Negacionismo

Negacionismo: significado em Psicanálise

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

Hoje falaremos sobre o Negacionismo e sua relação com a Psicanálise. Com a evolução dos estudos de Freud e de sua pesquisa sobre Histeria e outros problemas da mente humana, o mesmo chegou na formulação da Psicanálise como Ciência e inicialmente elaborou o Modelo Topográfico de estruturação do aparelho psíquico, consistindo na divisão: Consciente, Pré-consciente e Inconsciente.

Negacionismo e o modelo topográfico

Como esse modelo não abarcava toda a explicação que Freud considerava necessária, introduziu a Segunda Tópica com o Modelo Estrutural, dividindo o aparelho psíquico em: Id, Ego e Superego. O Id é inconsciente e responsável pela satisfação Princípio do Prazer, sempre em busca da realização dos instintos, desejos mais primitivos da psique, portanto tem como função originar o prazer e evitar o desprazer. Noutro passo, o Ego é baseado no Princípio da Realidade e é o intermediador entre os desejos do Id e a moralidade do Superego, encontrando uma forma de satisfazer esses desejos sem, contudo, afetar a saúde e prejudicar a psique, atuando no que é real.

Por sua vez, o Superego é responsável pela perpetuação da vida em sociedade e respeito aos ditames e regras passados pelos país, é o lado moral que tem o intuito de diminuir as pulsões do Id. No processo de funcionamento do aparelho psíquico que se baseia em proteger a mente de eventos danosos, ou seja, atua como um detector de prováveis situações que possam traumatizar, gerar desprazer ou relembrar eventos que afetem ou sejam muito perigosos para a manutenção de uma mente saudável, balanceando os desejos com a obtenção de meios não adoecidos de engrenagem, evitando a repetição de momentos desagradáveis do passado.

Para tanto, há a denominação de Mecanismos de Defesa do Ego, como os meios encontrados por este para proteger o indivíduo de prováveis situações que possam originar dor, decepção, tudo de acordo com a ação do inconsciente e com a memória de outras situações que se interligam.

O funcionamento da psique e o Negacionismo

De acordo com o funcionamento da psique, todos em um determinado momento se utilizam dos mecanismos de defesa, já que fazem parte dos processos primários e secundários, e agem para evitar o desprazer, ou seja, no decorrer das situações do dia a dia faz-se necessária a utilização do recurso do mecanismo de defesa que atuam para dirimir as tensões que o Ego passa e manter a saúde mental.

Dentre os mecanismos que funcionam quando ativado algum gatilho, temos: Negação; Repressão; Deslocamento; Projeção; Sublimação; Racionalização; Formação Reativa; Regressão; Introjeção. A Introjeção é o mecanismo através do qual a pessoa incorpora objetos e características dos outros, o que na infância auxilia na formação da personalidade, sendo, portanto, de extrema importância.

A Regressão é uma volta, retorno a uma posição infantil, como meio de lidar com alguma situação perigosa para o Inconsciente e que liga o alerta, fazendo essa regressão para se sentir confortável, com atitudes que na época da infância lhe proporcionavam prazer e conforto. A Formação Reativa é o mecanismo que a pessoa utiliza para repelir o objeto de desejo, pelo fato do seu Ego não autorizar e portanto tem um comportamento inverso de como os sentimentos deveriam fluir.

A racionalização, projeção e o deslocamento

A Racionalização é o instrumento pelo qual a pessoa quando sente culpa ou remorso por alguma atitude sua, reverte o comportamento em algo explicável, racionalizável, inteligível, com o intuito de evitar o desprazer de se deparar com a responsabilização. A Sublimação é o meio que o ser encontra de transformar, subverter algum desejo ou atitude que o Ego não aceita de acordo com os ditames morais individuais e da formação e transforma em algo aceito socialmente e moralmente e de certa forma positivo para a humanidade. A Projeção é o processo por meio do qual a pessoa afasta algum comportamento que gera insegurança em si mesmo e projeta no outro, percebendo algo que lhe cause dor projeta, atribui isso a uma outra pessoa.

O Deslocamento é o procedimento pelo qual o indivíduo desvia o investimento dado a uma representação para outra, sendo que essa que recebe no lugar, acaba por gerar uma substituição da primeira. A Repressão ou Recalque é método pelo qual a pessoa inconscientemente suprime desejos ou impulsos indesejáveis impedindo que passem para o consciente, ou seja, reprimem esses pensamentos ao ponto de nem alcançarem a consciência. Por último, fez-se necessário explicar como funciona os mecanismos de defesa do Ego, para que seja plausível a explicação sobre a Negação que é o tema central deste conteúdo.

Leia Também:  Funcionamento dos mecanismos de defesa na Psicanálise

Sendo assim, o Negacionismo é um mecanismo primitivo de defesa no qual a pessoa simplesmente não reconhece a existência de alguma situação, de forma inconsciente entra num processo de negação que camufla algum desejo, fantasia ou sentimento, evitando assim situações conflitantes emocionalmente e, portanto, ansiedade. A pessoa que se encontra no estado de negação, não aceita a verdade, pois esta é desgastante demais para sua psique, sendo portanto mais um instrumento de desvio da dor.

Negacionismo e a ciência

Em 1933, Freud relatou a importância do uso da Ciência como caminho e busca da verdade, sendo assim, foi bem claro ao detectar que a busca pela religião como solução para os problemas do mundo, bem como método de explicação para tudo, acaba sendo mais um objeto de fuga da realidade e exacerbação do estado de negação em massa. Posto que, com o advento da religião, as pessoas encontram um refúgio e uma fuga da realidade e uma forma de acalento a não realização dos seus desejos, indo desde a negação a sublimação como caminho para evitar o encontro com a dor e torna-la aceitável social e moralmente.

Noutro passo, Freud destaca que a religião oferta aos que se sentiram de alguma forma desamparados na infância, um lugar do Pai, preenchendo lacunas no aspecto do saber, bem como alivio da angústia. Gerando, por assim ser, um desvio da frustração que o contato com a realidade oportuniza, mantendo a negação e utilizando-se desse mecanismo de defesa e não tendo acesso a um verdadeiro conhecimento que a realidade evidencia. Cumpre ressaltar que na Negação a pessoa inconscientemente, bloqueia o evento considerado inaceitável e não permite que faça parte da consciência.

Fato é que, com o acontecimento da Pandemia Mundial, desde o seu começo, despontaram no mundo e principalmente no Brasil, uma corrente de pessoas que a enfrentam com um grande tom de negacionismo. Desde a negação inicial e tardia da sua existência, bem como através da negação em seguir medidas protetivas, tais como o uso das máscaras e manutenção do distanciamento social. O negacionismo atingiu tal nível que após a luta da ciência e dos cientistas na elaboração da vacina, pessoas se negam a tomá-la, bem como contestam a sua eficácia, numa nítida atitude de desvio e fuga da realidade de maneira inconsciente, para evitar a dor e sofrimento, mas em contrapartida aumenta e prolonga o vírus e suas variantes.

Narcisismo inconsciente e o Negacionismo

Dentre esses exemplos, surgiram pessoas que mesmo após dois anos de cenário pandêmico e inúmeras mortes, continuam a negar o perigo do vírus e a existência da pandemia, numa atitude inclusive de preferir pegar o vírus do que se vacinar ou em acreditar que com a existência de Deus não há porque buscar a ciência, numa atitude totalmente descrente com os avanços científicos e tecnológicos e consequente Negação, seguindo os ditames sociais de felicidade a qualquer custo, sem conseguir aceitar a frustração que é inerente a vida.

Noutro passo, pessoas consideradas com uma organização sexual perversa, tendem a não seguir regras e a se utilizar desse mecanismo de defesa de negação, como uma forma de narcisismo e de inconscientemente, obter manutenção da negação da castração e da aceitação do pai e das regras.

O que, hoje em dia, tem sido muito propagado é um número maior de pessoas que independente do nível de formação, ou seja, não se pode atribuir a ignorância, que se encontram nesse estado de negação da ciência e da existência da pandemia, num ato de completa aversão ás regras sociais e sanitárias básicas, tais como respeito ao convívio saudável, a campanha de vacinação, ás regras e limites estabelecidos pelos governantes como necessários para uma plausível continuidade da diminuição de casos da Covid-19.

Conclusão

Sendo assim, mais que nunca resta comprovada a extrema necessidade da intervenção psicanalítica para a melhoria e entendimento de um meio social cada vez mais adoecido por diversos fatores, dentre eles a negação, propagada pelo próprio Presidente e pelas redes sociais através das chamadas “Fake News”, bem como por todo estado de aversão à realidade e da verdade que nunca foi tão explicita e explanada pelas autoridades e OMS como hodiernamente, servindo como apoio para que não aconteça a fuga da realidade e se aceite a frustração.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    O presente artigo foi escrito por Priscila Wanderley Saraiva, advogada, psicanalista em formação com foco no social. (71) 991712339

    3 thoughts on “Negacionismo: significado em Psicanálise

    1. A vacinação tem muito viés politico, ao ponto do Brasil ter um laboratório que é excelência em produção de soros – Butantã – e ter se “curvado” aos laboratórios Internacionais que produzem vacina com vírus (que alegam ser) atenuados, onde exigiram e foi concedida a Isenção de indenização pelos efeitos colaterais, que podem advir! Ai bastou passarmos pelo Natal e Réveillon com afrouxamento das regras para o uso da máscara e a então distancia (que era maior) de distanciamento, para voltar a alta letalidade e maior número de casos! Quem é contemporâneo da época que a Ciência se debruçou para ofertar tratamento para que o Sistema Imunológico dos Soros Positivos (AIDS) voltassem a funcionar, e para quem possui Raciocínio Lógico chega a ser revoltante assistir um País como o nosso, com tanta gente passando fome e, privada de receberem vacinas, na modalidade soro, que logo protegeriam organismos humanos, tão debilitados, como o desse segmento da população!

    2. Creio que faz parte do processo pensar e questionar, e que o fato de não aceitar o questionamento de quem quer que seja, seja tbm um ato de negação,Tanto de um lado quanto de outro. No artigo foi deixado claro um posicionamento que particularmente não concordo. Mas admiro o fato de ter algúem que se acredita cegamente no bem da humanidade mundial.

    3. Parabéns pela clareza e objetividade do texto. O negacionismo nega até mesmo sua própria negação. A vacina não tem viés politico! Ela é uma necessidade. E corroborando com seu texto, está explicito aqui o negacionismo, até por quem está estudando a psicanalise. Vacinas no mundo inteiro, e aqui os negacionista achando que é uma quaestão de opinião. estou começando a pensar que a hipnose coletiva ´via internt será o único meio de fazer esses indivíduos mais pés no chão! Parabéns Priscila. Um artigo muito bem escrito!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.