há mais coisas entre o céu e a terra Shakespeare

Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar sua vã filosofia

Posted on Posted in Conceitos e Significados, Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Quando pensamos em William Shakespeare, “Romeu e Julieta” é a primeira coisa que vem à mente. Contudo, ele tem várias obras completamente únicas que trazem frases bastante profundas e de forma simples. Por exemplo: “há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar sua vã filosofia”, da obra “Hamlet”. Para saber mais de onde vem essa expressão, te convidamos a ler o nosso post.

Há mais coisas entre o céu e a terra: Shakespeare quem foi?

Antes de entendermos melhor sobre a reflexão desta frase, vamos conhecer mais sobre William Shakespeare, criador de Hamlet, que é de onde surgiu essa expressão. O poeta e dramaturgo inglês nasceu em 1564 e faleceu aos 52 anos em 1616. O criador de “Romeu e Julieta” e “Otelo” é uma das figuras literárias da língua inglesa mais importante de todos os tempos.

As obras de Shakespeare compreendem:

  • 2 longos poemas;
  • 37 peças teatrais;
  • 154 sonetos.

Sinopse de Hamlet

A tragédia “Hamlet, príncipe da Dinamarca”, ou apenas mais conhecida como “Hamlet”, foi escrita entre 1599 e 1601. Essa peça conta a história do Príncipe Hamlet, que tenta vingar a morte de seu pai, executado pelo seu tio, Cláudio.

A obra é bastante filosófica, pois traz célebres monólogos de Hamlet. Além disso, coloca em xeque questões como a condição humana e os valores da Renascença. Para isso, a obra conta com os seguintes principais personagens:

  • Hamlet: Príncipe da Dinamarca e filho do já morto Rei Hamlet;
  • Cláudio: o atual Rei da Dinamarca, eleito ao trono depois da morte de seu irmão;
  • Gertrudes: mãe de Hamlet e esposa do falecido Rei, e agora casada com Cláudio;
  • Horácio: um grande amigo de Hamlet;
  • Polônio: primeiro-ministro e conselheiro do Rei Cláudio;
  • Ofélia: filha de Polônio e é apaixonada pelo príncipe Hamlet;
  • Fantasma: pai de Hamlet, que aparece para falar sobre a causa da sua morte.

Saiba mais…

Quando pensamos em “Hamlet” a frase mais conhecida é “Ser ou não ser, eis a questão”. Contudo, você sabia que a expressão “há mais coisas entre o céu e a terra do que se pode imaginar sua vã filosofia” também é oriunda dessa peça? Falando nela, vamos compreender mais sobre o significado dessa expressão.

“Há mais coisas entre o céu e a terra…” (Hamlet)

Mesmo quem nunca tenha lido Shakespeare, muito provavelmente conhece algumas frases das suas principais peças. Uma delas é “há mais coisas entre o céu e a terra do que se pode imaginar sua vã filosofia”. Ela foi dita por Hamlet, quando ele se dirigia a Horácio. Vale salientar que o príncipe da Dinamarca representa a paixão, enquanto o ouvinte representa a racionalidade.

Então, é válido concluir que há muitas coisas no mundo que se pode explicar ou racionalizar. Contudo, é importante incorporar a filosofia em nossas ações. Aliás, todos os dias, há muitas formas de tomar decisões tendo como base uma moldura moral.

Como sabemos, a filosofia pode ajudar a nortear os pensamentos e as ações, não importando qual é a crença e religião que a pessoa segue. Ao refletir de forma superficial sobre essa frase, muitos podem pensar que a filosofia é vã ou inútil. Contudo, não é bem assim. Essa área de conhecimento nos ajuda a ver o mundo de maneira diferente e mudar a forma como interagimos com ele.

Saiba mais…

Outro ponto que trazemos aqui é o momento em que Hamlet cita “entre o céu e a terra”. Isso significa que há uma grandiosidade no universo diante da qual o homem se torna pequeno. Por isso, ele toma esse conhecimento como desconhecido e acredita ser um indivíduo sem importância.

Entretanto, o homem não deve apenas se guiar por uma única corrente de pensamento. Logo, deve explorar e refletir sobre todas as possibilidades que o cercam.

Outras interpretações de “há mais coisas entre o céu e a terra”

Analisando de uma forma mais basilar, Hamlet poderia estar falando ao Horácio que tanto a racionalidade quanto a filosofia não são importantes. Ou seja, elas não possuem um papel relevante na tomada de decisões diárias.

Leia Também:  Psicologia no Brasil: história, ideias e autores

Uma outra interpretação dessa parte da obra se refere ao contrário dessa ideia anterior. A intenção de Hamlet, ou de Shakespeare, era apontar que a racionalidade e a filosofia são fundamentais para nós. Contudo, apenas elas por si só não têm a capacidade de explicar tudo o que ocorre no mundo.

Hamlet: sua importância na psicanálise

Toda a obra de Hamlet possui uma análise de psicanálise que nos permite aprofundar ainda mais o nosso conhecimento. Afinal, a literatura shakespeariana, assim como outras, servem como “munição” para defender os seus conceitos bases.

Hamlet serve como âncora para um dos conceitos mais importantes da psicanálise: o complexo de Édipo. Embora Freud tenha se inspirado na na tragédia de Édipo Rei, uma lenda da mitologia grega, ele traz uma relação da obra de Shakespeare.

No livro “A Interpretação dos Sonhos”, Freud recorre ao Édipo Rei para explicar sobre a universalidade dos desejos amorosos e hostis que a criança têm sobre os seus pais.

Aliás, ele aponta que tanto essa narrativa da mitologia grega quanto Hamlet possuem raízes no impulso parricida e incestuoso. Logo, na obra shakespeariana, essa fantasia permanece recalcada e sua existência só se torna perceptível após as suas consequências inibidoras.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Saiba mais… (atenção: pequeno spoiler sobre a obra de Shakespeare)

    Por fim, Freud tenta traçar um olhar crítico sobre a obra.

    Para ele, Hamlet hesita apenas na tarefa de vingar-se do homem que matou o seu pai, tomou o seu trono e ficou ao lado da mãe. Trata-se de algo bem diferente de outras interpretações sobre “Hamlet” que muitos estudiosos desenvolveram.

    Essa hesitação ocorre no subconsciente, pois Hamlet entende que este homem (seu tio Cláudio) realizou os seus desejos recalcados da infância.

    Considerações finais: há mais coisas entre o céu e a terra

    Esperamos que você tenha compreendido melhor a expressão há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar sua vã filosofia. Aliás, desejamos que com o nosso post tenha despertado em você o interesse de poder aprofundar o seu interesse na psique humana. Por isso, temos um convite para você! Conheça o nosso curso online de Psicanálise Clínica.

    Com as nossas aulas, você poderá saber mais sobre essa área tão rica do saber humano. Além disso, o nosso curso te prepara para atuar no mercado de trabalho como psicanalista ou agregar conhecimentos adquiridos para a sua ocupação atual.

    Então, inscreva-se já no nosso curso online de Psicanálise Clínica e venha entender que, de fato, há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar sua vã filosofia! Aliás, não deixe de começar ainda hoje uma nova mudança na sua vida, aprofundando o seu autoconhecimento.

    One thought on “Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar sua vã filosofia

    1. O Antropólogo e Professor: Marins, num de seus programas na Rede Vida (Motivação e Sucesso) atrela a Filosofia (sua criação) para aceitarmos a morte! Uma professora de Ciências, outrora disse, que se fossem todas as falas ditas: reunidas (como que catalogadas) o que não se ouviria! Era por volta de 1978 e ela disse que havia tal possibilidade! Ja, final do Século XX, em curso de Extensão, a professora comentou que quando sonhamos com lugares que não existem mais, eles de fato existem, embora possam ter passado por mudanças: casas demolidas para dar lugar a anel viário, via expressa ou BR, como aconteceu com a primeira casa que morei (fui criado, passei a infância)!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.