sapato 36 raul seixas

Música Sapato 36 de Raul Seixas: letra e interpretação

Posted on Posted in Música e Psicanálise

Neste artigo, analisaremos a música Sapato 36, de Raul Seixas, e seu contexto histórico e cultural. Você descobrirá o significado por trás dessa obra-prima e como ela reflete aspectos essenciais da vida e da sociedade.

Informações essenciais sobre Sapato 36

A seguir, apresentamos informações relevantes sobre a música Sapato 36:

  • Compositores: Raul Seixas e Claudio Roberto.
  • Ano da composição: 1977.
  • Primeira gravação: Raul Seixas, 1977, WEA International Inc.
  • Álbum: “O dia em que a terra parou”.
  • Gênero: Rock brasileiro, MPB.

Agora que você conhece a base dessa música, vamos explorar mais a fundo seu significado e contexto.

Letra da música Sapato 36

A letra completa de Sapato 36 é a seguinte:

Eu calço é 37, meu pai me dá 36
Dói, mas no dia seguinte aperto meu pé outra vez
Eu aperto meu pé outra vez

Pai, eu já tô crescidinho, Pague pra ver, que eu aposto
Vou escolher meu sapato, e andar do jeito que eu gosto
E andar do jeito que eu gosto

Por que cargas d’águas você acha que tem o direito?
De afogar tudo aquilo que eu sinto em meu peito
Você só vai ter o respeito que quer na realidade
No dia em que você souber respeitar a minha vontade
Meu pai, meu pai

Pai, já tô indo-me embora
Quero partir sem brigar
Pois eu já escolhi meu sapato
Que não vai mais me apertar (2x)

Agora que conhecemos (ou reconhecemos) a letra, vamos pensar algumas propostas interpretativas.

O que é este sapato que aperta?

No poema de Drummond, a pedra que tinha no meio do caminho podia significar muitas coisas. De certo modo, assim também é no sapato apertado desta canção de Raul Seixas, que pode significar:

O aspecto edípico sintetiza muitas dessas interpretações, pois este “pai-personagem” pode ser:

  • o próprio pai do eu-lírico (do narrador, não necessariamente do autor “Raul Seixas”);
  • uma representação de todas as imposições externas restritivas e alheias ao desejo do sujeito.

Sobre o segundo aspecto, essas imposições podem ser:

  • de natureza macropolítica: referência à ditadura militar, ainda em vigor na época da composição, tentando calar as vozes divergentes e restringindo as liberdades individuais e coletivas;
  • de quaisquer outras naturezas, como nas relações da vida privada e dos relacionamentos interpessoais.

Sapato 36 pode ser interpretada como uma crítica ao conformismo e à busca desenfreada pelo sucesso material. Através de uma análise psicanalítica e sociológica, podemos inferir que a música aborda questões relacionadas à autenticidade, autoconhecimento e liberdade.

Essas interpretações nos levam a entender a complexidade das mensagens presentes na obra e como elas se conectam ao contexto histórico e cultural. Continue lendo para descobrir mais detalhes!

O eu-lírico (narrador) simula estar falando com o pai (destinatário ou remetente da mensagem). A música é uma demonstração da existência do complexo de Édipo. De acordo com esta teoria de Sigmund Freud, o desenvolvimento psicossexual do sujeito passa pelos relacionamentos familiares. O sujeito irá buscar se autonomizar. Isso passa pela rivalização com o pai.

Depois, o complexo edípico resolve-se quando o sujeito decide “seguir em frente” e expressar sua autonomia, o que é representado na parte final da canção (“pai, já tô indo-me embora / quero partir sem brigar”). Na superação do Édipo, essa rivalização com o pai deixaria de marcar a vida psíquica presente do sujeito-filho.

QUERO INFORMAÇÕES PARA ME INSCREVER NA FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    O filho, então, pode afirmar seu ser:

    • focando seu desejo em outras pessoas e coisas (não mais em sua mãe) e
    • deixando de ter o pai como o ideal de eu e/ou como fonte de interdições.

    Por uma abordagem sociológica, a figura do “pai” poderia ser uma alegoria à ditadura militar, que era vista como um “sapato apertado” a quem não se alinhasse a ela.

    Motivos para ouvir Sapato 36 e prestar atenção na letra

    Estes motivos demonstram o quão valiosa e interessante é a música Sapato 36:

    1. Letra poética e provocativa, em que há um questionamento do status quo, representado pela imposição feita pelo pai.
    2. Uma música que transmite liberdade e autenticidade e é um convite à reflexão sobre nossa sociedade.
    3. Desperta a curiosidade para entender essa alegoria, sendo um hino atemporal que ressoa com diferentes gerações.

    E se você aprecia essa canção, confira algumas músicas semelhantes a seguir, todas gravadas por Raul Seixas:

    1. Ouro de Tolo – Raul Seixas: crítica ao conformismo, ao materialismo e às falsas motivações da vida.
    2. Al Capone: busca pela liberdade e autenticidade, embora aqui haja contextualização história a um personagem real.
    3. Sociedade Alternativa: questionamento do sistema e proposta de um novo modelo de vida.
    4. Metamorfose Ambulante: valorização da mudança e do autoconhecimento.
    5. Como Vovó Já Dizia: reflexão sobre a vida e seus valores.

    Agora que você conhece músicas semelhantes, que tal responder algumas perguntas frequentes sobre Sapato 36?

    Conclusão: música sapato 36, de Raul Seixas

    Você explorou o universo de Sapato 36 e mergulhou em sua complexidade. Conheceu aspectos culturais, históricos e sociais que permeiam a obra e a tornam tão especial.

    Agora, aproveite para estudar nosso Curso de Formação em Psicanálise Clínica 100% Online e ampliar ainda mais sua compreensão sobre a mente humana. E não esqueça de compartilhar suas opiniões, ideias e sugestões nos comentários abaixo!


    Leia Também:  Quem foi Renato Russo: vida, obras e ideias

    Curso de Formação em Psicanálise Clínica EAD


    3 thoughts on “Música Sapato 36 de Raul Seixas: letra e interpretação

    1. EDNA CRISTINA disse:

      Excelente abordagem! Ouvi muito essa música em minha adolescência, e, realmente, os conflitos referentes ao complexo de Édipo estão implícitos na canção, bem reflexivo! Parabéns ao autor do artigo que nos trouxe essa pérola!

    2. Renata de Barros Pellini Guimarães disse:

      Ao contrario da colega Edna Cristina e do proprio autor, náo vejo nada de Ëdipo nessa letra.
      ela é sim um texto claro de revolta, onde o pai representa o Estado coercitivo, opressor; o sapato apertado, a falta de liberdade e o sofrimento de não poder expressar-se ou reunir-se, de defender uma ideia, de não poder ser quem se é, sem ter a liberdade e náo poder questionar essa opressão; o mesmo de sentido de PAI, AFASTA DE MIM ESSE CÁLICE…subtendido aqui que a mensagem é PODER, ESTADO, AFASTA DE MIM ESSE CALE-SE!!!

      1. O sapato apertado é o figurativo do Estado opressor, relativo a Ditadura Militar. Comentário perfeito, Renata.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *