o que é psique humana

O que é psique humana: organização e mecanismos

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

Hoje falaremos sobre o que é psique humana e a importância dos mecanismos de defesa do ego na organização da psique humana.

Entendendo o que é psique humana

O EGO funciona como um mediador que integra as pulsões do ID, com suas e exigências, e as ameaças do SUPEREGO junto às necessidades da realidade externa. Ao contrário do ID, que se divide em modos independentes, o EGO surge como uma unidade com instâncias mentais que asseguram a identidade pessoal e asseguram o funcionamento da psique humana. O EGO é uma construção que se forma através das percepções que são incorporadas a ele, é um mediador que atua com um contínuo controle sobre o resto do aparelho psíquico, sendo assim, o EGO é um polo defensivo do psiquismo.

Assim essa instância lança mão de uma série de mecanismos para cumprir essa função mediadora e integradora que assegura a construção da identidade da pessoa. Os mecanismos de defesa do EGO são processos desenvolvidos, de forma subconsciente, pela personalidade, para dar uma solução para conflitos, hostilidades, ressentimentos, frustações, ansiedades que não foram solucionados na consciência.

Os mecanismos de defesa nada mais são que técnicas psicológicas para desenvolver o indivíduo com sua personalidade e seu objetivo é defender e balancear os impulsos conflitantes e aliviar tensões inconscientes. Freud dizia que o termo mecanismo de defesa deveria ser utilizado “para todas as técnicas que o ego utiliza em conflitos que podem levar a neurose” mais tarde ele estendeu o conceito a situações normais e situações patológicas.

O que é psique humana e os mecanismos de defesa

Os principais mecanismos de defesa: a repressão, a negação, a racionalização, o isolamento, a formação reativa, a projeção, a regressão, a sublimação e o deslocamento. Esses mecanismo são encontrados em todas as pessoas saudáveis, porém o excesso de algum deles é indicação de sintomas neuróticos. Logo abaixo vamos apresentar e descrever esses mecanismo de defesa.

O processo do EGO utiliza os seguintes mecanismos de defensa como sua proteção e formação da personalidade: Repressão: também chamado de recalque, esse é um dos mais comum dos mecanismo de defesa do EGO e ele afasta do consciente algo determinado que não pode ser vivido em estado de consciência, mantendo seu conteúdo distante. Esses conteúdo pode ser um afeto, uma ideia ou um instinto.

Em resumo é o mecanismo que trata de manter distante da nossa consciência aquilo que pode ser penoso demais para suportar. Existem dois tipos de repressão, uma primária que é inconsciente e o indivíduo não se dá conta que ela existe ou existiu, e uma secundária, onde o indivíduo sabe que algo lhe está afligindo, mas evita a qualquer maneira que esse conteúdo venha a consciência. Um exemplo desse mecanismo é quando algum acontecimento envergonhe muito o sujeito e então ele passa a esquecer esse episódio, não permitindo que a consciência reviva esse momento.

Negação e a racionalização e o isolamento

Este é o mais simples dos mecanismos de defesa, ele afasta da consciência aquilo que é muito doloroso para aceitar, aquilo que é muito angustiante para tolerar. Assim o indivíduo dá como inexistente esse sentimento ou pensamento que, caso ele aceitasse, causaria uma angustia enorme. Esse mecanismo precede vários outros mecanismos. Um exemplo desse mecanismo: uma criança que mente a respeito de algum comportamento ou acontecimento, por medo de algum castigo.

Racionalização: É quando um indivíduo cria uma justificativa falsa para não aceitar ou reconhecer alguma justificativa verdadeira. Ocorre, por exemplo, quando alguém compra um carro e justifica a compra dizendo que o anterior não era seguro suficiente.

Ou alguém que não é aprovado para determinado cargo e acaba dizendo e se convencendo que não queria aquele cargo de qualquer maneira. Isolamento: É um mecanismo onde o indivíduo separa o conteúdo do afeto que vem nele acompanhado, como por exemplo um paciente terminal que fala sobre sua doença como se ela não acontecesse de fato com ele.

O que é psique humana e a formação reativa

É quando o indivíduo encobre algo que lhe é inaceitável e passa a ter uma conduta oposta daquilo que deseja. Por exemplo uma pessoa homossexual que se comporta como heterossexual promíscuo para esconder o seu verdadeiro desejo. Projeção: Aqui o sujeito vai atribuir a outros objetos externos aqueles conteúdos que são próprios dele. Como por exemplo, quando ele nutre sentimentos de ódio por uma pessoa porém ele passa ao discurso que aquela pessoa é que lhe odeia.

Leia Também:  Psique Humana: funcionamento segundo Freud

Regressão: É quando acontece um retorno a atitudes passadas que em sua época foram seguras e gratificantes, assim o sujeito busca voltar a esse momento para fugir do presente que é angustiante. Como acontece com um adulto fazendo “pirraça”. Sublimação: mecanismo onde o sujeito transforma os impulsos inaceitáveis em socialmente acetáveis. Como alguém que se desfaz de impulsos nervosos ou violentos em aulas de boxe.

Deslocamento: Esse mecanismo ocorre quando o sujeito substitui a finalidade de certo impulso em outra que seja mais socialmente aceitável. Como por exemplo em situações onde o sujeito está brigando e tem forte vontade de agredir o outro e então acaba quebrando um copo.

Conclusão

Com esses, existem outros vários mecanismos de defesa, mas sempre com a mesma finalidade, afastar aquilo que fere, que não é socialmente aceitável ou que causa angustia demais ao indivíduo. Uma maneira de controlar os impulso mais inconscientes, formando a personalidade do sujeito.

O presente artigo foi escrito por Fernanda Sampaio, estudou medicina na Universidad Nacional de Rosario, Argentina. Pesquisadora e intusiasta sobre os estudos da mente humana; atualmente trabalha voluntáriamente no Hospital Público SAMIC, em Puerto Iguazú, Misioes, Argentina. Contato: [email protected]

One thought on “O que é psique humana: organização e mecanismos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.