psicologia evolucionária

Psicologia Evolutiva ou Evolucionária: história e ideias

Posted on Posted in Comportamento

Psicologia evolutiva é uma ciência que visa explicar os comportamentos inatos aos seres humanos, advindos da evolução da espécie. Em outras palavras, consiste na demonstração de que as atitudes humanas se originam dos comportamentos dos seus ancestrais para sobreviverem em seu ambiente.

Ou seja, como o próprio nome já diz, é uma abordagem psicológica baseada na evolução do ser. Onde se explica que os comportamentos que temos hoje são consequência dos que nossos ancestrais usaram para sua sobrevivência, e, assim, fazem parte de nossa genética

Teoria evolucionista na psicologia 

O estudo da psicologia evolucionista visa explicar como a evolução de nossa espécie, ao aspecto comportamental, tem influência em nossas ações no cotidiano e na forma como nos relacionamos socialmente.

Nesse ínterim, a teoria evolucionista na psicologia é aplicada para explicar que o comportamento humano, em sua maioria, resulta das adaptações psicológicas. As quais evoluíram conforme o ambiente dos ancestrais.

Como, por exemplo, ao longo dos anos, mamíferos aprenderam a temer aranhas, por viverem em um ambiente selvagem. Hoje, ainda que vivamos em um ambiente predominantemente urbana, muitos ainda têm esse medo enraizado.

Portanto, para os psicólogos evolucionistas, comportamentos e características humanas, comuns em todas as culturas, podem ser resultado das adaptações evolutivas do ser. Como, por exemplo, capacidade de

  • compreender as emoções;
  • reconhecer seus parentes e não-parentes;
  • espírito de cooperação
  • escolher seus parceiros amorosos.

Psicologia Evolutiva Resumido

O que é Psicologia Evolucionista? 

Nesse sentido, a Psicologia Evolutiva ou Evolucionista, basicamente, estuda o processo de evolução dos seres humanos e sua interferência nos comportamentos. Termo este incluído no século XX, em estudos das Ciências Biológicas e Cognitivas.

Para Psicologia Evolutiva, a mente se desenvolve de maneira semelhante ao organismo como um todo. Assim, o comportamento humano é resultante das ações dos ancestrais de milhões de anos atrás, que deveria se adaptar em um ambiente primitivo.

Dessa forma, se explica que somos biologicamente “programados” para pensarmos e agirmos, conforme os comportamentos de nossas gerações passadas. Porém, não é algo considerado imutável, mas sim, uma “tendência comportamental”, onde o ser humano molda sua mente para reagir consoante as pressões ambientais sofridas.

Nesse ínterim, dentre os estudiosos da Psicologia Evolutiva, está Charles Robert Darwin (1809-1882), o qual indicava que somente ocorreria mudança nesse processo evolutivo se ocorresse variação genética da população. Ao ponto que influenciasse, significativamente, na sobrevivência e reprodução humana.

Ferramentas para aplicação da Psicologia Evolutiva 

Os psicólogos evolucionistas se utilizam de diversas formas de demonstrar como o comportamento humano remonta à evolução de sua espécie, dentre eles, dados públicos. Como, por exemplo, levantar um número de crianças e como os fatores sociodemográficos do ambiente que vive influencia o comportamento da população durante os últimos 200 anos.

Para tanto, serão analisados os fatores que influenciaram nas mudanças comportamentais, inserindo novos conhecimentos da psicologia para o estudo. Em outras palavras, não se estuda um fator em específico, como a genética, mas sim, como se desenvolveram a mente e comportamento de forma ampla. Inclusive envolvendo diversos ramos do conhecimento, como antropologia, economia, arqueologia, etc.

Exemplos de psicologia evolutiva

Para que você consiga visualizar como a Psicologia Evolutiva atua, seguem exemplos descompasso adaptativo (Fonte: Jornal da USP, “Como a teoria evolucionista pode ajudar a entender a mente humana”, de julho de 2019):

  • Insônia: pode ser ocasionada pela ausência de luz noturna, pois o organismo humano evoluiu assimilando a ausência de luz a hora de dormir;
  • Pratos exóticos em nossa cultura: como, por exemplo, gafanhoto frito pode lhe causar estranheza. Isso se dá pelo fato de que alimentos como esse, antigamente, traziam risco de intoxicação alimentar.
  • Tendemos dar preferência a alimentos gordurosos e doces àqueles azedos ou amargos: no ambiente evolutivo, os alimentos tóxicos, em sua maioria, era azedos ou amargos. Além disso, como era necessário estocar energia, pois não era fácil localizar alimentos, dava-se preferência ao sedentarismo.

Psicologia evolucionária e a relação com o comportamento da sociedade

Quanto a origem dos comportamentos sociais, a Psicologia Evolutiva visa estudas habilidades cognitivas e a cognição social. Ao que tange à cognição social, visa explicar como os processos mentais acontecem em razão do comportamento de outras pessoas. 

Ao passo que, as habilidades cognitivas se referem aos mecanismos cognitivos que se adquire, associados a vivência social. Como, por exemplo, identificar sinais de que está sendo traído, influência das informações públicas, senso de justiça, dentre os fatores que influenciam nossos relacionamentos interpessoais.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Nesse sentido, a Psicologia Evolutiva, em relação à sociedade, procura entender o comportamento humano em meio às suas interações sociais. Assim, como o ser humano responde diante de problemas ocorridos em sociedade, conforme sua evolução como espécie.

    Leia Também:  7 dicas de como conquistar um homem

    Psicologia evolucionista e desenvolvimento infantil

    No desenvolvimento infantil é imprescindível a atuação dos pais, tendo em vista que nós, como espécie, somos totalmente dependentes quando crianças. Nesse ínterim, a Psicologia Evolutiva visa explicar as razões do comportamento dos pais influenciarem nas ações do filho.

    Estudos baseados na Psicologia Evolutiva também procuram entender a comunicação existente entre bebês e seus pais, através das expressões faciais. Dentre as conclusões, está-se que as expressões faciais dos bebês sinalizam emoções e reações para seus pais.

    Por exemplo, o sorriso, universalmente, é uma expressão facial, utilizada também por nossos ancestrais primatas, ou seja, um padrão comportamental aprimorado pela experiência do ser.

    Além disso, a Psicologia Evolutiva também explica a questão da brincadeira no comportamento infantil. Assim, o ato de brincar é considerado uma forma de aprendizagem, onde a criança está se preparando para a vida adulta.

    Psicologia Evolutiva, segundo Cesar Coll 

    Seguindo com a aplicação da Psicologia Evolutiva no desenvolvimento infantil, César Cool Salvador foi um dos pioneiros, nesse sentido, para a reforma da educação brasileira, nos anos 1990. Quando, em debates no MEC (Ministério da Educação), participou como assessor técnico, onde surgiram os Parâmetros Curriculares Nacionais.

    Coll teve sua inspiração em Jean Piaget, orientando seu pensamento sob uma concepção construtivista para o ensino-aprendizagem. Para ele, o importante é que o aluno aprenda, não importante, efetivamente, qual o conteúdo transmitido.

    Orientando, inclusive, em um novo currículo, temas transversais, que devem compor as disciplinas no ensino da Educação Básica. Como, por exemplo, temas sobre prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, relevância do saneamento básico, alimentação saudável, dentre outros. 

    Portanto, a Psicologia Evolutiva, em suma, é a ciência que visa explicar a origem dos mecanismos comportamentais que são universais, inatos aos seres humanos. Para tanto, durante os estudos, reconstrói o comportamento dos ancestrais primitivos para resolução de problemas.

    A partir dessa reconstrução, estabelece as origens comuns de nossos comportamentos com os de nossos antepassados. Para que, assim, possa explicar como a evolução do comportamento é transmitida geneticamente, seguindo critérios evolutivos.

    Psicologia Evolutiva Citação

    Quer saber mais sobre comportamento humano?

    Por fim, se você chegou até o final deste artigo, possivelmente gosta do entender como funciona a mente e o comportamento humano. Sendo assim, convidamos você a conhecer nosso Curso de Formação em Psicanálise Clínica, 100% EAD. Dentre os benefícios do curso estão:

    (a) Aprimorar o Autoconhecimento: A experiência da psicanálise é capaz de proporcionar ao aluno e ao paciente/cliente visões sobre si mesmo que seria praticamente impossível obter sozinho. 

    (b)  Melhora o relacionamento interpessoal: Entender como funciona a mente, poderá proporcionar um melhor relacionamento com os membros da família e do trabalho. O curso é uma ferramenta que ajuda o estudante a entender os pensamentos, sentimentos, emoções, dores, desejos e motivações de outras pessoas. 

    Por fim, curta e compartilhe nosso artigo em suas redes sociais. Assim, nos incentivará a continuar produzindo conteúdos de qualidade.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.