tratamentos para quem tem medo de lugares fechados

Medo de lugares fechados: sintomas e tratamentos

Posted on Posted in Comportamento, Curso de Psicanálise

Um dos transtornos psicológicos mais conhecidos é o medo de lugares fechados. Por isso, nesse post nós vamos nos aprofundar melhor nesse assunto. Além disso, falaremos também sobre os sintomas e tratamentos envolvidos nesse quadro. Confira!

Fobia de lugares fechados: entenda a claustrofobia

Entenda que por ser uma fobia, há um medo exagerado de estar em lugares fechados. A pessoa que possui tal quadro dificilmente se sentirá bem em elevadores, aviões, trens ou qualquer outro ambiente que não tenha circulação de ar.

Ainda, o indivíduo pode se sentir preso, mesmo que a sua permanência em locais fechados seja por um curto período. Aqui, estamos nos referindo à locomoção em lugares fechados como os mencionados anteriormente.

Geralmente, a permanência em elevadores é rápida, mas para a pessoa que tem claustrofobia, parecerá uma eternidade. Imagine então se acontece alguma pane? O desespero pode ser ainda mais intensificado, causando ansiedade e crises de pânico. Perceba que esses são outros fatores recorrentes desse quadro.

Distúrbio de ansiedade

Sabia que a fobia de lugares fechados faz parte do grupo de distúrbios de ansiedade? Pois é, essa fobia é caracterizada desta maneira. Uma pessoa, que possua algum transtorno de ansiedade, vive com uma preocupação excessiva ou expectativa angustiante.

Os distúrbios de ansiedade podem se relacionar a diferentes fatores. Assim sendo, no caso de pessoas com claustrofobia, o transtorno se dá no medo de estar em lugares fechados. Nessas situações, o indivíduo não consegue ter controle sobre os seus sentimentos e o que se passa à sua volta.

A perda do controle de si mesmo é um quadro frequente dos distúrbios de ansiedade. Por isso, as pessoas se sentem completamente amedrontadas frente à situação que lhes causa repulsa. Tal comportamento deve ser observado a fim de evitar danos mais profundos.

Qual o público mais afetado?

Nós precisamos dizer que o medo de estar em lugares fechados não é algo relacionado à determinada idade. Isso significa que esse transtorno pode aparecer desde a infância, a adolescência, ou até mesmo na vida adulta. Ou seja, idosos também podem apresentar esse quadro.

Entenda também que questões relacionadas a gênero, raça e/ou classe social também não são determinantes. Com isso queremos dizer que não há uma relação de causa e consequência. Cada pessoa é única e pode reagir de forma diferente de outras pessoas na mesma situação.

Por isso, é válido lembrar da importância de falar sobre o assunto para desmistificar preconceitos. Na maioria das vezes, pessoas que sofrem de algum transtorno psicológico são consideradas “frescas”, “moles” ou “fracas”. É preciso ter mais empatia e buscar ajuda adequada para aqueles que precisam.

Possíveis causas do medo de lugares fechados

Como mencionamos anteriormente, não há fatores pré-determinantes para o medo exagerado de estar em lugares fechados. Em alguns casos, pode ser algo inato, ou seja, que nasce com o indivíduo. Assim, as causas são mais internas que externas.

Entretanto, há a possibilidade também das causas serem oriundas de fatores externos. Podemos pensar nas experiências traumáticas como o medo durante uma turbulência no avião, pane nos trens ou metrôs. Há também a possibilidade de uma uma pane no elevador, deixando a pessoa presa por alguns minutos ou horas até o problema ser resolvido.

Leia Também:  Alter Ego: o que é, significado, exemplos

Cabe a nós também considerar o impacto de filmes e outros programas na televisão e internet. As cenas e situações cruas mostradas na tela podem servir de gatilho e desencadear um quadro de ansiedade e pânico. Por isso, é preciso ter atenção ao tipo de conteúdo assistido.

Sintomas

Para compreender como a fobia de lugares fechados atua, veja os principais sintomas a seguir:

  • angústia;
  • medo;
  • ansiedade;
  • pavor;
  • sudorese exacerbada;
  • taquicardia;
  • boca seca;
  • palpitação;
  • falta de ar;
  • tontura;
  • dor de estômago; e,
  • pânico.

Perceba que os sintomas são psíquicos e físicos. Para a pessoa claustrofóbica, as sensações começam na mente provocando os desconfortos emocionais. Num segundo momento, as sensações causam desconfortos físicos.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    O estado psicológico faz com que a pessoa tenha a sensação de que o ambiente está se comprimindo, as paredes ficando mais apertadas e o teto cada vez mais próximo. Para essa mente, não há saída e, por isso, o corpo começa também a reagir negativamente.

    Assim, como as pessoas que sofrem de ataque de pânico, outros sintomas podem aparecer. Por isso, é comum que alguns indivíduos tenham ânsia de vômito, dor de cabeça e até mesmo desmaios.

    Tratamentos

    Agora que você já sabe o que é e quais são os sintomas da claustrofobia, vamos falar sobre os tratamentos. Antes de mais nada, é preciso buscar um profissional de confiança, especializado em Psicologia.

    Esse profissional pode identificar outros transtornos psicológicos atrelados à claustrofobia. Não é raro que indivíduos com medo de estar em lugares fechados também tenham depressão, e como mencionamos anteriormente, ansiedade e síndrome do pânico.

    Dessa forma, o uso de antidepressivos e ansiolíticos podem ajudar a diminuir os desconfortos durante as crises. Os medicamentos são essenciais para controlar os níveis psíquicos dos pacientes, mesmo que em alguns casos levem um tempo para surtir efeito.

    Sessões de Psicoterapia

    Saiba que para intensificar o tratamento, as sessões de psicoterapia também são passos essenciais. A partir do momento em que a pessoa passa a lidar com um especialista, ela compreende melhor a si mesma e como lidar com as situações que lhe causam medo.

    São diversas as linhas de terapia disponíveis para ajudar, como a psicoterapia cognitivo-comportamental. Nesse sentido, é importante se informar e começar o tratamento o quanto antes, assim você poderá entender qual método tem maior resultado para o seu quadro.

    Desse modo, uma vez combinados medicação e psicoterapia maior será o impacto positivo. Porém, precisamos ressaltar que é preciso ter paciência ao longo do tratamento. Saiba que é um processo que demanda tempo e disposição, e que os resultados não são instantâneos.

    Considerações finais sobre o medo de lugares fechados

    Nesse post tentamos  introduzir os conceitos básicos sobre o medo de lugares fechados, principalmente os sintomas e tratamentos. Também trouxemos algumas informações sobre transtornos de ansiedade e síndrome do pânico, bem como as possíveis causas dessa fobia. Isto porque é primordial tratar o assunto com seriedade e sem preconceitos.

    Nós acreditamos que o processo de tratamento depende num primeiro momento de acesso à informação de qualidade sobre o assunto. Dessa maneira, é possível compreender melhor sobre você mesmo, sua relação com outras pessoas, os diferentes ambientes e situações que fazem parte do seu cotidiano.

    Nesta perspectiva, saiba que você pode aprofundar ainda mais seus conhecimentos. Para isso, recomendamos o nosso curso online de Psicanálise Clínica. Assim, sem sair de casa você pode encontrar assuntos relacionados à fobias e outras questões inerentes ao desenvolvimento e convívio em sociedade. Aproveite agora mesmo e faça já a sua inscrição.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *