tríade do pensamento

A tríade do pensamento e o aparelho psíquico

Posted on Posted in Conceitos e Significados

Para a mitologia grega a tríade do pensamento e as tríades são essenciais, elas estão presentes em suas deusas mais temidas, as Moiras, na sua forma de pensar a vida humana, no dilema da Esfinge para Édipo.

Sendo assim, é imprescindível que sua maneira de viver corresponda a triplicidade típica de religiões pagãs, e ela o faz muito bem, inclusive se apresenta de maneira tão atual que é possível relacioná-la com a Segunda Tópica do aparelho psíquico.

Uma breve contextualização sobre a tríade do pensamento

Para os gregos existem doze deuses principais, estando entre eles três irmãos com visões de mundo extremamente diferentes chamados: Apolo, Hermes e Dionísio.

Apesar de serem nomes conhecidos, suas ideologias ficaram esquecidas ao passar das eras, no entanto, estudiosos como Freud as retomam em suas teorias sem terem ciência de teorias existentes muito antes deles.

O pensamento Dionisíaco, o ID e a tríade do pensamento

A figura desse Deus é marcada por abuso de substâncias e vício, sempre procurando aquilo que lhe gera prazer, sem pensar em consequências, nem mesmo no futuro.

Sua vida é seguida sem rumo, pois seus interesses são superficiais e auto focados. Suas roupas são castas e de peles de animais selvagens, os quais refletem sua natureza.

Muitas semelhanças são compartilhadas entre essa figura e o conceito ID, o qual pauta os desejos, a libido e as fantasias, não deseja responsabilidade, nem fixação. Para essa constante vontade por prazer é necessário recordar que em igual quantia que o regurgito superficial é conquistado, também se apresentam os desgostos.

O pensamento Hermético e o Ego na relação com a tríade do pensamento

Hermes é o equilíbrio, a mão que segura a balança, ao contrário de seus irmãos, ele não deseja fazer o que é certo, ou o que é prazeroso, mas sim o que lhe gerará mais ganhos, independente de ser fácil. Sendo assim ele está sempre se reinventando e buscando novas versões, fugindo do que é confortável para estar, efetivamente, em uma boa posição, sem buscar agradar ou ser agradado.

O Ego é também a ferramenta de equilíbrio entre racional e irracional, quebrando a lógica dualista e apresentando uma maneira realista de ver o mundo, tendo algumas das características que lhe é necessária, mas sem abusar de nenhuma, estando em constante equilíbrio, o que, a sua maneira, não é fácil.

O pensamento Apolíneo e o Superego

Pautado pela racionalidade extrema encontra-se o Deus do Sol, diz-se que suas atribuições pensantes se devem a luz emitida por seu astro, a qual não permite que nada se esconda perante ela. Ademais a entidade tem uma imagem rígida e intocável, buscando sempre uma perfeição insistente mesmo a sua classe.

O mesmo ocorre no superego, o qual busca realizar o que é correto, sem permitir-se as liberdades da vida, mas também equilibrando os impulsos excessivos do ID, assim impedindo que o ser esteja sempre em busca daquilo que lhe atrai.

Este artigo sobre a tríade do pensamento foi escrito por Yasmin Brauner. Sou uma taróloga apaixonada por sua área de atuação, além de uma entusiasta pela literatura que não perde a chance de estar agregando conhecimento. Você pode me encontrar no Instagram pelo @yasminbrauner.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.