fobia de altura

Acrofobia ou fobia de altura: causas e tratamentos

Posted on Posted in Fobias

As fobias se caracterizam pelo medo intenso e irracional, que causam terror, angústia e intensa ansiedade.

Em resultado, o fóbico paralisa sua rotina, de forma a contornar situações a fim de evitar quaisquer gatilhos.

Dentre as fobias específicas está a acrofobia, que é este medo intenso de altura, mesmo que não exista nenhum perigo à vida.

De antemão, vale ressaltar que o medo de altura quando se está em uma situação de perigo é extremamente comum, afinal, nossos medos fazem parte do instinto de sobrevivência.

Porém, esses medos se transformam em fobias quando, mesmo que inexista risco, a psiquê é afetada em meio aos estímulos fóbicos.

Primeiro, o que são fobias?

Como falamos, as fobias são os medos intensos e irracionais, de forma a prejudicar todas as atividades do indivíduo.

Até as situações simples causam pavor e, assim, para evitar o sofrimento causado, o fóbico faz com que suas ações cotidianas sejam condicionantes àquilo que lhe causa a fobia.

Em outras palavras, quem sofre com fobia vive em função do medo. De tal modo que seus planos, por mais simples que sejam, circundam a evitar a situação que, em sua mente, criou como de risco à sua vida.

Ou seja, o que para as pessoas de fora são comuns, como andar de elevador, para quem possui fobia de altura, pode sofrer com crises de ansiedade e pânico.

Significado de acrofobia

O significado de acrofobia, no dicionário, é o medo doentio de lugares muito altos, o receio patológico de altura. O termo tem origem do grego ákros, que significa alto, mais phobos, que significa medo.

O que é acrofobia?

Acrofobia é um transtorno de ansiedade caracterizado pelo medo intenso e persistente de lugares altos, mesmo que não haja perigo real. Por óbvio, nem todo medo de altura trata-se de acrofobia. Como, por exemplo, estar na ponta de um penhasco, para maioria, causará medo, diante do iminente perigo à vida.

Ao passo que para quem sofre de acrofobia o medo de altura é exagerado, como medo de elevador, escadas e edifícios. Situações estas que eventuais riscos são raros e geralmente não causam medo nas pessoas.

Ainda, é válido observar que acrofobia difere de aerofobia, que é a fobia de voar em aviões. A fobia aqui demonstrada se refere a lugares altos, independentemente do lugar ou situação.

Ou seja, mesmo que esteja protegido, como com grades em prédios, o fóbico reage um medo desproporcional.

Sintomas da acrofobia

O principal sintoma da acrofobia é a limitação que a pessoa tem a lugares altos, impedindo que ela pratique atividades rotineiras, como utilizar escadas rolantes.

Além disso, em meio ao estímulo fóbico, a pessoa sofre com sintomas físicos e psicológicos, como, por exemplo:

QUERO INFORMAÇÕES PARA ME INSCREVER NA FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    • tontura e vertigem;
    • dor de cabeça;
    • náuseas;
    • aumento na frequência cardíaca;
    • crises de pânico;
    • ansiedade;
    • falta de ar;
    • suor excessivo;
    • tensão muscular;
    • desequilíbrio;
    • involuntariamente se agarra a um local que se sinta seguro;
    • crises de choro;
    • tremores, etc.

    Principais causas fobia de altura

    Acrofobia fobia altura causas

    Como em outras fobias específicas, a acrofobia pode ter origem em diversos fatores da vida do indivíduo. Sendo o principal deles traumas sofridos no passado, que podem ser conscientes ou inconscientes.

    No geral, as fobias resultam da junção de fatores genéticos e ambientais.

    Assim, questões genéticas podem influenciar em seus comportamentos e emoções. Além disso, pode ser resulte das experiências pessoais sofridas, como, por exemplo, no caso da fobia de altura, algum acidente com queda, sofrido anteriormente.

    Ainda, a fobia de altura pode também ter relação com a evolução da espécie humana, como um instinto pela sobrevivência. Entretanto, em se tratando de uma fobia, este medo de altura é extremo e incontrolável, sem qualquer motivo aparente.

    Além de traumas sofridos no passado, a acrofobia também pode ser causada por fatores genéticos ou ambientais, como a exposição a situações que envolvam altura durante a infância.

    Nesse ínterim, ressaltamos haver uma linha tênue entre o medo e a fobia. Como dito anteriormente, o medo é algo comum, sendo ele como um mecanismo de defesa, que nosso corpo manifesta em meio a uma situação de perigo.

    Ao passo que no caso de uma fobia, este medo é extremo e desproporcional, onde a pessoa está protegida, não existindo uma razão real para sua reação de terror.

    Quais os tratamentos para o medo de altura?

    Primeiramente, para as fobias é importante se descobrir a origem do medo extremo. Para isso, recomenda-se que o fóbico passe por sessões de terapia, como, por exemplo, com um psicanalista.

    Com a Psicanálise, uma terapia do inconsciente, o profissional utilizará de técnicas para encontrar quais são as causas da fobia. Em sua maioria com relação a traumas de infância, o psicanalista encontrará formas de solução do problema psíquico, que afeta o cotidiano do indivíduo.

    Criada por Sigmund Freud (1856-1939), a Psicanálise busca entender sentidos implícitos que podem dar as respostas para conflitos internos e externos da pessoa.

    Leia Também:  Como não ter medo de altura

    Nesse sentido, para Freud, sintomas físicos e emocionais resultam de conflitos que existiram anteriormente na psiquê. Com isso, se descobre a origem e encontra-se a solução dos problemas, como fobias.

    Em paralelo, para os casos mais graves, pode ser necessário o tratamento com medicamentos, com receituário de um médico psiquiatra, como antidepressivos e ansiolíticos.

    De forma geral, as opções de tratamento para a acrofobia incluem terapia, medicamentos ou uma combinação dos dois.

    Para lidar com a acrofobia no dia a dia, é importante evitar situações que desencadeiem a fobia e desenvolver estratégias de enfrentamento para lidar com os sintomas da fobia. Algumas estratégias de enfrentamento incluem:

    • Relaxamento muscular progressivo
    • Terapia cognitivo-comportamental
    • Exposição gradual

    Dicas para lidar com fobias

    A coragem e perseverança são características humanas que são motivadas para enfrentamento dos medos. Então, utilize-as ao seu favor, para que o medo não seja o seu foco na vida, limitando-o à preservação de sua vida.

    Além disso, você deve respeitar os seus sentimentos e emoções, somente assim conseguirá confrontá-los. Em seguida, analise se estão sendo prejudiciais à sua vida e decida como agir. Se você não souber o que fazer para lidar com seus conflitos internos, procure ajuda de um profissional especializado em saúde mental.

    Nesse sentido, podemos assimilar os medos como um alerta para que você encare a responsabilidade por si mesmo. Para tanto, você deverá tomar atitudes para aprender a lidar com seus conflitos internos, encontrando uma solução para que consiga se libertar dos medos e ser feliz.

    Em suma, a acrofobia se caracteriza pelo medo intenso e desproporcional de lugares altos, causando no fóbico reações físicas e emocionais. É como se a pessoa perdesse o chão, perdendo o controle sobre seus atos. Como, por exemplo, ter uma crise de pânico ou se agarrar nos lugares, mesmo que não exista qualquer risco à sua vida.

    Acrofobia fobia de altura frase

    Considerações finais sobre acrofobia

    Quer saber mais sobre fobias? A Psicanálise lhe será uma grande fonte de conhecimento, onde você conseguirá se aprofundar nos segredos da mente humana, principalmente sobre a mente inconsciente. Por isso, lhe convidamos a conhecer nosso Curso de Formação em Psicanálise, oferecido pela IBPC, onde você entenderá sobre a psiquê humana e entenderá como se desenvolvem as fobias.

    Além disso, este estudo lhe trará a expertise necessário para aperfeiçoar o autoconhecimento. Pois, com a Psicanálise, terá visões sobre si mesmo, que possivelmente seria impossível de conseguir sozinho.

    Por último, se você gostou deste artigo sobre acrofobia e se interessa pelo estudo da psiquê humana, não se esqueça de curtir e compartilhar em suas redes sociais. Dessa forma, nos incentivará a continuar conteúdos de qualidade para nossos leitores!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *