O novo Coringa: Resumo e Análise Psicanalítica

Posted on Posted in Psicanálise e Cultura, Uncategorized

“A pior parte de ter uma doença mental é que as pessoas esperam que você se comporte como se não tivesse”. Essa é uma das frases mais marcantes do novo filme do Coringa, que estreou esse ano e deixou muitas pessoas pensativas. Você já assistiu ao filme? Hoje, vamos apresentar para você uma análise psicanalítica do filme e do principal personagem, o Arthur Fleck.

Ficou curioso? Então continue a leitura e acompanhe nossa análise!

Resumo do filme O coringa

Nesse novo filme, o Coringa é apresentado como Arthur Fleck. Fleck é um homem que vive em Gotham City, uma cidade com diversos problemas sociais. Ele trabalha como palhaço e tem um sonho vívido de ser um grande comediante. Entretanto, Arthur tem muitos problemas psicológicos, como a depressão, além de uma doença que faz com que ele ria freneticamente, mesmo quando não há motivos.

Assim, este é o cenário: um homem de meia idade, com uma mãe doente, que busca sobreviver trabalhando como palhaço em uma agência que aparenta não remunerá-lo muito bem. Além disso, Fleck faz acompanhamento psicológico com o serviço social da cidade que, por falta de verba, o avisa que, infelizmente, não poderá continuar o trabalho com ele.

Por isso, o homem perde o acesso aos medicamentos que o ajudava a amenizar os sintomas de suas doenças, além de perder também os encontros com a assistente social. Isso o afeta muito, já que sem remédios e sem a assistente, não há nada que ele possa fazer para se tratar.

O trabalho de Arthur Fleck

Como palhaço, Arthur atuava nas ruas, anunciando as peças do circo, além de outros pequenos trabalhos, por exemplo, no hospital infantil. Um dia, enquanto ele trabalhava com um cartaz, nas ruas de Gotham, um grupo de adolescentes o ataca e o violenta. Por conta disso, um amigo de Fleck dá uma arma a ele.

Em posse da arma, o futuro Coringa vai trabalhar no hospital infantil e, no meio da apresentação, a arma cai de suas calças, assustando todos no ambiente. Isso resulta em sua demissão. Então, atualizando o cenário: agora, além de um homem com problemas de saúde cuidando da mãe doente, Fleck agora é um homem desempregado, o que só piora sua situação.

A mãe do Coringa

No início do filme, a Sra. Fleck é apresentada como uma mulher debilitada e doente. Por isso, seu filho a alimenta, dá banho e cuida. Ademais, ao longo do filme, são mostradas cenas da mãe de Arthur escrevendo cartas endereçadas ao Sr. Wayne, pai do futuro Batman. Essas cartas são sigilosas e, um dia, Arthur pega uma e lê. Nela, está escrito que ele é filho do Sr. Wayne, logo, irmão do Bruce.

Essas informações fazem com que Arthur fique conturbado e procure o homem que ele acredita ser seu pai. Porém, ao ser confrontado, Wayne afirma que isso é uma mentira e que a mãe de Arthur inventou tudo aquilo em sua mente doente. Até então, não havia sido abordada nenhuma doença mental por parte da mãe do futuro Coringa. Com essas informações, Fleck busca descobrir a ficha psiquiátrica de sua mãe, e acaba descobrindo o pior.

Os segredos guardados por sua mãe

Ao roubar a ficha psiquiátrica de sua mãe, o Coringa descobre que, na verdade, sua mãe vive em um surto psicótico e que sua história é bem diferente do que ele acredita. Arthur Fleck foi, na verdade, adotado.

Leia Também:  A menina que roubava livros e a Psicanálise

Nos documentos ainda constam algumas notícias com fotos dele, ainda menino, que afirmavam que sua mãe deixava que seus namorados da época maltratassem ele. Ademais, o menino foi encontrado amarrado em um radiador, dentre outras violências físicas e psicológicas.

Fleck pode até não lembrar dessas informações, mas certamente elas ficaram gravadas em seu inconsciente e causaram os problemas que hoje são vistos em sua personalidade. Assim, muitos foram os maus tratos sofridos por ele, e sua mãe, por suas condições psicológicas, não via isso como um problema, e achava que seu filho estava sempre feliz.

Daí vem seu apelido, “Happy”. Nesse momento do filme, dá a entender que a doença do riso está presente na vida do Coringa desde sua infância.

Quando Arthur Fleck se transforma em Coringa?

No mesmo dia em que é demitido, Fleck presencia uma mulher sendo assediada dentro do metrô por três funcionários da empresa de Wayne. Por conta de sua doença, o homem começa a rir descontroladamente, e os homens começam a maltratá-lo e a espancá-lo. Em um surto, Arthur mata os três homens com tiros. Nesse momento, ele não se sente bem, tampouco feliz com as mortes.

Entretanto, após descobrir as mentiras de sua mãe, Fleck surta. E, após sua mãe ir parar no hospital, ele a mata e se liberta. Começando, assim, a se transformar no verdadeiro Coringa. Depois desse fato, ele sente como se não houvesse salvação para ele, e começa a agir com completa irresponsabilidade.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


O Coringa age por vingança?

Depois de uma cena de seu show de stand-up viralizar, o Coringa é convidado para participar do programa de humor que ele acompanha e é fã. Entretanto, o apresentador o convida apenas para zombar de sua vida. Assim, depois de assassinar sua mãe, ele vai até sua casa e se prepara para o show.

Nesse momento, ele pinta seu cabelo de verde e se transforma, mais ainda, na figura do Coringa. Enquanto ele se arruma, o homem que trabalhava com ele e que te deu a arma aparece, e o Coringa, num episódio de ódio e vingança, alveja este homem com diversos tiros, mesmo após morto. Porém, seu amigo anão, que também foi até sua casa, é poupado da morte. Ou melhor, o Coringa nem demonstra intenção de mata-lo. Assim, fica evidente que o personagem agiu contra sua mãe e contra o colega de trabalho por vingança, pelo mal que eles lhe causaram.

A Análise Psicanalítica

Para Freud, no inconsciente são recalcadas todas as memórias que, de um jeito ou de outro, nos fazem sofrer. Assim, como um mecanismo de defesa, nossa mente nos esconde essas informações.

No filme, o Coringa só começa a ter lembranças de sua infância quando é confrontado com as imagens das notícias. Ou seja, antes disso, ele não tinha acesso a nenhum desses fatos, mesmo tendo acontecido com ele. Além disso, ele não se lembra nem de ter sido adotado, mesmo com uma adoção feita tardiamente.

Além disso, por conta de seus problemas psiquiátricos, o Id, Ego e Superego do Coringa não estão em um bom alinhamento. O que faz com que ele pratique ações muito mal vistas pela sociedade, chegando, inclusive, ao homicídio.

Conclusão

Com o filme, podemos perceber que há muitos fatos que moldam o homem e, dentre eles, a família e o meio social são os principais. A pobreza extrema, os surtos psicóticos de sua mãe e os fatos ocorridos na vida de Arthur Fleck fizeram com que ele se transformasse no Coringa, frio e violento.

Leia Também:  Personagem Coringa em Batman: interpretação da Psicanálise

Além disso, o sofrimento psíquico pelo qual o personagem passa a vida toda, não sabendo quem é seu pai e sofrendo com crises de riso, fazem com que ele não tenha uma boa rede de apoio, vivendo enclausurado no mundo de sua mãe.

Assim, todo o conjunto de fatores veio a criar o que a gente conheceu, nesse ano, como Coringa. Um personagem que marcou todos aqueles que assistiram ao seu espetáculo com atenção.

Gostou do resumo e da análise? Continue acompanhando nosso blog para descobrir muitos conteúdos como esse!

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 14 =