Exegese e Hermenêutica

Exegese e Hermenêutica: significado e diferenciação

Posted on Posted in Conceitos e Significados

De antemão esclareço a você, caro leitor, que o presente texto não é um tratado científico, mas uma opinião pessoal do autor e sobre qual este autor considera relevante o compartilhamento sobre Exegese e Hermenêutica.

Esta advertência, assim no início do texto, me parece importante e válida para o caso de a curiosidade, ou o resultado da pesquisa na internet (seja pelo título ou pelas palavras-chave escolhidas) ter “fisgado” algum estudante avançado, já conhecedor do tema por vias acadêmicas e tradicionais, fazendo com que este leitor ao final se frustre, ou perca tempo, com o conteúdo apresentado neste arquivo.

Entendendo Exegese e Hermenêutica

Este é um texto literário que disserta livremente sobre o tema aposto no título, e, porquanto, não atrelado rigorosamente ás peias do método científico e tradicional, nada obstante podendo, em algum tempo futuro, isto se tornar, desde que com os adequados ajustes retóricos.

Nada incomum é o fato de se deparar com uma explicação extensa, amparada por citações de autores renomados pela história e/ou pelos seus feitos no âmbito da comunidade acadêmica, além de avalizada pelo renome alcançado pelo próprio autor da explicação em si, que ao fim, embora possa em algum trecho do próprio ensinamento ali contido negar, exibe como sinônimos hermenêutica e exegese.

Não que eu pretenda negar, ferrenhamente, que nunca o sejam em alguma medida, devo advertir. A opinião deste autor sobre o tema ora em foco é ampla, complexa e mui vasta, de tal sorte a não caber num texto ínfimo, tal como o presente, porém explanarei um escopo da ideia de modo a construir, ao menos, dados para reflexão, sem registrar aqui neste presente artigo todos os pormenores que a embasam.

Exegese e Hermenêutica: “contêiner”

Talvez, em futuro não muito distante, afora qualquer presunção, aconteça alguma motivação pra eu escrever um artigo, tratado ou algo assim sobre este tema. Não duvido disso. A Hermenêutica, assim suponho, é o repositório, o “contêiner” que abarca a exegese, de todas possíveis exegeses acerca dalgum objeto escolhido, e dos demais possíveis fora do âmbito onde foi elegido o objeto foco. A hermenêutica é ampla e mais universal.

Ambas são destinadas á busca de interpretações de algum sentido intrínseco, mas há diferentes passos que as precedem quando postas em atividade de construção/criação. A exegese, por sua vez, é ou se apresenta, diferente da hermenêutica porque se debruça, mais diretamente, sobre os limites de um texto ou enunciado tecendo criteriosamente, tramas que mantenham a conexão dos sentidos linguísticos possivelmente variantes no lapso temporal que vai desde a edição/escrita/produção oral primeira e a situação atual onde ocorre a investigação/interpretação.

Esta outra, a hermenêutica, já o faz sobre a gama dos significados encerrados pelo objeto inserido no seu original contexto, (este considerado em todo o seu possível alcance: social, individual, histórico e outros possíveis) em qual emergiu na realidade. Melhor dizendo, quando este objeto se tornou instrumento de partilhamento de ideias e entendimentos acerca da realidade.

Um círculo ininterrupto

Por vezes diferenciá-las assim, me parece assemelhado ao traçado de um círculo ininterrupto, ou representação de um ciclo, afinal, o produto irrompido da fase investigativa que culminou com o entendimento do significado contido no enunciado, dependeu de ambas, ou seja, necessitou da exegese(que traduz em outros arranjos de termos, vocábulos, sintagmas e simbolos o significado presente, ou possível de ser extraído, do objeto observado) e da hermenêutica, que promoveria à mente a possibilidade intelectual de “enxergar” o sentido comunicável constante daquilo o que se observa”.

Leia Também:  Serial Killers: entre psicóticos e perversos

Para que as impressões deste humilde autor possam ficar claras, claras no sentido de exatar com os vocábulos empregados não um presunçoso conhecimento da “verdade” sobre o tema, mas compor fidelidade entre o que pensa e entende este autor e a imagem que os reunidos vocábulos e construções linguísticas apostas neste texto possam imprimir na mente do leitor, resumo assim: A Hermenêutica é a guardiã da história escrita por tudo que circunda todos os irrompimentos de exegese na realidade humana.

Ambas, estreitamente atreladas, se prestam ás, ou se constituem das, iniciativas investigativas acerca do significado da mensagem contida nos enunciados, sendo estes materializados das mais variadas e possíveis formas, inclusive e talvez mais comumente, os textos. Meu caríssimo leitor, sou aluno do curso de Psicoterapia mantido pelo site www.psicoterapia.com e ainda, neste momento, caminho pelos primeiros módulos/períodos de tal modo que não detenho conhecimento aprofundado no que diz respeito ás disciplinas/matérias em citado curso ministradas.

Considerações finais sobre Exegese e Hermenêutica

Todavia, sempre busquei conhecimento em todas as oportunidades que a vida me permitiu e, igualmente, alimento o desejo de compartilhar o que penso ou apreendo das coisas, fatos ou conceito com os quais me deparo.

Estou sempre aberto à discussões e aceito sugestões e críticas com o espírito desarmado, desde que estas sejam sinceras e respeitosas, pois as diferente não tolero. Acredito que uma das maiores oportunidades de se amadurecer o conhecimento é mesmo lidar com a discordância sincera, lógica e embasada.

Isto sim faz muito mais pelo conhecimento do que as congratulações usuais e corriqueiras. Sendo assim, esteja à vontade para me enviar sua crítica, sugestão ou mesmo alguma dúvida acerca do tema aqui desenrolado. Para fazê-lo envie preferencialmente e-mail para o endereço na página.

O presente artigo foi escrito por Ronilson Vieira Muniz( Ronny Mhuniz), nascido em Vitória-ES. È Servidor Público do Ministério da Saúde, ex-membro da ALASJM(Academia de Letras e Artes de São João de Meriti-RJ), autor do livro “O Elo” sob o pseudônimo Patrini Fercaian.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    One thought on “Exegese e Hermenêutica: significado e diferenciação

    1. Meu nome é Fabio , sou Psicanalista, tambem do ES , sou de Aracruz. Gostei do seu post, caso queira meu contato segue ai o zap 27- 992455540.
      Boa sorte e forte abraço.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.