início do tratamento em psicanálise

Início do tratamento em psicanálise: entrevistas preliminares

Posted on Posted in tratamento

Para que início do tratamento em psicanálise seja possível, é recomendado realizar uma sondagem diagnóstica nas entrevistas preliminares, no entanto essa entrevista não é um questionário de anamnese, mas sim que o sujeito faça a narrativa de sua própria vida, da sua história.

Durante esse processo que poderá durar algumas semanas, será possível conhecer o caso, além de ter a motivação diagnóstica de conseguir identificar o tipo de estrutura psíquica (neurose, psicose ou perversão) que o sujeito está enquadrado.

A importância do início do tratamento em Psicanálise

A sondagem diagnóstica possibilita diferenciar se os sintomas apresentados são de uma neurose histérica ou obsessiva ou de o início de um desencadeamento de uma psicose, que só poderá ser percebido após um período, ou pelo menos crie suspeitas desse possível diagnóstico.

Durante as entrevistas, além de possibilitar a identificação da continuação ou não do tratamento, é possível traçar a direção do tratamento. Pois a condução de uma análise com interpretações antes do tempo, sendo o analisando psicótico, poderá desencadear sintomas que até então estavam “estabilizados”.

Apesar de haver recomendações para o início do tratamento, não é possível uma mecanização da técnica dado a riqueza da mente humana e sua plasticidade.

A transferência no início do tratamento em Psicanálise

O início do tratamento só poderá acontecer após um mínimo de transferência, onde o sujeito direcionaria o seu sofrimento subjetivo ao Psicanalista, lhe dando o lugar do sujeito do suposto saber, aquele que poderá trazer alívio ao seu sofrimento.

O material a ser trabalhado desde a primeira sessão poderá ser a história de vida, uma parte da infância ou a partir de quando surgiram os sintomas.

O analisante no início do tratamento em Psicanálise

O conteúdo trago pelo analisante não fará diferença, pois essas partes retornarão em outros momentos sem respeitar o tempo cronológico da narrativa, pois durante uma análise é o inconsciente que está em questão.

Conclusão

Não existe uma determinação, regras em como conduzir a entrevista preliminar, mas existem recomendações para que seja possível o início do tratamento, como a sondagem diagnóstica.

Para que seja possível identificar como o sujeito está organizado nas possíveis estruturas psíquicas, as entrevistas preliminares não têm um tempo fixo para acontecer.

Tendo a indicação que também não se alongue muito, as entrevistas preliminares durarão o tempo necessário para que possa fazer investidas na direção à cura.

O presente artigo foi escrito por  Monique Vianna. Monique é Comunicóloga e Psicanalista. Possui Pós-Graduanda Lato Sensu em Psicanálise e Saúde Mental. Atende na modalidade online. Contato através do e-mail [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *