Muito se fala sobre o jejum intermitente, mas você sabe no que consiste esta dieta? Então, confira o que é, os benefícios e cuidados.

Jejum intermitente: como afeta corpo e mente?

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise e Cultura

Muito se fala sobre o jejum intermitente. Mas, você sabe no que consiste esta dieta? Não? Então, confira o nosso post para saber o que é, quais os benefícios e cuidados.

O que é jejum intermitente?

Algumas pessoas podem achar que é uma loucura não consumir nada. Ainda mais por 12 ou até mesmo 24 horas. Entretanto, essa é uma prática que vem ganhando cada vez mais seguidores. Em especial aqueles que querem emagrecer. Ou ainda ter hábitos mais saudáveis.

Assim, o jejum intermitente consiste em períodos sem consumir nada. Bem como outros períodos se alimentando. Nesse sentido, o objetivo desta dieta é gastar o estoque de gordura que está no corpo.

Como fazer jejum intermitente?

O motivo que leva muitas pessoas a aderirem a essa dieta intermitente é que não há restrições alimentares. Ou seja, não é necessário tirar do cardápio os alimentos calóricos. Aliás, o método não precisa ser realizado todos os dias.

Desse modo, muitas pessoas optam pela modalidade 5 por 2. Ou seja, se alimentam por 5 dias sem nenhuma restrição e nos outros dias realizam um semijejum. Um dos benefícios apontados pelos adeptos é que o tempo que a pessoa passa dormindo é contado como um período sem se alimentar.

Saiba mais…

Outro modelo praticado é realizar 3 refeições no período de 8 horas. No restante do dia (16 horas), o adepto não consome nada, só é permitido ingerir bebidas não calóricas, como café. Além da água ser permitida. Contudo, é importante destacar que para perder peso, de forma saudável, é preciso consumir alimentos como:

  • grãos integrais;
  • vegetais;
  • verduras;
  • oleaginosas;
  • vitaminas;
  • minerais;
  • frutas.

Afinal, não adianta ficar um longo período sem consumir quase nada e depois ingerir grandes quantidades de açúcares e gorduras. Nesse sentido, os alimentos processados também devem ser evitados.

Benefícios do jejum intermitente

Uma pesquisa realizada por uma universidade da Inglaterra aponta um dos benefícios dessa dieta. A pesquisa conclui que a concentração de gordura no sangue pode ser reduzida seguindo essa prática. Além disso, outros estudos sugerem que também podem ser notadas alguns outros benefícios, como:

  • chances menores de desenvolver câncer;
  • diminuição dos riscos de doenças cardiovasculares.

Contudo, vale ressaltar algo importante: não é possível saber se esses resultados duram a longo prazo.

Jejum intermitente: há restrições?

Assim como qualquer outra dieta, é necessário que a pessoa consulte um nutricionista. Ou ainda um nutólogo. Então, também tenha seus exames médicos em dia. Porque, algumas pessoas não podem realizar essa dieta. Em especial as pessoas que têm diabetes ou hipertensão.

Além disso, algumas pessoas podem não se adaptar, pois sentirão tonturas e dores de cabeça ao iniciar a dieta. Então, é necessário que a pessoa avalie como esse processo afeta o seu corpo. E, claro, que siga as orientações médicas.

Como a dieta intermitente afeta o nosso corpo?

O jejum intermitente, como qualquer outra dieta restritiva, é um método bastante efetivo para quem deseja emagrecer. Afinal, se você consome menos calorias do que o corpo gasta, há perda de peso. Mas atenção: caso seja feito com as instruções de um nutricionista!

Leia Também:  Relação abusiva no casamento: 9 sinais e 12 dicas

Se for realizado de forma autônoma e sem nenhum tipo de indicação médica, traz sérias consequências e riscos à saúde. Tais como:

  • metabolismo mais lento;
  • letargia;
  • dor de cabeça;
  • amenorreia em mulheres (ausência de menstruação);
  • deficiências nutricionais;
  • perda muscular;
  • risco de deficiência de vitaminas lipossolúveis;
  • problemas hormonais a longo prazo;
  • risco de pedra da vesícula;
  • sensação de mal-estar;
  • sonolência e pensamento lento;
  • mau hálito;
  • piora da função intestinal (constipação e gases).

Esses efeitos citados acima são apenas alguns. Já que o baixo consumo de calorias , de carboidratos e proteínas, por exemplo, resulta em uma série de complicações. Por isso, é importante, após um período sem consumir nada, ingerir alimentos saudáveis.

Além disso, é preciso deixar de lado os alimentos processados. Ademais os ricos em gorduras. Isso porque essas comidas colocam tudo a perder na dieta.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Como a dieta intermitente afeta a nossa mente?

    Passar um período muito longo sem comer, pode ser prejudicial. Em especial, se não houver nenhum tipo de acompanhamento médico. Isso porque, a memória e a concentração são as mais prejudicadas. Como resultado, há malefícios para o nosso rendimento dário. Ou seja no trabalho ou nos estudos. Uma vez que a pessoa não consegue manter a produtividade.

    Outro problema é que a pessoa tende a ficar mais irritada e ansiosa. Afinal, ela está com fome. Ademais, o sujeito corre risco de aderir alguns comportamentos perigosos em relação à alimentação. Isso porque ao adotar um jejum tão restritivo, algumas pessoas podem ficar obsessivas por reduzir calorias. Ainda, podem desenvolver distúrbios como bulimia e anorexia.

    Outro lado

    Contudo, o jejum intermitente traz alguns benefícios. E reforçamos, se tiver orientações nutricionais corretas. Por isso, é importante consultar um profissional. Ele definirá o modo como essa dieta pode ser feita. Ainda, levará em conta sua saúde e bem-estar.

    O jejum intermitente tem um papel importante. Ele estimula uma maior produção do fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF). Essa proteína exerce vários efeitos no sistema nervoso central, como crescimento e reparo dos neurônios.

    O BDNF se produz durante toda a vida. Preservar as funções essenciais do cérebro é p princiapl objetivo. Assim, está relacionado à memória e ao aprendizado. Contudo, a elevação de seus níveis tem ligação com uma melhor saúde cerebral, o que resulta na alta performance das funções executivas.

    Saiba mais…

    Por fim, esse processo possui um efeito importante sobre a  mente. Desse modo, promove muitas mudanças, por exemplo:

    • estímulo à produção de novas células nervosas;
    • maior produção de cetonas, o que melhora o aprendizado e a memória;
    • aumento dos níveis de fatores neurotróficos.

    Assim sendo, podemos concluir que o jejum pode melhorar a capacidade cognitiva. Isso porque ocorre algumas mudanças bioquímicas provocadas no cérebro. E isso resulta em um aumento de produtividade, capacidade de concentração. Além da sensação de maior agilidade mental.

    Embora pareça ser uma prática acessível e simples, o jejum intermitente não é para todos. Aliás, a dieta é para pessoas que possuem uma alimentação saudável. Ainda, para aquelas que praticam atividades físicas de forma regular. Outro ponto que deve ser lembrado: essa dieta só pode ser realizada sob a orientação médica.

    Considerações finais sobre o jejum intermitente

    Como podemos ver, o jejum intermitente é uma dieta que pode trazer benefícios. Mas, desde que realizado de forma correta. E, com orientações médicas. Por isso, ter o conhecimento é algo muito importante para todos.

    Leia Também:  A química entre duas pessoas: 10 sinais

    Então, para te ajudar a sempre evoluir nos seus conhecimentos, temos uma dica especial. O nosso curso online de Psicanálise Clínica! Com as nossas aulas você poderá clinicar em 18 meses. Além disso, você saberá mais sobre essa área tão rica do saber humano.

    Por fim, se você gostou do nosso post sobre o jejum intermitente, comente o que você achou. Aliás, não deixe de conferir o nosso curso e não perca essa chance de mudar a sua vida por meio do conhecimento. Inscreva-se já e comece ainda hoje!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *