O que é autoanálise

O que é Autoanálise: significado e aplicação

Posted on Posted in Psicanálise

Dentro da psicanalise vamos falar sobre o que é autoanálise, que segundo o dicionário significa um conjunto de esforços sistemáticos de uma pessoa visando à compreensão de sua própria personalidade, sem recorrer à ajuda de outrem.

Entendendo o que é autoanálise

A autoanalise de si não é uma tarefa fácil, pois, entra em lugares que não queremos, mexe com as estruturas, com experiências boas e ruins. Muitos de nós as vezes tem a sensação de que tudo o que nos acontece tem a ver com o outro e não com gente. Mas será que realmente tudo o que acontece conosco tem a ver com o que o outro causou? Crescemos culpando as pessoas ao nosso redor, por nossos fracassos, frustrações, anseios, incertezas, tristeza.

Quem já leu a Bíblia, verá que após pecar Adão culpa Deus e Eva pelo seu erro, falando que ele foi induzido ao erro por causa da mulher que Deus deu a ele. Temos a dificuldade de assumir nossos erros, de pagar por eles, de reconhecer que o trânsito engarrafado que me deixa estressado, revela a minha impaciência. É muito mais fácil projetar para um objeto a minha impaciência, os meus erros e frustrações.

Com certeza você tem ou já teve na vida aquele colega chato, aquela pessoa que te irrita, que fala demais, que não é possível ficar perto, que você tem ranço?! Mas, será que todos esses defeitos ou problemas estão no outro mesmo?

O que é autoanálise para Freud

Não podemos negar quando estudamos Freud que sim, muita da nossa personalidade tem a ver com as fases do desenvolvimento libidinal, e, que carregamos consequências quando essas fases não são saudáveis, não acontecem como deveriam. Mas, como nossos cuidadores ou pais poderiam saber disso, muito não tem a consciência desses fatos, reproduzem comportamentos que tiveram dos pais.

Você já se perguntou, por que come demais? Por que é autoritário? Por que tem dependência emocional da sua mãe? Esses e outros comportamentos tem a ver com o que Freud descobriu, das fases libidinais que todo ser humano passa, essas fases precisam ser bem definidas, bem resolvidas para não interfiram na fase adulta, gerando transtornos na personalidade.

Olhar para dentro de si é se auto conhecer, é um relacionamento de perguntas, como se tivéssemos olhando num espelho. Já percebeu que se você ficar se olhando muito no espelho, chega uma hora que você começa e enxergar alguns defeitos em si próprio, já corre logo para a esteticista, para harmonizar a rosto, dá um jeito nas imperfeições.

Relacionamentos interpessoais

Só que isso é externamente, mas, existe um eu interior, que também precisa ser olhado, e ser tratado, pois, também está cheio de imperfeições. E, sabe por mais que seja interno, conseguimos ver externamente, é só termos a compreensão, sabe como? Através das nossas ações, dos nossos relacionamentos interpessoais, através do erro estar sempre no outro. É uma sucessão de coisas que refletimos externamente o que esta dentro.

Nossa ação tem a ver com o que está dentro, sentimentos geram ações, boas ou ruins. Quantas vezes tomamos decisões baseados no que estamos sentindo no momento, e, depois nos arrependemos. Porque não paramos para analisar? Para pensar, sentir se era a melhor escolha? Ai depois ainda culpamos Deus e todo mundo. A autoanálise irá me dá o reconhecimento de quem sou, de meu temperamento, de meus traumas, medos, inseguranças.

Leia Também:  As duas etapas do Tratamento Psicanalítico

Muitas das coisas que eu não suporto no outro tem mais a ver comigo do que com o outro. Uma amiga minha estava me contando a história dela, seu divórcio foi concluído, dois filhos e separada. Ela me relatou que desde de criança sonhava e projetava ter uma família unida, pois, ela viera de um adultério, sem ter tido o convívio paterno em casa, e nem da mãe, já que foi criada pela avó, quando ela ia para a casa do pai, via que lá tinha uma família perfeita, e que ela queria essa realização para ela. Na fase adulta casou-se, teve dois filhos, até ser traída pelo marido, e com consequência um divórcio.

Conclusão sobre o que é autoanálise

Todo sonho, o projeto que idealizou foi destruído pelo marido, e, é nesse momento que há a projeção, o meu sonho foi interrompido por fulano. Mas, não é bem assim, o marido no caso dela foi o objeto da satisfação pessoal dela, do sonho, mas, a culpa dessa frustração não foi toda dele, mas, sim dela, pois, esse sonho tinha a ver com ela e não com ele. Ela me relatou isso, que a idealização era dela.

Disse que não tem ódio dele, pois, foi ela que idealizou um sonho, e ele foi o objeto desse sonho, só que se frustrou, mas, a frustração foi dela mesmo por ela, entende? Ela reconheceu isso, e fez uma autoanalise de toda sua historia de vida. Muitas vezes o problema esta com a gente, uma autoanalise trará clareza sobre quem sou eu, meu passado, minha historia.

Hoje eu te desafio amigo leitor a mergulhar para dentro de si, assim, como Freud fez, e buscar nas profundezas o que há de mais oculto para ser iluminado. Isso acarretará em um relacionamento consigo melhor e com o outro também, sem exigências e cobranças de si e do outro, entendendo que estamos todos em uma grande construção interna que esta em obra.

O presente artigo foi escrito por Thaís Knupp([email protected]) Possui 32 anos, cristã e casada. Cursando psicanálise para autoconhecimento e para ajudar o próximo.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    2 thoughts on “O que é Autoanálise: significado e aplicação

    1. Nas relações interpessoais, tem a máxima de não ficar atrás do outro já que nas costas “carregamos” a energia que nos chega e nem sempre amistosas! Tenho percebido que muitos casais não ficam mais “enamorados”! E cobram, os homoafetivos, liberdade de poderem se beijarem na boca, paradoxalmente, em grupos de amigos, quando eles estão, levemente, enamorados (sem haver o abraço no abdomem), passam por “despercebidos”, entrando na “civilização”: está atrás mas se estão “coesos” consentidos, ok e quanto ao beijo, deixem para a intimidade, a sós! Muitos casais, acabam levando o (a) cônjuge a buscar a “extraconjugalidade” e nem sempre precisa ser no ato sexual, mas numa coesão, como em grupo de amigos e, nesse contexto nem pode querer viver a Bissexualidade, mas como o Reino animal nos ensina (e a Eletricidade,mais ainda): polaridades que se complementam porque não enamorar “em costas” de mesmo gênero! Numa ocasião ouvi de uma vizinha ao “pet”: “Não gosto que fiques me lambendo o rosto”! Ai eu pensei: quem foi retirado do habitat! O pet se adaptando a realidade que “criaram” a ele! O ser humano tem a capacidade de se auto conhecer e, como lembram os Veterinários para adoção consciente: Cada animal tem seu habitat e necessidade de interação com indivíduos da sua espécie, por isso que adote se tem tempo livre para conviverem e dele estar sociabilizado com a espécie, na ida frequente a parques, por exemplo!

    2. Muito obrigado pelo artigo! Temos sim, que fazermos uma autoanálise para nós ajudar e assim também ajudar aos outros!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.