Mãe superprotetora

Mãe superprotetora: características e atitudes

Posted on Posted in Comportamento

Mães superprotetoras e narcisistas: compêndio e perspectivas O narcisismo é uma categoria de análise comportamental que começa a aparecer na literatura especializada a partir do livro A Cultura do Narcisismo, publicado em 1979 por Christopher Lasch. Vários autores divergem sobre a conceituação do tema e aqui no artigo trarei duas vertentes de pensamentos. Continue a leitura e entenda mais sobre Mãe superprotetora.

Mãe superprotetora

Mãe narcisista é uma pessoa exibicionista? Alguns estudiosos reduzem e caracterizam Mãe Narcisista como uma mulher exibicionista que não se importa com as necessidades do filho.

A mãe narcisista, além disso, não quer que o filho tenha qualquer independência na vida. O narcisista é alguém frágil, mal-amado, com baixa autoestima e, como está sempre voltado para si mesmo, passa-se a impressão de que se ama muito.

Esse é um raciocínio básico de Freud. O narcisismo tende a crescer em uma sociedade como a nossa, em que as pessoas são testadas a todo o momento e que sempre estão insatisfeitas, além da necessidade autoritária e regressa de que é preciso estar em aperfeiçoamento e melhoria contínuas, já que subentende que em algum momento outro indivíduo pode passar na sua frente.

Mãe superprotetora e narcisista

O único motivo para essa mãe querer que o filho tenha conquistas é para exibir para os outros, mas ela não deseja que esse filho se sinta bem com a conquista dele, ela faz o filho acreditar que ela que proporcionou isso à ele, tira todo o crédito do filho por qualquer coisa.

Mãe narcisista tem horror de filho independente e que brilha mais que ela. Ela inverte os papéis fazendo acreditar que quem tem responsabilidade na relação é o filho, o qual, em sua visão, deve ter uma devoção incondicional a ela e ter toda a vida toda dele voltado unicamente às suas necessidades.

As famílias disfuncionais e os vínculos líquidos como fala Bauman (2003) só ajudam a piorar o narcisismo das crianças que nascem nesses ambientes.

Mãe superprotetora o sentimento de posse

É possível identificar uma mãe narcisista, especificamente, ao pensar em uma mulher que acredita que o filho é uma posse e tem um projeto de ter filho, pois caso não o tenha, suas realizações serão incompletas. Isso funciona para o homem também.

Toda essa ideia é um caso clássico nos dias de hoje. Ao presenciarmos uma mãe narcisista e vemos isso como uma espécie de epidemia. Ela quanto está grávida fica obcecada com todo tipo de exame que é feito e quer que o filho seja perfeito.

Então algumas das características dessa mãe é enxergar o filho como uma continuidade ou como um projeto que a complete, enxerga o filho como algo que deve tornar a sua vida absolutamente plena. Ela pensa em seu filho como uma extensão de sua vida.

O “cuidado” da Mãe superprotetora

O objetivo é conseguir mostrar para os outros que ela é uma excelente mãe. Por exemplo, em um parque de diversões, essa mãe é a mais atenta e cuidadosa.

Interessante observar é que essa mãe provavelmente trabalhará e, em um momento oportuno, colocará uma câmera no quarto dessa criança com o objetivo de observar essa criança via o seu celular.

Leia Também:  Como parar de roer unhas: 10 dicas

O resultado é que a pessoa ao crescer se torna incapaz de lidar com as adversidades da vida, absolutamente insegura e com o sentimento de que a sua mãe é completamente invasiva.

Mas então, o que é uma mãe narcisista?

É uma mãe para quem o filho é um objeto de realização pessoal unicamente para além de qualquer vaidade materna normal. É uma mãe que deseja que esse filho não dê nenhum problema para ela.

Essa mãe cria ferramentas para evitar as angústias da maternidade já que é uma pessoa frágil. Quer reduzir a vida da criança o máximo possível para que essa criança não crie nenhuma aflição nova a ela.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Uma outra releitura quanto a significação do termo Os filhos podem até funcionar como um projeto, mas a superproteção que muitos autores descrevem é algo que pode acontecer em muitas situações e não pode servir como característica principal da mãe narcisista.

    A oscilação da mãe narcisista

    É fato que a mãe narcisista oscila entre descuido, ausência, indiferença, autoritarismo e tirania. Quando a criança ou o adolescente não oferece tanto trabalho (quando o comportamento é da forma desejada) a mãe fica ocupada com outros assuntos de seu interesse e não dá a mínima ao filho.

    Porém, quando o filho começa a se comportar de modo contrário aos planos da mãe narcisista, ela passa a ter uma abordagem autoritária para forçar o filho a fazer aquilo que ela quer. Existe sim a mãe narcisista que sufoca com cuidados extremos, entretanto o foco é sempre o outro e não a própria criança para que seja mais saudável ou mais capaz.

    Elas querem aplausos?

    Caso tenha algum cuidado que o outro não está vendo, ela vai ser relapsa porque o que interessa são os aplausos alheios. Toda mãe tem que lidar com o inevitável sofrimento do filho e aprender a suportar isso entendendo que faz parte do amadurecimento.

    Esse dilema não tem absolutamente nenhuma relação com o egoísmo da mãe narcisista que hoje em dia chega a ser comparada com uma espécie de psicopatia onde não há verdadeiro amor pelo filho e somente se importa com si próprio e seus sentimentos.

    As crianças pequenas em geral não são tão vítimas de mães narcisistas quanto filhos adolescentes e adultos.

    Considerações finais

    Mães narcisistas são cruéis, não amam verdadeiramente um dos filhos ou mais de um, frequentemente humilha os filhos com comentários impróprios, sente inveja das conquistas pessoais do filho ou filha, não consegue se alegrar devido à sua baixa autoestima.

    Quando ela é colocada contra a parede por suas maldades disfarçadas, se faz de vítima, de sofredora. Não é fácil conviver com pessoas com esses traços comportamentais.

    Anos passam e as sequelas permanecem. Importante lembrarmos que muitas mães não possuem consciência que são narcisistas e que os seus excessos podem prejudicar os seus filhos.

    O presente artigo foi escrito por Wallison Christian Soares Silva ([email protected]), Psicanalista, Economista, especialista em Neuropsicanálise e pós-graduando em Gestão de Pessoas. Estudante de Letras e Literaturas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *