educação socioemocional

Educação Socioemocional: o que é, como se desenvolve

Posted on Posted in Comportamento

Você já ouviu falar em educação socioemocional ? Ano de 2020 D.C. Nossas vidas mudaram completamente. Um vírus, conhecido como Corona vírus, o COVID-19, colocou o mundo em situação de pandemia, o mundo inteiro em isolamento, nós do Brasil em quarentena desde o mês de março.

Estamos agora em agosto e, ao que me parece, as coisas começarão lentamente voltarem aos seus lugares, claro, dentro da nossa nova normalidade, se é assim que podemos chamar.

Entendendo a educação socioemocional

As pessoas não poderão sair às ruas sem máscaras, álcool gel, não poderão se aproximar além disso, muitos passaram meses em isolamento total, sem terem acesso aos familiares, amigos, muitos sofrendo o luto da perda de um ente querido sem ao menos dizer adeus….Vamos sem sombra de dúvidas entrar para história…e o psicológico, como ficou???

Muitas pessoas com depressão, síndrome do pânico, suicídio, ansiedade, etc; E não somente os adultos passam por isso, muitas crianças estão assim….ansiosas, agressivas, dispersas, não querem ter aulas virtuais, não respeitam os responsáveis, muitos se tornam compulsivos alimentares, outros não querem se alimentar direito. Realmente, nada mais será como antes depois disso.

Para o retorno as aulas, haverá esquemas de rodízio entre alunos, onde ninguém da equipe escolar e nem os alunos poderão ficar sem máscaras. Os professores com medo, alunos com medo, como será?

As mudanças e a educação socioemocional

Com tudo isso, as mudanças ocorrem de forma veloz, as palavras mais clamadas são mudar, modificar, transmutar, transformar, e tudo numa velocidade incrível.

Religiões afloradas, solidariedade, empatia estão “em alta” mas em contrapartida, situações como desigualdades, discriminação, preconceito, histeria, nervosismo, depressão, fanatismo, terrorismo, racismo, entre outras que a nossa humanidade vivencia e que deixam sequelas, como o medo, o receio, a desconfiança e a insegurança, e tendem a atingir a todos, na medida que um novo horizonte mundial, econômico, político, social e comportamental se estabelece, e esse modelo pós-moderno, que estimula a competitividade, o consumo sem precedentes, que oferece uma avalanche de estímulos através dos meios de comunicação, a transição do conceito de família para um com novos modelos, sem regras. Os valores humanos, estão em desequilíbrio.

Não será fácil nos adequarmos, logo, a psicanálise, será a mais do que nunca imprescindível, para as famílias e vida escolar.

A estimulação de sentimentos

A nova diretriz da Base Nacional Comum Curricular, diz que esses tipos de sentimentos, emoções “positivas”, devem ser estimulados dentro das escolas, assim como praticados e ensinados e, é fundamental que a função da escola e do professor seja ampliada para uma dimensão afetiva, fundamentada na educação socioemocional, da qual se possam experimentar as emoções e sensações e formarem alunos com a capacidade de administrar os pensamentos, as ações, as emoções, construindo assim, uma sociedade mais justa, igualitária, empática e humana, onde as pessoas terão mais controle em relação a tantos sentimentos ambíguos, que nos são impostos nos dias de hoje.

A educação socioemocional, é um processo onde os alunos aprendem, dentro do currículo escolar, a pensar, a refletir e efetivamente aplicar conhecimentos, atitudes e competências necessárias ao longo da vida escolar e pessoal.

Entrando como matéria do curriculo escolar e não como curso extracurricular, o intuito da educação emocional é ensinar aos alunos a despertarem essas emoções internamente e a trabalharem isso, como por exemplo o autocontrole, a empatia, entre outros, transformando a escola, a família e a sociedade positivamente.

Leia Também:  Longevidade: hábitos e alimentos para viver mais

O papel dos professores e das escolas na educação socioemocional

Para isso, se faz necessário que os professores e as escolas façam uma adaptação, capacitação e se ajustem a maneira de ensinar os alunos, para que de fato haja uma educação impactante, o que se, aplicado da maneira correta, acarretará na diminuição da evasão escolar, índices menores de prática do bullying, maior sucesso no processo de ensino-aprendizagem, e resulta na crescente interação dos familiares na vida desse aluno.

A base que apoia e educação emocional, inclui autoconhecimento, o trabalho do inconsciente, o gerenciamento das emoções, habilidades de manter um relacionamento saudável (no contexto escolar também), em casa e na comunidade, facilidade na tomada de decisões, consciência social e ética.

Para a psicanálise, a contribuição no contexto educacional proporciona o trabalho e reconhecimento dos processos de aprendizagem, os processos transferenciais e busca também entender como esses aspectos funcionam dentro do consciente para que dessa forma o docente potencialize e transforme o processo de ensino e aprendizagem de maneira significativa.

Ambientes seguros e saudáveis

Pesquisas ao redor do mundo, provam que o melhor aprendizado ocorre em ambientes seguros e saudáveis; ocorrem em um contexto social, pois é difícil separar aspectos sociais e emocionais de processos de aprendizagem educacional; levando então, ao trabalho em equipe, empatia, cooperação e outros valores que fortalecem o caráter humano que são tão necessários para as demandas da comunidade na qual está inserida e, a enorme gama pesquisas relacionadas a educação emocional e seu impacto na evolução do desempenho institucional e na cultura, tornou constante a união da evolução dessas competências aos currículos escolares.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Tudo isso deu para Educação Socioemocional, grande visibilidade e lugar de importância na educação, não tratando-a como curso extracurricular, e sim fazendo parte do PPP como currículo principal, podendo ser reforçada durante todos os dias do ano letivo por meio do apoio ao comportamento positivo na escola, tornando-se parte integrante da vida de todos os alunos, em todas as matérias, integrando a educação socioemocional a todas as áreas do currículo escolar, tornando muito mais fácil para os professores, onde as forças de caráter são ensinadas e reforçadas por meio da leitura, escrita, fala e colaboração com os colegas durante as rotinas escolares, de forma a contribuir com o clima escolar.

    Sendo de suma importância que permita aos alunos aprender a partir de uma variedade de virtudes e valores, características que podem ser, pontos fortes de personagens, incentivadas por meio de histórias, vídeos, ludicismo e instruções diretas. Planos de atividades flexíveis e um suporte ao aluno constante, permitem que os professores provejam aos alunos instruções diretas, práticas e troca de experiências.

    Considerações finais

    O programa fornece às escolas uma linguagem simples e comum, focada em compreender e desenvolver valores essenciais que promovem comportamentos positivos e relacionamentos saudáveis, entre todos na escola, levando esse trabalho para vida pessoal do aluno, com a finalidade de uma transformação positiva

     Desta forma, crianças e adultos garantem uma maior compreensão dos valores, de forma prática, em todas as áreas da vida.

    Atualmente a nossa sociedade está numa constante de mudança de valores, de conceitos, de tecnologias, e outras influências, onde alguns pontos do caráter humano é mais testado e influenciado do que outros, como por exemplo a pandemia que está causando pavor nas pessoas, a necessidade de isolamento, as incertezas de como ficarão as coisas quando tudo isso passar, sendo que parte disso, tem como base, as necessidades apontadas pelo mercado de trabalho, tornando-se imprescindível, então, que um programa de educação socioemocional também tenha abordagens voltadas para as demandas atuais.

    Leia Também:  Poder: significado, benefícios e perigos

    O presente artigo foi escrito por Patty Tena Theophilo, Neuropsicopedagoga, Pedagoga e Psicomotricista, especializada em Educação Inclusiva, Autismo e dificuldades de Aprendizagens, estudante de Psicanálise. Contato: [email protected]

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *