Afinal, o que é Complexo de Édipo na Psicanálise

Posted on Posted in Psicanálise

O Complexo de Édipo é um dos conceitos mais importantes da Psicanálise. Foi desenvolvido por Sigmund Freud, embora o termo ‘complexo’ tenha sido cunhado por Gustav Jung. Para desenvolver este conceito, Freud inspirou-se na tragédia grega Édipo Rei, de Sófocles.

O mito de Édipo

Nesta peça, “um oráculo anunciou a Laio, rei de Tebas e a rainha Jocasta, que seu próprio filho o mataria e se casaria com a mãe. O rei, assustado, ordenou que levassem o filho, Édipo, para longe da cidade. O menino foi criado por outro rei, cresceu forte e sábio, até que um dia encontrou um homem em uma estrada, teve com ele uma briga e o matou. Era seu pai.

Édipo chega a Tebas, a cidade se encontra ameaçada por um monstro, a esfinge, que devora todo aquele que não consegue resolver seus enigmas. Qual é o animal que tem 4 (quatro) pés ao amanhecer, 2 (dois) ao meio-dia e 3 (três) ao anoitecer? – Édipo responde – O homem, em cuja infância engatinha anda ereto sobre dois pés, na maturidade e ao envelhecer toma a ajuda de uma bengala. A esfinge é derrotada e se joga no mar. Édipo torna-se rei de Tebas e se casa com a rainha Jocasta, sem saber que se tratava de sua própria mãe.

Tiveram filhos e foram felizes, até que descobriram a verdade e a tragédia se consumou. Édipo fura seus olhos e Jocasta se enforca.” Conforme o conceito formulado a partir desta peça, a criança vivencia sentimento de atração pelo genitor de sexo oposto, enquanto nutre sentimento de amor e ódio pelo genitor de mesmo sexo.

O Complexo de Édipo para a Psicanálise

Ainda segundo o criador da Psicanálise, o Complexo de Édipo desenvolve-se durante a fase fálica, momento em que a criança se torna consciente da diversidade entre os sexos. Durante este período o bebê, habituado a receber total atenção do sexo oposto, passa a ser alvo de inúmeras proibições, que para ele eram antes desconhecidas. Não pode mais fazer o que bem entende, não pode mais compartilhar o tempo todo o leito dos pais, deve evitar andar nu à vontade, dentre outras interdições.

Ao perceber que não é mais o centro de todas as atenções, a criança percebe a distinção entre ela e seus genitores.

Com isso, tem início as várias fases de passagem experimentadas, que definirá seu comportamento na idade adulta, principalmente o referente à sua vida sexual.

Neste contexto, se o processo transcorre normalmente, tudo tende para que a menina se identifique com a mãe e desenvolva atitudes femininas, ao passo em que o menino desenvolve características masculinas, identificando-se com o pai. No entanto, caso haja um grande temor de ficar sem a posse daquele genitor que é hostilizado, pode possivelmente ocorrer no futuro atitudes homossexuais.

O papel do Complexo de Édipo é permitir que o indivíduo faça a transição da esfera dos instintos e dos impulsos para o universo cultural. Quando não ocorre esta importante transição, o indivíduo entre em um estado de inquietação psíquica extrema.

Para reprimir a sua libido, a criança entra em um processo simbólico de castração. A superação do Complexo de Édipo, portanto, é operada pela ameaça da castração.

Seu lugar é preenchido por uma das duas coisas:

a) identificação com a mãe ou

b) uma intensificação de sua identificação com o pai, resultado mais normal, responsável por consolidar a masculinidade, no caso dos meninos.

Ainda segundo Freud, no caso das meninas, a castração é aceita como um fato consumado, não havendo neste caso, o temor da sua ocorrência. Portanto, na resolução do Complexo de Édipo, a criança oculta seus sentimentos, canalizando-os para a aceitação social, direcionando-os para parceiros que, para ela, não representam um tabu.

Dessa forma, ao optar pelos valores da civilização, oculta seus instintos incestuosos, direcionando-os para o seu inconsciente.

Autor: Dermeval Barbosa de Souza Filho

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

9 thoughts on “Afinal, o que é Complexo de Édipo na Psicanálise

  1. Além de muitíssimo bem escrito, certamente bastante esclarecedor! Parabéns, Demerval B. de S. Filho. Parabéns!!

  2. Parabéns Demerval. Texto de fácil entendimento explicando de forma clara o cerne da Psicanálise.

    1. Olá, José Bonfim. “Hostilizado” sugere a rivalidade hostil (agressiva) entre o filho e o pai (genitor) no complexo de Édipo. No trecho, o autor sugere que uma hostilidade que não permita a aproximação do filho com a mãe pode promover uma desindentificação com a mãe (e por consequência com o sexo feminino), o que poderia fazer a afeição do filho ser direcionada ao mesmo sexo, masculino.

  3. Achei, ótimo , muito bem explicado além de esclarecer algumas, dúvidas sobre o próprio assunto que é muito falado porém , as vezes não tão bem explicado ou não bem compreendido , quando temos uma boa explicação entendemos melhor !!! Gostei parabéns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *