o que é dopamina

Dopamina baixa e alta: o que é, como nos afeta

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

Dopamina é uma substância importante produzida por nosso cérebro, relacionada ao sistema de recompensa, com funções ligadas diretamente a nossa saúde e bem-estar. Ou seja, a sua liberação atua em diversos aspectos no organismo, sobremaneira ligadas a motivação e concentração. 

Nosso Sistema Nervoso Central controla várias funções do organismo, através de sinais elétricos e químicos que produzem, que são os chamados neurotransmissores. Dentre eles está a dopamina, responsável por funções como movimentos e aprendizagem. Nesse sentido, o desequilíbrio de dopamina, como em níveis baixos, pode desencadear doenças como Parkinson e Esquizofrenia. 

O que é dopamina? 

Conhecida como “hormônio da felicidade”, a dopamina é um neurotransmissor que causa sensações de prazer, satisfação e motivação. Em outras palavras, é um neurotransmissor importante produzido no sistema nervoso central, responsável por controlar muitos processos químicos e fisiológicos, desde a regulação do humor até a motivação e a foco.  

Dessa forma, é uma substância essencial para a aprendizagem, memória e movimento coordenado. Nesse ínterim, quando seus níveis estão baixos, a pessoa pode desenvolver distúrbios neurológicos e psiquiátricos, como, por exemplo, depressão, transtorno de ansiedade, Parkinson, Esquizofrenia, dentre TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade), dentre outros. 

Como funciona a dopamina no cérebro?  

Como dito anteriormente, a dopamina desempenha um papel fundamental na regulação de funções cognitivas e comportamentais, como humor, atenção e memória. Sendo assim, um neurotransmissor vital para as funções cerebrais. 

Além disso, age também como um neurotransmissor responsável também pela motivação e recompensa. Dessa forma, quando um comportamento desejado é realizado, um aumento significativo na liberação de dopamina é liberado no cérebro, ajudando a reforçar esse comportamento. 

Em outras palavras, a dopamina é liberada quando as pessoas experimentam algo agradável, em resultado, desencadeia uma série de reações químicas que produzem sentimentos de prazer e satisfação. Além disso, ela estimula o sistema nervoso para que as pessoas persigam os estímulos que proporcionam esses sentimentos. Em seguida, o cérebro aprende a reconhecer e buscar esses estímulos como recompensas.  

 

Ao mesmo tempo, a dopamina ajuda a regular outros neurotransmissores que são responsáveis pela motivação. Afinal, as pessoas se sentem motivadas a seguir as recompensas que a dopamina estimula. 

Ainda, dentre as significativas funções para o organismo, a dopamina também atua como um protetor para o cérebro, ajudando a lidar com o estresse e a ansiedade. Portanto, podemos dizer que a dopamina desempenho um papel vital na regulação da saúde mental. 

Sintomas de dopamina baixa 

Dopamina sintomas

Nosso organismo tem a capacidade de controlar os níveis de dopamina, garantindo o equilíbrio para que desempenhem suas funções. Porém, quando ocorrer o desequilíbrio na produção, pode estar relacionado a doenças. Nesse ínterim, destacamos alguns sintomas característicos de dopamina baixa no organismo: 

  • Falta de motivação, interesse e prazer; 
  • Dificuldade de concentração; 
  • Aumento da ansiedade; 
  • Cansaço constante e falta de energia para atividades cotidianas; 
  • Alterações de humor; 
  • Tremores; 
  • Irritabilidade; 
  • Problemas com perda de memória; 
  • Depressão; 
  • Distúrbios do sono; 
  • Tremores; 
  • Movimentos involuntários; 
  • Diminuição da capacidade cognitiva; 
  • Anedonia (incapacidade de sentir prazer); 
  • Diminuição na liberação de prolactina (hormônio que estimula a produção de leite);
  • Alucinações.

Doenças causadas pelo desequilíbrio de dopamina 

Dopamina doenças

O desequilíbrio nos níveis de dopamina, tanto no nível baixo quanto alto, pode ter relação com diversas doenças, neurológicas ou psicológicas, como, por exemplo: 

  • Esquizofrenia; 
  • Psicoses; 
  • TDAH; 
  • Transtorno de ansiedade; 
  • Fobia social; 
  • Transtorno bipolar; 
  • Doença de Parkinson. 

Pelos dois extremos, alta e baixa, duas doenças se destacam: Esquizofrenia e Parkinson. 

Esquizofrenia | dopamina 

A esquizofrenia é, em suma, um transtorno mental complexo que pode manifestar-se com sintomas diversos, tais como alucinações, delírios, pensamentos anormais e comportamento desorganizado. Dentre suas principais causas se destaca o desequilíbrio de substâncias químicas cerebrais, como a dopamina. 

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Assim, quem sofre de esquizofrenia possui níveis altos ou em desequilíbrio de dopamina. Inclusive, dentre os tratamentos desta condição, estão medicamentos que bloqueiam receptores de dopamina, como antipsicóticos. 

    Dopamina e Parkinson 

    Como dito anteriormente, a dopamina desempenha um papel importante na regulação da atividade motora. Consequentemente, os sintomas característicos da doença são tremores, dificuldades de movimento, falta de equilíbrio e problemas na fala. 

    Por conseguinte, o tratamento para a doença de Parkinson geralmente envolve o uso de medicamentos que aumentam os níveis de dopamina no cérebro. Assim, são usados para melhorar a coordenação muscular, reduzir os tremores e melhorar a capacidade de realizar tarefas voluntárias. 

    Dependência de drogas e dopamina 

    Primeiro, a dependência de drogas é um problema que é profundamente ligado à biologia humana, sendo o sistema de recompensa que o cérebro produz o principal responsável pelo vício. Nesse sentido, vale ressaltar que a  substância é liberada quando se experimenta prazer. Portanto, ao usar drogas, as pessoas recebem uma dose muito maior de dopamina do que a normal. 

    No entanto, essa sensação de prazer desencadeada pelo uso de drogas não é sustentável. Isto porque, com o tempo, o cérebro se acostuma ao nível de dopamina, e a quantidade necessária para obter o mesmo efeito aumenta. Em resultado, as pessoas sentem a necessidade de usar mais drogas para obter a mesma sensação que sentiam antes, desencadeando, então, a dependência química. 

    Como melhorar a produção de dopamina? 

    Para melhorar a produção de dopamina é necessário adotar uma série de estratégias saudáveis. Como manter uma alimentação saudável e equilibrada e praticar atividades físicas. Além disso, importante também se descansar e ter momentos de relaxamento para permitir que o corpo tenha tempo para recuperar os níveis de dopamina.  

    Contudo, é importante ter uma rotina saudável com horários regulares para dormir e acordar e também praticar técnicas de relaxamento, como meditação, para ajudar a aliviar o estresse e aumentar os níveis de dopamina.  

    Portanto, ela é um neurotransmissor importante que nos ajuda a nos sentir bem e a nos motivar. Além disso, estudos mostraram que as alterações nos seus níveis afetam nosso humor, desempenho e comportamento.  

    Em suma, quando ela está muito baixa, podemos nos sentir tristes, desmotivados e desinteressados. Ao passo que, se estiver muito alta, podemos nos sentir muito entusiasmados, motivados e propensos a tomar decisões imprudentes. Portanto, é importante manter os níveis de dopamina equilibrados para manter a saúde mental e o bem-estar. 

    Por fim, lembre-se: manter uma dieta saudável, fazer exercícios regulares, praticar técnicas de relaxamento e encontrar formas de se sentir bem consigo mesmo também podem ajudar a equilibrar os níveis de dopamina. Com um tratamento adequado, é possível manter os níveis saudáveis e melhorar sua saúde mental e bem-estar. 

    Nesse ínterim, se você chegou até o final deste artigo, possivelmente gosta de aprender sobre como funciona e o comportamento humano. Então, convidamos você a conhecer nosso Curso de Formação em Psicanálise. Dentre os ensinamentos do curso, estão: (a) Aprimorar o Autoconhecimento: A experiência da psicanálise é capaz de proporcionar ao aluno e ao paciente/cliente visões sobre si mesmo que seria praticamente impossível obter sozinho.  (b) Melhora o relacionamento interpessoal: Entender como funciona a mente poderá proporcionar um melhor relacionamento com os membros da família e do trabalho. O curso é uma ferramenta que ajuda o estudante a entender os pensamentos, sentimentos, emoções, dores, desejos e motivações de outras pessoas. 

    Contudo, se você gosta deste tipo de conteúdo, não se esqueça de curtir e compartilhar nossos artigos em suas redes sociais. Assim, nos incentivará a continuar produzindo conteúdos de qualidade para nossos leitores.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.