Os mecanismos de defesa do ego

Os mecanismos de defesa do Ego

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

Os mecanismos de defesa do Ego são as formas que a mente usa para se proteger.

Segundo Freud, esse mecanismo é a operação pelo qual o Ego tira da consciência as coisas indesejáveis, protegendo o aparelho psíquico. Ele é orientado pelo princípio da realidade.

Conhecendo os mecanismos de defesa do ego

Os mecanismos de defesa vão possibilitar à pessoa uma relação com o mundo, garantindo sua sobrevivência psíquica. Alguns mecanismos de defesa são: Recalcamento ou repressão, negação, Renegação ou recusa, Regressão, Conversão orgânica, Projeção, Deslocamento, Racionalização, Formação Reativa e Sublimação.

O Recalcamento ou Repressão é uma defesa contra as ideias incompatíveis com o Eu. As idéias ou impulsos indesejáveis para a consciência são reprimidos por ela e impedidos de entrar no estado consciente. Ele afasta determinada coisa do consciente, mantendo a distância. É uma forma de negação fora da consciência. Negação é quando se nega a realidade exterior e a substitui por outra que não existe, afim de evitar sofrimento, proteção da autoestima, satisfação de desejos ou por comportamento.

De uma forma inconsciente a pessoa não quer tomar conhecimento de um fato, pensamento ou sentimento. Na Renegação ocorre o rompimento parcial com a realidade. A pessoa não nega a existência da verdade, diferente do mecanismo da negação. Na negação o psicótico rompe totalmente com a realidade, enquanto na Renegação existe um rompimento parcial relacionado à perversão.

Muitos autores e estudantes acham que o ego é inteiramente consciente. Mas, na verdade, o ego é parte inconsciente: exemplo disso são os mecanismos de defesa, que não invocamos de forma pensada. São estratégias inconscientes usadas pelo ego para lidar com conflitos, ansiedade e ameaças emocionais.

A expressão se origina dos conceitos de “ego” (latim) e “mecanismo de defesa” (psicanálise). O primeiro uso em Psicanálise teria sido por Sigmund Freud, no livro “O Ego e o Id” (1923), em que essas estratégias foram descritas pela primeira vez.

Alguns autores usam como sinônimos:

  • defesas psicológicas,
  • escudos emocionais,
  • proteções do ego,
  • barreiras inconscientes,
  • respostas adaptativas,
  • autoproteção emocional,
  • salvaguardas psíquicas,
  • blindagens mentais,
  • respostas defensivas,
  • resistências do ego.

É importante diferenciar esssas defesas dos seguintes termos abaixo:

  • Coping: Mecanismos de defesa são inconscientes. Já o coping (enfrentamento) envolve estratégias conscientes de enfrentamento.
  • Resiliência: Resiliência é a capacidade de se adaptar e superar adversidades, enquanto os mecanismos de defesa protegem o ego.
  • Autoconhecimento: é o entendimento consciente de si mesmo e a busca por agir e sentir.
  • Empatia: é a habilidade de compreender os sentimentos dos outros, enquanto as defesas fecham o próprio ego dentro de si mesmo.

Você pode identificar mecanismos de defesa em seus comportamentos. Eles trazem um custo psíquico indireto, embora sirvam para aliviar emoções e percepções difíceis, mascarando os sentimentos verdadeiros.

Alguns livros e filmes que ajudam a entender o tema:

  • Os Mecanismos de Defesa (1966): é o livro fundamental sobre o tema, em que Anna Freud analisa os mecanismos de defesa do ego.
  • Gênio Indomável (filme de 1997): mostra a jornada de um jovem talentoso em terapia, revelando suas barreiras psíquicas e emocionais.
  • Gente Como a Gente (1980) e Precisamos Falar Sobre o Kevin: estes filmes exploram a dinâmica familiar e os mecanismos de defesa após uma tragédia.
  • As Cinco Pessoas que Você Encontra no Céu (2003), de Mitch Albom: este livro aborda autoconhecimento e enfrentamento de traumas.
  • A Profecia Celestina (1993), de James Redfield: o livro discute a busca por autoconhecimento e a identificação dos bloqueios defensivos.
  • Revolutionary Road (filme de 2008): retrata a luta de um casal em crise, enfrentando seus bloqueios e conflitos emocionais.

Você tem mais filmes a indicar a este respeito? Ao final deste artigo, deixe-nos um comentário.

A regressão e os mecanismos de defesa do ego

A Regressão é o responsável por fazer o Ego retornar a um ponto anterior no desenvolvimento. Surge assim um ponto de fixação em uma determinada fase de desenvolvimento, fazendo com que a pessoa volte ao seu estado primitivo ou infantil de acordo com o ponto de referência.

Na Conversão orgânica os conflitos psíquicos ou trauma somatizam, levando a descarga dessa pulsão reprimida. É a transposição de um conflito e uma tentativa de resolução, convertida em uma queixa física. A projeção é quando você projeta no outro aquilo que está dentro de você e você não se dá conta, aí no senso comum tem aquilo que a gente fala: “O bom julgador julga a si mesmo.”

Todo mundo desconfiado, mentiroso, achando que todo mundo é mentiroso também, isso é um mecanismo de defesa. Ele protege o nosso ego do sofrimento de entrar em contato com quem nós realmente somos. você pode estar falando dos outros mas pode ser que esteja falando de você mesmo e nem percebe, então a projeção é projetar em outras pessoas sentimentos negativos sobre si mesmo.

O deslocamento

O Deslocamento é uma variante da Projeção. O inconsciente transfere uma reação emocional de um objeto ou pessoa para outro objeto ou pessoa, virando alvo de descargas. Esses mecanismos são maneiras que o indivíduo terá de se defender de conteúdos que o afetam emocionalmente, então ele utiliza para não entrar em contato com isso.

QUERO INFORMAÇÕES PARA ME INSCREVER NA FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Na racionalização o indivíduo utiliza um raciocínio lógico para conseguir explicar atitudes e ações. Ele utiliza um raciocínio lógico para tornar coerente aquilo que não tem coerência. Quando uma pessoa tem alguma atitude que prejudica a outra pessoa, e para justificar o que ela fez ela diz que aquela pessoa foi merecedora da atitude e encontra várias justificativas para explicar isso.

    Ao longo da história da humanidade a gente encontra vários exemplos de onde coisas que não seriam justificáveis ou aceitáveis foram feitas e foram justificadas dentro de um contexto religioso.

    Os mecanismos de defesa do ego e a racionalização

    A racionalização para a psicologia e psicanálise acaba sendo uma maneira do indivíduo proteger a sua auto-estima e não reconhecer os próprios erros. Ela impede o auto conhecimento, impede o contato com as verdadeiras causas que o levaram a tomar aquela decisão ou atitude, então o indivíduo acaba não reconhecendo qual foi o pensamento, qual foi o sentimento e não consegue se dar conta.

    Não consegue tomar consciência de qual foi o motivo real, então ela é muito prejudicial ao amadurecimento. Na Formação reativa os sentimentos ou comportamentos são os opostos ao real desejo. A pessoa tem atitudes opostas ao que foi recalcado, utilizando um comportamento excessivo.

    Como por exemplo uma pessoa homossexual agindo como uma pessoa heterossexual promíscua. É um mecanismo que leva a um pensamento contrário ao que foi recalcado, e se mantém como conteúdo inconsciente. As formações reativas podem alterar a estrutura da personalidade, mantendo o indivíduo em alerta como se estivesse sempre em perigo ou sob ataque.

    Uma lista exemplificada dos mecanismos de defesa

    De forma bem resumida, vamos destacar alguns outros mecanismos defensivos, conceitualizando-os e exemplificando-os.

    • Negação: Recusar-se a aceitar a realidade. Exemplo: Ignorar um diagnóstico médico grave, ou uma situação financeira desfavorável.
    • Sublimação: Transformar impulsos inaceitáveis em ações socialmente aceitáveis. Exemplo: Canalizar a agressividade ou o desejo sexual para o trabalho, artes ou esportes.
    • Racionalização: Criar justificativas para comportamentos inadequados. Exemplo: Trazer uma explicação lógica para responsabilizar fatores externos, quando na verdade isso é uma desculpa ou pretexto para não ver sua própria responsabilidade no ocorrido.
    • Projeção: Atribuir os próprios sentimentos a outra pessoa. Exemplo: Acusar alguém de ser ciumento quando você sente ciúmes.
    • Repressão: Esconder pensamentos e sentimentos indesejados. Exemplo: Não lembrar de um evento traumático.
    • Deslocamento: Transferir emoções de uma fonte para outra. Exemplo: Descontar a raiva do trabalho no parceiro(a).
    • Regressão: Voltar a comportamentos infantis em momentos de estresse. Exemplo: Chorar ou fazer birra quando contrariado.
    • Formação reativa: Agir de forma oposta aos sentimentos reais. Exemplo: Tratar alguém que você não suporta com extrema gentileza.

    Considerações finais

    Na sublimação o indivíduo transforma algum desejo ou pulsões destrutivas em algo socialmente aceitável pela sociedade. Ele transforma algo destrutivo em algo criativo culturalmente ou intelectualmente. A energia é transformada pelo Ego em obra artística ou atividade de utilidade social.

    Na sublimação o indivíduo transforma a angústia ou algo negativo em algo produtivo, com valor social positivo. Esses mecanismos de defesa são estratégias do Ego para proteger a personalidade contra as possíveis ameaças. São subterfúgios criados para proteger a pessoa de prováveis dores, situações e decepções.

    Eles estão mais presentes do que a gente possa imaginar, protegendo o indivíduo de agressões externas ou de si próprio, mantendo a integridade da sua personalidade.

    O presente artigo foi escrito por Thaís de Souza, 31 anos, Carioca. Estudante de Psicanálise, formada em Patologia Clínica. Meu blog pessoal é @thaissouza (Instagram). [Revisado e ampliado pela equipe do Curso de Formação em Psicanálise Clínica]. Deixe seu comentário, com críticas, sugestões e suas opiniões sobre o texto. Conte-nos qual ou quais destes mecanismos estão mais presentes em sua vida.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *