Vicio em Internet: definição e 3 dicas para superar

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

É praticamente impossível pensar no mundo moderno sem a intervenção da internet. A mesma veio para facilitar muitas demandas, mas infelizmente também pode ser motivo de desvios no tocante à uma rotina sadia. Entenda melhor o impacto do vício em internet e o que você pode fazer para superá-lo.

A realidade

Para absolutamente tudo o que se pensar, a internet se tornou um item essencial, ou seja, nada dispensável. Isso vai desde transporte, alimentação, educação e até consultas médicas, que muitas vezes são conduzidas via aplicativo. A modernização visa o conforto absoluto para uma população de bilhões de pessoas e aí é que o problema começa.

O comodismo absoluto é justamente o que provoca o vício em internet, fazendo o mundo refém de pequenos aparelhos. Sem sair de casa, temos acesso a um mundo projetado e também à realidade à qual queremos viver, que é bastante seletiva. Por causa do prazer imediato que sentimos, fica bastante difícil desapegar dessa rotina.

Cabe ressaltar que o vício em internet revela dados importantes a respeito de nossa composição psíquica. Por exemplo, pessoas mais carentes de atenção poderão partilhar infinitas fotos nas redes sociais. Isso porque as curtidas darão para ela a sensação de que é assistida. Cada caso varia, mas o mal-estar do vício é sentido de forma semelhante.

Educação também conta

O vício em internet advém diretamente da educação que recebemos em casa. Em um mundo idealizado, os pais conduzem os filhos a se portarem adequadamente em casa e refletir esse comportamento em sociedade. Isso acabaria gerando um efeito em cadeia, de modo a inspirar outras pessoas. Entretanto, não é bem assim que acontece.

Atualmente, a nova geração é educada com um celular em mãos enquanto está jantando com a família. Ao invés de nutrirem uma conversa saudável entre si, sabendo dos pormenores do cotidiano, se concentram na tela do celular. Essa falta de contato acaba por gerar um grupo mais apático em relação ás emoções e necessidades dos demais.

Sem contar também que o celular é usado como moeda de troca e recompensa. As crianças sem comportam de maneira a chamar a atenção porque sabem que receberão o celular como forma de aquietamento. Isso denuncia uma despreparação dos pais para lidar adequadamente com a birra dos filhos, algo que não era um problema para muitos pais há algumas décadas.

Consequências

Como deve imaginar, o vício em internet deixa marcas profundas e visíveis em qualquer indivíduo. O mesmo passa a se abstrair do mundo, de modo a tornar esse um local a parte da sua vida. Se ele não usa o celular para vê-lo, praticamente pode ser considerado como cego. Os sinais mais comuns de sua condição se encontram em:

Ansiedade

A pior coisa que pode acontecer a um viciado em internet é esquecer o seu celular. Há casos onde o indivíduo retorna, não importa o quão distante esteja de casa, para buscar seu dispositivo. Ademais, se este não consegue, entra em um estado ansioso gradativo e desconfortável. Com isso, só sossegará quando estiver conectado novamente.

Falta de concentração

Se algum viciado se mantém distante da internet por muito tempo, não consegue focar em outras coisas. O trabalho acaba se tornando uma saga literária complexa, visto que a pessoa procura a internet em detrimento de sua produção. Com o passar do tempo, isso pode comprometer seu rendimento e continuação no emprego.

Leia Também:  Paralisia do Sono: o que é, como tratar?

Distância física e emocional

Infelizmente, algo que é corriqueiro com a intervenção da internet é o distanciamento das pessoas. Apesar de irônico, já que a ferramenta em suma nos aproximaria, esse é um problema real e preocupante. Hoje em dia, por exemplo, é bastante incômodo receber uma ligação ao invés de uma mensagem. Muitos até desligam e respondem com uma mensagem de texto.

Relação entre depressão e internet

O vício em internet pode ser comparado com uma pedra amarrada em corda jogada ao mar e ligada ao nosso pé. Apesar de ser maravilhosa, a internet influencia negativamente em nosso modo de vida e interação. Sem contar também que altera a nossa dinâmica de pensamento comum, nos tornando criaturas mais infelizes.

Quanto mais tempo passamos na internet, mais propensos estamos a desenvolver depressão. Isso porque, imersos em realidades aparentemente melhores que as nossas, nos comparamos e nos depreciamos. Por exemplo, jovens com problemas de imagem se sentem mal toda vez que encontram um corpo padronizado na internet.

Por isso que muitos depressivos desencadeiam sua situação quando entram em contato com a internet. A mesma acaba servindo de catalisador para algo que já estava guardado no interior desse indivíduo. O problema é que, além de ser gatilho, ela também intensifica o problema, nos fazendo sentir mal com nossa própria vida.

3 dicas para superar o vício em internet

Pode não ser fácil, mas é perfeitamente possível superar o vício em internet. Tudo depende de sua consciência em enxergar a situação como um problema e ter força de vontade. As primeira semanas é que vão definir como pode se libertar desse mal-estar virtual e contínuo. Por isso, tente começar:


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


1 – Estabeleça regras

Ao invés de se conectar durante todo o dia, que tal estipular horários ao seu acesso? Por exemplo, você pode acessar pela manhã e no começo da noite, de modo a não atrapalhar sua rotina. Ou verificar quantas horas permanece online e reduzir para 60 ou 90 minutos ao dia, no máximo. Pode parecer pouco, mas a sua vida agradecerá.

2 – Desligue o celular em momentos de produtividade

Nada de ficar trabalhando com o celular ligado e conectado às redes sociais. Por mais que seja tentador, isso acaba tirando o foco de seu trabalho principal. Quando nos dispomos a dividir atenção, ficamos mais propensos a cometer erros. Tratando-se de trabalho, certamente não quer receber um feedback negativo, certo?

3 – Faça atividades onde a internet não seja tão necessária

Em vez de gastar sua folga conectado à internet, por que não reúne os seus amigos para uma atividade conjunta divertida? Fazendo alguma atividade produtiva com eles, você terá menos chances de se entregar ao celular. Sem contar que também poderá aproveitar bons momentos juntos, únicos em essência e oportunidade. Aproveite para cobrar a saída que alguns amigos devem a você.

Comentários finais sobre o vício em internet

O descontrole no uso de dispositivos conectados pode fazer com que criemos o vício em internet. O principal problema é que a sensação de estar conectado é bastante recompensadora e imediata, o que dificulta a liberação. Assim, os mais despreparados ao uso se tornam presas fáceis e manipuláveis.

A fim de evitar problemas maiores, precisamos entender como o vício está afetando nossas vidas. Assim, devemos observar tudo aquilo que deixamos de fazer em prol da conexão mal feita com o mundo virtual. Há casos mais graves onde a reabilitação se mostra a única saída quando todas as alternativas se esgotaram. Nesse contexto, a cura voluntária é bem melhor.

Leia Também:  Infância e Alguns dos Seus Aspectos Emocionais

Para ajudar nisso, se inscreva em nosso curso 100% online de Psicanálise Clínica. A psicoterapia proporciona um entendimento adequado das relações que mantemos com os outros e com nós mesmos. Por causa do autoconhecimento adquirido, ficará mas fácil entender as necessidades humanas e tratá-las de maneira adequada, principalmente no tocante a problemas tais quais o vício em internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 3 =