Obrigado: significado da palavra e o papel da gratidão

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Gratidão. Ação ou emoção? Como essa manifestação pode modificar a concepção de vida e determinar o bem-estar do indivíduo? Gratidão vai além da verbalização do “obrigado”.

Obrigado! É assim que costumamos agradecer por algo que nos foi benéfico. Seja esse algo uma atitude humana ou algo que cremos ter recebido de uma força superior, fruto de nossos pedidos. Deixar de dizer obrigado, ou obrigada, no caso das mulheres, é visto como um ato de deseducação.

Se pararmos para pensar no significado literal da palavra, vamos nos ater ao sentido de obrigação. Portanto, contrariaríamos a positividade do ato de expor nossa gratidão, como se reconhecêssemos o ato benéfico por força. Mas será mesmo que é isto que o termo expressa em seu sentido literal?

Na prática, quando nos mostramos gratos pelas pessoas, coisas e condições, experienciamos a formação de elos com os mesmos. E é justamente esse o fundamento do termo, tanto em sua origem quanto em sua prática. Entender o sentido da gratidão nos conecta com nosso sentido primordial.

Qual o significado do termo obrigado?

O termo obrigado, como boa parte dos termos de nossa língua, tem origem no latim. Assim, a palavra vem de obligatus, que é o particípio do verbo obligare, cujo sentido é ligar, amarrar. Origina-se daí a ideia de comunhão entre o favorecido e o provedor do favor.

A expressão completa seria “fico-lhe obrigado”, ou ainda “fico-lhe ligado pelo favor que me fez”. Portanto, a forma do nosso agradecimento nada mais é que uma redução dessas expressões. Um elo é criado entre as pessoas que se sentem obrigadas umas para com as outras.

Sendo assim, o sentido do agradecimento vai além do reconhecimento de uma ação. Ele alcança a conexão moral formada entre as partes, existindo o comprometimento de quem recebeu o favor, ainda que momentaneamente. Sabemos com toda certeza o valor de sermos beneficiados por algo ou alguém.

Dizer obrigado. Qual o papel da gratidão?

A gratidão é mais que uma atitude corriqueira de nos mostrarmos satisfeitos com um favor. Ela é uma emoção, um valor que provém da ação gratificante, de um ganho inesperado ou de um pedido atendido. Sentir-se grato é algo que nos coloca em conexão com o sentido da vida plena: a abundância.

E não tratamos aqui apenas da abundância financeira, mas principalmente da prosperidade espiritual e emocional. Quando nos sentimos gratos pela vida e pelo que ela nos proporciona nos distanciamos da escassez. Assim, sentirmo-nos favorecidos pelas mínimas coisas nos enche do sentimento de abundância.

Se acordamos, se despertamos, temos alimento e moradia, devemos ser gratos. Afinal, sabemos que milhares de pessoas no mundo estão privadas de coisas do tipo. A vida responde a quem se mostra grato, quem reconhece os valores do que já lhe foi dado.

A gratidão é hoje, reconhecidamente, um valor intrínseco à felicidade individual e nos relacionamentos. Sendo assim, a saúde física e mental é alterada pelo nível de gratidão que mantemos diante da vida. Nossos níveis de bem-estar e felicidade passam pelo nosso sentimento de gratidão.

Dizer obrigado de forma consciente, reconhecendo o desprendimento do outro, abre portas para o nascimento de relações. O sentimento de gratidão interfere em nossos níveis de generosidade e compaixão, indispensáveis à construção de relacionamentos saudáveis.

Dizer obrigado implica em uma dívida eterna?

O fundamento de dizer obrigado é mostrar que reconhecemos o valor da atitude que nos beneficiou. Logicamente, temos para com o outro o ímpeto de lhe retribuirmos de alguma forma. Entretanto, isso não implica em um compromisso servil de disponibilidade ou que exija retribuição.

A gratidão pressupõe o bem despretensioso, sem interesses ou cobranças. É um ato voluntário que beneficia as duas partes. Afinal, quem faz o favor sente-se bem em ter contribuído, assim como quem o recebe, principalmente. Essas pessoas ficam conectadas por este ato que se eterniza em suas realidades.

Sendo assim, jamais devemos fazer um favor almejando algo em troca. Ou ainda, jamais impor condições a fim de que concedamos um favor, o elo que se cria é destrutivo. O obrigado, o ficar-lhe obrigado não exige retribuição pois descaracteriza o bem pelo bem.

Aprendendo a gratidão

A gratidão não nasce conosco, mas ela pode ser aprendida. Aprendendo a sermos mais gratos pelo que temos nos tornamos menos materialistas. Com isso, podemos nos blindar contra a efemeridade do mundo consumista em que vivemos.

Em tempos onde a exposição vigora nas redes socias, pessoas se lamentam por não terem a mesma “sorte”. Assim, elas anseiam coisas e status que não lhes pertencem, sem reconhecer o bem em suas próprias vidas. É preciso aprender a agradecer, a dizer obrigado ao universo.

Leia Também:  Paul Ekman: trajetória e conceitos em Psicologia

E isto independe de religiosidade, afinal de contas todo caminho espiritual aponta para a necessária prática da gratidão. Todos os dias você pode reconhecer algo de bom que possui ou lhe aconteceu e se mostrar grato com isso. Quanto mais gratos nos sentimos mais atraímos coisas melhores para a nossa vida. Assim sendo:

  • Agradeça pela vida;
  • Agradeça pela sua saúde;
  • Agradeça pela moradia;
  • Agradeça pela natureza de onde provém a sua subsistência;

Consegue notar que não faltam motivos para que sejamos gratos e manifestemos o bem em nossas vidas? Fazer isso diariamente nos conecta com a fonte infinita do universo que nos enxerga repletos de gratidão. Sendo assim, a tendência é que mais coisas boas fluam para nós.



Comentários finais: dizer “obrigado”

Manifestar a gratidão é imprescindível para usufruir de uma vida verdadeiramente plena. A essência universal é de abundância e não de escassez, portanto, sendo grato você se conecta com o divino. Pessoas gratas evoluem em seus sentidos espirituais e abandonam a efemeridade material.

Além disso, a gratidão acessa outros tantos sentimentos como amor, amizade e fidelidade. As relações compostas a partir desta constituição tendem a ser mais equilibradas e estáveis. Observe a vida com carinho, as pessoas ao seu redor, suas oportunidades, e lembre-se sempre de agradecer.

A gratidão nos ensina muito também sobre resiliência em relação às adversidades. Com isso, podemos nos perguntar: Quem nunca passou por dificuldades? Todos nós, alguns mais, outros menos. Contudo, tudo que realmente fez diferença foi o modo como reagimos.

Podemos encarar as dificuldades com um olhar de gratidão. Afinal, por meio delas lapidamos o nosso ego e crescemos como ser humanos. Acumulamos aprendizados que não desenvolveríamos em estados de acomodação. Portanto, mesmo pelas dificuldades precisamos agradecer.

O sentimento de agradecimento transcende a necessidade do ganho. Um objeto devolvido, o reconhecimento de um feito, a gratidão expressa a satisfação íntima com tudo o que lhe chega. Viver com o sentimento de gratidão eleva nossos olhos acima da materialidade e nos conduz por caminhos mais amenos.

Assim e sempre que puder, diga “Obrigado“! Ah, falando em comportamentos humanos, não deixe de conferir nosso curso de Psicanálise Clínica totalmente online. Nele exploramos mais a fundo temas que discutimos aqui no blog! Confira os conteúdos e faça a sua matrícula por um dos menores preços do mercado!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − três =