livros de Dostoievski

Livros de Dostoievski: os 6 principais

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski é considerado um dos maiores pensadores e romancistas da história. O filósofo, jornalista e escritor russo escreveu 24 obras, sem contar os contos, as novelas e os ensaios do autor. Por isso, selecionamos os 6 principais livros de Dostoievski. Confira!

Os principais livros de Fiodor Dostoievski

1. Crime e Castigo (1866)

Se você perguntar para quem gosta de ler qual melhor livro de Dostoievski, muitos dirão Crime e Castigo. Afinal, a obra é um clássico que já ganhou várias versões no cinema. A sinopse do livro fala sobre um personagem principal chamado Ródion Ramanovich Raskolnikov.

Ele é um ex-estudante muito esperto que tem por volta de vinte anos e vive num pequeno apartamento em Pitsburgo. Raskolnivok desistiu dos estudos por conta das suas condições financeiras. Mesmo assim, ele acredita que irá realizar grandes coisas, mas a sua miséria o impede de atingir todo o seu potencial.

Por isso, ele recorre à ajuda de uma senhora que tem o hábito de emprestar dinheiro com juros altíssimos. Além disso, ela maltrata a sua irmã mais nova. Raskolnivok acredita que a velha possui um péssimo caráter e que se aproveita das pessoas vulneráveis. Com essa convicção em mente, ele decide assassiná-la.

Entenda mais…

Essa obra de Dostoiévski traz uma questão moral: um assassinato pode ser considerado errado se o objetivo fosse nobre? Essa é umas das perguntas que cada pessoa irá refletir durante a leitura. Por isso, esse é um livro que é uma ótima indicação para conhecer sobre o trabalho do escritor russo.

Vale destacar algo importante da produção dessa obra é que Dostoiévski foi preso na Rússia em 1849, com uma acusação de conspirar contra o Czar. Ele ficou exilado em Cazaquistão por nove anos. Essa experiência toda em que ele conviveu com criminosos serviu como base para o livro Crime e Castigo.

2. Os Demônios (1872)

O livro é baseado em um evento que realmente aconteceu em 1869: o assassinato do estudantes I. Ivanov pelo grupo niilista liderado por Sergey Nechayev. Ao recriar esse acontecimento de forma ficcional, Dostoiévski traz um estudo sobre o seu tempo. Ou seja, ele apresenta os pensamento social, político, religioso e filosófico da época.

O narrador também é um participante ativo da história, ao contar essa história estranha que ocorreu em sua cidade no interior da Rússia. A narrativa gira em torno do professor aposentado Stiepan Trofímovitch, que mantém uma amizade peculiar com uma viúva rica da cidade, Varvara Pietrovna.

Logo, começam a acontecer coisas estranhas na cidade, após a chegada de um filho do aposentado e um filho da viúva. Tais acontecimentos são orquestrados por uma organização terrorista, chefiada por esses dois recém-chegados.

Saiba mais…

A obra é considerada uma grande retratação da Rússia pré-revolucionária, porém surpreende como alguns aspectos refletem a atualidade. Além disso, o livro consegue retratar como as pessoas querem “mudar” o mundo por meio do terror revolucionário.

Por mais que seja considerado um livro pesado, pois tem uma narrativa e diálogos profundos, “Os Demônios” é uma grande referência literária. Então, vale a pena a leitura dessa grande obra.

Leia Também:  O que é Psicologia Positiva e por que funciona?

3. Gente Pobre (1846)

O livro é o primeiro romance de Dostoiévski e foi escrito entre 1844 e 1845, sendo que a primeira publicação foi em janeiro de 1846. A história gira em torno de Diévuchkin e de Varvara. Ele é um funcionário público das escalas mais baixas e ela é uma jovem órfã e injustiçada. Além disso, é apresentando outros personagens humildes de São Petersburgo.

O autor utiliza esses personagens para mostrar que as pessoas pobres são expostas por sua situação financeira. Aliás, Dostoiévski evidencia que os pobres também são capazes de terem um comportamento virtuoso. Isso era, ou ainda é, algo que todos imaginavam ser só dos ricos generosos.

Afinal, a classe mais baixa sempre é retratada como só quem recebe a bondade. Contudo, o autor russo apresenta que eles são mais genuínos, pois doam até o pouco que tem. Por fim, fica aqui o nosso convite para você conhecer mais sobre essa obra de Dostoiévski.

4. Humilhados e Ofendidos (1861)

Nessa obra, temos um jovem escritor, Ivan Petróvitch, que conquistou atenção com seu primeiro romance. Ele foi um órfão que cresceu na casa dos Ikhmiêniev junto de Natacha, a filha do casal. Aliás, é com ela que Petróvitch se apaixonou e planejava se casar, porém a família dela não aceita, e Natacha acaba se casando com outra pessoa.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Com a essa premissa que a história do narrador começa. A obra mistura romances proibidos, rixas familiares e abandono, sendo que Petróvitch está no meio de tudo isso e tenta lidar com esses problemas.

    A história foi escrita por Dostoiévski , em 1859, quando ele volta a São Petersburgo depois de ficar quase uma década preso. Embora tenha um pouco de relação com a humilhação que ele passou na prisão, o escritor russo retrata o povo que sofre diariamente.

    5. Noites Brancas (1848)

    Essa obra de Dostoiévski que tem mais se aproxima do romantismo. Ele escreveu esse livro antes de ser preso, em 1848. O personagem principal é o Sonhador que apaixona-se por Nástienka, em uma das noites brancas da capital São Petersburgo. Apenas para completar, as noites brancas é um fenômeno que causa longos dias claros na cidade russa.

    Para muitos leitores, a obra é um dessas histórias de amor que arrebata a todos que acreditam e apostam no amor. Mas vindo de Dostoiévski, o livro traz inúmeras interpretações sobre essa história de amor. Aliás, cada leitor poderá se apaixonar ou ter uma outra versão sobre o enredo.

    Por isso, não importa qual interpretação o leitor terá, “Noites Brancas” é um livro bem diferente das demais obras do autor russo. Então, se você gosta de romance e do Dostoiévski, vale a pena fazer uma leitura dessa grande obra.

    6. O Jogador (1866)

    Para finalizar a nossa lista com os trabalhos de Dostoievski, livros que fazem parte do cânone mundial, iremos falar sobre “O Jogador”. Dostoievski tem uma certa familiaridade com o assunto abordado na obra, pois há relatos de que o escritor era um viciado na roleta. Aliás, dizem que ele perdeu mais do que ganhou.

    A história é narrada em primeira pessoa e é contada a partir do ponto de vista de Alexei Ivanovich. Ele é um jovem que está atraído pelo jogo, por isso ele arrisca o próprio destino, incapaz de resistir ao fascínio da roleta.

    Leia Também:  Sonhar com beijo na boca de uma pessoa conhecida

    “O Jogador” é uma leitura interessante, pois retrata o vício no jogo e a ilusão de se ganhar dinheiro por meio da sorte. Além disso, mostra como é difícil parar de jogar na hora certa. Por isso, para quem tem interesse em Dostoievski, esse livro é uma boa dica.

    Considerações finais sobre livros de Dostoievski

    Esperamos que com a nossa lista de melhores livros de Dostoievski, você encontre alguma obra para ler. Aliás, se você gosta desse tipo de leitura, conheça o nosso curso de Psicanálise Clínica. Com as nossas aulas, você terá acesso a um riquíssimo conteúdo a respeito do funcionamento da mente humana e de seus dilemas. Então, não perca essa chance e inscreva-se já!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *