psique humana

Psique Humana: funcionamento segundo Freud

Posted on Posted in Psicanálise, Teoria Psicanalítica

Há séculos, estudiosos tentam decifrar os enigmas da psique humana. Para a Psicanálise de Freud, a psique é bastante complexa. Seja pela divisão das suas instâncias em consciente, pré-consciente e inconsciente, seja pela subdivisão do inconsciente em id, ego e superego.

Ou, ou ainda pelas fases do desenvolvimento psicossexual, as quais passam do nascimento até a fase adulta, ou ainda pelo estudo dos mecanismos de defesa do ser. Diversos estudos tentaram e tentam explicar a psique humana de uma maneira mais eficaz para a sociedade e para o indivíduo.

O funcionamento desta parte é muito importante para o ser, seja no contexto do seu mundo interior ou no contexto do seu mundo exterior.

O desenvolvimento e a divisão da psique humana

Sabe-se que, durante a infância, há o desenvolvimento da psique humana. Ela sofre influência da família na formação da personalidade, bem como, a ação do complexo de Édipo na estruturação desta psique.

Neste período, emoções e desejos reprimidos e censurados, bem como as pulsões inacessíveis à consciência, ficam armazenadas no inconsciente humano. Assim, elas afetam o comportamento e os sentimentos deste ser.

Já com relação às estruturas da psique humana, podemos dividi-las em três grandes partes:

  • Psicose, que se subdivide em esquizofrenia, autismo e paranoia;
  • Neurose, subdividida em neurose obsessiva e histeria;
  • Perversão.

E seria justamente, a formação na infância baseada no complexo de Édipo, masculino e/ou feminino, que determinaria em qual estrutura psíquica o indivíduo se encaixaria. Sendo definida esta estrutura, não haveria mudanças ao longo da sua vida.

Minimizando os efeitos dos problemas da psique humana

Partindo deste contexto, conclui-se que todos os seres possuem problemas psíquicos. O que classificariam estes como patológicos, seriam o grau deles e a quantidade de sofrimento oriundos dos mesmos.

Sendo assim, quanto maior o grau, maior seriam os sofrimentos e consequentemente maiores os sintomas somáticos, o que levaria o ser a procura por um profissional que trata destes sintomas. Portanto, temos um vasto campo para ser explorado.

Focando neste campo e na tentativa de solucionar ou minimizar os efeitos destas estruturas psíquicas, a medicina evoluiu e desenvolveu diversas teorias e técnicas no campo neurológico. Dentre estas teorias tem-se a Teoria da Personalidade ou simplesmente a Psicanálise.

Ela é um ramo da psicologia que utiliza clinicamente o conhecimento oriundo da psicologia, ou seja, o conhecimento do comportamento e dos processos mentais. Logo, a psicanálise é um campo clínico de investigação teórica da psique humana.
Além de investigar o campo psíquico, a psicanálise também investiga as funções intelectuais e emocionais do homem.

O renomado precursor da Psicanálise

O primeiro a abordar este novo ramo foi Sigmund Freud, pai da psicanálise e o responsável pela formulação teórica desta nova forma de tratar a histeria. Seu trabalho foi bastante reconhecido e influenciou diversos neurologistas nos estudos da mente humana, influenciando estes profissionais até os dias atuais. A psicanálise é uma psicoterapia cujo método de tratamento consiste em:

  • associações livres de ideias
  • interpretação dos sonhos
  • análise dos atos falhos do analisado
  • relação impessoal entre o psicanalista e o analisado

Nos primórdios da psicanálise, Freud buscou descobrir um tratamento efetivo para os pacientes com sintomas neuróticos ou histéricos.

Para tal, Freud aliou-se a Charcot, adotando a sua técnica de hipnose, ou seja, a sugestão hipnótica, nos seus tratamentos clínicos. E também, a Josef Breuer, com o qual concluiu que o gatilho que acionava a histeria também poderia ser de origem psicológica. Além disso, que os pacientes não se lembravam deste evento.

Leia Também:  O que é ID na Psicologia e em Freud?

O desaparecimento de sintomas dos problemas das psique humana

Logo, esta descoberta influenciou Freud com relação aos estudos e a descoberta do inconsciente. Com isto, Freud pode perceber que a maioria dos desejos reprimidos, no inconsciente, tratava-se de fantasias de natureza sexual.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Portanto, a alteração do estado de consciência, a investigação entre as conexões e condutas do paciente e a inter-regulação com o sintoma apresentado, aliados a sugestão do médico, possibilitariam algumas coisas. Isto é, o aparecimento e o desaparecimento desse e outro sintoma físico, o que levaria a cura do ser.

Como consequência de Charcot e Breuer, Freud adotou um novo tratamento para a neurose associado à hipnose, para facilitar o acesso às lembranças traumáticas. Sabe-se da liberação de afetos e emoções ligadas aos acontecimentos traumáticos do passado por meio de rememoração das cenas vivenciadas. Isso culminava no desaparecimento do sintoma.

Conclusão

Com a evolução dos estudos, as sessões psicanalíticas tornaram-se menos rígidas, pontos a favor do conhecimento da psique humana. Atualmente, são mais rápidas e eficientes. A análise psíquica, no mundo moderno, é baseada nas forças egóicas, nos princípios básicos freudianos, bem como, as inspirações de seus discípulos. Além disso, no desenvolvimento emocional primitivo.

A psicanálise é considerada um ofício, reconhecido pelo Ministério do Trabalho e por outros poderes públicos como o Ministério Público Federal e o Ministério da Saúde. Os avanços continuam e as mudanças surgirão ao longo dos anos.

Porém, o foco principal foi, é e será o mesmo explicar de forma objetiva o funcionamento da mente humana, minimizando ou eliminando os sintomas somáticos do ser. Sendo assim, constrói-se um ser mais equilibrado psicologicamente e uma melhor qualidade de vida, a nível individual e coletivo.

Autora: Tharcilla Matos, exclusivamente para o blog do Curso de Psicanálise.

2 thoughts on “Psique Humana: funcionamento segundo Freud

    1. Olá, João. De fato, o estudo da psique humana é encantador e infindável. Obrigado por sua mensagem e por continuar seguindo nossas postagens. Equipe Psicanálise Clínica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 1 =