O que o Psicanalista não pode fazer?

Posted on Posted in Formação em Psicanálise, Psicanálise

Em muitos dos nossos artigos, em geral abordamos os diferentes papéis que um psicanalista pode ocupar. Mostramos, por exemplo, que não necessariamente suas atividades estão presas a um consultório. No entanto, por outro lado, é comum que não fique claro o que um psicanalista não pode fazer. Neste artigo deixaremos essa parte do trabalho mais clara para você.

No entanto, antes de iniciarmos este artigo, gostaríamos de relembrar a função de um Psicanalista.

O que um psicanalista de fato pode fazer

O ato de clinicar: permitido ou não para psicanalistas?

Em outros artigos, já comentamos que ser psicanalista é diferente de ser médico.  

Assim sendo, estamos falando de um profissional que, em tese, não poderia “clinicar”. Contudo, sabemos que o “ clinicar” para o psicanalista é diferente do clinicar do médico. Nesse contexto, tanto o médico quanto o psicanalista possuem pessoas para atender. Contudo, há uma diferença crucial no que diz respeito ao ato de clinicar.

Desta forma, a função do psicanalista junto ao paciente é levantar questionamentos. Isso com o objetivo de descobrir frustrações, emoções contidas, desejos reprimidos e todas as emoções que geram “ nós” emocionais em suas vidas.

Assim, durantes as sessões de terapia o psicanalista e o paciente vão descobrindo esses fatores juntos. Dessa forma, isso é feito de modo que o trabalho seja feito em conjunto com o paciente. Assim sendo, sua participação é tão crucial quanto a do próprio psicanalista. Nesse contexto, os traumas ou situações que levam uma pessoa a agir de determinada forma, causando algumas situações internas ou externas, não são resolvidos por uma pessoa só.

Vale lembrar que todos que buscam a ajuda de um psicanalista o fazem para se conhecer melhor. Assim sendo, o resultado esperado é que consigam uma melhora considerável em suas vidas e relacionamentos. Nesse contexto, destaca-se principalmente o relacionamento consigo mesmo.

A procura por um profissional que ajude indica que a pessoa não consegue esses resultados sozinha. No entanto, para que o psicanalista consiga ajudar, é necessária a cooperação do paciente. É neste contexto que o trabalho em conjunto é crucial. No caso do médico, o ato de clinicar segue uma vertente completamente diferente. 

Já o psicanalista, formado em psicanálise, usa um método de análise criado por Sigmund Freud. Por essa razão, seu trabalho basicamente consiste na interpretação de palavras, ações e produções imaginarias de uma pessoa.

O psicanalista pode atuar com atendimento (clínico), desde que seja formado e siga supervisionado, dentro do método específico da Psicanálise.

O que o psicanalista pode fazer então?

Como vimos anteriormente, o trabalho de um psicanalista é conduzir e orientar o paciente. Isso com o objetivo de que ele próprio chegue as suas próprias conclusões. Assim sendo, a pessoa passa a entender essas conclusões como verdades, e possa trabalhar com elas a seu favor.

Outras atividades que o psicanalista pode fazer são:

• Orientar
• Questionar
• Direcionar
• Exemplificar
• Conduzir
• Observar
• Indicar meditações
• Agregar o conhecimento de outras terapias

Desta forma, por meio dessas tarefas, o próprio paciente acaba por entender suas necessidades.  Assim, consegue desmistificar algumas coisas que foram impostas pela educação recebida, e com isto, ele próprio acaba por se “curar”.

Nesse contexto, também faz parte do trabalho de um psicanalista  observar a evolução que o próprio paciente conseguiu. Isso além de reforçar estes novos comportamentos.

Leia Também:  Formação da Personalidade segundo a Psicanálise

Por outro lado, o que o psicanalista não pode fazer?

1. Prescrever remédios

Essa é uma atividade que fica vetada ao psicanalista. Isso se deve a alguns fatores, como por exemplo: o fato de o psicanalista não ser médico e sim terapeuta. Além disso, não é possível prescrever porque não há um Conselho Regional que regulamente a função do psicanalista. Nesse contexto, a carteirinha e a certificação não podem ser usados também.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Mesmo que esta não seja uma atividade permitida, é importante pensar que de acordo com os princípios da psicanálise nem haveria motivo para prescrever remédios.

2. Indicar profissionais da saúde formalmente (Encaminhar pacientes)

Uma outra atividade que não é permitida para psicanalistas é um encaminhamento direto de um cliente a outro profissional. Assim sendo, ele não pode indicar formalmente um psicólogo ou psiquiatra.

Por um lado, essa é uma proibição estranha. Isso porque sabemos que a maioria dos pacientes vai precisar do acompanhamento de um psicólogo ou de um psiquiatra, a depender do caso. Um paciente com transtornos alimentares, por exemplo, pode ser analisado por um psicanalista. No entanto, precisará também do acompanhamento de um nutricionista. Nesse caso, ele não pode encaminhar seu paciente.

Entender a razão para essa limitação é relativamente simples. Esta função não é tratada como profissão, mas sim como ocupação.

3. Diagnosticar

Se você lembra do que discutimos sobre o papel do psicanalista, saberá que ele não pode diagnosticar. Assim sendo,  ele não pode pedir exames de sangue ou um raio X por exemplo. Tudo o que ele pode usar para chegar a uma conclusão sobre os problemas de seus pacientes é feito em conjunto. Nesse contexto, muitas vezes quem tem a resposta para essas questões é o próprio indivíduo que está fazendo a análise.

Quem busca a ajuda de um psicanalista quer entender o que se passa em sua mente. Assim,  não existe exame de sangue que possa mostrar as “ perturbações “ emocionais de um paciente. Por outro lado, também não é papel do psicanalista diagnosticar problemas emocionais. Nesse contexto, dar um diagnóstico de depressão ou ansiedade está fora de questão.

Algumas considerações finais

O Psicanalista é um terapeuta.  Assim como o Psicólogo, se vale de sessões em que o paciente fala mais que o terapeuta. É desta forma que se torna possível encontrar os principais problemas ou às vezes um único problema que atrapalha a vida do paciente.

Assim sendo, cabe ao psicanalista a análise, acompanhamento, orientação e recomendações sobre terapias alternativas. Assim, qualquer atitude que escape da alçada da construção conjunta de uma discussão sobre problemas é problemática. Além dos itens que comentamos acima, há ainda alguns limites para o psicanalista. Ele não pode:

• Indicar internações
• Indicar ou orientar religiosamente um paciente.

Nesse contexto, se o paciente por conta própria disser que vai procurar um psiquiatra, o psicanalista pode reforçar a vontade que partiu do paciente.  Essa é uma indicação informal.

Desta forma, se o paciente disser que acredita que precisa tomar remédios e que vai buscar a ajuda de um psiquiatra, o psicanalista pode concordar. No entanto, a indicação nunca poderá partir dele.

O profissional não pode nunca sugerir uma outra orientação medica, como exames, remédios, ou qualquer outra coisa, ele estaria fazendo um diagnóstico, e isto ele não pode fazer. Cabe a ele apenas ajudar o paciente através de seus próprios relatos a chegar a uma solução. Nesse contexto, o uso de medicamentos pode até fazer parte da decisão, mas o paciente é que precisa chegar sozinho a ela.

Leia Também:  Conhecendo o trabalho do Psicanalista

Aos psicanalistas cabe, portanto, auxiliar o seu paciente na forma da terapia. Dessa forma, fazendo com que ele fale tudo o que o deixa frustrado, amargurado e que o incapacita de fazer algumas coisas.

Deve ajudar a desatar “nós” emocionais. Além disso, é necessário reconhecer quais são os gatilhos mentais que provocam a “ crise” e com isto estabilizar o paciente. Assim sendo, auxiliará o indivíduo fazendo com que conheça seus pontos a melhoras e ajude a reconhecer e reforçar seus pontos fortes.

 

E você: já pensou em ser psicanalista?

Gostaria de saber mais e se especializar?

Nós temos um curso excelente e que pode te interessar  por diversas razões! Para começar, é totalmente EAD. Clique aqui e veja o nosso curso de Psicanálise, entenda tudo sobre psicanálise e como ela pode nos ajudar antes de ajudar o outro.

One thought on “O que o Psicanalista não pode fazer?

  1. quereria saber o que vces p
    Gostaria de saber sua opinião sobre o fato de que psicanalistas e piscologistas raramente dão aos pacientes um diagnóstico por escrito e menos ainda escrevem planos terapêuticos indicando o tempo necessário para o tratamento. como as associações profissionais e acadêmicas não impõem essas regras mínimas de respeito ao paciente, abusos de todo tipo ocorrem com frequência e os resultados, honestamente, são muito escassos quando totalmente ausentes.
    você não acredita que essas deficiências tornem a relação com o paciente muito opaca e nem científica? isso lança uma sombra da fraca validade científica da psicanálise e da psicologia e da baixa ética, profissionalismo e justiça para psicólogos e psicanalistasensan em cima do

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + 1 =