história de Bob Dylan

Bob Dylan: música, literatura e psicologia (Bob Dylan)

Posted on Posted in Formação, Profissões e Psicanálise

Você conhece o músico cult Bob Dylan? Ele transformou a música pop convencional em literatura e também interpretou o mundo atual de uma perspectiva que impressiona e comove as pessoas. Por isso, preparamos uma biografia muito interessante sobre ele. Confira!

Bob Dylan

Certamente o nome Robert Allen Zimmerman não é familiar para você. Porém, não são necessários nem dois segundos para conhecer o personagem mencionado abaixo: Bob Dylan. Neste momento, o cantor, compositor e poeta de folk e rock americano estará na sua mente.

Desde a infância, o cantor e compositor tinha uma profunda admiração pela música e poesia de Dylan Thomas, por isso, em homenagem ao poeta, optou pelo nome artístico de Bob Dylan. Antes de chegar ao estrelato, ele formou várias bandas, sendo seu primeiro grupo influenciado por Elvis e Jerry Lee Lewis e assim começou a ganhar fama.

No entanto, algo a destacar sobre Dylan é que aos 77 anos ele continua a dar o seu melhor no palco. O artista é considerado uma das figuras mais prolíficas e influentes da música popular do século XX e início do século XXI.

Um estilo de folk

Dylan é natural de Minnesota, onde iniciou seus estudos em 1959. Nessa época, ele começou a se afastar do rock e entrou em contato com a música folk americana. Um fato anedótico é que, dizem que ele passava mais tempo em boates, cantando, tocando violão e lamónica, do que estudando.

Nos anos 60 criou um estilo próprio a partir da recuperação da música folclórica, à qual acrescentou letras carregadas de simbolismo e exigências, que o tornaram, dessa forma, um líder da juventude revolucionária de seu país. Eles o chamavam de “a voz de sua geração”.

Em janeiro de 1961 mudou-se para Nova York, e assim começou a tocar nos cafés de Greenwich Village. Foi nesse momento que chamou a atenção de importantes cantores folk.

Gravação de estreia

Não é um clichê que todos os começos são complicados. Se não, pergunte a Bob Dylan. Em 1962, pelas mãos de Columbia, lança seu primeiro álbum, que leva seu nome, com material tradicional folk, gospel e blues.

Este álbum teve pouco sucesso, mas a gravadora lhe deu a oportunidade de incorporar alguns de seus próprios trabalhos. Dessa forma, durante seu trabalho com a Columbia, Dylan também gravou várias canções sob o pseudônimo de ‘Blind Boy Grunt’ e ‘Bob Landy para tocar piano em’ The Blues Project ‘.

Saiba mais

No ano seguinte à sua estreia na gravação, lançou o seu segundo álbum ‘The Freewheelin Bob Dylan’ que foi um grande sucesso. Entre as canções deste álbum Blowin se destaca a música ‘In The Wind’.

O sucesso foi tão grande que logo se transformou em um hino geracional e foi rapidamente traduzido para várias línguas, tornando-se uma figura de projeção internacional.

Em 1964 ‘Outro lado de Bob Dylan’ viu a luz, o terceiro álbum com canções com mais toques de humor do que os trabalhos anteriores.

Uma virada radical

Um ano após o lançamento do terceiro álbum, ele voltou suas atenções para os instrumentos elétricos e deu início a uma série de mudanças abruptas, tanto estilísticas quanto espirituais. Essas mudanças lhe renderam inúmeras críticas dos fãs mais puristas do folk.

Leia Também:  Sala de Aula Invertida: o que é, como funciona?

Assim, ele deixou de ser um cantor e compositor para se tornar uma estrela da música pop e folk rock.

Em 1965 ele lançou seu álbum intitulado “Highway 61 Revisited”, que inclui a música Like a Rolling Stone. Essa música foi um verdadeiro expoente do rock-and-roll genuíno e marcou o início do roqueiro Dylan.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Conquista do mundo

    Dylan conquistou a Europa em 1º de junho de 1966 no Olympia de Paris. Mas a sorte não estava do seu lado e um mês depois sofreu um acidente de moto que o obrigou a fazer uma pausa por alguns anos.

    Na década de 1970, ele conseguiu dar um salto para o grande ecrã ao compor bandas sonoras. Já em 1975 rodou seu único filme como diretor, Renaldo y Clara, e três anos depois apareceu em um documentário assinado por Martin Scorsese intitulado ‘The Last Waltz’.

    Para este último trabalho, o diretor americano contou com o histórico concerto de despedida de The Band, grupo que entre meados dos anos 1960 e meados dos anos 1960 acompanhou Bob Dylan em muitos de seus recitais.

    De volta ao palco

    Nos anos oitenta, Bob Dylan criou canções que refletiam suas preocupações religiosas. Além disso, voltou brevemente às turnês de uma série de concertos denominados ‘Uma Retrospectiva Musical’. Nesses concertos ele voltou a cantar o repertório de canções populares da década de 1960.

    Parece que para Dylan, cada mudança de década significa uma virada de estilo. Tanto é que, na década de 90, lançou um novo álbum, ‘Under The Red Sky’, com uma mudança radical de postura. Vale lembrar que este trabalho gerou críticas entre os jornalistas musicais devido à simplicidade das letras de suas canções.

    Livros de Bob Dylan

    O agora ganhador do Prêmio Nobel também inspirou dois filmes: “Sem direções para casa” (2005), de Martin Scorcese e “Não estou aqui” lançado em 2007 com direção de Todd Haynes.

    Além disso, Dylan tem ainda tem seis livros publicados, segundo seu site oficial:

    • Tarantula – um de seus livros mais famosos, é uma coleção de prosa poética
    • Chronicles – outra de suas obras famosas, esse livro é uma anedota onde Dylan reflete sobre sua vida e carreira.
    • A série desenhada em branco – esse é uma compilação de seus desenhos e pinturas.

    Já seus ouros livros trazem letras de algumas de suas canções e podem ser conferidos em seu próprio site.

    Prêmios

    Além do Prêmio Nobel de Literatura, Dylan ganhou 11 prêmios Grammy, um Globo de Ouro e até um Oscar em 2001 de melhor canção original por sua canção “Things Have Changed” do filme Wonder Boys.

    De acordo com a agência AFP, ele também recebeu o Prêmio Príncipe das Astúrias das Artes em 2007.

    Vale lembrar que Dylan é o primeiro americano a ganhar o Prêmio Nobel de Literatura desde 1993, ou seja, um marco na premiação.

    Álbuns de Dylan

    Bob Dylan é um cantor muito prestigiado e o mesmo possui diversos álbuns lançados em estúdios e ao vivo. Entre alguns deles podemos citar:

    • Trazendo tudo de volta para casa;
    • Rodovia 61 revisitada;
    • Sangue nas pistas;
    • Tempo Fora da Mente;
    • Tempos Modernos;
    • Anjos Caídos.

    10 melhores músicas de Dylan

    Quando a suas msúicas, as melhores estão entre:

    • Como uma pedra Rolando;
    • Queda de uma chuva forte;
    • Enroscado em azul;
    • Apenas como uma mulher;
    • Ao longo da Torre de Vigia;
    • Eu serei lançado;
    • Está tudo bem, mãe (estou apenas sangrando);
    • Senhor homem do pandeiro;
    • Visões de Johanna;
    • Cada grão de areia.
    Leia Também:  Psicologia do Trabalho: características e atribuições

    Considerações finais

    Por fim, vale frisar que o aspecto mais significativo da conquista de Bob Dylan é a revolução que ele desencadeou na composição da música. Ou seja, transformou a música pop convencional em uma criação de aspecto literário.

    Portanto, se você gostou do artigo sobre o Bob Dylan, se inscreva em nosso curso online de psicanálise clínica. Aprimore o seu conhecimento e seja um profissional capacitado para atuar no mercado do trabalho.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *