O que é sentimento de culpa?

Posted on Posted in Psicanálise, tratamento

Você já se perguntou como o sentimento de culpa afeta a sua vida? Ou você já viu alguém sofrer com isso, sem se libertar do passado?

Vamos conversar sobre o conceito do que é a culpa, a culpa em excesso e a culpa como algo mais profundo. Além disso, queremos falar um pouco também de como a culpa pode ser algo positivo, e como enfrentar a culpa destrutiva.

A gente espera que esse artigo te traga informações importantes. Vamos lá?

O que é culpa

A culpa é um sentimento, por isso nos a chamamos de sentimento de culpa. Esse sentimento vem após uma pessoa julgar a si mesmo por um comportamento passado. De acordo com a psicanálise, o sentimento de culpa surge do “fracasso” em relação a imagem que o superego projetou. Dessa forma, quando não atingimos o que nosso superego imaginou que seria, nós ficamos decepcionado conosco mesmos.

Para Freud, em “Mal-estar na civilização”, a severidade do superego equivale a severidade da consciência. Dessa forma, o ego entende que está sendo vigiado e consegue se esforçar para superar as exigências do superego.

Para o pesquisador Lewis (1971) o sentimento de culpa é o nosso julgamento negativo sobre conseguirmos viver de acordo com padrões. Esses padrões podem ser impostos pela sociedade de maneira objetiva, ou de nós mesmos.
Dentro da visão religiosa, o sentimento de culpa se dá quando violamos uma norma moral. Sabe quando fazemos algo que nossa religião julga errado? Nós nos sentimos como pecadores, esse sentimento é o sentimento de culpa.

Nesse caso é um julgamento pessoal baseado no julgamento divino, ou comunitário ou do grupo de superiores religiosos. Esse conceito também pode abranger um lado diferente do sentimento de culpa. Vamos falar dele lá na frente.

O sentimento de culpa também pode ser parte da reação de um luto. Ou seja, quando perdemos alguém, durante o processo de luto nós podemos nos culpar por ter feito ou não algo.

A culpa em excesso

O sentimento de culpa pode afetar de forma terrível o ser humano. Dizemos isso, pois esse sentimento mantém a pessoa presa ao passado.

Nós fomos ensinados a sentir culpa e vergonha quando cometemos um erro. Esse ensinamento começa desde que somos crianças e nos acompanha por toda a vida. O sentimento de culpa, como dissemos, trás uma carga negativa sobre nós. Deixamos de acreditar em nós mesmos e isso afeta nossos pensamentos sobre o mundo e sobre nós mesmos.

O problema é que esse sentimento de culpa em excesso não nos motiva a sermos melhores. Ao contrário, nós ficamos nos lamentando e julgando de maneira ferrenha. É um sentimento tão pesado que não conseguimos aprender com o que julgamos errado e voltamos a repeti-los.

Além disso, segundo pesquisas da Universidade Princeton e de Waterloo indicam que o excesso do sentimento de culpa pode acompanhar uma sensação de aumento de peso. Sobre isso, Martin Day da Universidade de Princeton diz que:

Constatamos que a lembrança de atos pessoais antiéticos cometidos levou os participantes [da pesquisa] a relatar peso corporal subjetivo aumentado em comparação com quando recordavam seus atos éticos, atos antiéticos de outros ou não se recordavam de nada. Também constatamos que esse senso de peso aumentado estava relacionado ao sentimento de culpa maior dos participantes e não a outros sentimentos negativos, como tristeza ou repulsa.

Além disso, o sentimento de culpa em excesso pode resultar em doenças ou atitudes paralisantes. A seguir vamos falar sobre isso.

A culpa como sintoma de algo mais profundo

O sentimento de culpa não é uma doença. Mas quando sentimento se torna constante e mais forte, pode resultar em doenças ou situações paralisantes. A seguir vamos falar um pouco sobre uma doença e uma atitude que o excesso de culpa pode resultar:

  • Procrastinação: É estranho relacionar o sentimento de culpa e a procrastinação em um primeiro momento. Mas há estudos que indicam que o sentimento de culpa em relação a algo que não conseguimos fazer nos deixa hesitantes. Essa hesitação está ligada a iniciar uma nova tarefa e novamente falharmos. Mas a própria procrastinação promove mais sentimento de culpa e isso vira um ciclo.
  • Depressão: Segundo estudos, as pessoas com depressão sentem-se culpados por tudo e não conseguem enxergar soluções. Nesses estudos foi detectado que que há uma separação entre as regiões cerebrais de culpa e conhecimento de comportamentos esperados. Dessa forma, a pessoa com depressão só consegue sentir culpa e nada mais.
Leia Também:  Teoria Junguiana: Tudo que você precisa saber

A culpa como algo positivo

Apesar de toda a carga negativa do sentimento de culpa, algumas visões pensam no lado positivo que ela pode trazer. Uma das principais visões que pensam assim é a religiosa.

Para essa visão, o sentimento de culpa é um conceito necessário sentimento para arrependimento. Esse arrependimento resultaria em uma melhora pessoal, pois só se alcançaria a mudança reconhecendo o pecado. Aqui o arrependimento traria o sentimento de humildade, já que se reconhece falho e assim Deus poderia amparar. Através do amparo de Deus se afasta do erro e isso promove a salvação.

Além disso, o sentimento de culpa faria o individuo reconhecer as diferenças entre seus valores e suas atitudes. Ao reconhecer isso se entende seus limites, de modo que seriamos mais precavidos e humildes.

Como enfrentar o sentimento de culpa

O sentimento de culpa em níveis mais baixos podem ser enfrentados com exercícios e mudança de atitudes. Aqui vamos listar alguns desses exercícios que podem ajudar:



  • Mude sua percepção: Você precisa entender que os seus sentimentos de culpa e negatividade não são realidade. Como assim? Nosso sentimento de culpa é uma percepção, e nem sempre elas estão certas.
  • Faça exercícios: Se exercitar, movimentar nos faz sair de casa e nos conectarmos com o mundo. Além disso, fazer exercício libera endorfina, que é um analgésico natural que alivia a dor e regula nossas emoções.
  • Lide com seus erros: Aceite que você não é perfeito e que vai errar. Errar não te faz menos merecedor do amor.
  • Discuta com seu cérebro: Parece estranha essa atitude, mas sabe quando vem aquele pensamento negativo? Então, quando você ouvir aquela vozinha de “você não merece ser feliz porque errou”, você deve rebate esse pensamento.
  • Sinta que você é merecedor: Não duvide dos elogios que você recebe. Acredite e agradeça esses elogios, mas acima de tudo, elogie a si mesmo e acredite nisso.
  • Troque a culpa por responsabilidade: Ser responsável é diferente de se sentir culpado. A responsabilidade te tira da posição de vítima para a posição de agente. Você reconhece sua culpa e se motiva para melhorar.

Por fim

Como vimos, o sentimento de culpa é algo socialmente construído e ao mesmo tempo intrínseco a todo ser humano. Mas como esse sentimento nos afeta é algo que precisamos deixar sobre vigilância.

Esperamos que as informações que trouxemos nesse artigo tenham te ajudado e os exercícios possam te ajudar.
Caso o sentimento de culpa esteja destruindo você ou sua família, deixe a Psicanálise ajudar. Faça o nosso curso de Psicanálise Clínica 100% online e ainda saia com um certificado para clinicar!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + dezesseis =