Funcionamento psíquico

Funcionamento psíquico: tipos e como identificar

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

A temática do funcionamento psíquico e suas implicações na vida cotidiana tem movimentado o interesse de diversos campos como a Psicologia, a Neurologia, a Filosofia, a Arte, a Religião e até mesmo o senso comum.

A Psicanálise é uma área de investigação e prática clínica que se debruça justamente sobre este assunto desde seu desenvolvimento durante os séculos XIX e XX. Tendo em vista tornar mais claro o modo de organização mental dos indivíduos conforme uma classificação proposta pela Psicanálise, o presente texto tem como objetivo descrever os três modos de organização psíquica: a Neurose, a Psicose e a Perversão. Buscaremos antes explicar o conceito psicanalítico fundamental sob o qual estes três tipos psíquicos se estruturam: o Inconsciente.

Funcionamento psíquico: conceito de inconsciente

Na visão comum o psiquismo refere-se aos processos conscientes de um sujeito. No entanto, a Psicanálise ampliou a noção de psiquismo, descobrindo que além dos processos conscientes existem também processos inconscientes influenciando nossa vida social e nossos comportamentos sem que percebamos. O inconsciente é a região mais arcaica do aparelho psíquico.

O inconsciente é composto por conteúdos psíquicos internalizados por serem angustiantes, frustrantes ou por causarem algum tipo de sofrimento na realidade externa. Nele estão contidas memórias primitivas e conteúdos da infância retirados de nossa consciência. O inconsciente é regido pelo princípio do prazer, pois busca incessantemente descarregar toda sua energia pulsional através dos desejos.

O inconsciente possui algumas características: Ele é afirmativo: não há incertezas ou dúvidas no inconsciente, tudo pode acontecer ou existir, tudo é certo e nada é impossível. Ele é ambivalente: todos os pensamentos e afetos podem co-existir no inconsciente – amor e ódio, raiva e calma ocorrem simultaneamente.

O inconsciente e a energia psíquica

Ele é atemporal: não segue a cronologia padrão, não respeita a organização do tempo em anos, dias ou horas, conteúdos do passado podem ser revividos, o futuro pode influenciar de sobremaneira o presente. Nele acontecem processos psíquicos mais primitivos e menos complexos, ou seja, a energia psíquica transita livremente pelos pensamentos, sem qualquer restrição, como algo caótico, desorganizado, buscando prazer.

Devido ao mecanismo de repressão, o inconsciente só pode ser acessado por meio de conteúdos simbólicos, representações que seriam socialmente “mais aceitas” que surgem através de sonhos, da arte ou do processo psicoterapêutico.

Por isso, para a Psicanálise todo sujeito tem uma condição psicopatológica, pois cada um de nós possui algum conteúdo interno angustiante reprimido em nosso inconsciente durante a infância ou mesmo na fase adulta.

Tipos de funcionamento psíquico

Tendo compreendido que o psiquismo vai além da consciência e abrange também processos inconscientes reprimidos, podemos agora descrever o modo como o inconsciente desempenha seu papel nas diferentes estruturas mentais.

Neurose e o funcionamento psíquico

A neurose pode ser definida como uma afecção psíquica onde os sintomas expressam um conflito psíquico que tem raízes na história infantil do sujeito. Na neurose há um conflito entre pensamento inconsciente e realidade externa, seja um desejo que não pode ser realizado devido às regras sociais ou um sentimento negativo que já experimentamos e é revivido em nós num determinado contexto.

O sujeito neurótico mantém um bom grau de integração do seu psiquismo e por isso consegue seguir mantendo a uma vida social e ocupacional. O psiquismo recorre a mecanismos de defesa para manter sua integridade e segurança como a racionalização das situações dolorosas, a conversão do sofrimento psíquico em sintomas corporais, agir com infantilidade, projetar a responsabilidade de um problema pessoal para outra pessoa, etc.

Leia Também:  Biografia de Freud: vida, trajetória e contribuições

Alguns tipos de neurose são: os Transtornos Fóbicos ou de Ansiedade, o Transtorno Obsessivo-Compulsivo, a Histeria, alguns tipos mais leves de Depressão, dentre outros.

Psicose

A psicose, por sua vez, pode ser descrita como resultado de um psiquismo desintegrado, fragmentado. Na psicose o sujeito vivencia seu inconsciente a céu aberto, exposto, sua realidade interna é a mesma que a externa. O psiquismo não é capaz de recorrer a mecanismos de defesa elaborados para resguardar o mundo interno do indivíduo.

Na psicose há uma rejeição ou expulsão das ideias e pensamentos próprios, que passam a ser considerados pelo indivíduo como pensamentos estranhos ou não reais. O funcionamento psicótico se inicia com uma cisão do psiquismo em relação à realidade que lhe causa sofrimento.

Em seguida, o psiquismo tenta reparar tal dano gerado através da criação de uma realidade paralela que é vivenciada pelo sujeito acometido como a realidade única, de modo a evitar o contato com aquilo que lhe gerou sofrimento. Alguns tipos de psicose são: Esquizofrenia, Transtorno Bipolar, Paranóia, Melancolia, etc.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Funcionamento psíquico e a perversão

    Na perversão não há qualquer tipo de repressão dos conteúdos mentais para o inconsciente, o inconsciente não recalca ou embarreira, nem proíbe seus conteúdos. Ela é o oposto da neurose, visto que na neurose o sujeito compreende e obedece a uma estrutura de proibição, realizando as exigências do meio social (tais exigências que trazem dor ao neurótico).

    E na perversão o sujeito apenas realiza exatamente o que deseja. A pessoa que possui estrutura psíquica perversa possui modos de obter prazer sem que haja uma consideração dos valores, normas ou regras sociais e culturais.

    Para o funcionamento psíquico pervertido, a outra pessoa ou mesmo objeto existe para manter sua organização, para satisfazer seus desejos, para obter prazer. O lugar do outro é submetido ao sujeito. Alguns tipos de perversão são: o Fetiche, o Sadismo, o Masoquismo, o Voyeurismo, etc.

    Conclusão

    Sendo assim, concluímos a descrição dos três tipos de funcionamento psíquico (Neurose, Psicose e Perversão), partindo do pressuposto do conceito de inconsciente como estrutura regente do aparelho psíquico. No entanto, vale destacar que o funcionamento psíquico pode possuir graus de flexibilização e integração.

    Nem todos os modos de funcionamento psíquico produzem transtornos de saúde mental. Na verdade, uma estrutura psíquica saudável transita entre estados neuróticos, psicóticos ou perversos, prevalecendo um dos três.

    Deste modo, um indivíduo pode vivenciar um estado melancólico e possuir fetiches, ou mesmo outro indivíduo esquizofrênico pode também experimentar quadros de ansiedade.

    O presente artigo foi escrito por Raphael Aguiar, [email protected], Teresópolis/RJ – Formando em Psicanálise pelo IBPC, Pós-graduando em Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem pela PUC-RS, Terapeuta Ocupacional pela UFRJ.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *