preconceito

O preconceito e o bullying: entenda tudo sobre esse termo

Posted on Posted in Uncategorized

Na sociedade brasileira atual, há muitas manifestações diferentes de preconceito. Você já sofreu algum tipo? Você sabe o que caracteriza o preconceito e o motivo dele acontecer? Não? Então continue a leitura e descubra tudo sobre o bullying e os preconceitos!

O que é o preconceito?

O preconceito é um fenômeno que envolve uma opinião, sem exame crítico, contra uma ou mais pessoas. Isso acontece com o intuito de prejudicá-las e afetá-las negativamente, um exemplo muito similar ao preconceito é o bullying. 

Esse tipo de ocorrência é comum na sociedade brasileira, especialmente por conta da ideia histórica de violência como fonte de poder, verificável em grandes episódios, como na Ditadura Militar de 1964, que utilizava a repressão como forma de controle e se espalhou no imaginário popular.

 Além disso, há também o despreparo governamental para lidar com situações que ocorrem em ambientes de sua responsabilidade, como o ensino básico.

O que define o preconceito?

O preconceito pode ser provocado por diversas questões. No Brasil, o maior preconceito existente é o racismo, que é o preconceito contra pessoas não-brancas, principalmente os negros. Isso gera muitos problemas sociais, principalmente a marginalização da população negra e suas consequências, como a violência policial exacerbada. 

Além do racismo, há a gordofobia e a homofobia, que é o preconceito contra pessoas gordas e contra pessoas homossexuais, respectivamente. 

Com esses exemplos, é possível notar que o que define o preconceito é o ódio contra pessoas com características diferentes do “padrão imposto”. Assim, a prática do preconceito é muito prejudicial para todos!

Exemplos de preconceito

Social

Esse tipo de preconceito atua contra pessoas de classes mais baixas e sem tanto poder econômico. Assim, essas pessoas passam por constrangimento em áreas públicas e privadas, apenas por serem pobres.

Religioso

O preconceito religioso acontece contra, principalmente, religiões de matriz africana e do Oriente Médio. No Brasil ocorre, constantemente, a depredação de terreiros ou de imagens de santos das religiões africanas.

Gênero

O preconceito de gênero acontece nas relações sociais, quando a mulher é vista como fraca e o homem como poderoso. No Brasil, as mulheres ainda não ganham o mesmo salário que os homens. Mesmo que ocupem os mesmos cargos e com o mesmo tempo de profissão.

Linguístico

A língua é muito utilizada para praticar atos preconceituosos contra as pessoas, principalmente as que falam uma variedade muito distante da considerada padrão. Quem nunca ouviu a expressão: “ele fala como um caipira”, em tom pejorativo? As variedades linguísticas não são bem consideradas no Brasil.

O bullying: um exemplo

De início, é visível que o bullying se baseia na ideia de que a violência é um método de obter poder perante quaisquer minorias. Além disso, é possível notar que a prática do bullying é motivada por algum outro preconceito. Por exemplo, na escola, o aluno acima do peso será sempre humilhado por ser gordo, e o mesmo acontece com alunos negros, que recebem apelidos pejorativos.

Não por acaso, tal ideia de efetividade da violência se espalhou no âmbito privado e familiar, formando pais e responsáveis que criam seus filhos de maneira agressiva, com o objetivo de educá-los com a punição. Porém, acabam infiltrando no indivíduo a crença de que essa é uma forma válida de se impor. Assim, tal noção leva à ocorrência do bullying nas mais diversas esferas, seja no trabalho, com um chefe que ameaça seu funcionário devido à sua religião, seja na escola, onde colegas batem em outro por conta de suas características físicas.

Consequências do Bullying

Em consequência disso, há o desrespeito às mais diversas diferenças entre os indivíduos. Intensificado pela omissão da esfera governamental em âmbitos como o escolar. Não é incomum vermos casos como o noticiado pelo jornal O Globo, em que um garoto, no sul do Piauí, era constantemente agredido pelos colegas da escola apenas por usar óculos.

Dentro dessa situação, observam-se professores e funcionários, que não têm preparo para lidar com a questão do bullying. Ao não tomar providências, acabam agravando o problema. Pois os jovens sentem medo de denunciar a ocorrência e, então, se tornam pagantes de consequências graves. Por exemplo, com o desenvolvimento de depressão, dificuldades para socializar e outros distúrbios psicológicos que são levados adiante nas outras fases da vida.

O que fazer para resolver o bullying no Brasil?

Portanto, o ideário popular brasileiro e a omissão governamental precisam ser modificados para sanar o preconceito e o bullying no contexto brasileiro. Assim, é importante que as crianças, os pais e os funcionários de escolas tenham completo entendimento sobre as consequências do bullying para as outras pessoas. Isso porque, quando não há conhecimento, há a prática do preconceito. Que nada mais é do que um ideal sem fundamentos sobre a diferença do outro.

Gostou do artigo? Então deixe um comentário, conte para nós sobre alguma situação acerca do bullying que aconteceu na sua vida! Continue acompanhando nosso blog e participe das discussões!

O artigo presente foi desenvolvido pelo aluno do curso de Psicanálise Clínica José Eduardo de Oliveira Freitas.

 


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ


 

 

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − 1 =