além da alma havia Freud

Além da alma havia Freud

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

No presente artigo entenderemos sobre o que significa Além da alma havia Freud.

Entendendo Além da alma havia Freud

Qual a diferença entre o homem e o animal? Se formos seguir alguns preceitos religiosos, o homem se diferencia do animal porque possui uma alma e o animal não. É uma visão bem conveniente, pois assim podemos explorá-los de todas as formas, e praticar contra eles toda espécie de iniquidade. Assim também eram considerados os escravos, principalmente os africanos, dessa forma, a sociedade dominante se livrava da culpa.

O homem teoricamente se diferencia do animal porque é capaz de desenvolver inteligência e consciência, moldar o seu comportamento, planejar e executar tarefas, planejar e colocar em pratica suas atividades. Além disso, o homem também consegue desenvolver suas virtudes como compaixão, empatia, solidariedade, entre tantas outras. Consegue, também, desenvolver e cultivar valores, como princípios morais e éticos que conduzem a vida de uma pessoa.

O desenvolvimento de valores, virtudes e sabedoria, fazem parte da formação da consciência e da maneira de agir e se relacionar em uma sociedade. Do ponto de vista filosófico, o que nos diferencia dos nossos irmãos animais, é exatamente essa capacidade, ou seja, nascemos animais e nos tornamos humanos ao longo da vida, exatamente porque temos a capacidade de desenvolver valores, virtudes e sabedoria e uma consciência para lá daquela do animal.

Além da alma havia Freud e preceitos religiosos

Se levarmos em conta alguns preceitos religiosos e partirmos do princípio que os animais não têm alma e nós temos, mas nascemos tão “animal” quanto eles, então haveria a necessidade de se desenvolver uma “alma humana”, uma “consciência humana”? No antigo templo de Apolo, na cidade de Delfos, havia um famoso oráculo em cujo portal estava escrito “conhece-te a ti mesmo”. Ora, até hoje nós sabemos que existe em nós uma parte que é desconhecida de nós e desconhecida também dos outros.

Essa parte desconhecida, é na maioria das vezes aterrorizadora para nós, terreno minado sensível ao toque, ao som, ao cheiro, a qualquer estímulo sensorial que explode ao menor estímulo. Assim é que de repente uma pessoa amável e gentil, de repente atira seu carro contra a multidão. Um rapaz calmo e tranquilo que do nada surge em uma escola metralhando as pessoas; um genocida vegetariano que envia milhões para serem queimados nos fornos nos campos de concentração a vida está repleta de exemplos como esse, de que a alma, essa desconhecida, precisa ser trazida a luz para que a desumanidade seja arrancada dos seus esconderijos mais secretos.

Além da filosofia, qual outra área de conhecimento poderia ajudar a desenvolver a nossa “consciência humana”? E como uma pessoa pode conhecer e entrar em contato com lados desconhecidos da sua alma? Além da maldade, há bondade no carrasco. Observe-o com sua família, com seus animais de estimação. Observe um sacerdote, ele tem o lado do bem, cultivado e admirado pelos seus seguidores, mas também há nele o lado do mal, manifestado ou não.

Além da alma havia Freud e o psiquismo humano

Essa dualidade faz parte do psiquismo humano, bem e mal são só aspectos duais de “nossa alma”, logo se não os conhecemos, se não nos conhecemos, como saber como desenvolvê-los ou como contê-los? No filme “Freud além da alma“, temos um panorama dos primórdios da psicanálise, de como ela surgiu e quais foram as tentativas de se organizar e sistematizar um conjunto de conhecimentos para se chegar a um método investigativo consistente sobre a estrutura e o funcionamento da vida psíquica, e de como isso repercutia na rotina diária do investigado.

Leia Também:  Energia Libidinal: significado em psicanálise

Porém, mais que isso, antes de surgir a psicanálise havia uma escuridão, um vazio, um não saber a respeito desse aspecto fundamental da condição humana, a vida psíquica. Mergulhado nessa escuridão está Freud, atormentado pelos seus tormentos e pelos tormentos se seus pacientes, atormentando pelos tormentos da sociedade médica e da sociedade vienense.

Freud não estava em busca de um método que se baseasse somente em experiências vividas a partir de observação das coisas (empirismo) mas também, e até porque era um cientista médico, buscava algo que aliasse os conhecimentos científicos que ele já tinha com algo novo, diferente, que submetido à experimentação do dia a dia, pudesse ser sistematizado em um conjunto de passos investigativos que levasse a um diagnóstico conclusivo onde então seria possível prescrever ou tentar a “cura”.

Conclusão

Embora pareça que a psicanálise tenha surgido de uma forma quase empírica, na tentativa e erro, ela não prescindiu da ciência, e isso dá a Freud a necessária credibilidade para apresentar os seus trabalhos. Essa credibilidade foi importante, porque Freud, como todo aquele que apresenta o novo, que resolve quebrar paradigmas, enfrenta uma enorme resistência pelos que não querem mudar, que não querem deixar a zona de conforto do conhecido.

Apesar de ridicularizado pela sociedade médica, pelos colegas, de não ser compreendido nem pela esposa, Freud vai além, desafia toda a sociedade quando apresenta a questão da sexualidade infantil e sofre de imediato um enorme cancelamento pela sociedade. Apequenado pelos outros, pelo exterior, ele se volta para o interior, para a sua grandiosidade.

Surdo, cego e mudo para o mundo, ouve sua alma, escuta sua inteligência, segue o seu Mestre Interior. E é assim, olhando para o futuro, que esse Mestre entra para a história, se eterniza porque além da alma, havia Freud. Sorte dela!!!

Este texto “Além da alma havia Freud” foi desenvolvido por Marco Ishimura para o blog do curso Psicanálise Clínica.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    One thought on “Além da alma havia Freud

    1. Um breve comentário. Sim! Há algo no homem além de sua alma. Preciso, lógico, compartilhar isso com alguém que creia na criação do homem como um ato consciente e proposital de alguém que é um ser maior, Deus! Ele tem um propósito definido com isso. Tudo, para quem crê, é explicável. Além da alma humana existe um espírito humano no homem, isto é, além do seu corpo que todos constata. Então assim, o homem é contido de um espírito, alma e corpo. Aquele que nos fez, é Espírito, e precisa que o homem use este espírito humano para recebê-Lo, contata-Lo e relacionar-se com Ele ao ponto de sermos homogêneos com Ele em nós para os resultados tão desejado por Ele e toda a sociedade. Seu propósito é que o homem O expresse na terra hoje com Ele vivendo em nós.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *