hipnose e psicanálise

Hipnose e psicanálise: qual a relação entre as áreas?

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

Neste artigo, vamos falar de hipnose e psicanálise. Qual a relação entre elas, quais pontos de convergência e divergência? O que é a hipnose? A hipnose é considerada como um estado de consciência que envolve concentração, atenção e foco.

Entendendo a hipnose e psicanálise

Entende-se que o ser humano tem diversos momentos de hipnose em atividades cotidianas sem perceber, como ler um livro, assistir um filme ou observar atenciosamente algo a sua volta. Existe também a hipnose induzida de forma proposital, quando uma outra pessoa induz alguém a entrar nesse estado de relaxamento profundo.

A hipnose proporciona a pessoa a experimentar novas sensações, sentimentos, mudar comportamentos viajar mentalmente a lugares antes desconhecidos do inconsciente, com isso o indivíduo consegue se ver e se conhecer de uma forma completa e assertiva.

A hipnose e psicanálise antiguidade

Nos tempos passados pensava-se que a hipnose só funcionava se a pessoa olhasse fixamente para um objeto balançando lentamente de um lado para o outro e depois entrasse numa espécie de sono profundo e ia seguindo todas as instruções do outro. Com isso muitos tabus e criticas foram maculando a imagem da hipnose. Muitos mitos ainda rodeiam essa prática como ver como algo místico, achar que será induzido a fazer algo que não quer, revelar algum segredo, que somente os fracos são hipnotizados, que entrará num estado hipnótico e não sairá desse estado ficando assim para sempre, entres outros diversos mitos que circulam sobre a hipnose.

Desde os tempos antigos a hipnose vem sendo atrelada ao cuidado da saúde sendo utilizada em diversos consultórios por médicos, dentistas, psicólogos, psiquiatras, psicanalistas, cirurgiões, fisioterapeutas, etc. sua utilidade é imensa e pode funcionar para tratar problemas psicológicos, auxiliar em processos de cirurgias partos para diminuição das dores pondo o paciente num modo anestésico, assim como em processos odontológicos e fisioterapêuticos.

Freud e a hipnose Sigmund Freud conheceu a hipnose por meio de seu professor Charcot e a utilizou muito para tratar seus pacientes e através do tratamento hipnótico ele descobriu e iniciou suas buscas pelo conhecimento do inconsciente. A hipnose trabalhada por Freud era a hipnose clínica também chamada de hipnoterapia, diferente da hipnose de palco que serve para o entretenimento, a hipnose clinica serve para ajudar pessoas com problemas físicos ou psicológicos.

Freud, hipnose e psicanálise

Um dos tratamentos feito por Freud que ficou muito conhecido foi com a paciente Emy que sofria de gagueira e diversos transtornos psicológicos como síndrome de pânico, ansiedade e depressão, ao trata-la por meio da hipnose conseguiu com eficácia descobrir como surgiram seus problemas e quando se iniciou a gagueira, depois de encontrar as causas de suas queixas o resultado foi a cura em apenas sete semanas de sessões de hipnose.

A prática da hipnose

Para entrar no processo de hipnose induzida são necessários alguns itens básicos sejam eles verbais ou não-verbais para que ocorra o relaxamento e consequentemente alcance o estado hipnótico. Esses itens podem ser palavras como relaxe, imagine, feche os olhos agora, pontos de fixação como por exemplo olhe para o ponto preto no quadro, movimentos entre outros.

O estado hipnótico tem diferentes estágios, momentos e sensações, é comum o paciente ter um tipo de amnésia momentânea em que ele ao sair do transe hipnótico não lembra dos detalhes do que aconteceu enquanto estava hipnotizado, pois o córtex pré-frontal não conseguiu captar todas as informações, acredita-se que ao se concentrar nas instruções do hipnólogo ou hipnoterapeuta o armazenamento da memória fica em partes comprometido fazendo o indivíduo lembrar apenas de fragmentos de seu estado hipnótico.

Outra sensação que pode ser experimentada no estado de hipnose do paciente é a anestesia, muitas pessoas iniciam sessões de hipnose tempos antes de uma cirurgia ou na sala do dentista para relaxar profundamente e não sentir o desconforto da dor. Os neurocientistas acreditam que a dor apesar de ser provocada geralmente por uma lesão real em alguma parte do corpo ela também é psicológica pode-se perceber isso quando alguém se machuca e nem percebe que está sangrando ou doendo ou quando faz muito esforço na academia e não sente absolutamente nada de dor.

Considerações finais

O paciente hipnotizado também pode ter alucinações experimentando uma percepção, sentimento ou comportamento real de algo que não é real naquele momento. Fora desse estado de hipnose induzido todos tem alucinações conscientemente por exemplo quando olha uma nuvem e ver o desenho de um rosto humano quando ver a sombra dos dedos e ver um coelho isso prova que o ser humano vive em estado hipnótico grande parte da sua vida, mas sem perceber.

Leia Também:  Hipnose: resumo segundo a Psicanálise

Vendo que a hipnose tinha um acesso restrito ao inconsciente Freud começou a investir seu trabalho na associação livre onde o paciente falava livremente e fatos que estavam ocultas no inconsciente iam chegando à consciência de forma natural. Freud descreveu a estrutura psíquica e a segregou em primeira e segunda tópica. A técnica de associação livre se mostrou bastante eficiente e foi trazida até os dias atuais pelos psicanalistas que assim como Freud acreditaram no potencial da fala livre.

A hipnose e a psicanálise nasceram juntas e andam juntas até os dias atuais. Ainda hoje em dia muitos psicanalistas utilizam a hipnose clínica com seus pacientes para tratar problemas como ansiedade, depressão, fobias, bruxismo, vícios, obesidade, traumas, fibromialgia, etc. a hipnose se mostra um método de resultado rápido, acredita-se que ao utilizá-la junto com a associação livre o resultado é muito satisfatório.

O presente artigo foi escrito por Yolanda Almeida([email protected]). Possui  formação em psicanálise clínica pelo IBPC, é hipnoterapeuta, analista do comportamento, com capacitação em autismo. Trabalha com gestantes, mães atípicas e pessoas com autismo. A psicanálise faz de se um ser humano melhor a cada dia.

One thought on “Hipnose e psicanálise: qual a relação entre as áreas?

  1. Muito bom texto! Com o uso da hipnose, o Dr.Freud, foi observando que os resultados eram limitado. Por essa razão, surgiu a teoria da “Associação Livre. ” Que dá a liberdade durante a análise, ao analisando se expressar pela fala. Parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.