recalcar

Recalcar: significado no dicionário e na psicanálise

Posted on Posted in Psicanálise, Teoria Psicanalítica

Temos ciência de que aquilo que nos forma é o que chega em nossa consciência e o que fazemos também. Porém, nem sempre carregamos disposição para fazer revelações, sejam para nós mesmos ou aos demais. Vamos entender melhor o significado de recalcar e como ele é construído.

O que é recalcar?

Recalcar pode denotar uma forma de defesa da estrutura mental contra qualquer ideia que não compatibilize com o Eu. Além desta, recalcar na Psicanálise se mostra como uma instância psíquica que acaba separando o consciente do inconsciente. É como se enterrássemos toda memória que nos contraria e nos priva de algum prazer.

Nós começamos a fazer a estruturação dos traços de memória que acabam por se guardarem no inconsciente. Em suma, se tratam de marcas de nossas experiências afetivas durante nosso desenvolvimento. A exemplo, um bebê chora de dor na primeira vez que sente fome, mas na segunda isso já está registrado.

É válido deixar claro que quando falamos em recalcar não devemos associá-lo com a espontaneidade. O mecanismo não aparece sempre pois há um bloqueio contra memórias ruins. Já que ele designa eventos dolorosos, não existe motivo para sermos perseguidos a todo o momento por eles.

Por que recalcamos?

Entendemos melhor o que é recalcar quando olhamos a nossa relação com os traumas ou o contraditório. Acabamos submergindo esses eventos e fazendo uma negação inconscientemente sobre eles. O esquecimento se torna uma válvula de escape, de modo que nos contraria seja movido a um lugar inacessível conscientemente.

Assim que negação inflama, o esquecimento surge, de modo que tudo não fique tangível a nós. Graças a esse bloqueio, ficamos impedidos de entrar em qualquer conflito com chance de aflorar. Inconscientemente buscamos no livrar da dor, ainda que ela faça parte do nosso desenvolvimento.

De acordo com Freud, a repressão acontece por causa do possível desprazer na satisfação direta da moção pulsional. Isso acontece quando no movimento acontece dissonância em frente às exigências feitas por outras estruturas psíquicas. Além delas, a parte exterior também pode causar atrito.

Sinais

Basicamente, recalcar se trata de puxar continuamente para dentro as suas dores e escondê-las. Acontece que seu inconsciente não as desintegra, mas parecer acumular essas experiências e refleti-las em algum momento. Isso se dá através dos:

Sonhos

As nossas frustrações são constantemente revividas enquanto sonhamos. Eles são reflexos diretos de nossas vontades, desejos e frustrações escondidas durante a vida consciente. Entretanto, é possível ver o que nos incomoda com base nas interpretações de um psicanalista qualificado.

Sintomas neuróticos

A neurose, ou mesmo os sintomas dela, podem vir à tona graças ao movimento do recalque. Ele acaba saindo de uma capa inconsciente para ganhar o campo consciente através dessas fraturas. De acordo com outro conceito da Psicanálise, todos nós estamos sujeitos a ter algum grau de neurose, psicopatia ou perversão.

A importância do esconder

O ato de recalcar é o que acaba por permitir a nossa própria existência e fazer com que nos tornemos possíveis. Ainda que possa parecer confuso, a natureza criada em cima da repressão é importante e tem o seu valor. Ela exibe uma parte em nossa essência que não é positiva ou construtiva.

Com isso, para que possamos crescer, todos nós precisamos reprimir o mal, a violência não aceita socialmente. Tal evento somente acontece porque existem mecanismos repressores que seguram continuamente essa força a fim de que se torne permanente. Do contrário, essa parte bestial surge e isso não é bom, mesmo que nos constitua.

Leia Também:  Recalcamento e Retorno do Recalcado

Cabe ressaltar que isso acontece de modo permanente em cada um de nós. Porém, apenas continuamos a fazer o recalque porque a vida precisa continuar. Ainda assim, não descreve que somos unilaterais: temos o bem e o mal e este sempre será escondido.

Recalque para Lacan

No século XX, Jacques Lacan deu uma nova interpretação à teoria da repressão se valendo da metonímia e metáfora. Com isso, o trabalho de deslocamento assumia um novo significado, assim como a primeira figura de linguagem. Isso acabou por dar uma nova definição ao termo, paralela, mas diferente também se comparada com a original.

De acordo com ele, a metáfora faz o trabalho de substituir um termo por outro em qualquer situação. Neste processo, essa nova visão acabava se movendo por baixo de algo, se escondendo de outra coisa com a mudança. É esse movimento que serve de correlação linguística da dinâmica repressiva ou o recalque.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Mecanismo de ação repressora

Freud destrinchou muito bem o termo recalque pois sempre encontrava camada atrás de camada. Apesar disso, se mostrou uma decisão sábia, já que cada parte pode ser observada seguramente e depois unida. O mecanismo se divide em três partes, sendo a primeira:

Recalque originário

Acontece quando expulsamos da consciência as representações intoleráveis interligadas com a pulsão. Isso acaba criando uma cisão da existência anímica, fazendo delimitações das áreas conscientes e inconscientes. Dessa forma, possibilita uma repressão posterior, sendo que cada representação quando puxada por essas representações pode ser reprimida.

Recalque secundário

O recalque secundário é aquele que desloca algo ao inconsciente e ali o guarda. Em geral, são as representações intoleráveis para a consciência e que não podem ser lidadas. Nisso, acabam sendo atraídas ao núcleo inconsciente formado pela repressão originária.

Retorno do recalcado

É quando a pessoa recalcada demonstra seu afeto psíquico, algo que consegue alcançar a consciência de alguma maneira. Desse modo, passando a obter uma espécie de satisfação por meio das formações inconscientes. A exemplo, os nossos atos falhos, os sonhos e até os sintomas de neurose.

Cultura popular

Nos últimos anos tivemos um uso extensivo da palavra recalcar em músicas, teatro e no linguajar informal. Olhando esse recalcar no dicionário coloquial, ele assume um valor de inveja. Portanto, o indivíduo recalcado seria alguém que sente inveja e não suporta ver os outros bem.

Entretanto, esse recalcado é justamente o oposto do recalque dito pela Psicanálise. O termo da psicoterapia fala em interiorizar tudo de difícil que se vive. O da cultura popular expõe diretamente o que um indivíduo sente e ainda projeta ao ambiente e ás pessoas.

Se este recalcado da cultura popular fosse o da Psicanálise, não seria alguém tão angustiado. Ele teria uma neutralidade maior em relação aos seus problemas consigo e com os demais. Como ganhou um tom mais pejorativo, recalcado é usado como ofensa, embora seja erroneamente empregado.

Considerações finais sobre o significado de recalcar

Em cada ambiente que chega, o termo recalcar acaba por ganhar um novo significado. Alguns até dão uma revitalização ao conceito original, mas outros acabam deturpando sua própria natureza. Por isso que se você utiliza o termo em conotação ofensiva, saiba que está sendo equivocado.

O recalque é uma proteção de todas as nossas experiências negativas durante a vida. É como um selo psíquico que acaba guardando tudo aquilo que nos toca e acaba nos ferindo. Assim, quando um indivíduo é, de fato, recalcado, isso indica que ele não possui conflitos nem angústias.

Leia Também:  Krishnamurti: vida, obra, e 10 ensinamentos

Para entender melhor essas e outras premissas agregadoras em seu crescimento, se inscreva em nosso curso de Psicanálise Clínica online. As aulas são um exercício de desenvolvimento onde você se conecta com sua própria essência e pode enxergar seu potencial. Ao contrário do ato de recalcar, você apenas projetará ao mundo todo o poder que carrega ao se inscrever no curso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + dez =