sonhos revelam o que

Sonhos revelam o quê e quem somos?

Posted on Posted in sonhos

Os sonhos revelam o que? Segundo Freud, “os sonhos são a via régia para o inconsciente.” Todo sonho significa alguma coisa. Engana-se quem pensa que o que sonhamos, na maioria das vezes, não tem importância ou são apenas alegorias sem sentido que nossa imaginação cria.

Os sonhos revelam o que?

Os sonhos são mensagens que nosso inconsciente traz à nossa consciência, só que para que seja possível entendê-las, precisam ser decifradas. Na antiguidade, os sonhos já serviram como guias, premonições e causaram mudanças na história da humanidade. Nas artes, funcionaram como inspiração para criatividade de grandes mestres, como pintores, escritores e poetas.

Mas, foi na psicanálise e na psicologia que o sonho ganhou uma notoriedade mais científica, abrindo os olhares e expandindo a consciência de quem procura por essas formas de terapias. Freud, em seu livro chamado “A interpretação dos sonhos” (1900), trouxe uma visão muito profunda sobre o que eles significavam para a vida e a psique do seu sonhador.

Segundo ele, os sonhos eram desejos e ideias reprimidas, principalmente de natureza sexual, que ficavam escondidos no inconsciente e, ao dormir, eram soltos da censura do ego e podiam aparecer na mente consciente, porém em formas e símbolos difíceis de compreender. Já Carl Jung, fundador da psicologia analítica, não pensava da mesma forma que Freud – em que os sonhos representavam desejos não realizados.

Sonhos revelam o que para Jung?

Para Jung, as imagens simbólicas que apareciam nos sonhos eram realizações e revelações claras que levavam a diversos tipos de significados não só do passado mas também do futuro. Independente da linha de pensamento analisada, precisamos entender que cada pessoa é um universo único e carrega uma bagagem emocional, mental, biológica.

E é exatamente por isso que nem todos os sonhos vão significar a mesma coisa para cada um de nós. Lembra dos guias de sonho onde você procurava o significado do que havia sonhado na noite passada? Para a psicanálise esses guias não trazem a real relevância do que aquela mensagem pode significar. Há sim muitos sonhos genéricos de serem sonhados (como perder um ou mais dentes, por exemplo), e nesses casos, há um senso comum do que aquela mensagem pode significar.

Mas, na grande maioria dos casos, os sonhos precisam ser analisados de maneira individual. Os nossos sonhos são ferramentas poderosas no entendimento do nosso ser. Tudo que consumimos e vivemos durante o dia como informações importantes, alegrias, preocupações, traumas ou tristezas ficam armazenados na nossa memória e inconsciente.

Sonhos e equilíbrio psíquico

Quando dormimos, o nosso cérebro faz uma faxina, restaurando nosso equilíbrio psíquico e emocional, mas, muita informação ainda fica armazenada e é com essas imagens e símbolos, que o nosso cérebro utiliza para nos trazer mensagens e entendimentos. A maior parte do que somos, está no nosso inconsciente. Memórias que não podemos acessar de forma fácil.

Traumas, tristezas, sensações que não estão claras. A maioria desses sentimentos são impossíveis de acessar de forma fácil, requerem autoconhecimento, análise, acolhimento das nossas fraquezas. Então, se é no inconsciente que nós realmente nos formamos enquanto seres humanos, os sonhos tem papel primordial na busca do entendimento que muitas vezes buscamos.

A psicanálise pode ajudar nesse papel, ao analisar símbolos e partes do que foi sonhado e relacionar com o momento de vida que aquele indivíduo está passando. A forma com que nosso cérebro quer nos mostrar isso é muitas vezes duvidosa e confusa. Mas, cabe a nós (e ao nosso analista) tentarmos desvendar o que a nossa própria mente que nos dizer.

Sonhos recorrentes

Muitas pessoas se questionam, pois muitas vezes tem o mesmo sonho por vários anos. Nesses casos, podemos imaginar que há muitas situações emocionais que precisamos entender em nós mesmos e elaborar. Quando essas feridas ainda não estão cicatrizadas, o nosso inconsciente insiste em nos mostrar isso. Esses sinais podem ser vistos em sintomas físicos, problemas emocionais ou trazidos em sonhos recorrentes.

Para que a análise dos sonhos seja feita de forma correta, o ideal é manter um bloquinho de anotações ao lado da cama. Ao acordar, tente anotar tudo que consegue se lembrar: imagens, sons, flashs, pessoas. Tudo que aparecer no seu sonho enquanto conteúdo manifesto – isso é, o que você conseguir lembrar ao acordar -, será de extrema importância ao ser analisado por você e seu analista, ou quando você, enquanto psicanalista, for analisar o seu paciente.

Leia Também:  Sonhos na psicanálise: o mundo onírico segundo Freud

Sabemos que nem sempre lembramos do que sonhamos na noite anterior, muitas vezes achamos até que não tivemos sonho algum, mas acredite: você sonha todos os dias. O hábito de anotar o que conseguir recordar assim que levanta, faz com você consiga ir aos poucos, acostumando sua mente a trazer ao seu estado de vigília alguns elementos que apareceram durante a noite, enquanto você dormia.

Conclusão sobre os sonhos revelam o que?

Quanto mais conseguirmos abrir a nossa mente consciente para o inconsciente e buscar o nosso autoconhecimento, mais os nossos sonhos nos mostrarão quem somos, lá no fundo do nosso ser. “Os sonhos não são invenções intencionais ou voluntárias, mas pelo contrário, são fenômenos naturais que não diferem daquilo que representam. Não iludem, não mentem, não deformam, não encobrem, mas comunicam ingenuamente o que são e o que pensa.” (Jung, 2006)

Este artigo sobre “Sonhos revelam o quê?” foi escrito por Maria Eugênia, ou para simplificar: Maria. Formada em publicidade e propaganda, com bagagem profissional na área de comunicação e marketing. Desde sempre interessada pelo comportamento humano, tenta diariamente se auto-entender e compreender o mundo que a cerca. Curiosa, apaixonada pela vida, pela praia, família, amigos e seus 3 gatinhos. Contato: [email protected]

2 thoughts on “Sonhos revelam o quê e quem somos?

  1. O sonho muitas vezes, carrega em si, uma espécie de genética histórica e/ou profissional. Percebo que logo buscaram dar parâmetros as gerações: X, Y, Z, Millenium, mas o avanço tecnológico percorreu uma longa estrada: quem imaginaria os desdobramentos da radiofrequência ou radiologia, em antenas de celular e tomografias, respectivamente. Assim é ser Cientista: Não foi contemporâneo do passado mas o aperfeiçoa no tempo presente! Através do sonho soube o que foi no terreno comprado pelo meu avô, antes dele adquirir: mineração! E um detalhe: as construções iniciais, feitas após o meu avô ter comprado o terreno, não atingiram onde era o alojamento dos mineiros e a atividade de mineração. Foi a ampliação da área construída que alcançou os locais ocupados no passado! De todos os descendentes dos meus avós eu que tive esse sonho, ou seja, carrego em memória que chamo genética essa história do local! A parapsicologa Maria Madalena Savi, outrora no curso, disse que mesmo que os locais não se mantenham como eram, mas sonhar como eles eram, a gente esteve naquele local como sonhamos. Como sabemos o espaço, muitas vezes, é utopia ou convenção do dia a dia da Sociedade! Se a Humanidade tivesse a consciência de estar ligada ao Universo e ser parte do Ecossistema não precisaria firmar tantos documentos internacionais em que os governantes se comprometam a cuidar dos recursos naturais! Cuidariam sem presenciarmos tais documentos se tornarem “letras mortas” como se diz!

  2. Muito bom artigo,parabéns! Realmente temos que sempre buscar, mais e mais conhecimentos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.