o que é consumerismo

Consumerismo: significado e diferença para consumismo

Posted on Posted in Comportamento

Agora, por todos os lados há ofertas de produtos e serviços, faz parte da rotina da população. Assim, tem-se uma “Sociedade de Consumo”, sem equilíbrio na relação fornecedor-consumidor. Então, o consumerismo surgiu para ir contra o consumismo, com fundamentos para o consumo consciente.

O ato de consumir pode parecer bem simples, mas você já imaginou tudo o que acontece antes daquele produto chegar em suas mãos? Esta cadeia de consumo traz impactos tanto ao meio ambiente como a sociedade em geral. Pois as pessoas vivem, no geral, para ter e não para ser.

Embora o consumismo faça girar a economia do mundo girar, afeta diretamente, questões sociais e ambientais. Então, este movimento traz fundamentos para que o consumo se torne consciente. Para tanto, mostra os impactos da relação de consumo, direitos do consumidor e meio ambiente.

Significado de consumerismo

Em síntese, o consumerismo se refere a um movimento social para um consumo responsável, com escolhas de compras conscientes e sustentáveis. Para que, assim, a sociedade tenha qualidade de vida e as pessoas tenham seus direitos protegidos.

Sobre o aspecto da etimologia (origem) da palavra consumerismo, vem do inglês “consumerism”. Por oportuno, para que você não se confunda, o consumismo é totalmente diferente, significando o ato de comprar em excesso, é uma compulsão por compras sem necessidade.

Qual origem do movimento consumerista?

O movimento consumerista, em suma, é um movimento social que se iniciou em 1962, nos Estados Unidos, visando a conscientização dos consumidores nas relações de consumo. Sobremaneira, surgiu para que os consumidores fossem protegidos da publicidade tradicional, que impunha exigências às demandas.

Sendo assim, se baseia no desequilíbrio da relação de consumo. Por oportuno, importante entender que a relação de consumo é baseada no tripé consumidor, fornecedor e produto/serviço. Entretanto, este movimento ganhou força a partir de 1989.

Neste ano, ocorreu o lançamento de seus ideias na revista “Ethical Consumer”, também nos EUA. Porém, no Brasil, foi importante para assegurar o direito dos consumidores, com a criação do Código de Defesa do Consumidor, em 1990.

O que é consumerismo e para que serve?

Nesse sentido, o consumerismo é um movimento social que surge diante das circunstâncias de desigualdades entre fornecedores e consumidores. Além disso, os impactos ambientes do consumo em massa, sem aplicação dos preceitos da sustentabilidade.

Contudo, o consumerismo serve para se estabelecer uma otimização dos recursos na cadeia de produção dos produtos. Este pensamento consumerista aumenta o número de adeptos, principalmente, diante da crise ambiental do mundo. Neste ínterim, a crise do ecossistema pode ter como exemplos:

  • desastres naturais, principalmente os causados pela ação humana;
  • alterações climáticas extremas;
  • perda da biodiversidade;
  • crise hídrica.

Em suma, são os fundamentos para que a sociedade consuma de forma consciente. Assim, estimula que os consumidores saibam a origem dos produtos e também deem preferência aos que forem sustentáveis. Ou seja, aqueles que são ecologicamente corretos.

Além de outras fatores, como, por exemplo, não comprar produtos de empresas que desrespeitem os direitos dos seus trabalhadores.

Diferença de consumerismo e consumismo

Contudo, consumerismo e consumismos são conceitos opostos. O consumismo é caracterizado pelo ato de comprar impulsivamente, quando não se tem real necessidade do produto ou serviço. Assim, esta prática, traz desequilíbrio entre as partes, gerando uma “Sociedade do Consumo”.

Ao contrário, o consumerismo é a prática de atos que remetem a compras conscientes, que, de fato, sejam necessárias para subsistência humana. Evitando, assim, a aquisição de produtos supérfluos, estimulados pelo marketing, que tenta persuadir as pessoas sobre a sua “utilidade”.

Acima de tudo, esse emprega práticas para que o resultado seja efetivo, não somente uma utopia do consumo consciente. Desse modo, empresas e governos devem aplicar regras efetivas para reduzir os impactos sociais e ambientais do consumo desenfreado.

Consumerismo versus Consumismo

Conforme citado anteriormente, consumerismo e consumismos são conceitos opostos. Em síntese, o consumismo é a compra irracional, por afobação e desnecessidade. Sendo essas ações estimuladas pela manipulação da mídia, através de suas estratégias de vendas persuasivas.

Ao passo que o consumerismo, vem, gradativamente, conduzindo preceitos à sociedade contemporânea sobre compras inteligentes, as quais possuem real necessidade para vida. Assim, esse novo consumidor, é mais seletivo ao escolher seus produtos e serviços.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Exemplos de consumerismo

    Se cada pessoa incluir em seu dia-a-dia algumas das atitudes abaixo, gradativamente, teremos uma sociedade livre do consumismo. Veja algumas das principais ações para incluir no seu cotidiano:

    • alimentos orgânicos;
    • comprar roupas de brechós;
    • produtos de empresas com ações sustentáveis;
    • aplicar o minimalismo.
    Leia Também:  Psicofobia: significado, conceito e exemplos

    Neste ponto, vale uma observação para que você sempre se atenha as falsas promessas de empresas, que oferecem produtos sustentáveis, porém com preços abusivos. Então, importante utilizar os conceitos do consumerismo de maneira efetiva.

    Possivelmente você já viu alimentos orgânicos com preços astronômicos, comparados aos demais. Isso traz aplicação dos fundamentos consumeristas de maneira equivocada. Em outras palavras, existe a prática sustentável por uma alimentação natural, porém, fere direitos dos consumidores em razão da abusividade dos preços.

    Quais medidas pode ser aplicadas para conter o consumismo?

    Na sociedade atual, as relações sociais são reguladas por leis específicas, para que, assim, exista uma convivência pacífica entre direitos e deveres. Dentre as demais influências desta obrigatoriedade, quanto ao consumerismo, possivelmente com a legislação aplicável ele passará a se efetivar.

    Portanto, cabe a governo a elaboração de leis para regular as práticas de consumo, estipulando regras para as empresas e os consumidores. Sendo assim, haverá a união de atitudes regradas para se chegar, enfim, à aplicabilidade do consumerismo.

    Como, por exemplo, empresas desenvolverem produtos ecológicos, e, em paralelo, o governo dar a estas empresas incentivos, com isenção ou diminuição da tributação. Em resultado, a indústria será estimulada para efetivar o consumo consciente.

    Então, como é a sua rotina de compras? Aplica o consumismo ou o consumerismo? Conte para gente o que acha deste tema? O debate é muito importante para uma conscientização sobre o assunto. Deixe seu comentário abaixo, com sugestões e eventuais dúvidas.

    Além disso, se gostou deste artigo, curta e compartilhe em suas redes sociais. Com certeza nos incentivará a sempre continuar produzindo conteúdos de qualidade, que acrescem a sua vida.

    One thought on “Consumerismo: significado e diferença para consumismo

    1. Quando comprei o smartphone o fiz porque meu celular contava com 11 anos e a Internet não era “mais suportada pelo aparelho” e ouvi da vendedora pode “jogar esse fora”. Hoje, aquele celular chegou a “adolescência”: 12 anos e, programado para me acordar amanhã. Diariamente é minha calculadora, em que faço acompanhamento dos gastos já realizados no cartão/mês! Lembram daquele HD Vertical? Pois é o meu já não está funcionando. Virou lixo? Não, nele deixo o controle remoto da TV e guarda chuva pequeno (a mão) caso esteja para chover quando eu sair! É uma “decoração” alusiva ao acesso da Internet pela TV e que o meio ambiente agradece! Tive um óculos de sol que usei por 24 anos e uma colega chegou a debochar com um “que moderno”, ai eu disse que moderno não era, mas o médico ficou perplexo como as lentes estavam protegendo da irradiação solar: uma 100% e a outra perto de 50% (o que motivou a troca, dos óculos, ainda que a armação estivesse inteira)! Troquei o micro-ondas depois de 15 anos, por ter tido, presumo, problema no fusível. Poderia ter buscado constatar se era essa a causa, mas como estaria o sistema das microondas? Esse discernimento de vida útil dos aparelhos é que deve justificar a compra ou não de um novo produto! Em comum a toda decisão sobre compra: avaliar o custoxbeneficio!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.