sexualidade na vida

Sexualidade na Vida: fases da criança até o idoso

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

O conceito sexualidade na vida em cada fase tem sua característica, onde a libido é direcionada para uma nova zona erógena, e essa zona erógena se encontra em algum ponto do corpo.

O conceito de sexualidade na vida em cada fase da vida

A concepção sensorial determina sua fonte de prazer, não ocorrendo de forma isolada, não tendo um momento específico em cada fase, podemos citar por exemplo a fase oral, onde o prazer do bebê, vem através da boca, além disso, a criança sente prazer colocando tudo na boca. Tudo que está relacionado a boca, está relacionada a fase oral, A fase anal está ligada a defecação e ao controle do esfíncter, aonde o erotismo vem através da retenção que causa prazer, com o contato a mucosa anal.

Essa fase pode estar relacionada com o acúmulo de objetos, e não gostam de compartilhar nada com ninguém, uma característica de pessoas obsessivas. Crianças obrigadas a defecar por exemplo, tem a tendência de ter os problemas resolvidas por outras pessoas e procuram fazer outras atividades simultaneamente, e por outro lado pode ser compatível com o sadismo.

Nasce a questão de ambivalência, onde o comportamento depois do adulto pode se tornar um adulto de comportamento hostil ou medroso, dependendo de como foi a fase anal, considerada a fase do controle, onde podem ser sublimadas em artes.

Fase fálica e a sexualidade na vida

Na fase fálica, as genitais têm como principal meio na obtenção de prazer, conhecida também como fase de organização genital infantil, onde a criança encontra satisfação através das genitais. As crianças começam a ter uma curiosidade pelos órgãos sexuais de outras crianças, para comparar e exibir, onde esse desejo está ligado ao desejo anterior, ou seja, a uma fase anterior, como por exemplo o erotismo uretral, demonstrando o seu poder e controle.

A angústia de castração vem nessa fase, como o medo de perder o pênis, onde o menino compara com as mulheres e, a decapitação, a perda dos dentes, são exemplos de concepção com essa fase. Para as meninas, causam problemas com o narcisismo, a inveja, são as primeiras percepções nessa fase, onde mulheres adultas neuróticas.

A fase Edipiana, é uma das fases mais importantes pois causa um interesse da criança pelos progenitores, ou seja, o menino tem interesse pelas mães e as meninas têm interesse por seus pais. Conhecido como complexo de Édipo, onde há uma disputa e ambivalência, causados pela disputa com seus pais. Se nessa fase a crianças estão desenvolvendo o superego, que regula a aprovação ou aprovação vindas através do superego, e ela é obrigada a desistir diante de alguém mais poderoso, e desiste dos desejos por seus progenitores conhecido como período de latência, que se inicia a partir dos 9 anos.

Sexualidade na vida e o superego

O superego dos pais, contribuem para o desenvolvimento de seu superego, que passa os valores sociais e familiares, e através dessas exigências, são colocadas regras e causando sofrimento e punição se essas regras forem quebradas. Aos 9 ou 10 anos o superego se torna permanente, e os comportamentos incestuosos são reprimidos, direcionando a libido em outros “lugares”, e muitas vezes buscando a satisfação em outro alvo no sexo oposto, como objeto de sublimação.

Esse medo de ser punido é o que se caracteriza a formação do superego, e se a criança não recebe a devidas punições, a criança cresce com a perspectiva de fazer tudo que ela quiser, como se estivesse no processo de perversão, podendo ocorrer o processo de identificação com os pais, repudiando seus desejos e se tornando com os aspectos parecidos com o superego dos pais.

Leia Também:  Descoberta da Sexualidade na infância e adolescência

Esse componente pode ser mudado a partir da identificação com a sociedade e aquilo que ela aprende com o tempo, e isso vai transformando o superego, modelando o individuo de acordo com as regras morais e sociais, porém a construção do superego após a fase edipiana. Depois da fase de latência a partir dos 12 anos, vem a fase de maturação psicossexual ou puberdade e vai até os 18 anos, sendo uma fase de conflitos no interesse sexual e conflito com os pais.

Considerações finais

Essa mudança é muito grande, onde o corpo físico se altera, como crescimento de pelos nos meninos e menstruação nas meninas (normalmente) acontece nessa idade. A partir dos 16 ou 18 anos, surgem os pontos de fixação, configurando no retorno a uma fase anterior, seja ela oral, anal ou fálica, diante de uma ansiedade de um relacionamento não estável, contribuindo para um retorno as fases anteriores, em busca de um prazer, podendo contribuir também para um comportamento neurótico.

Se essas fases não forem bem estruturadas, o adulto pode ser afetado pelas más formações da fase Edipiana, direcionando essa estrutura distorcida através de representações distorcidas com relação as fases iniciais, onde essa energia pode ser má direcionada, ocasionando todo tipo de neurose, e distúrbios sexuais.

A sexualidade do idoso, se caracteriza pelo envelhecimento, onde é importante destacar nessa fase, um preparo para que o idoso consiga manter sua saúde física e mental, para não sofrer com o desgaste ocasionado pelo tempo.

O presente artigo foi escrito por André Xavier, cursando marketing, psicoterapeuta, estudante de psicanálise, Master coach, terapeuta holístico, @andrexavier_universo_quantico.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *