o que é hidroterapia

O que é hidroterapia e como funciona?

Posted on Posted in Terapias

Este artigo defende a eficácia da Hidroterapia aliada à Psicanálise no tratamento de desarmonias emocionais, em especial nos transtornos de ansiedade.

Defende a cura pela água e pela fala, esta última no contexto da associação livre psicanalítica, em contraponto ao excesso de prescrições medicamentosas oferecidas pela medicina ocidental, que pode tornar rapidamente uma desarmonia emocional muitas vezes circunstancial em patologia.

A importância da Psicanálise

Fenômeno moderno, os transtornos de ansiedade são fenômenos gerados por um conflito psíquico, envolvendo a frustração de algum impulso instintivo que sentimos. Podemos apontá-los como neuroses, como o resultado de nossas experiências, sejam elas vivências, traumas ou conteúdos recalcados, conforme descreve a Psicanálise.

Além disso, é entendida como problemas relacionados à fixação da nossa libido. O termo fixação designa, para Freud, um apego da libido a um estágio inicial de desenvolvimento, ou ainda, um forte apego à pessoas ou coisas formado na infância e que leva a um comportamento neurótico ou imaturo.

Freud acreditava que muitos traços de personalidade do adulto podem ser rastreados para fixações em um ou mais estágios do desenvolvimento psicossexual – oral, anal, fálica e genital – de modo que a fixação é um conflito não resolvido causada por excessos ou por frustração.

Ansiedade e depressão

No Brasil, a prescrição de ansiolíticos é especialmente corriqueira nos consultórios médicos, tendo aumentado exponencialmente desde 2020, durante a pandemia de Covid-19.

Sintomas de estresse, preocupações excessivas e melancolia ganham maior status quando medicados regularmente, podendo tornar a psique do paciente sujeita a crença definitiva de que “eu sou uma pessoa ansiosa” ou “eu sou depressiva”, quando seriam muitas vezes desequilíbrios leves a moderados, e de simples manejo.

A Hidroterapia

Neste contexto, introduzimos o recurso da Hidroterapia, que é o uso da água, tanto interna quanto externamente e em temperaturas variadas, para melhorar a nossa saúde.

A Hidroterapia tem sido usada em diversas culturas desde os tempos antigos como uma forma de equilibrar o corpo e a mente, e tratar uma variedade de problemas de saúde. De acordo com o médico grego Hipócrates de Kos, por volta de 400 a.C., a terapia da água “acalma a lassidão” [fraqueza física ou mental].

O surgimento da Hidroterapia

No século XIX, surge Sebastian Kneipp, um monge nascido na região alemã da Baviera, que passa a utilizar banhos terapêuticos em diversos propósitos medicinais, e se torna o pai da Hidroterapia moderna.

Durante o mesmo período, Vincent Preissnitz funda a primeira clínica de Hidroterapia em Gräfenberg, Alemanha, como parte de um amplo movimento naturalista que se iniciava na Europa.

Como a Hidroterapia funciona

A aplicação de água de diferentes temperaturas em nossa pele pode mudar nossa fisiologia e humor. Quando nós damos um mergulho frio, uma vez superado o choque inicial, geralmente é muito revigorante. Isso ocorre porque a umidade e o frio fazem com que nossos vasos superficiais se vasoconstriquem [contraiam], fazendo com que o sangue se mova da superfície do corpo para o centro, como um meio de conservar o calor.

Além de conservar o calor, também faz circular o sangue no cérebro e órgãos vitais. Esse movimento traz nutrição, oxigênio e também ajuda a desintoxicar as áreas. A água quente faz com que os vasos se vasodilatem [relaxem], ativando as glândulas sudoríparas, afrouxando as articulações e removendo resíduos tóxicos dos tecidos.

Leia Também:  10 mecanismos de defesa que profissionais de saúde devem conhecer

Desta forma, a Hidroterapia aproveita a reação natural do corpo às mudanças naturais de temperatura, a fim de fortalecer o organismo.

Tipos de Hidroterapia

Muito utilizada na Europa e na Ásia, a técnica também pode ser encontrada em alguns locais dos Estados Unidos. No Brasil, vê-se basicamente a Hidroterapia como tratamento coadjuvante eficaz em Fisioterapia, principalmente no caso de lesões variadas, dores de coluna, inflamações articulares e exercícios respiratórios.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    De forma geral, listo os tipos comuns de Hidroterapia e seus benefícios:

    • Exercícios aquáticos: exercícios em uma piscina de água morna ou fria permite que você se exercite com menos resistência e pressão nas articulações.
    • Balneoterapia: imersão em águas ricas em minerais ou fontes termais minerais naturais tem benefícios curativos. A prática é considerada para tratar artrite, dor lombar, disfunção imunológica e fibromialgia.
    • Hidroterapia do cólon: também conhecida como irrigação do cólon, a prática envolve o enxágue das fezes do cólon, eliminando toxinas.
    • Compressas: toalhas embebidas em água morna ou fria em uma parte do corpo para aumentar a circulação ou reduzir a inflamação.
    • Hidroterapia de contraste: imersão alternada em água quente e fria para tratar a dor crônica ou promover drenagem linfática, aumentando a imunidade.
    • Tanques de flutuação: também conhecidos como tanques de isolamento, a prática envolve flutuar sobre uma piscina rasa de água salgada em um tanque selado e escuro. Alivia o estresse e a ansiedade, melhora o sono e relaxa os músculos.
    • Escalda pés: equilibra a circulação e diminui a congestão na cabeça, nos pulmões e nos órgãos pélvicos.
    • Fomentação a quente: a aplicação de compressas mornas ou quentes no peito alivia os sintomas agudos de resfriado ou bronquite.
    • Banho de gelo: envolvem imersão em uma banheira com água para acelerar a recuperação de uma lesão ou exercício extremo. Têm sido cada vez mais substituídos pela crioterapia, que expõe o corpo a pequenas rajadas de ar gélido.
    • Sauna: o ar seco e quente induz a sudorese para liberar toxinas, queimar calorias, relaxar os músculos e melhorar a qualidade da pele.
    • Banho de assento: trata doenças que afetam as áreas anal, retal ou genital.
    • Banhos terapêuticos: envolvem imersão em uma banheira de água morna para tratar doenças de pele, problemas nas articulações ou estresse emocional. Utiliza-se óleos essenciais, sais minerais, argila ou ervas.
    • Watsu: técnica que combina as palavras water [água] e Shiatsu, massagem de origem japonesa que utiliza a pressão do polegar nos pontos de energia do corpo – os mesmos pontos de Acupuntura. Faz-se em água morna.

    A Hidroterapia e os transtornos de humor

    Muitas formas de Hidroterapia ajudam no relaxamento, tanto física quanto mental. A água quente pode aliviar a tensão nos músculos, ao mesmo tempo que promove um estado de espírito relaxado. O uso de banhos quentes e frios otimiza o funcionamento do cérebro e reduz os níveis de hormônios do estresse, como o cortisol [Toda et al., 2006].

    Pesquisas médicas já demonstram que a técnica também ajuda no equilíbrio do neurotransmissor serotonina, que traz bem-estar para o organismo (Marzsziti et al., 2007). Da mesma forma, os escalda pés induzem relaxamento ao diminuir a resposta ao estresse, observando que o sistema nervoso simpático – a parte do cérebro que nos induz a “lutar ou fugir” – foi capaz de se acalmar [Yamamoto et al., 2008].

    Balneoterapia

    Um estudo defende que pacientes com ansiedade podem se beneficiar dos mecanismos da cura pela água. A Balneoterapia foi comparada em um estudo francês com a paroxetina (Paxil), substância muito utilizada no tratamento de transtornos de humor. Usando um estudo multicêntrico de oito semanas, 237 pacientes com transtorno de ansiedade foram designados aleatoriamente para balneoterapia e 120 para a medicação.

    Leia Também:  Tipos de Psicoterapias mais importantes

    O tratamento Balneoterapia consistia em consultas médicas semanais e tratamentos diários de banho com águas minerais naturais [sódio, cálcio, magnésio e sulfatos durante 21 dias. Todas as manhãs, os pacientes eram imersos em um banho de cerca de 37 ° C por 10 minutos e, em seguida, um chuveiro com pressão firme tipo massagem direcionada ao abdômen, área ao longo da coluna e pescoço e braço por 3 minutos.

    Finalmente, as pernas, pescoço, escápula e área da coluna foram massageadas embaixo d’água por mais 10 minutos. Os níveis de ansiedade mostraram melhora em ambos os grupos, com resultado claramente superior da terapia da água em relação ao efeito da droga. As taxas de resposta sustentada também foram significativamente maiores no grupo de Hidroterapia. Além disso, a Hidroterapia foi considerada segura e sem efeitos colaterais [Dubois et al., 2010].

    Hidroterapia – tratamento

    Outro grupo de pesquisadores da Virgínia descobriu que a Hidroterapia pode ser útil no tratamento do câncer e da fadiga crônica, bem como no tratamento da depressão [Schevchuk, 2008]. Para o tratamento da depressão, sugere-se que as terapias de exposição ao frio podem ser a melhor escolha.

    Uma vez que a densidade dos receptores de frio na pele é considerada três a dez vezes maior do que a dos receptores de calor, o disparo simultâneo de todos os receptores de frio baseados na pele ao entrar no frio pode resultar em um efeito terapêutico positivo. Também foi demonstrado que a redução da temperatura do cérebro tem efeitos neuroprotetores e terapêuticos e pode aliviar a inflamação, um mecanismo conhecido na doença depressiva.

    Além disso, foi demonstrado que a exposição ao frio ativa o sistema nervoso simpático, aumenta o nível sanguíneo, bem como a liberação cerebral de norepinefrina – um hormônio adrenal que pode ajudar pessoas deprimidas a se sentirem mais “animadas” naturalmente. A terapia da água também pode ajudar a aumentar a produção de beta-endorfinas – moléculas de “sentir-se bem” que proporcionam uma sensação de bem-estar.

    Os efeitos da hidroterapia fria

    Os efeitos da hidroterapia fria são tão fortes que pode ter um mecanismo semelhante a terapia eletroconvulsiva [ECT], há muito tempo utilizada para tratar formas de depressão resistentes a medicamentos. Esses efeitos ajudam o paciente deprimido, especialmente o paciente que se anima com o aumento da liberação de norepinefrina.

    Considerações finais

    Devido à baixa tecnologia e baixo custo, utilizar a Hidroterapia no banho diário pode ser inicialmente uma estratégia interessante, aliada a um suporte nutricional e atividades físicas e de relaxamento. Embora o estresse moderado pelo frio ajude o cérebro a funcionar melhor, pesquisas mostraram que o estresse extremo pelo frio pode na verdade prejudicar o cérebro e a função cognitiva [Mahoney et al., 2007]. Por isso, a orientação de um profissional é fundamental.

    A Hidroterapia aliada à Psicanálise

    A Hidroterapia aliada à Psicanálise promove resultados definitivos para a cura de muitos casos clínicos de ansiedade e depressivos, sem a utilização de prescrições medicamentosas. A cura pela fala, relacionada com a associação livre, pode suprir as resistências psíquicas do paciente.

    Este método, considerado a base da psicanálise, é uma técnica criada por Freud que consiste basicamente em convidar o paciente a expressar livremente tudo aquilo que surja em sua mente, para que haja o menor número de filtros possíveis entre o que ele pensa e diz ao analista.

    O método pode suprir as resistências do paciente e, portanto, o acesso ao conteúdo inconsciente acontece a priori sem que o paciente seja direcionado pelo analista. As lembranças e representações reprimidas ultrapassam então a barreira defensiva do inconsciente do paciente.

    Leia Também:  O que é terapia breve?

    Conclusão

    Em conclusão, expor as resistências e então interpretá-las é fundamental para alcançar o inconsciente e a cura. E isso só acontece por meio da associação livre. No momento em que o paciente se deixa levar por seus pensamentos e consegue expressá-los abertamente, as representações inconscientes afloram, e podem então ser interpretadas.

    Referências Bibliográficas

    • Barry R, Lewis D. Hydrotherapy. In: Pizzorno, JE, Murray, MT eds. The Textbook of Natural Medicine. 3rd Edition. Elsevier/Churchill Livingstone. 2006:401-416. • Dubois O, Salamon R, Germain C, Poirier MF, Vaugeois C, Banwarth B, Mouaffak F, Galinowski A, Olié JP. Balneotherapy versus paroxetine in the treatment of generalized anxiety disorder. Complement Ther Med. 2010;18(1):1-7. • Toda M, Morimoto K, Nagasawa S, Kitamura K. Change in salivary physiological stress markers by spa bathing. Biomedical Research. 2006;27:11–14. • Marazziti D, Baroni S, G. et al.Thermal balneotherapy induces changes of the platelet serotonin transporter in healthy subjects. Progress in Neuro-Psychopharmacology & Biological Psychiatry.2007; 1(3):1436–1439. • Shevchuk NA. Adapted cold shower as a potential treatment for depression. Med Hypotheses. 2008;70(5):995-1001. • Yamamoto K, Aso Y, et al. Autonomic, neuro-immunological and psychological responses to wrapped warm footbaths—a pilot study. Complementary Therapies in Clinical Practice. 2008;14:195–203. • Artigo “A Cold Splash – Hydrotherapy for Depression and Anxiety”. Peter Bongiorno. Psychology Today. Disponível em: https://www.psychologytoday.com/us/blog/inner-source/201407/cold-splash-hydrotherapy-depression-and-anxiety

    O presente artigo foi escrito por Sue Pareico([email protected]). Mestre em Medicina Tradicional Chinesa e estudante de Psicanálise. Website: Instituto Wei Qi

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *