não trate com prioridade

Não trate com prioridade quem te trata como opção

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Relacionamentos são complicados, venhamos e convenhamos. Até mesmo quando amamos e sabemos que somos amados, há brigas, conflitos e problemas de alinhamento que nos fazem questionar a saúde da relação. No post de hoje, falaremos um pouco sobre isso. Caso haja na sua vida uma pessoa que não é recíproca no tratamento que você dá a ela, talvez seja hora de rever seu comportamento. Não trate com prioridade quem te trata como opção.

Ressalvas óbvias

Em vários dos textos que postamos aqui no blog, discutimos extensivamente o tema das personalidades humanas. Por conta de sabermos que pessoas são diferentes, é necessário fazer ressalvas quanto ao tema da reciprocidade. Isso porque nem todo mundo ama, gosta, se apaixona ou corresponde a sentimentos de maneiras parecidas. Por essa razão, pessoas que ignoram as distinções entre seres humanos se sentem frustradas.

Assim sendo, é importante que você tenha em mente que nem sempre seu relacionamento está com problemas porque a outra pessoa não é recíproca. Relembramos: reciprocidade não é dar de volta a mesma coisa que recebeu. Reciprocidade é agir em resposta a uma ação de outra pessoa. Assim, ao passo que uma pessoa compra, há alguém que vende. Entende?

Nesse contexto, quando você compra um presente para seu cônjuge, não receber um presente de volta não significa que ele não foi recíproco. Para responder à sua ação, ele pode escolher uma ação diferente em reciprocidade. Assim, é possível que ele faça o jantar em vez de deixar você fazer isso. É a maneira dele de dizer que apreciou o que você fez. No entanto, você também não é obrigado a gostar de não receber presentes.

A importância da comunicação e do autoconhecimento

É nesse ponto que a comunicação entre as partes de um relacionamento se faz tão importante. Além disso, o autoconhecimento é essencial. Mais abaixo explicamos o porquê. Em primeiro lugar, conhecer a si mesmo é importante para que você tenha noção sobre:

  • como você ama as pessoas;
  • como você se sente amado;
  • suas expectativas;
  • o que gosta;
  • o que não gosta.

Veja que essas são informações muito importantes não só para você, mas também para quem convive com você. Assim, é aqui que a comunicação faz sentido. Quando você sabe cada um dos itens acima, é sua obrigação comunicar sua essência com seu parceiro, amigo ou familiar. Uma vez que nenhum de nós possui uma bola de cristal, não tem como esperar que o outro faça inferências sobre seus gostos. É uma exigência injusta para qualquer relacionamento.

Por outro lado, você também deve se engajar para conhecer o outro. Pensar só em suas necessidades sem ter a menor ideia do que o outro espera e gosta é egoísmo. Assim, faz um bem enorme para o relacionamento que todas as partes envolvidas conheçam a si mesmas por meio do autoconhecimento e da comunicação.

Diferentes relacionamentos, atitudes similares

Uma vez que nossas ressalvas foram feitas, chegou a hora de discutir a prioridade. Como você já deve ter percebido, tratar alguém com prioridade ou priorizar é colocar essa pessoa em primeiro lugar. Bom, na nossa vida nós temos uma série de atividades, obrigações e relacionamentos. Assim, quando tratamos alguém com prioridade, esse alguém está vindo em primeiro lugar na frente de todo esse emaranhado de fatores que é a nossa vida.

Leia Também:  Quatro etapas da terapia em psicanálise

Nesse contexto, não te parece estranho que uma pessoa ocupe um lugar tão importante? Nosso título pede que você não trate com prioridade quem te trata como opção. Contudo, se você pensar bem, nem em um contexto tão ruim uma pessoa deveria receber mais prioridade do que você em sua própria vida. Falamos isso porque é muito comum ver pessoas frustradas com tudo o que fizeram sem receber nada em troca.

Só aí já há muito o que discutir também. Quando nos relacionamos pensando no que receberemos em troca, ou nós nos frustramos, ou o relacionamento acaba em uma piscina de criança de tão superficial que é. Nas dicas que trazemos abaixo, não vamos te ensinar a fazer falta ou cobrar atitudes. Na verdade, traremos dicas práticas sobre como se posicionar a fim de priorizar a si mesmo sem trazer um peso negativo para qualquer relacionamento.

Pais

Mesmo que sejam os piores pais do mundo na sua concepção, essas pessoas merecem respeito. Contudo, aqui respeitar não significa servir ou submeter-se a abusos. Assim, caso sinta que seus pais estão abusando de você fisicamente, emocionalmente ou mentalmente, é hora de tomar duas decisões.

Em primeiro lugar, não deixe de denunciar o abuso. Em casos de abuso sexual, alienação parental ou outros crimes graves, a denúncia deve ser feita por meio de órgãos legais. No entanto, há atitudes abusivas ou ofensivas que são denunciadas verbalmente em uma conversa franca. Nos relacionamentos, comunicação é essencial para todos os envolvidos andem alinhados e sejam satisfeitos em suas necessidades.

Filhos

Por outro lado, não trate com prioridade filho nenhum. Quando nos tornamos pais, muitos de nós acabamos colocando nossos filhos em uma posição de prioridade porque eles vêm ao mundo totalmente indefesos. Contudo, não percebemos que eles não poderiam nunca assumir a prioridade das nossas próprias vidas.

A realidade é que esse lugar, quando não ocupado por nós mesmos, faz mal para nossos descendentes em vários momentos da vida.

Quando uma mãe não se coloca em primeiro lugar ao cultivar sua saúde mental, o bebê sente que algo está errado. Pais que não colocam a saúde do relacionamento conjugal em primeiro lugar (como algo que faz bem a eles mesmos) machucam seus filhos. Há estudos que revelam que o casamento de crianças que viveram em lares infelizes tendem a ser infelizes na vida amorosa também. Vê como é importante se priorizar?

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Namorado ou Namorada

Aproveitando que encerramos o último tópico falando em relacionamento amoroso, vale a pena discutir o namoro também. Em um relacionamento desse nível, recomendamos que você não trate com prioridade o seu namorado ou namorada. Como temos discutido até aqui, o melhor para qualquer relacionamento é que você venha em primeiro lugar sempre. Dessa forma, não aceitará abusos ou injustiças e saberá quando sua relação vai bem ou não.

Cônjuge

O mesmo vale para o ambiente conjugal. Mesmo quem já exerce o amor próprio no namoro pode acabar se deixando ocultar pelo brilho do outro. No entanto, não trate com prioridade o seu cônjuge em sua própria vida. Perceba: nós só temos essa vida para vivermos, amarmos e fazermos o que nos faz bem. Viver em prol do outro, além de ser um desperdício de vitalidade, exerce uma pressão e expectativas com que a outra pessoa vai cansar de lidar.

Leia Também:  Obrigado: significado da palavra e o papel da gratidão

Colegas de trabalho

Por fim, não trate com prioridade nenhum de seus colegas de trabalho, sua empresa ou seu chefe. Apesar de ser o seu ganha-pão, seu trabalho não representa a totalidade da sua vida nem de longe. Caso reconheça que está perdendo o gosto de viver por causa do trabalho, é necessário repensar sua estadia nesse lugar ou maneira como enxerga a sua função. Muitas vezes não é necessário mudar de carreira, apenas de perspectiva e atitude.

Considerações finais: não trate com prioridade quem te trata como opção

No texto de hoje, recomendamos que você não trate com prioridade nenhum de seus relacionamentos em ocasião alguma. Assim, não é só quando você é uma opção que deve se colocar em primeiro lugar. A saúde dos relacionamentos e dos ambientes que ocupa fica mais forte quando você decide se priorizar. Para aprender como fazer isso de maneira saudável, matricule-se em nosso curso de Psicanálise Clínica 100% online. Podemos ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + um =