Juan (ele colocou Don Juan no carro, Don Juan não entrou sozinho, foi como se ele estivesse sendo guiado por Jack). E o orgulho na narração que Jack curou mais de 1000 pacientes se compara ao orgulho da voz do conquistador que conquistou mais de 1500 mulheres… Em seguida já aparecem Jack, Marilyn e Don Juan no avião com destino a ilha de Eros. Minha análise: Na cena do avião Marilyn está sentada entre Jack e Don Juan e parece dar atenção somente a Jack, como se não tivesse ninguém do outro lado dela. Ao chegar na Ilha Don Juan está entre o casal, de braços dados com Marilyn e com Jack. Em nenhum momento a esposa do Jack se dirigiu ao Don Juan, nem mesmo olhou pra ele como se fosse alguém que realmente não estivesse ali. A narração com a voz do Jack diz no final: “E como termina a nossa fábula? a sua Donna Ana, a da foto do meio, estaria esperando na praia por toda eternidade até que ele retornasse como haviam se prometido? Por que não?”

    A cena mostra Don Juan e Donna Ana se reencontrando, e a voz narrando diz: “Tristemente devo informar, que o último paciente que tratei, Don Juan de Marco, sofria de um romantismo que era absolutamente incurável e o que era ainda pior, altamente contagioso.” Minha análise: Jack reencontra em si o grande amante, apaixonado pela sua esposa. Naquele local Jack assume o Don Juan que existe dentro dele. A frase “E como termina nossa fábula” para mim reforça ainda mais a análise de que Don Juan de Marco é um personagem ou uma personalidade do próprio Jack. No momento que Don Juan encontra com Donna Ana, mostra Jack olhando para o local e observando com um sorriso nos lábios, neste momento dá uma pequena sensação que a esposa dele vê Don Juan com Donna Ana, mas já mostra Marilyn observando o local, tipo acompanhando o Jack, como se perguntasse “o que você está vendo?”. Logo após esta cena, Jack incorpora o Don Juan, dança e beija sua esposa. Don Juan e Donna Ana não aparecem mais na cena, o foco é Jack e Marilyn. Com esta cena o filme termina, mostrando o romantismo do casal Jack e Marilyn, como se nesta ilha eles tivessem reencontrado o amor que tinham prometido um ao outro na juventude.

    Leia Também:  Suicídio Altruísta: o que é, como identificar indícios

    Transtornos e uma Breve Explicação Pela Psicanálise

    A Psicanálise foi desenvolvida por Freud através de seus estudos da psique humana e para explicá-la ele dividiu a mente em consciente, pré-consciente e inconsciente em sua primeira tópica. O Consciente (Cs) é o responsável pela atenção, percepção e pelo raciocínio, é o consciente que faz a relação entre o mundo externo e o mundo interno. O Pré-consciente (Pcs) é como se fosse uma fronteira que está ligada tanto ao consciente quanto ao inconsciente, desta forma o consciente tem um certo acesso a esta instância, assim como algo que está aguardo no inconsciente pode também vir a tona através desta conexão em algum determinado momento, geralmente associado a algum fato marcante. O Inconsciente (Ics) guarda conteúdos reprimidos, que ficam como que arquivados em nossa memória em um local que não temos acesso, podendo vir à tona em determinados momentos através da comunicação entre o pré-consciente.

    O inconsciente é regido pelo princípio do prazer. Aprofundando em seus estudos, Freud trouxe uma secunda tópica da psique humana, dividindo assim em: Ego, superego e ID. Essa segunda tópica acrescentou ainda mais explicações e compreensões sobre a mente humana, sem abrir mão da primeira tópica. O ID é somente inconsciente, então em seu nível psíquico ele é inacessível pelo pré-consciente e pelo consciente, porém o inconsciente não é somente ID, ele tem uma parte de Ego e Superego também. O Superego está relacionado às regras sociais e morais que temos em nosso consciente, porém esta é uma pequena parte do Superego, em sua maioria ele está no inconsciente. Da mesma forma o Ego também tem uma pequena parte no consciente e uma maior parte no inconsciente, e tem como tarefa administrar o conflito entre atender o ID que está no inconsciente regido pelo princípio do prazer e atender o Superego que está ligado a regras e normas, o que pode e o que não pode, buscando assim o equilíbrio entre estas duas instâncias.

    Freud ao estudar a sexualidade humana que está ligada diretamente ao princípio do prazer trouxe as várias conexões da busca do prazer e da formação psíquica, desde o nascimento do individuo e por toda sua vida, demonstrando que muitos problemas da mente humana estão ligados à libido e ao recalcamento, e traumas principalmente na infância. Isso reforça que todas as pessoas estão sujeitas a ter em algum momento algum conflito emergindo. Dependendo da profundidade dos recalques, e da forma com o indivíduo lida com as suas questões, pode ocorrer um transtorno de personalidades múltiplas ou transtorno dissociativo (dois ou mais estados de personalidade) como um mecanismo de defesa com a finalidade de fugir de alguma situação de estresse ou de algum trauma.

    Um dos fundamentos principais da psicanálise é que todo psicanalista deve se tratar primeiro para resolver os seus conflitos e depois ter condições de tratar o outro, pois só conseguimos acessar no outro até onde já conseguimos tratar em nós mesmos. O psicanalista deve estar em constante busca por conhecimentos, procurando estar sempre atualizado e preparado, mantendo também a sua própria análise em dia.

    A autoanálise

    Por isso além de se autoanalisar se atentar a importância o ter também um acompanhamento com outro psicanalista. Analisando o filme utilizando os conhecimentos adquiridos no curso de psicanálise descrevo a minha percepção. Observei que Jack o psiquiatra deixou de viver a própria vida, de olhar para si e para sua esposa em prol de se dedicar com todo seu afinco a sua profissão. O filme mostra que ele conseguiu se tornar um grande psiquiatra e teve muitos méritos em sua trajetória profissional, porém quando chegou o momento de se aposentar ele se sentiu sem chão, como se a vida dele estivesse escapando pelos dedos e ele deixaria de ser o grande profissional, teria que olhar para si e ser ele mesmo a partir dali. Porém ele estava a tanto tempo focado só no trabalho que teve um impacto quando percebeu esta situação. No momento que ele chega para “salvar” Don Juan do suicídio iminente, ele é recebido pelo policial como “sendo o melhor psiquiatra”, ou seja, o único capaz de resolver o caso com sucesso.

    Porém analisando alguns pontos do filme vemos Bob, o diretor da clinica tratar Jack com a frase “Você está acabado, você já era”. Neste ponto eu me pergunto: será que realmente havia um rapaz tentando se suicidar ou Jack as vésperas de se aposentar e vendo que nem sendo mais reconhecido como o grande psiquiatra entrou em uma espécie de crise e começou a criar em sua mente este personagem? Ele se via como o grande psiquiatra, mas será que era assim que as pessoas a volta dele também o viam? Nesta parte do filme dá um duplo entendimento quanto a esta questão.

    Durante o decorrer do filme podemos sentir o Ego do Jack exaltado quando ele se refere a quantidade de pacientes que ele curou, e que ele é o melhor psiquiatra que existe. Eu comparo que há a mesma exaltação que Don Juan emana quando se diz ser o maior conquistador do mundo e quantas mulheres já caíram aos seus pés. No filme mostra a capa do livro Don Juan DeMarco (Autor: Lord Byron), que aparentava ser bem conhecido. Certamente Jack o leu. Em vários momentos Jack inicia analisando Don Juan e depois os papéis se invertem e Jack passa a ser analisado.

    Jack conta histórias de pacientes que ele atendeu e no final do filme Don Juan DeMarco mistura a história que diziam ser a vida real dele com a história do paciente de Jack. Nesse momento seria mesmo um rapaz que acredita ser o Don Juan sendo entrevistado ou seria Jack provando que se tratou, está curado, e pode ser liberado para ir viver sua aposentaria ao lado de sua esposa? Don Juan se recusa a tomar remédio e Jack se recusa a dar o remédio. Bob além de tentar direcionar o caso a Bill insiste que o rapaz tem que tomar o remédio. Jack não aceita que Bill atenda Don Juan DeMarco…

    Eu analiso que pode ser Bill tentando cuidar de Jack e este se recusa a tomar medicamentos. Jack diz ser o melhor psiquiatra do mundo, e pensa que somente ele pode cuidar de um personagem que ele está vivenciando em sua mente e estando medicado não conseguiria acessar. A cada momento que o filme desenrola e Jack entra na história de Don Juan fica nítido o aumento de sua libido, e a busca por restabelecer o seu relacionamento afetivo com sua esposa. Uma cena bem marcante que me fez reforçar a tese de trago neste trabalho é o momento que Don Juan DeMarco está analisando Jack e diz: “Você acha que eu não entendo o que está se passando com você, mas eu entendo.

    Don Juan DeMarco e uma transfusão

    Você precisa de mim para uma transfusão, porque seu sangue se transformou em pó e entupiu seu coração. Você precisa da realidade, precisa de um mundo onde o amor esteja em ruinas e continue a bloquear suas veias até secar toda vida dentro de você. O meu mundo perfeito não é menos real que o Seu Don Octavio e é somente no meu mundo que você consegue respirar. Não é isso? Não é isso?” E Jack concorda. Na afirmação onde diz que “Jack precisa dele para fazer uma transfusão”, eu compreendi que Jack viu que precisa deste lado pra ser feliz, assim resolve que precisa incorporar o Don Juan DeMarco que existe dentro dele e assumir este lado para si mesmo. O trabalho de um psiquiatra esta ligado a pessoas que estão com grandes distúrbios e normalmente demonstram falta de amor próprio ou não se sentem amadas o quando necessitam.

    Na afirmação “Jack precisa de um mundo onde o amor esteja em ruínas” descreve o mundo do psiquiatra Jack, que é cuidar das pessoas que estão com o amor em ruínas. E agora que Jack não terá este mundo em ruínas dos seus pacientes para continuar a ser o grande profissional que é a razão da vida dele, como viver? Ele precisa se reencontrar com ele mesmo, redescobrir o Jack dentro dele e trazer outros pontos importantes para sua vida além do lado profissional, e precisa de Don Juan para conseguir fazer este reencontro. O transtorno de personalidades múltiplas pode estar relacionado a um mecanismo de defesa quando Jack se viu em uma situação onde teria de abrir mão da parte mais importante da sua vida.

    Conforme mostra no filme Jack pediu para se aposentar até um pouco antes do prazo para poder viajar com sua esposa, parecia que ele estava com medo de encarar esta fase da vida. Há uma possibilidade que para o inconsciente dele o “se aposentar” poderia ser como um “se suicidar profissionalmente”. Pode haver uma dupla interpretação neste ponto: será que ele estava pedindo para se aposentar antes do prazo para ir viajar com a esposa, ou ele já vinha apresentando algum distúrbio e por isso foi solicitado a antecipação da sua aposentadoria? Na parte onde Bob diz a Jack: “Faz tempo que você não dá a mínima para o trabalho, você já era, e foi por isso que você pediu para se aposentar mais cedo, para poder viajar mais com a sua esposa” e ainda reforça que Jack está acabado e que ele já era, deixa uma lacuna a se pensar…

    Conclusão

    Um grande profissional, super reconhecido em sua área não seria tratado assim pelo seu superior às vésperas de se aposentar. E as cenas que mostram Jack olhando pela janela, ele sempre está com um ar muito pensativo, como se estivesse em uma conversa interior. Em outra parte do filme Don Juan analisando Jack diz: “Vejo com toda clareza do mundo que o hospital psiquiátrico é a sua vida, é a sua casa, e você é tão grande amante quanto eu, apesar de ter perdido com a idade o seu encanto e o seu sotaque”.

    Analiso que a pressão que Don Juan DeMarco sentia por ter que deixar “sua vida” (a psiquiatria) e não ser mais tão jovem para se dedicar a vida a dois com sua esposa, sentindo que sua libido não era mais a mesma de quando era adolescente, pode ter gerado este conflito interno, este transtorno dissociativo. Esta minha análise sobre o filme só reforça a necessidade de o profissional estar em constante análise e em constante aprendizado. Não é nada simples compreender e cuidar da mente de outras pessoas, ser profissional suficiente para conseguir separar o problema do cliente e não permitir se influenciar por este, sempre se policiar, se atentar a transferência e contra transferência.

    Todos nós psicanalistas temos que saber até onde conseguimos ajudar um paciente e saber o momento de direcionar um caso que está além de nosso alcance para alguém que esteja mais apto. Temos que olhar para o analisando como alguém que muitas vezes passou por cima do seu próprio ego para buscar ajuda e nós temos em nossa profissão o dever de ajudar ou direcionar todos aqueles que nos buscam. E também somos seres humanos, temos nossos traumas, nossas histórias e o nosso ego, por isso é muito importante sabermos as ocasiões que precisamos de ajuda e neste momento termos a mesma coragem que nosso analisando teve quando chegou até nós.

    Referências bibliográficas

    DUNKER, Christian. O transtorno de personalidades múltiplas na psicanálise. [Online]. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=i8jv_uVJ3_Q&t=606s> – Acesso em: mar. 2022

    LEAL, Cinthya Danielle dos Reis. Resenha Psicanalítica do Filme “Don Juan De Marco”. [Online], Disponível em: <https://www.recantodasletras.com.br/resenhasdefilmes/371660> – Acesso em: mar. 2022

    SONSIN, Juliana. Múltiplas personalidades, mentes fragmentadas. [Online]. Disponível em: <https://www.telavita.com.br/blog/multiplas-personalidades> – Acesso em: mar. 2022

    SPIEGEL, David. Visão geral dos transtornos dissociativos. [Online]. Disponível em: <https://www.msdmanuals.com/pt/profissional/transtornos-psiqui%C3%A1tricos/transtornos-dissociativos/vis%C3%A3o-geral-dos-transtornos-dissociativos> – Acesso em: mar. 2022

    WIKIPEDIA, Don Juan. Don Juan na literatura. [Online]. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Don_Juan> – Acesso em: mar. 2022

    Este artigo é um resumo e interpretação do filme Don Juan DeMarco, texto da autora Rosangela Medeiros.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.