meditação

Meditação: 7 coisas que a ciência já descobriu

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Focar a sua mente em um determinado objeto pode ajudar a reorganizar a sua estrutura interna. É isso o que a meditação faz: condensa o seu ser em uma única atividade e te mostra caminhos positivos. Com base nisso, descubra sete descobertas que a ciência fez a respeito dessa prática milenar de encontro pessoal.

1. A meditação controla a ansiedade

Como mencionado acima, a meditação centraliza o nosso ser em um único ponto. Não existe movimentos e atenções dispersos, bem como a falta de unidade tão comum ao nosso dia. Com isso, deixamos de nos preocupar com o que vem amanhã e centralizamos no agora. A prática se torna vital ao controle da ansiedade, condensando nossa consciência em momentos reais.

Um estudo com 174 participantes durante oito semanas mostrou benefícios com a antecipação dos voluntários. Além de reduzir a ansiedade e seus transtornos, também trabalhou:

Fobias

Voluntários que apresentavam fobias sociais tiveram uma melhora significativa desta assim que fizeram o pequeno curso de meditação. Ainda que o problema vigorasse, o mesmo não tinha a mesma força que antes. Dessa forma, podiam apresentar reações melhores sempre que os sintomas apareciam.

Ataques de pânico

Assim como as fobias, os ataques de pânico perderam a força de seus golpes. Os voluntários passaram a assumir um maior controle de suas vidas sempre que os sintomas surgiam. Ademais, passaram a inibi-los com mais vigor desde que fizeram a meditação e continuaram com ela. A prática não substitui um tratamento convencional, mas auxilia no tratamento vigorosamente.

 

2. A meditação diminui o estresse

Nossa rotina de trabalho somada com as tarefas de casa e de estudo acumulam uma carga muito negativa em nós. Imersos nessa vida, acabamos por assimilar isso, ainda que nossa natureza mostre o caminho contrário. Como resultado, acabamos estressados, mostrando uma alto nível de agressividade e fadiga em qualquer atividade.

Entretanto, pesquisas apontam que a meditação constrói um canal que descarrega esse estresse. Graças a isso, as inflamações que este provoca diminuem gradativamente, dando mais conforto a quem medita. Além disso, foram constatadas melhoras no quadro de fibromialgia, intestino irritável e estresse pós-traumático. Tudo isso pode ser amenizado com práticas meditativas.

 

3. A meditação favorece o Autoconhecimento

A meditação é vista como a construção de uma ponte ao nosso ambiente interno. Por meio dela, podemos trabalhar questões profundas que até então não obtiveram resposta. Ao meditarmos, entendemos melhor o nosso papel e dos outros nesse mundo, independente de status. Isso pode ser obtido através da meditação auto-inquisitiva, por exemplo.

Com isso, podemos nutrir e fortalecer padrões de pensamentos mais saudáveis possíveis. Em contra-partida, ideias destrutivas e negativas perdem seu foco e força, sendo relegadas a um ambiente pouco relevante. Um dos intuitos de meditar é se tornar mais consciente de si mesmo. Seus hábitos e seus pensamentos passam a ser mais construtivos.

 

 

4. A meditação ameniza a depressão

Algumas vertentes da meditação possuem uma estrutura tão bem construída que podem amenizar a depressão nos praticantes. Dois estudos relacionou a prática dela na diminuição dos sintomas em 18 voluntários. Ao longo de três anos, foi constatado que houve diminuição dos sintomas. Isso acontece porque:

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

 

Melhora a resiliência emocional

Ao invés de focar exclusivamente nos sentimentos ruins, você passa a colocar tudo em uma balança. O problema ainda existe, mas você passa a escolher como reage a ele. Com isso, fortalece sua imunidade emocional e evita que a doença faça contato constante consigo.

Leia Também:  Meditação: o que é, como fazer, quais as técnicas?

 

Autoconhecimento

A prática meditativa te coloca em contato constante consigo e com áreas pouco exploradas de si. Entendendo quem é e o que carrega, pode formular melhor as suas reações ao problema. Por conta disso, pode reagir melhor sempre que os sintomas quiserem te sufocar.

 

Inteligência

Por fim, qualquer ideia e comportamento errático e pouco agregador é revisto em sua vida. Isso permite fazer uma mudança sobre, se livrando do que não faz bem a você e aos demais. Em suma, sua inteligência aumenta e fica mais sensível.

 

4. A meditação fortalece sua imunidade

A meditação também trabalha a sua condição física e biológica. Um estudo realizado há mais de 15 anos mostrou que a prática melhora sua proteção natural aos micro-organismos. Apenas sessões curtas, ainda que constantes, já são suficientes para mudar a estrutura do nosso cérebro. Isso possibilita crescimento de anticorpos e proteção contra vírus.

Ainda que isso seja comprovado, jamais deixe de tomar cuidados convencionais quanto à sua saúde. A ideia aqui é fazer uma proteção extra e nada invasiva com o intuito de fortalecer o seu corpo. Assim, use as práticas meditativas apenas como complementos à sua saúde.

 

5. A meditação melhora o sono

O estudo avaliou como a meditação pode atuar na qualidade do sono, já que metade da população dorme mal. Ele separou dois grupos: o primeiro receberia orientações quanto às práticas transcendentais. Já o outro não havia recebido nada, dormindo como de costume. Em pouco tempo os resultados se mostraram evidentes.

Quem fez as práticas transcendentais conseguiu adormecer com incrível facilidade. Ademais, o seu sono se mostrou mais confortável e satisfatório às suas necessidades, contrariando o resultado do outro grupo. Os pesquisadores concluíram que a prática ajuda a relaxar o corpo, fazendo com que sua tensão diminua drasticamente.

 

6. A meditação alivia inflamações e dores

Como mencionado acima, a meditação consegue amenizar as inflamações que algumas complicações nos causam. Contudo, isso também abraça as dores. Os pesquisadores concluíram que isso acontece porque a sua percepção da dor vem diretamente do seu estado mental. Se estiver altamente estressado, a mesma pode tomar proporções cavalares.

Contudo, como sua mente está em equilíbrio, isso não acontece. Há uma maior fluidez da tensão do seu corpo, permitindo que o estresse também se esvaia. Para quem pratica esportes ou atividades de alto impacto, é uma excelente alternativa meditar para amenizar o desconforto das dores.

 

Considerações finais sobre a prática da meditação

A meditação só chegou até aqui porque os praticantes já sabiam o que os pesquisadores descobriram agora: é saúde pura. Por meio dela, podemos trabalhar a conexão de nossa mente com o corpo e tratar os dois ao mesmo tempo. Isso permite uma cura sistêmica, já que o conjunto completo é restaurado.

Com tudo o que foi descoberto aqui, indicamos aqui que você comece a investir tempo na prática imediatamente. Não existe contra-indicações ou limitações, já que pode começar com pouco tempo. Até em casa ou no trabalho isso pode ser feito, reservando poucos minutos ao dia para isso. Relaxe sua mente, seu corpo e sua vida com o poder das práticas meditativas.

Além dela, outra ferramenta de crescimento pessoal é o nosso curso completo de formação em Psicanálise EAD. Através dele, você encontra as respostas que precisa a um entendimento pessoal e coletivo, verificando o que fomenta cada comportamento. Isso te municia com as escolhas e atitudes certas para obter sucesso em qualquer área, seja mental, física e social. Não perca mais tempo e descubra ferramentas que equilibrarão sua vida. Faça meditação e, além disso, matricule-se!

One thought on “Meditação: 7 coisas que a ciência já descobriu

  1. Muito bom. Ficou provado que a meditação consciente tem uma ampla gama de benefícios em relação mental, emocional, físico e bem-estar espiritual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − quatro =