série Froid

Série Freud da Netflix reflete a vida de Freud?

Posted on Posted in Psicanálise e Cultura

Para muitas pessoas, Sigmund Freud foi uma figura tão influente quanto polêmica. Tanto que ele e o seu trabalho influenciaram a criação de diversas produções televisivas, como a série Freud da Netflix. Será que essa série reflete a vida real do pai da Psicanálise? É o que nós vamos descobrir!

Sobre a série

A série Freud da Netflix cria uma trama com o pai da Psicanálise envolvendo misticismo e terror. Retratando Freud na juventude, a série nos mostra o psicanalista longe da Psicanálise e ainda trabalhando com hipnose. Quando é convidado para uma sessão espírita ele conhece Salomé, sua futura paciente, possuída por um espírito.

Fugindo de uma biografia, a série descreve Freud envolvido em investigações criminais e ocultismo. Ao longo de oito episódios o público acompanha o protagonista lidando com situações que fogem à lógica humana. Enquanto vivencia o inexplicável, Freud tem de lidar com julgamentos a respeito de si e do seu trabalho.

Freud, a série que banaliza o protagonista

Em vez de se aprofundar no trabalho do psicanalista, a série Freud da Netflix confunde quem não conhece Freud. Tudo porque a produção generaliza os estudos do psicanalista e nos dá informações incompletas a respeito do protagonista. Por exemplo, o contato de Freud com a cocaína.

Embora Freud usou cocaína, a série o retrata como um viciado. Não há registros de que ele se tornou um dependente da droga ou que a usava em grandes quantidades. Ele escreveu artigos explicando como a substância tinha efeito analgésico, mas na época ainda não eram esclarecidos os malefícios da cocaína.

Freud, o charlatão

Um dos maiores desrespeitos que a série Freud da Netflix comete é tratar Freud como um charlatão. Já no primeiro episódio, ajudado pela paciente, Freud encena uma sessão de hipnose para convencer alguns colegas. Ainda que a hipnose fosse, de fato, vista como enganação na época, Freud nunca se prestaria a esse papel.

Ou seja, a série nos mostra como a hipnose usada pelos personagens é algo fantástico, o que não é verdade. Segundo os hipnólogos, o paciente deve se permitir a hipnose e o hipnólogo nunca terá o controle completo da pessoa. Ou seja, embora a hipnose seja um método de indução ao transe, a pessoa hipnotizada não está sob controle absoluto dos outros.

Logo, é difícil acreditar quando a tia da personagem Salomé a controla por meio da hipnose. Voltando à realidade, Freud abandonou a hipnose quando entendeu que os pacientes podiam criar falsas memórias na sessão. Ainda que a Psicanálise não trabalhe com a hipnose, as falhas com a hipnose foram importantes para o surgimento do método de associação livre.

Escada para a narrativa

A série Freud da Netflix não tem o objetivo de retratar a vida do pai da Psicanálise. Mesmo que a série tenha uma narrativa complexa, Freud acaba deslocado em meio as diversas abordagens. O psicanalista serve para dar um contexto à trama em vez de receber uma exploração do roteiro.

Tanto que a personagem Salomé e o militar Alfred estão bem mais destacados na série. Em outras palavras, o nome Freud é um artifício para que a história do psicanalista seja mais fantasiosa. Contudo, é importante ressaltar que essa retratação do personagem e das técnicas que ele utiliza interfere no julgamento das pessoas leigas no assunto.

Leia Também:  Carpe Diem: análise do poema de Walt Whitman

Pontos negativos

A série Freud pode desapontar as pessoas que conhecem a Psicanálise em sua verdade. Existem alguns desvios na narrativa a respeito da vida de Freud e do seu trabalho, além da própria temática. São eles:

Falta de profundidade

Freud é o personagem-título, mas essa versão é muito distante do Freud da vida real. Quem esperava uma representação mais fiel do psicanalista pode não gostar da falta de profundidade no personagem. A ficção e vida real só compartilham a passagem dele por um hospital psiquiátrico, descrença dos colegas e o contato com a cocaína, embora de forma exagerada.

Hipnose

Quase tudo na série em relação ao filme Freud na Netflix é exagerado e com a hipnose não é diferente. A hipnose é quase um superpoder na série e basta uma palavra ou toque para que alguém vire uma marionete.

Cenas gráficas

Nós destacamos esse ponto porque nem todas as pessoas gostam de cenas violentas muito gráficas. Se você não gosta de extrema violência em séries, talvez essa série não seja para você.

Pontos positivos

Embora seja controversa em muitos aspectos, Freud, a série, tem alguns pontos positivos. A narrativa apresenta de forma superficial alguns temas, como:

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Conceitos psicanalíticos e do subconsciente, citando uma parte da vida de Freud

    Após uma análise, o público pode se interessar em conhecer o verdadeiro Freud e como a hipnose funciona de verdade.

    Localização histórica

    A ambientação da série, seja no cenário ou narrativa, é convincente para as pessoas que assistem a série. Por exemplo, nós vemos como os pacientes eram tratados e a medicina do século XX.

    Atuações

    Os atores interpretam muito bem os seus papéis, o que ajuda as pessoas a sentirem empatia pelas histórias deles.

    Você está gostando do nosso post? Então, comente abaixo o que você está achando!

    A ousadia também conta

    A série Freud não possui uma narrativa e tom ajustados, o que causa desconforto para quem conhece a história de Freud. Entretanto, ela pode funcionar se considerarmos a ousadia de trabalhar a personalidade de Freud em outro contexto. As atuações e o clima de mistério se sobrepõem ao excesso de liberdade criativa e história embaralhada.

    Parte da ousadia vem da direção quando ela usa metáforas visuais a fim de explorar a mente dos personagens. A série trabalha uma época onde a Psicanálise estava surgindo. Sem dúvida que representar esse momento na história de Freud usando elementos estranhos e incertos tem o seu mérito de ousadia e originalidade.

    Considerações finais sobre a série Freud da Netflix

    A série Freud da Netflix erra ao distorcer partes da vida de Freud e fantasiar a hipnose da forma que fez. Além disso, a série em sim toma um rumo narrativo que perde o seu eixo no fim da trama. Contudo, ela tem ótimos atores e uma retratação visual do século XX  bastante admirável.

    Essa série levanta alguns debates entre as pessoas a respeito da distorção de uma personalidade como Freud. Ainda que algumas pessoas gostem da série, outras acreditam que a figura do psicanalista serviu para entreter o público. Seja como for, os oito capítulos da série conquistaram interessados nas técnicas apresentadas.

    Além da série Freud da Netflix, que tal você conhecer o verdadeiro Freud em nosso curso online de Psicanálise? Em nosso curso online de Psicanálise nós te ensinaremos a desenvolver o seu autoconhecimento enquanto se aprofunda no trabalho desenvolvido por Freud. Aprender Psicanálise é a garantia que você precisava para despertar o seu potencial interno. Garanta já a sua vaga em nosso curso online de Psicanálise.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *