Psiquiatra e psiquiatria, o que faz um psiquiatra

Psiquiatra: o que faz? Diferença com psicólogo, psicanalista, neurologista

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

O que faz um psiquiatra, um psicólogo, um psicanalista, além de outros profissionais da mente? Quais as diferenças entre eles e que tipos de técnicas podem utilizar? Para quem não conhece muito dos estudos da mente humana, pode ser difícil entender qual profissional buscar para resolver um problema.

Tem psicólogos, psiquiatras, psicanalistas, e ainda neurologistas, endocrinologistas, todos habilitados e preparados para atuar no auxílio de distúrbios e alterações relacionadas ao que se passa nas nossas cabeças. Mas com todas essas formações, cada uma com um método de ação diferente, como saber quem devemos procurar?

Neste artigo vamos focar nas diferenças entre psicanalistas e psiquiatras, mas antes de falarmos deles, vamos dar uma pincelada nos outros profissionais mencionados acima, okay?

O que fazem Psiquiatra, endocrinologista e neurologista

Os psiquiatras são médicos. Assim como eles, os psiquiatras, os endocrinologistas e neurologistas são médicos, ou seja, possuem CRM e estudaram medicina durante pelo menos 6 anos antes de se especializarem em suas respectivas áreas.

  • Endocrinologistas é o especialista em hormônios e em todo o sistema endócrino, sendo capaz de identificar e tratar problemas de tireoide, menopausa, andropausa, etc. É importante mencionar o endocrinologista porque muitas vezes, sintomas como prostração, fadiga, perda ou ganho de peso, podem ser de causa hormonal.
  • Neurologista é o médico especializado no funcionamento do sistema nervoso. Entre outras coisas, ele é capaz de identificar e tratar problemas relacionados ao cérebro. Doenças como Mal de Alzheimer, Parkinson, transtornos do sono, enxaqueca, transtorno de déficit de atenção, entre muitas outras, são (ou podem ser) tratadas por este profissional.
  • Os psiquiatras são médicos que trabalham especificamente os distúrbios afetivos, ou seja, as doenças como depressão, ansiedade, transtorno bipolar, Borderline, dependência química, etc. Como são médicos, possuem CRM, e sua abordagem inclui a prescrição de medicamentos no tratamento dos distúrbios dos pacientes.

Vamos nos aprofundar um pouco mais nas funções do psiquiatra mais à frente neste artigo. Mencionamos também os psicólogos no início deste artigo. Estes profissionais não são médicos, ou seja, não possuem CRM. Eles possuem, sim, CRP, e portanto respondem também a um órgão regulador.

São profissionais que estudam diversas formas de abordagem e buscam compreender a psique humana para melhorar a qualidade de vida de seus pacientes. Podem atuar em consultórios e também na área de recursos humanos, dentro de empresas privadas.

O que faz um Psicanalista?

Dentro da psicologia existem diversas linhas. Uma delas é a psicanálise. Sendo assim, todo psicólogo pode ser psicanalista, mas existem cursos de formação específicos da psicanálise, sem vínculo com outras áreas da psicologia.

Todo psicólogo pode ser psicanalista (pois na graduação de psicologia se aprende também sobre psicanálise), mas nem todo psicanalista é formado em psicologia. Exatamente porque nem todos os psicanalistas são psicólogos, é normal que não possuam CRP – cadastro no Conselho de Psicologia, porém é recomendado que sejam afiliados a alguma associação de psicanalistas para facilitar as trocas de conhecimento.

Indo ao que interessa, o psicanalista é um profissional que estuda a mente humana em uma abordagem criada por Sigmund Freud por volta de 1890. Seu objetivo é proporcionar autoconhecimento aos pacientes.

Leia Também:  O que é Mal de Ojo? Entenda

A abordagem psicanalítica usa a fala do paciente para descobrir traumas do passado que atrapalham de alguma forma a vida da pessoa no presente momento.

Diferenciação entre Psiquiatra e Psicanalista

Vamos agora falar da diferença entre psicanalistas e psiquiatras, para tirar da sua cabeça qualquer dúvida que tenha ficado sobre esse assunto.

Psiquiatras são médicos por formação, especialistas em psiquiatria, e o tratamento com esses profissionais geralmente é feito através de medicamentos. Muitas vezes eles tratam os mesmos problemas que os psicanalistas, porém agindo diretamente na química cerebral.

  • O ponto positivo é que em cerca de 20 dias de medicação já é possível sentir os efeitos do tratamento e diminuir significativamente (as vezes anular) os sintomas.
  • O ponto negativo é que dificilmente os remédios prescritos vão resolver o problema.

Sem o auxílio de outras terapias o paciente tende a viver dependendo dos remédios, sem muita perspectiva de alta clínica. Psicanalistas trabalham de maneira totalmente diferente. A terapia se baseia na análise de como a mente do paciente se formou desde que ele era pequeno.

Quais situações geram emoções específicas, quais as memórias do paciente se relacionam com elas e qual padrão repete. Com isso o paciente toma consciência dos motivos de suas próprias ações, sentimentos e emoções, e quando o paciente entende, muitas vezes o sintoma desaparece.

Como funciona a terapia psicanalítica?

Para exemplificar, digamos que você tenha muito medo de aranhas e resolveu fazer análise para se livrar desse medo.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Durante a terapia psicanalítica, você descobre uma lembrança esquecida de quando você estava sozinho(a) e uma aranha apareceu. Você percebe que seu medo não era da aranha, e sim da solidão.

    Depois da redescoberta dessa lembrança, seu trauma está curado. Falamos dos pontos positivos e negativos do tratamento psiquiátrico, então vamos falar desses aspectos no tratamento psicanalítico:

    • Por um lado, não se utiliza medicamentos e consequentemente não há dependência química. Uma vez que o paciente obtém uma resposta, a resposta não pode mais ser tirada dele.
    • Por outro lado, é preciso muito mais tempo em terapia psicanalítica do que no tratamento com psiquiatra até que haja resultados expressivos na terapia, e disposição do paciente em conhecer a si mesmo.

    Unindo psiquiatria e psicanálise

    No que diz respeito à saúde mental, nada é pragmático. Muitas vezes é preciso combinar as técnicas e métodos da psicanálise (ou da psicologia de forma geral) com a medicina para obtermos os melhores resultados no menor tempo.

    É importante considerar que existem situações que não podem esperar meses até que algum progresso seja feito.

    Não podemos querer que uma pessoa que sofre de depressão profunda aguente meses de tratamento psicológico sem o apoio médico, e nem que a doença desapareça só com medicação. A psicanálise e a psiquiatria são ciências complementares que podem proporcionar qualidade de vida e bem-estar a pessoas que já perderam a esperança de levar uma vida normal.

    Vale dizer também que a abordagem multidisciplinar não precisa ser restrita a estes dois campos, muitas vezes é importante contar com a ajuda de nutricionistas, personal trainers, neurologistas, endocrinologistas, etc.

    Podemos restaurar a vontade de viver de pessoas de todas as idades ao combinar esses tratamentos.

    Este artigo sobre o que faz o psiquiatra e a diferença com a psicanálise, a psicologia, a neurologia e a endocrinologia foi escrito por Luara Proença ([email protected]), estudante de psicanálise, artista plástica e terapeuta reikiana; o principal objetivo da autora é tornar o conhecimento acessível a todos.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *