O que é Neurose para a Psicanálise?

Posted on Posted in Psicanálise, Teoria Psicanalítica

Um dos principais assuntos estudados pela psicanálise é a neurose. Entretanto, até hoje é muito comum a dúvida sobre o que é neurose, principalmente devido à amplitude do termo. Para uma conceituação geral sobre o que é neurose, ela pode ser considerada, a priori, como uma doença psíquica.

Neuroses são fenômenos gerados por um conflito psíquico, envolvendo a frustração de um impulso instintivo. Além disso, podemos entender como neurose o resultado de nossas experiências. Sejam elas vivências, traumas ou recalques, conforme pontua a psicanálise. E também é entendida como problemas relacionados à fixação da libido e à fixação problemática.

Freud aprofundou seus estudos sobre o que é neurose, as suas causas e sintomas. E usou seus estudos para embasar parte de suas teorias psicanalíticas. Assim como as metodologias terapêuticas por ele criadas. Para Freud, o inconsciente alimentava os instintos e os impulsos e ele deveria ser trabalhado para se curar as neuroses.

Freud realizou a sua auto-análise consistia em encarar calmamente os seus próprios fantasmas mentais. E, assim, ele buscou avaliar como o afetavam. A sua auto-análise se voltou para as memórias da infância, após perpassar assuntos da sua vida adulta. Também a morte de seu pai, em 1896, conforme ele próprio afirmou, foi determinante para o estudo de si mesmo. A partir dessa análise de si mesmo, ele passou a analisar seus pacientes e a fundamentar as suas teorias. Inclusive as suas teorias a respeito da neurose.

 

O que é Neurose na Teoria Freudiana

A neurose é um dos principais pontos da teoria de Freud, assim como ele relaciona à sexualidade e a sua importância para a vida mental. Ao desenvolver a sua teoria da sexualidade, ele demonstrou diversas origens que levam o homem ao sofrimento.

Freud pontuou, dentre essas questões, alguns fenômenos relacionados a estados corporais específicos que seriam de natureza eminentemente somática. Esses fenômenos ele considerou como característicos do que ficou denominado como “neurose atual”. Termo esse que inclui a neurastenia, a neurose de angústia e hipocondria.

Dentre os principais sintomas encontrados na neurastenia, de acordo com a teoria freudiana, estão a brutalidade do fator sexual. Quando ela aparece com um problema para a vida humana. Também há as cefaleias e as prisões de ventre. Além de outros que podem surgir devido a uma atividade sexual não satisfatória, como o excesso de masturbação, segundo Freud.

Já para a neurose de angústia alguns de seus principais sintomas podem ser de natureza diversa. Dentre eles, diarreias e congestões, distúrbios respiratórios ou cardíacos, etc.

A hipocondria não apresenta sintomas somáticos concretos. Porém, ela leva à nosofobia, que seria o medo de ficar doente. A qual está ligada aos sintomas da neurose de angustia.

De acordo com Freud, esses fenômenos seriam as “neuroses atuais”. Dessa forma, Freud confere a eles um caráter contemporâneo dos fatores sexuais envolvidos em sua sintomatologia. Diferente das psiconeuroses, que possuem um caráter de historicidade da sexualidade.

Dessa forma, o termo neurose atual seria o oposto à psiconeurose, no que tange à historicidade subjetiva a esse fenômeno. Assim pode-se entender a amplitude para a psicanálise sobre o que é neurose. E muitos de seus sintomas estariam ligados à sexualidade, segundo Freud e suas teorias.

As Neuroses e a Sexualidade

Ao se definir o que é neurose ara a psicanálise, vemos que muitos de seus sintomas ou origens estão ligados à sexualidade. Ao menos, de acordo com as teorias de Freud. Um ponto decisivo na sua teoria é quando ele revela sobre os fatores sexuais, quando trabalhados nas neuroses atuais. Ele afirma que esses fatores influenciaram na interferência do caráter universal do fator sexual nas psiconeuroses.

Freud afirma que há um “desvio” da libido de sua aplicação satisfatória na neurose da angústia, por exemplo. Para Freud a excitação teria uma ordem somática, como se houvesse um acumulo somático da excitação sexual. Além disso, Freud afirma que essa excitação vem acompanhada de um decréscimo nos processos sexuais, por parte da psique. Para Freud, a excitação sexual possui uma grande importância nos processos psíquicos. Os quais, de acordo com a psicanálise, levariam à neurose.

Freud teorizou que diversos sintomas e manifestações, guardadas as suas peculiaridades, teriam a sexualidade como centro da questão da neurose. Dentre essas manifestações estariam as conversões histéricas, as neuroses de angústia e neurastenias, as ideias obsessivas, etc.

Além disso, pode-se ver que as neuroses atuais e as psiconeuroses, clinicamente aparecem simultaneamente mescladas. Sendo assim, a ligação entre essas duas neuroses está configurada a partir do que Freud chamou de libido. Para Freud, a neurose atual está contida na psiconeurose, como se fosse o seu núcleo.

Alguns tipos de neurose e suas características

Ao analisarmos o que é neurose para a psicanálise, vemos que há diversos tipos de neurose. Como a de angústia, a de abandono e a familiar.

A Neurose de Angústia é um tipo simples de psiconeurose. A qual tem na angustia o seu principal sintoma. Ela evolui em crises, que podem ser mais ou menos próximas. A neurose de angústia se manifesta com maior frequência em portadores de constituição ansiosa.

A Neurose de Abandono caracteriza um quadro no qual predominam a angústia do abandono, além da necessidade de segurança.

A Neurose Familiar ocorre quando, em determinada família, as neuroses individuais se completam. Dessa forma, elas acabam se condicionando reciprocamente. Além disso, ela pode evidenciar a influência exercida sobre as crianças por sua estrutura familiar. Inclusive, influência do casal parental.

Além dessas, também há a Neurose de Destino, a Neurose do Fracasso, a Neurose Narcísica, a neurose Traumática. Também há a Neurose Mista, a Neurose de Caráter, a Neurose de Compensação, a Neurose Depressiva, a Neurose Histérica Dissociativa e a de Conversão, a Neurose Obsessiva Compulsiva, a Neurose Fóbica, dentre outras identificadas pelas teorias psicanalíticas.

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *