efeitos da ansiedade

Efeitos da Ansiedade no corpo e na mente

Posted on Posted in Comportamento

Todo ser humano experimenta a ansiedade diante de algumas situações do dia-a-dia, mas que não causam grandes transtornos à vida do individuo, como medo, nervosismo, apreensão, preocupação, entre outros efeitos da ansiedade. E os humanos não são os únicos, pesquisas indicam que alguns animais como cães e gatos também podem sofrer de ansiedade.

Entendendo os efeitos da ansiedade

Todavia, quando o nível de ansiedade é frequente e intensa tanto para humanos como para os animais ela pode ser considerada patológica (transtorno de ansiedade) que causa danos à saúde física, emocional e mental.

A ansiedade pode ser, portanto, “normal” ou patológica, ela é normal quando nos auxilia na preservação da vida, quando por medo ou intuição percebemos um perigo real e iminente ficamos alertas. E é patológica quando paralisa o individuo comprometendo à saúde e à vida cotidiana.

Medo e os efeitos da ansiedade

Não existe uma separação para os termos medo e ansiedade, pois a ansiedade parte de um ou vários medos. Todavia, como já citado há uma diferença entre “o medo”. O medo que está associado a um perigo real e iminente que nos ajuda a formular estratégias de fuga e defesa, como sentir medo de ser assaltado. Esse medo nos faz ficar atento e evitar lugares perigosos, por exemplo.

Já o medo ansioso que é patológico, é o medo que faz a pessoa sofre por antecipação de possíveis ameaças futuras, ou seja, é o medo do que nem se sabe se vai acontecer ou quando as preocupações diárias tornam-se exageradas. Essas preocupações ou o medo de possíveis eventos futuros irão aparecer na maioria das pessoas em forma de dores físicas como dor de cabeça, tensão muscular, dermatites, etc.

Em outras aparecerão como doenças emocionais e/ou mentais, podendo chegar a depressão ou outras patologias. A vida agitada em que vivemos nos últimos tempos tem sido uma grande contribuinte para o desenvolvimento de ansiedade em grau cada vez mais intenso, tornando a ansiedade e a depressão os ”males do século”.

Pessoas ansiosas e os efeitos da ansiedade

Cada vez mais cedo as crianças tornam-se ansiosas e impacientes, os adultos com a mente cada dia mais acelerada sem tempo para nada e mais estressado que nunca, parece impossível não se torna ansioso.

E mesmo quando se trata da ansiedade tida como normal causada pelas preocupações do cotidiano já são bem superiores às aflições de outrora, quando a preocupação maior das famílias era basicamente prover as necessidades básicas para cada dia.

Tipos de ansiedade e seus sintomas

Em um estado de ansiedade os hormônios produzidos pelo nosso organismo são disparados pelo corpo de maneira acelerada causando medo, tontura, suor frio, dificuldade de respirar e batimento cárdico acelerado.

“Os Transtornos de Ansiedade compreendem os quadros em que há a presença de uma ansiedade acentuada, que desempenha papel fundamental nos processos comportamentais e psíquicos do indivíduo, causando-lhe prejuízos em seu desempenho profissional ou acadêmico e nas relações sociais”. Dentre os tipos de ansiedade os mais comuns são:

  1. Transtorno de pânico ou síndrome de pânico: acontece de forma inesperada e sem nenhuma razão aparente causando dificuldade para respirar, coração acelerado, tontura e sensação de que vai morrer;
  2. Fobias: são medos intensos de algo ou alguma coisa que não representam perigo algum, como medo de animais e insetos inofensivos;
  3. Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC): o ansioso compulsivo mantem rituais compulsivos e ações repetitivas, como lavar a mão o tempo todo, mania exagerada de limpeza;
  4. Stress agudo e pós-traumático: o individuo que sofreu algum trauma o revive por meio de pesadelos e lembranças a todo momento, sentindo as mesmas dores e angustias que sentiu durante o evento traumático;
  5. Ansiedade Generalizada: “a ansiedade generalizada está associada a pressões psicossociais cada vez maiores, sendo uma das grandes aflições dos “tempos modernos”, juntamente com as formas mais leves da depressão e da distimia”. Caracteriza-se pela preocupação exagerada e duradora em que o individuo acha difícil de controlar, causando cansaço, dificuldade de se concentrar, tensão muscular, dores de cabeça, insônia, irritabilidade e lapsos de memoria.
Leia Também:  Caráter: definição e seus tipos segundo a psicologia

Tratamento dos efeitos da ansiedade

Sempre que os sintomas de ansiedade (mencionados acima) aparecer, é recomendado procurar um médico para que seja confirmada a causa e seja iniciado o tratamento. O tratamento para ansiedade varia de pessoa para pessoa, pois são os sintomas e a intensidade desenvolvida por cada um que irá indicar o método mais adequado.

Sendo a psicoterapia e uso de medicamento em casos mais graves os mais indicados, além destes, os tratamentos alternativos como esportes, meditação, yoga, natação, dança, etc., servirão como complementares ao tratamento tradicional.

A Psicoterapia ajudará a identificar a causa e na resolução dos conflitos causadores, além de estimular o autoconhecimento. Quanto ao tratamento feito por meio de medicamentos, os principais são feitos a base de antidepressivos e ansiolíticos que irão acalmar amenizar os sintomas de ansiedade.

Considerações Finais

A maioria das pessoas não tem consciência de que sofre de ansiedade, acreditam que é normal a vida cheia de preocupações e aflições, que faz parte das lutas diárias do ser humano.

Porém isso não é verdade, quando se tem o conhecimento de que a ansiedade faz parte do desenvolvimento individual, mas que pode se tornar um problema quando em nível mais elevado, o individuo pode buscar buscar ajuda logo que percebem os sintomas se agravarem, tornando o tratamento mais simples e eficaz.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Quase ninguém sabe que a dor muscular ou a dor de cabeça constante é o corpo mostrando que algo não vai bem e que a causa pode ser ansiedade. Conhecer os sintomas e as formas de tratar a ansiedade é essencial para uma melhor qualidade de vida. Gleide De Souza

    Referências

    https://www.vittude.com/blog/ansiedade/ http://plenamente.com.br/artigo.php?FhIdArtigo=193 https://www.sbie.com.br/blog/conheca-os-tipos-de-ansiedade-mais-comuns/ https://www.tuasaude.com/tratamento-para-ansiedade

    O presente artigo foi escrito por Gleide Bezerra de Souza. Possui graduação em Letras, lingua portuguesa e Pos-graduação, Psicopedagogia.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *